AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

O candidato oficial da imprensa portuguesa.

VEJAM QUANTOS JORNALISTAS ESTÃO AQUI PARA UM HOMEM QUE DIZ QUE ANDA SÓZINHO



(facebook)


A segunda fase da campanha de Marcelo Rebelo de Sousa na imprensa portuguesa já chegou. E chegou exactamente como prevíamos há umas semanas atrás.

Pois bem, a partir de agora começarão a dizer-lhe que Marcelo Rebelo de Sousa anda sozinho, é um homem muito simples e frugal. Ora, mas se são tantos os jornalistas que o dizem, onde estão esses jornalistas todos para o saberem? 

Pois claro: estão com ele. 

Ou seja, não anda sozinho.

Marcelo não é, como diz o DN, o one man show. É o candidato que conta com a imprensa portuguesa para vender a sua retórica de candidato simples e sem gastos mas que, no fundo, é acompanhado como ninguém por carros de directos, jornalistas, microfones, câmaras...

É o candidato oficial da imprensa portuguesa.

ZONAS CERCADAS NA SÍRIA EM SITUAÇÃO A NECESSITAREM DE AJUDA HUMANITÁRIA URGENTE

by claracastilho

Finalmente uma caravana de ajuda humanitária entrou há dois dias na cidade síria de Madaya, onde milhares de pessoas estão cercadas e onde, de acordo com as Nações Unidas, já terão ocorrido mortes devido à fome. O cerco durava há seis meses.

Testemunhos prestados por habitantes de vilas cercadas na Síria à Amnistia Internacional davam conta de um desespero total na busca por alimentos, especialmente com a chegada do inverno, dando renovado ênfase à necessidade imperativa de que seja permitido o acesso de ajuda humanitária sem nenhumas restrições a todos os civis que carecem de assistência, assim como ao fim dos cercos das populações em todo o país.

A mais falada tem sido a cidade de Madaya onde os civis esfomeados descrevem que as famílias estão a sobreviver com pouco mais do que folhas das árvores e arbustos e água fervida. De acordo com o director da Amnistia Internacional para o Médio Oriente e Norte de África, Philip Luther, ““Estes angustiantes testemunhos da fome pela qual as pessoas estão a passar representam apenas a ponta do icebergue. Os sírios estão a sofrer e a morrer por todo o país porque a fome está a ser usada como arma de guerra, tanto pelas forças do Governo sírio como pelos grupos armados. Ao continuarem a impor cercos sobre as áreas civis e só muito esporadicamente e a seu bel-prazer permitindo a entrada de assistência humanitária, estão a agravar a crise e a brincar com as vidas de centenas de milhares de pessoas”. O perito da organização de direitos humanos frisa que “o uso da inanição de civis como método de guerra é um crime de guerra”. “Todas as partes envolvidas no conflito que estão a cercar áreas civis – o Governo e grupos armados não ligados ao Estado – têm de parar imediatamente de impedir a chegada de fornecimentos de emergência às populações e permitir um acesso sem nenhumas restrições à ajuda humanitária”, insta ainda.

As cidades adjacentes de Madaya e Boukein, para oeste de Damasco, a capital síria, estão sob cerco desde julho de 2015 por forças governamentais. Cerca de 40.000 pessoas estão encurraladas nestas duas cidades, sem fornecimentos de eletricidade nem água canalizada.

A ajuda humanitária tinha sido  entregue pela última vez em Outubro de 2015 e entretanto já há muito que se tinha esgotado. Um cessar-fogo acordado em setembro do ano passado visava garantir um acesso sem limitações à assistência e a deslocação de civis feridos – mas nada disto foi concretizado.

Quem tenta ajudar e fazer entrar alimentos nas localidades já foi executado.

A Avaaz pôs a correr uma petição: “Na cidade sitiada de Madaya (Síria), famílias estão literalmente morrendo de fome, comendo as folhas das árvores e gatos para tentar sobreviver. Uma trégua foi negociada no ano passado, mas os civis continuam isolados. A Turquia e o Irã poderiam trabalhar com aliados para suspender o cerco, mas não agirão sem apoio. Se reunirmos um milhão de vozes pressionando o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, a intervir e trabalhar com os envolvidos no conflito e acabar com o bloqueio, podemos evitar que milhares de famílias morram de fome.

Junte seu nome na petição agora: https://secure.avaaz.org/po/madaya_starvation_siege_loc/?bdkaGhb&v=71296&cl=9237605846”.

Apesar da ajuda anunciada acima, não chega, em breve se esgotará…


http://aviagemdosargonautas.net/



PCP apresenta o seu projecto de reposição das 35 horas na função pública

VÍDEO



Ver vídeo
03:03


Sr. Presidente, Sr. Deputados,
Fazemos hoje esta discussão, porque a luta dos trabalhadores e a vontade dos portugueses impôs uma derrota ao Governo PSD/CDS e exigiu um caminho de valorização do trabalho e de justiça social.
Em 2013, o Governo PSD/CDS impôs aos trabalhadores da Administração Pública o aumento do horário de trabalho para as 40h semanais. Impôs mais horário e menos salário.
Violou o direito à articulação entre a vida familiar e profissional, violou o direito ao trabalho remunerado e também o direito à contratação colectiva, vetando centenas de ACEP que repunham as 35 horas.
Sr. Presidente, Sr. Deputados,
A decisão do aumento do horário de trabalho representou um aumento da jornada de trabalho em 20 horas gratuitas por mês.
Entre 2010 e 2015,em média os trabalhadores da Administração Pública perderam 28,4% do valor hora de trabalho.
Com isto, só em 2015, fizeram 150,6 milhões de horas de trabalho gratuito.
Sr. Presidente, Sr. Deputados,
A história pela redução do horário de trabalho é parte integrante e fundamental da luta dos trabalhadores.
Nesta reivindicação radica a proclamação do Dia do Trabalhador e também o Dia Internacional da Mulher.
E na Administração Pública, desde 1998 que estão estabelecidas as 35 horas semanais.
Sr. Presidente, Sr. Deputados,
Respondendo a um compromisso e concretizando uma justa reivindicação dos trabalhadores o PCP propõe hoje a reposição das 35 horas de trabalho para todos os trabalhadores na Administração Pública.
Assumimos ainda o compromisso de, em momento posterior, apresentar uma proposta no sentido de reduzir progressivamente o período de trabalho no sector privado para 35 horas semanais, sem perda de remuneração nem de outros direitos.
Quanto aos trabalhadores na Administração Pública, todos eles, independentemente do contrato, com a discussão de hoje, a votação da próxima sexta-feira e a convergência final que vai ser conseguida, vêem o caminho aberto para a curto prazo serem aplicadas as 35 horas semanais.
É a eliminação de uma injustiça, é mais um passo para a valorização do trabalho e dos trabalhadores, das suas vidas, das funções e serviços públicos.
Disse.


www.pcp.pt

JOSÉ BOAVIDA COM DANOS CEREBRAIS IRREVERSÍVEIS, FILHA ACUSA INEM DE NEGLIGÊNCIA


Jos%c3%a9-Boavida-320x200.jpg
A filha do actor, que continua em coma induzido e em estado crítico, acusa o INEM de negligência médica. O mecânico Manuel Pedroso, de “Bem-vindos a Beirais”, terá sofrido danos cerebrais irreversíveis.
José Boavida está internado nos Cuidados Intensivos do Hospital Amadora-Sintra, em coma induzido, desde a passada quinta-feira, 7 de Janeiro.
O actor perdeu os sentidos no meio da rua, quando se deslocava para casa, depois de um jantar com um grupo de amigos.
A filha de José Boavida lamenta o facto de o INEM ter demorado “muito tempo a chegar ao local”, acusando a Emergência Médica de negligência, conforme cita o Correio da Manhã.
“Foram feitas duas chamadas, a primeira às 23h50, mas o meu pai só chegou ao hospital uma hora depois”, relata Mariana Boavida, de 24 anos, no dito diário.
“Os médicos dizem que o meu pai esteve demasiado tempo em paragem respiratória”, conta ainda a filha do actor, notando que “se não estivesse tanto tempo inconsciente, os danos e as lesões podiam ser menores”.
O jornal refere que José Boavida sofreu “danos cerebrais irreversíveis” e que “o prognóstico continua muito reservado”.
O INEM ainda não se pronunciou sobre estas alegações, remetendo esclarecimentos para “mais tarde”, conforme sublinha o CM.
ZAP

SEM QUALQUER VERGONHA NA CARA ! - Maria de Belém diz que SNS trata pobres e ricos de igual forma







A candidata presidencial Maria de Belém sublinhou hoje que o "grande adquirido" do 25 de Abril foi o Serviço Nacional de Saúde (SNS) que trata pobres e ricos da mesma forma e lado a lado.

Neste terceiro dia campanha pelo norte, Maria de Belém Roseira dedicou grande parte do seu tempo às questões da saúde, passando pela Unidade Local de Saúde - Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, e o Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S), no Porto.
Pelo meio fez questão de homenagear o antigo ministro da Ciência e Ensino Superior Mariano Gago, que faleceu no ano passado e dá nome a um auditório do i3S.
Em Matosinhos, a antiga presidente do PS fez questão de frisar que esta foi uma visita "que celebra" o SNS enquanto componente importante do Estado Social, referindo que, inclusive, uma "instituição de saúde é aquela onde melhor se realiza o princípio da igualdade" e "que este foi o grande adquirido do 25 de abril e do SNS".
"As pessoas ricas ou pobres são tratadas da mesma maneira, muitas vezes tratadas lado a lado. Mas a qualidade e excelência técnica são idênticas e isto é um ganho extraordinário que nós devemos celebrar", frisou.
Maria de Belém lembrou que antes da revolução, havia "estruturas para ricos e estruturas para pobres". "A grande virtuosidade desta conquista foi o de sabermos que sejamos ricos ou pobres temos que ter acesso ao mesmo tipo de tratamento e com a mesma qualidade", sustentou.
Sempre que pode, a candidata recorda o seu passado político de "40 anos", nomeadamente o seu trabalho na área da Saúde, cuja pasta tutelou no Governo de António Guterres.
"Tenho provas dadas e as pessoas sabem e eu apresento-me a mim própria, não represento os outros. Os eleitores avaliarão em função daquilo que a campanha também permitir avaliar o compromisso dos outros candidatos relativamente a este tipo de direitos", frisou.
E a contribuir para a qualidade da saúde está a investigação e a ciência, as quais a candidata considerou que são o "motor que puxa pelo país".
"Esse motor tem que ser potenciado e tem que se lhe dar visibilidade", sublinhou.
E foi isso que quis fazer com a passagem pela i3S, uma instituição que junta cerca de um milhar de investigadores, 10% dos quais estrangeiros.
Aqui ouviu apelos dos investigadores para "políticas estáveis" para o setor, que dizem ser essenciais.
Maria de Belém defendeu que os financiamentos devem ser plurianuais, que as regras do jogo têm que ser conhecidas e que é preciso encontrar os modelos para não se ter "sempre esquemas rígidos".
"É neste contexto de influenciador, não de interferente, que eu acho que o papel da Presidente da República deve ser marcante", salientou Maria de Belém.
O I3S resultou da comunhão de três dos mais reconhecidos institutos de investigação da Universidade do Porto: o Instituto de Biologia Molecular e Celular, o Instituto Nacional de Engenharia Biomédica e o Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP).

PARECE MENTIRA, MAS É VERDADE !

PARECE MENTIRA MAS É VERDADE !
ESTAS DECLARAÇÕES FAZEM PARTE DA CAMPANHA ELEITORAL NUMA ENTREVISTA À TSF DE CÂNDIDO FERREIRA UM MÉDICO QUE CONCORRE ÀS PRESIDENCIAIS. UM EX - "SOCIALISTA"
EU SOU UM HOMEM GENEROSO, TENHO UMA QUINTA NO ALENTEJO ONDE ACOLHI DOIS REFUGIADOS.
DOIS BURROS DE MIRANDA QUE ESTÃO LÁ A VIVER DE GRAÇA.
DE GRAÇA NÃO ! POIS ESTOU A PAGAR-LHES A COMIDA PARA QUE VIVAM E POSSAM ASSEGURAR A ESPÉCIME.

A PINTURA DE ANDREW ATROSHENKO



















 ANDREW ATROSHENKO








































VÍDEO - PINTURAS ANDREW ATROSHENKO (TANGO)