AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

O QUE É QUE ESTA GENTE ANDA A FAZER NA TELEVISÃO !? - VÌDEO - Judite Sousa 'mata' cantora Tonicha - Jornalista engana-se durante entrevista.




Judite Sousa 'mata' cantora Tonicha 


Jornalista engana-se durante entrevista. Por P.Z.G. Judite Sousa está a dar que falar nas redes sociais depois de ter afirmado que a cantora e atriz Tonicha (nome artístico de Antónia de Jesus Viegas) cometeu suicídio, quando na verdade a artista, natural de Beja, encontra-se de boa saúde, aos 69 anos.



VÍDEO


video


http://www.cmjornal.xl.pt

Acontecem coisas... até no dia de Natal!




Uma notícia Lusa:

GULOSICES ! - Polícia à porta para evitar fúria dos clientes



Encontrar um polícia de vigilância e fazer o controlo das senhas para as filas no interior de uma pastelaria não é habitual, mas, nos dois dias que antecederam o Natal, este foi o cenário encontrado na pastelaria Milouriana, em Braga.

Conhecida por produzir os melhores pães de ló e bolos-reis da cidade, todos os anos é invadida por centenas de clientes e o caos instala-se. Por isso, este ano, a proprietária, Emília Costa, decidiu proteger-se e contratou os serviços da PSP para pôr ordem na casa, num investimento de 180 euros.
A responsável explica que não tem capacidade de resposta para todos os pedidos e há um limite de encomendas que a pastelaria consegue produzir. O problema levanta-se quando os clientes não aceitam sair de mãos a abanar, sem o seu pão de ló ou bolo-rei, e partem para os insultos.




O QUE AS PESSOAS COMEM EM VÁRIOS PAÍSES NO MUNDO

O fotógrafo Peter Menzel viaja pelo mundo registrando como as pessoas comuns se alimentam ao redor do globo: desde mestres espirituais indianos, passando por modelos, até pescadores da Amazônia. Com a coleção de suas fotografias ele editou o livro "O que eu como? A volta ao mundo em 80 dietas". Ao folhear o livro o leitor vai inferir que os hábitos alimentícios das pessoas se diferenciam muito entre si: suas profissões, costumes, cultura e seu nível de vida deixam uma pegada profunda em sua ingestão alimentícia.

O conteúdo calórico desta amostra, tão diversa coletada por Menzel, varia de 800 quilocalorias a 12.300 quilocalorias em um dia. Isso mesmo, uma inglesa chocólatra ingere quinze vezes mais calorias que uma mulher Masai. Evidentemente que esta diferença toda se traduz no peso das duas: pese que tenham a mesma altura (1,65 metros), a inglesa (104 kg) tem mais que o dobro do peso da queniana (44 kg).

O MDig apresenta algumas das fotografias mais interessantes do interessantíssimo livro de Menzel. Em cada uma delas é possível observar uma pessoa e a porção de alimentos que costuma ingerir em um dia.


Solange da Silva Correia, esposa de um fazendeiro de Caviana, Mato Grosso do Sul. Ela tem 49 anos de idade, 1,58 metros de altura e pesa 76 kg. Sua ingestão diária é de 3.400 kcal.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 01
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Salah-Abdul Fadlilli é vendedor de camelos e vive no Egito. Tem 40 anos, mede 1,72 metros e pesa 74 kg. Sua ingestão ao dia contém 3.200 calorias.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 02
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Robin Weiser-Linnartts é confeiteira. Mede 1,60 metros e pesa 65 kg. A foto foi tomada na confeitaria de sua família em Colônia, Alemanha. A ingestão diária de Robin contém 3.700 kcal.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 03
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Conrad Tolby é um caminhoneiro americano nativo do estado de Illinois. Tem 54 anos, mede 1,87 metros e pesa 117 kg. Sua ingestão diária encerra 5.400 kcal. Sempre come a mesma coisa: lanches, porções e salgadinhos dos restaurantes de beira de estrada. Já sobreviveu a dois ataques do coração enquanto estava ao volante.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 04
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Jill McTighe é assistente na cozinha de uma escola em Londres. Tem 31 anos. Mede 1,65 metros e pesa 104 kg. Confessa que tem uma dependência que ela chama de "chocololatismo". Sua ingestão diária inclui  absurdos 12.300 kcal e é a maior da lista.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 05
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Saada Haidar (à esquerda) é dona-de-casa em Sã, Iêmen. Tem 27 anos, mede 1,50 metros e pesa 44 kg. Sua ingestão diária inclui 2.700 quilocalorias. O monge do Tibet (à direita). Tem 45 anos, mede 1,65 metros e pesa 71 kg. Sua ingestão diária inclui 4.900 kcal
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 06


Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Takeuchi Masato de Nagoya, Japão. É um lutador profissional de sumô. Seu nome na arena é Miyabiyama, que significa "Montanha Cheia de Graça". Tem 29 anos, mede 1,88 metros e pesa 181 kg. A considerável quantidade de comida que consome a cada dia permite que mantenha vivo seu espírito guerreiro e seu peso em ordem para o esporte. Seu ingestão gira por volta de 3.500 quilocalorias.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 07
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Katherine Navas é estudante e tem 18 anos. Sua estatura é 1,70 metros e pesa 71 kg. A foto foi feita no teto de sua casa em Caracas, Venezuela. A ingestão diária de Katherine abrange 4.000 quilocalorias.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 08
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Mariel Booth (à esquerda) é uma modelo e estudante da Universidade de Nova Iorque. Tem 23 anos, mede 1,76 metros e pesa 61 kg. Sua ingestão diária encerra 2.400 quilocalorias. Queixa-se de que ganha pouco dinheiro, mas diz se alimentar melhor que outras modelos. Sitarani Tyaagi (à direita) é um hinduísta ascético. Vive na Índia, tem 70 anos e mede 1,68 metros; seu peso: 47 kg. Sua ingestão diária contém só 1.000 quilocalorias. Tal e qual muitos de seus colegas, tem um estilo de vida errante e se alimenta das oferendas dos fiéis.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 09
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Xu Zhipeng é um desenvolvedor de games freelance e gamer. Tem 23 anos, mede 1,87 metros e pesa 71 kg. Sua ingestão diária engloba 1.600 quilocalorias. A foto foi feita em uma lan house em Xangai. Xu permanece na frente de um computador quase as 24 horas do dia e dorme neste mesmo lugar. Toma um banho por semana na casa de um amigo e seu jogo on-line mais longa durou três dias com suas noites.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 10
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Noolkisaruni Tarakuai é a terceira de quatro esposas de um líder do povo Masai. A fotografia foi feita bem perto de um assentamento Masai e não bem longe de Narok, Quênia. Tem 38 anos, mede 1,65 metros e pesa 47 kg. Toda a riqueza do povo Masai é medida em cabeças de gado, terras e filhos. Sua ingestão diária é a mais austera com apenas 800 quilocalorias.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 11


Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Lan Guihua é a viúva de um agricultor e vive no povoado de Ganjiagou, na província de Sichuan, China. Tem 68 anos, mede 1,60 metros e pesa 54 kg. Sua ingestão diária de alimentos é de 1.900 quilocalorias.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 12
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Osvaldo Gutierrez (à esquerda) trabalha em um plataforma petroleira na Venezuela. Tem 52 anos, sua estatura é 1,70 metros e pesa 88 kg. Sua ingestão diária contém 6.000 quilocalorias. Durante seu turno e quando tem tempo vai correndo ao heliporto, pratica caratê e levanta pesos. Bruce Hopkins (à direita) é salva-vidas na famosa Bondi Beach em Sidney, Austrália. Tem 35 anos, sua estatura é 1,83 metros e seu peso 81 kg. O conteúdo calórico dos alimentos que consome a cada dia chega a 3.700. Hopkins come pouco e evita a comida rápida. Quase nunca bebe álcool.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 13
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Willie Ishulutak é Inuit (esquimó) e talhador profissional de pedras em Iqaluit, Canadá. Sua ingestão diária tem 4.700 calorias. Willie conta talha dois ou três artesanatos ao dia e depois os vende um em restaurante por $100 dólares cada uma. Tem 29 anos, mede 1,75 metros e pesa 64 kg.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 14
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Oscar Higares é um toureiro profissional de Miraflores da Serra, na Espanha. Tem 34 anos, mede 1,88 metros de estatura e pesa 79 kg. A fotografia foi feita no mesmo dia de uma de suas touradas. Oscar diz que gosta de dormir e pelo geral não toma café da manhã. Sua ingestão diária inclui 4.200 quilocalorias. Segundo ele, sua dieta está quase perfeitamente balanceada: pescado, verduras, carboidratos e frutas.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 15
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
João Cardoso Agustinho é um pescador que vive em sua casa flutuante em um braço do rio Solimões em Manacapuru, no Amazonas. Seu João tem 69 anos, mede 1,60 metros e pesa 63 kg. A sua ingestão diária de alimentos é de 5.200 kcal. O curimbatá na foto é apenas uma das dezenas de espécies que são servidas na mesa do Seu João. Ele não gosta de bebidas alcoólicas e nem café, por causa da sua religião adventista do sétimo dia.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 16
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Ahmed Swaid é um comerciante de khat na parte antiga da cidade iemenita de Sanaa. Ele tem 50 anos de idade, mede 1,70 metros e pesa em torno de 67 kg. Sua ingestão diária de alimentos é de 3.300 kcal. O khat é mastigado várias vezes por semana por um grande percentual da população do Iêmen: 90% dos homens e 25% de suas mulheres. Como ao cultivos de khat sã de 10 a 20 vezes mais rentáveis do que outras culturas, a escassa água subterrânea está sendo exaurida para irrigar suas plantações, em detrimento das lavouras alimentares e exportações agrícolas.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 17
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Aqui temos o autor das fotografias e a sua ajudante Faith D'Aluisio, jornalista e co-autora do livro (à esquerda). Tem 52 anos, mede 1,73 metros de estatura e pesa 62 kg. Sua ingestão diária contém 1.500 quilocalorias. O fotografo Peter Menzel (à direita) tem 61 anos, sua estatura é 1,85 metros e pesa 76 kg. Diariamente Peter consome 2.800 quilocalorias.
O que as pessoas comum comem nos diferentes países do mundo? 18
Via: "Volta ao mundo em 80 dietas" - Peter Menzel
Fonte: Boas de Garfo.
http://www.mdig.com.br

EUA CONSTROEM CIDADE FANTASMA PARA TESTAR SITUAÇÕES EXTREMAS


É a CITE (Center for Innovation, Testing and Evaluation), destinada para 35 mil pessoas, construída no meio do deserto do Novo México, nos Estados Unidos, pela empresa de tecnologia Pegasus Global Holdings. O empreendimento estará pronto até 2018 e servirá somente para testes. Isso mesmo: o objetivo é usar a cidade fantasma para testar situações extremas sem colocar a vida de pessoas em risco. Uma das possibilidades, por exemplo, será testar o impacto de desastres naturais nas construções e nos sistemas de comunicação – terremotos, furacões, dilúvios…
Imagine uma cidade perfeita em que tudo funciona muito bem: sistema de tratamento de água, energia alternativa, transporte inteligente, redes de comunicação, prédios, igreja, centros comerciais e até um aeroporto de 38 quilômetros quadrados. Ela tem apenas um problema: ninguém poderá morar lá! Veja mais no vídeo no final do texto.
É a CITE (Center for Innovation, Testing and Evaluation), destinada para 35 mil pessoas, construída no meio do deserto do Novo México, nos Estados Unidos, pela empresa de tecnologia Pegasus Global Holdings. O empreendimento estará pronto até 2018 e servirá somente para testes. Isso mesmo: o objetivo é usar a cidade fantasma para testar situações extremas sem colocar a vida de pessoas em risco. Uma das possibilidades, por exemplo, será testar o impacto de desastres naturais nas construções e nos sistemas de comunicação – terremotos, furacões, dilúvios…
Além dessa infraestrutura visível, que está sendo erguida sobre a areia do deserto, por baixo da terra há um gigantesco sistema de cabeamentos e conexões que mantém a “vida artificial” da cidade. Os carros andam sozinhos por rodovias responsivas, os jardins são regados automaticamente e as luzes são ascendidas e apagadas por sistemas virtuais inteligentes. Tudo monitorado a distância via rede de comunicação e drones.
A Pegasus Global Holdings espera atrair pesquisadores e outras empresas de tecnologia de todo o mundo para desenvolver estudos na CITE – uma espécie de Vale do Silício voltado a modelagem de cidades inteligentes.
Tecnologia precisa de pessoas
Há quem critique o projeto norte-americano. Alguns estudiosos insistem que para desenvolver tecnologia é preciso considerar sempre a interação humana. “A ideia de testar sistemas tecnológicos complexos sem considerar a interação das pessoas vai produzir resultados enganosos porque as pessoas interagem com os dispositivos de maneira que é impossível prever”, diz o professor Steve Rayner, codiretor do programa Cidades do Futuro da Universidade de Oxford.
“Os habitantes das cidades não são apenas indivíduos intercambiáveis que podem ser colocados em configurações experimentais. São diversas comunidades com diferentes culturas, expectativas e padrões de comportamento que evoluem ao longo do tempo”, complementa o professor Rayner.



megaarquivo.com

OS NOVOS PROTAGONISTAS DAS "FRASES REVOLTANTES" PARA NÃO DIZER OUTRAS COISAS - Cortes na Saúde não provocaram "devastação" na vida das pessoas


O secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, afirmou hoje que, no essencial, os cortes na Saúde não provocaram uma "devastação" na qualidade de vida dos portugueses.



"Não cremos que, no essencial, os cortes tenham provocado uma devastação na qualidade de vida e saúde dos portugueses. Pelo contrário. A informação que temos é que, apesar dos cortes, os profissionais, as instituições e serviços têm respondido cabalmente às necessidades da população", disse o secretário de Estado, à margem de uma visita ao Hospital de Chaves.
Manuel Delgado sustentou que, no essencial, "as coisas" no Serviço Nacional de Saúde (SNS) "estão bem", por isso, não há motivos para alarme.
"O SNS tem provado, ao longo dos anos, elevada competência, elevada qualidade, tem salvado muitas vidas, havendo bons indicadores de saúde", sustentou.
Apesar de reconhecer que os cortes, em alguns casos, foram para "além do razoável", o governante lembrou que a capacidade resolutiva dos profissionais e instituições permitiram continuar a prestar um "bom serviço" à população.
Questionado sobre o projeto de resolução do PCP que recomenda ao Governo a avaliação dos cortes no SNS nos últimos quatro anos, Manuel Delgado explicou que é "sempre muito difícil" conseguir esses dados.
"O impacto dos cortes é sempre muito difícil de se avaliar quando não temos toda a informação, designadamente quando não temos o impacto real sobre a vida, saúde e bem-estar das populações. Esse trabalho não é fácil de se fazer porque não temos um seguimento total de todos os doentes", salientou.

A habitual série de gifs animados para que você se divirta