AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sábado, 19 de dezembro de 2015

Esculturas de areia em Haia

EXPOSIÇÃO


"Ode aos Mestres Holandeses" (Ode aan de Hollandse Meesters): uma área de 25 por 8 metros abriga esculturas de 8 metros de altura representando quadros de mestres holandeses.

Esculturas de areia - Den Haag
Um time internacional formado por escultores da Rússia, Ucrânia, Holanda, Reino Unido e República Tcheca escolheram quadros e obras de mestres holandeses pra dar vida em três dimensões usando areia e talento. 

Como são feitas as esculturas e o efeito do clima

Você pode ficar curioso de saber como as esculturas resistem ao clima. Eu dei uma pesquisada e descobri que é assim: primeiro a areia que eles usam é especial, não é areia de praia. A areia especial é mais fina e se compacta muito mais. Pra fazer esculturas grandes assim, primeiro eles armam uns moldes de madeira, pra empilhar a areia alto. Depois de empilhada, eles molham, na verdade, encharcam a areia. Daí eles compactam, compactam, compactam. E compactam. Quando ela fica bem pesada, eles retiram o molde e passam a esculpir usando uma série de instrumentos.

Tá, mas e o clima? Sem problemas: como a areia é extremamente compactada, ela resiste bem ao vento e apenas uma chuva muito forte pode danificar a escultura. Se quiser que a escultura dure realmente muito — teve uma na Califórnia que resistiu dois anos — é possível borrifar uma camada fina de cola dissolvida em água. Mas isso é mais pra preservar os detalhes. No geral é apenas areia e água.
Claro, como aqui é a Holanda, e realmente chove muito, uma das esculturas, a representação do quadro Zoals de ouden zongen, zo piepen de jongen de Jan Steen,  sofreu um pequeno dano. E já há alguma perda de detalhes em outras.
Escultura de areia - Haia - 2010
Sinais do clima agindo na escultura de areia

As obras


Zoals de ouden zongen, zo piepen de jongen de Jan Steen

Esculturas de areia - Den Haag
Zoals de ouden zongen, zo piepen de jongen, de Jan Steen, antes do dano
Jan Steen viveu no século XVII na Holanda, a Idade de Ouro da Holanda. Gostava de pintar cenas domésticas, mas não meramente reproduzi-las. Suas obras sempre mostravam um comentário bem humorado e insights sobre a sociedade da época. O quadro do mestre escolhido pra ser reproduzido em 3D na areia é o Zoals de ouden zongen, zo piepen de jongen ("Enquanto cantam os velhos, fumam os jovens", um ditado da época. O título original em holandês antigo é "‘Soo voer gesongen, soo na gepepen"). Ela está cheia de coisas acontecendo, contém uma mensagem moral evidente e se você quiser vê-la melhor de perto, ande uns 800 metros até a Mauritshuis. Aproveite e veja se acha  o próprio Jan Steen representado na tela. (Solução: ele é o cara dando risada e dando o cachimbo pro menino fumar, à direita e atrás. Sentiu o drama, né?)
Nome: Zoals de ouden zongen, zo piepen de jongen
Autor: Jan Steen
Ano: 1665 (cerca)
Técnica: óleo sobre tela
Tamanho: 134 x 163 cm
Local: Mauritshuis, Haia, Holanda

Melkmeisje de Johannes Vermeer

Esculturas de areia - Den Haag
Melkmeisje de Johannes Vermeer
Vermeer acontece de ser um dos meus artistas holandeses prediletos. Muito pouco é conhecido de sua vida, e sua obra não é extensa. Morou e provavelmente nasceu em Delft também no século XVII. Um dos grandes mestres da pintura, tinha um talento inigualável pra retratar a luz. Usava poucas cores nos seus quadros, mas fazia miséria com elas. Morreu cedo, com 43 anos, deixando 11 filhos por criar, sobreviventes dos 14 que a esposa dele deu à luz. Pessoas maldosas poderiam dizer que ele pintou pouco porque tava muito ocupado fazendo filho, mas evitarei (ops, já foi). Enfim, a esposa era católica, e católicos naquela época levavam a sério o lance de não evitar filho.
Hoje tem um certo status de popstar das artes, mas ficou obscuro por um par de séculos. Sua obra mais famosa é A garota do brinco de pérola (adivinha se essa não tá na Mauritshuis também), mas a Melkmeisje não fica muito atrás. (A Leiteira é a tradução oficial, mas prefiro traduzir ao pé da letra: "A garota do Leite". Leiteira pra mim é o caneco de ferver leite.) E foi essa a pintura do mestre que foi parar nas areias de Haia.  Inspirador, copiado e parodiado, a obra prima está no Rijksmuseum em Amsterdam e, apesar da escultura ter ficado muito legal, você tem de ver ao vivo pra apreciar o que o cara fez com a iluminação no quadro.
Esculturas de areia - Den Haag
É tudo areia
Ah, Vermeer detona. Eu confesso que me emocionei de verdade com o seu quadro da "Visão de Delft". É... não tenho palavras. Vá ver.
Nome: Melkmeisje
Autor: Johannes Vermeer
Ano: 1657–1658, mas há controvérsias
Técnica: óleo sobre tela
Tamanho: 45,5 × 41 cm
Local: Rijksmuseum, Amsterdam, Holanda

Zelfportret als de apostel Paulus de Rembrandt

Suponho que eu não precise apresentar Rembrandt à vocês. Certamente o mais famoso dos artistas com obras representadas no Ode aan de Hollandse Meesters e um dos mais famosos pintores holandeses de todos os tempos, mesmo quem não curte muito arte ouviu falar. Eu, no caso, curto muito arte e Rembrandt. Os quadros dele eram populares com ele ainda em vida, embora ele tenha se afundado em dívidas, perdido a casa e no fim da vida tenha ficado meio esquecido. Ao longo de sua carreira pintou dezenas e dezenas de auto-retratos. Tantos (foram mais de 80) que pudemos acompanhar seu envelhecimento, vendo como era o artista com vinte e poucos anos até perto dos 63, quando morreu. Se ele viajasse no tempo e viesse parar no século XXI, seria certamente reconhecido na rua.
Self protrait Rembrandt - Escultura de areia, Haia - 2010
Com essa popularidade, imagino que escolher um auto-retrato na obra de Rembrandt pra esculpir tenha sido natural. O escolhido foi o Zelfportret als de apostel Paulus, feito quando ele tinha 55 anos de idade, com ele posando pra si mesmo como o Apóstolo Paulo. O quadro está em exposição no Rijksmuseum e é, pra variar, uma obra prima.
Esculturas de areia - Den Haag
Nome: Zelfportret als de apostel Paulus
Autor: Rembrandt van Rijn
Ano: 1661
Técnica: óleo sobre tela
Tamanho: 91 x 77 cm
Local: Rijksmuseum, Amsterdam, Holanda

De Luitspeler de Frans Hals

Esculturas de areia - Den Haag
E mais um pintor do século XVII — não chamaram de Idade de Ouro a toa, né? Frans Hals nasceu em Antuérpia (hoje é na Bélgica, que não existia na época. Ela se separou dos Países Baixos no século XIX), mas viveu desde uns quatro anos de idade no Haarlem. Confesso que não conhecia o artista antes de vir morar na Holanda e ver suas obras. É famoso pelos seus retratos no estilo barroco, com uma pincelada bem solta.
Esculturas de areia - Den Haag
A escultura que homenageia Hals é, logicamente, de um retrato que ele pintou: De luitspeler ("O tocador de alaúde" é minha tradução. Sim, tive de olhar "luit" no dicionário) que está no Louvre. Como se já não tivesse o que ver no Louvre...
Nome: De luitspeler
Autor: Frans Hals
Ano: 1624-1625
Técnica: óleo sobre madeira
Tamanho: 62 x 71 cm
Local: Musée du Louvre. Paris, França

Waterval e Wentelteefje de Maurits Cornelius Escher

Esculturas de areia - Den Haag
Enquanto uns retratavam a nobreza, outros a vida cotidiana ou outros temas, M. C. Escher resolveu retratar o infinito. Tanto quanto é possível trazer o inimaginável pra dentro das mentes humanas, ele obteve grande sucesso. Suas obras são fontes de horas e horas e horas de inspiração e diversão para, bem, todos, mas exerce especial atração sobre nerds. Não é difícil de calcular, portanto, que é um grande favorito aqui da casa dos Ducs.
As gravuras de Escher já são piração suficiente em duas dimensões, e o pessoal da Zandacademie, a responsável pela execução do projeto, fez um trabalho fantástico em 3D.
Esculturas de areia em Haia - 2010
3D
Esculturas de areia em Haia - 2010
Acho que eles se divertiram esculpindo Escher mesmo, porque escolheram 2 obras do artista, com referência a outras. A primeira é Waterval (Queda dágua), a famosa peça onde a água parece estar subindo e desafiando a gravidade.
A outra chama-se Wentelteefje, e retrata aqueles bichinhos se enrolando sobre si mesmos. Segundo minhas pesquisas, Wentelteefje quer dizer "rabanada". É, o doce feito de pão. É muito popular entre as crianças aqui. Wentel quer dizer "girar, revolver" e teefje quer dizer, bem, "cadelinha". Agora divirta-se desenrolando esse trocadilho.
E por último, uma referência aos répteis que aparecem em muitas obras de Escher, como a Kleiner en kleiner e Reptielen. Se você curte Escher, ou quer descobrir mais sobre ele, tá com sorte: o Escher in het Paleis, o museu do Escher, fica ali ao lado, na Lange Voorhout 74. São apenas 750 metros. Veja o caminho no Google Maps. Lá tem impressões de praticamente todas as gravuras de Escher.
Nome: Waterval
Autor: Maurits Cornelius Escher
Ano: 1961
Técnica: litografia
Tamanho: 38 x 30 cm
Nome: Wentelteefje
Autor: Maurits Cornelius Escher
Ano: 1951
Técnica: litografia
Tamanho: 17 x 23,5cm

Tuin der lusten de Jheronimus (ou Hiëronymus) Bosch

Se a obra do Escher é pirada, a de Bosch também é (mas de um jeito diferente). Jheronimus Bosch é outro pintor misterioso. Não se sabe praticamente nada da sua vida. Mesmo o ano de seu nascimento é desconhecido, e estimado baseado num retrato de autoria desconhecida (seria um auto-retrato? Ninguém sabe). Olhando o retrato, estimaram a idade de Bosch pela sua aparência e, sabendo a data em que ele foi feito, estimaram o ano de nascimento: essa conta doida deu como resultado "cerca de 1450". Sabe-se a data de sua morte porque está nos registros da "Ilustre Irmandade de Nossa Senhora" de Den Bosch (a cidade holandesa onde viveu e tirou seu nome artístico).
A obra máxima de Bosch é justamente a que foi esculpida na areia: Tuin der lusten (Jardim das delícias terrenas). É um tríptico, ou seja, o quadro é dividio em três partes separadas: uma central e duas laterais que podem se fechar sobre o centro. O painel da lateral esquerda mostra Deus apresentando Eva para Adão, o centro mostra o famoso Jardim das Delícias e o painel da direita mostra o inferno e a danação eterna. E a danação eterna é bizarra.
Meus pais tinham uma reprodução desse quadro. Não na parede, mas em algum livro ou álbum. Eu cresci no meio dos livros, e lembro de ter topado com a parte da danação eterna do Tuin der lusten e da profunda, imensa impressão que ele me causou. Na real eu tinha um belo medo infantil do quadro — não é absurdo supor que era justamente a intenção do autor, sendo que ele foi muito bem sucedido. Comigo, ao menos, foi.
Agora, se você acha que a tal Danação é inapropriada pra menores, espera só você dar uma espiadinha nas tais delícias terrenas propriamente ditas, o painel do centro. É uma suruba de proporções bíblicas. A pegação come (ops de novo) solta em meio a animais bizarros e de tamanhos diversos. Se você tá muito curioso, tem uma reprodução em alta resolução na Wikipedia. Veja em tamanho grande (clicando na figura depois de terminar carregar).
Pra escultura, eles pegaram as partes mais... hã... menos... enfim, eles pegaram leve nas partes que escolheram pra reproduzir na areia.
Esculturas de areia - Den Haag Esculturas de areia - Den Haag
Nome: Tuin der lusten
Autor: Jheronimus (ou Hiëronymus) Bosch
Ano: 1490 ~ 1510
Técnica: Tríptico feito em óleo sobre madeira
Tamanho: 220 cm × 389 cm
Local: Museo del Prado, Madri, Espanha

De stier de Paulus Potter

Esculturas de areia - Den Haag
De stier, de Paulus Potter (o original está na Mauritshuis e é grande!)
A pintura de Paulus Potter, De stier (O touro), feita em 1647, causou um certo rebuliço na época: é enorme, de dimensões épicas, de um tamanho tradicionalmente reservado para temas mais nobres do que um touro e seu fazendeiro. E o touro tá lá, com bilau e tudo, e ainda o artista cometeu a indignidade de colocar um cocozão dele em primeiro plano (não reproduzido na escultura de areia...)
Ela está também na Mauritshuis.
Nome: De stier
Autor: Paulus Potter
Ano: 1647
Técnica: Óleo sobre tela
Tamanho: 225 x 340 cm
Local: Mauritshuis, Haia, Holanda

De koppelaarster de Dirck van Baburen

Esculturas de areia - Den Haag
De koppelaarster, de Dirck van Baburen (original no Museum of fine arts de Boston.)
E pra encerrar, um quadro de Dirck van Baburen. A tela pertenceu à sogra do Vermeer, e o pintor a incluiu em dois de seus próprios quadros, criando uma arte dentro da arte. De koppelaarster quer dizer "a alcoviteira", e Vermeer pintou um quadro com mesmo tema e nome.
Nome: De koppelaarster
Autor: Dirck van Baburen
Ano: 1622
Técnica: Óleo sobre tela
Tamanho: 101,5 x 107,6 cm
Local: Museum of fine arts, Boston, Estados Unidos

www.ducsamsterdam.net

MOSTREM-LHES !


VERDADE


E a demagogia lá foi de carrinho





O Governo decidiu que a chamada "factura da sorte" passe a atribuir como prémio certificados de aforro em vez de carros topo de gama. Não é que um grão de areia faça diferença num imenso areal, de facto a meia dúzia de milhões de euros destes prémios nem aquecem nem arrefecem no balanço final das contas públicas e das contas externas, para além de que se o Governo apostasse realmente no combate à fraude e à evasão fiscal tornaria o NIF elemento obrigatório na emissão de todas as facturas, há países que o fazem, e controlaria e tributaria todos os fluxos financeiros com paraísos fiscais. É, pois, importante perceber que o anúncio coloca-nos perante o simbolismo de uma medida e não diante da ambição que ela objectivamente não tem. É este simbolismo que dá uma valente bofetada de luva branca àqueles a quem, entre outras pérolas, ouvimos referirem-se à recuperação do poder de compra dos salários como um disparate que apenas faz crescer as economias que exportam para Portugal juntamente com baboseiras moralistas sobre o pecado do consumo e a virtude da poupança gerada por salários que suas excelências se encarregaram de encolher como não havia memória ao ponto de, em tantos e cada vez mais casos, não assegurarem sequer o mínimo mais mínimo de dignidade a quem os aufere, quanto mais para gerar poupanças. Foram estes moralistas, que combatiam as importações mas importavam Audis, que se lembraram de alimentar o sonho consumista pequeno-burguês  de ter um carro topo de gama, que a maioria que os ganhava era obrigada a vender de imediato com a desvalorização respectiva, para catequizar para a poupança e para o dever que é de todos de combater a fraude e a evasão fiscal. E quem acabou com os Audis e com as parolices que neles viajavam foi o Governo que – veremos até quando e até quanto –percebeu que devolver o poder de compra aos salários é, não apenas a política socialmente mais justa, como também aquela que economicamente é a mais racional. Os primeiros tudo fizeram para que ter um Audi se transformasse num sonho apenas realizável através de um acaso da sorte. Os segundos prometem tudo fazer para que o sonho de ter um Audi volte a ser realizável trabalhando para o construir. O Audi da sorte e o Audi do trabalho. Faz toda a diferença.
 http://opaisdoburro.blogspot.pt/

FRANÇA: A FRENTE NACIONAL É UM PARTIDO CAPITALISTA, NÃO UM ABCESSO EM DEMOCRACIA


1 – As cabeças bem pensantes da Europa ficaram sideradas com a possibilidade de o partido fascista francês Front Nationale (FN) vir a ser a formação dominante em vários governos regionais daquele país, após os resultados eleitorais do passado domingo.

Pateticamente, o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, acenou com o espantalho da guerra civil no caso de vitória do FN, como se essa ilustre personagem – e a direcção do seu partido - se fosse colocar na primeira linha de combate contra o avanço eleitoral da Front Nationale.

Os políticos instalados nos diferentes países da União Europeia sabem – e muito bem – que o incremento do fascismo, que está a medrar por via eleitoral, não é produto de um *acidente* que está a ocorrer em França, mas instalou-se no próprio aparelho de Estado dos mesmos países, com a própria cumplicidade de senhores *socialistas*, como Manuel Valls.

Meses atrás, na Polónia, um partido abertamente fascista, anti-europeista, fervorosamente fanático reaccionário católico e xenófobo, como «Lei e Justiça», do discípulo do falecido Papa João Paulo II (convém não esquecer este facto) o ex-primeiro-ministro Jarosław Kaczyński, ganhou as eleições legislativas, com maioria absoluta, sem qualquer contestações institucional de envergadura.  Nem do senhor Valls.

A liderança do Partido Lei e Justiça

Aliás, além do citado, a vida política polaca é, ainda, dominada por vários partidos reaccionários católicos capitalistas, que procuram tornar clandestina qualquer formação política que se intitule anti-capitalista.
Igualmente, na Finlândia, é um partido fascista que lidera o governo os «Verdadeiros Finlandeses», em aliança com os capitalistas conservadores.

Na Letónia, também o partido fascista «Aliança Nacional» faz parte da coligação com dois partidos conservadores «Unidade» e «União dos Verdes e dos Agricultores».

2 – A questão que se põe é esta: aparecem os partidos fascistas do nada, para serem +mauzinhos+?

Os partidos surgem da sociedade e representam interesses classistas ou de fracções de classes da mesma.

Desde que o capitalismo ganhou foros de cidadania plena, com a grande industrialização mundial depois da I Grande Guerra, que se estendeu, principalmente, para a América do Norte, as crises que o acompanha tornaram-se cada vez mais frequentes, mas também, nas últimas décadas, em tempos sempre mais curtos. E acima de tudo, elas são mais profundas.

No estertor final da I Grande Guerra, confrontado com a vitória da Revolução Soviética em Outubro de 1917, o capitalismo enfrentava um novo modelo de sociedade, que a vingar e a estender-se, à parte europeia mais industrial e produtiva, o poderia destruir rapidamente.

E agiu, rapidamente, em duas direcções:

O financiamento de uma coligação armada poderosa, que destruiu, em grande parte, a estrutura produtiva incipiente do novo país nascente, que se veio a chamar União Soviética;

o apoio financeiro classista e incitamento à formação de partidos e formações políticas abertamente reaccionárias em países, como Alemanha, França, Espanha, Itália, Portugal, Hungria e Roménia.


Partido Nacional Socialistas dos Trabalhadores Alemães em 1922

Os partidos fascistas não se apresentam perante as sociedades como formações adeptas abertas de uma intervenção violenta a favor do capitalismo.

Pelo contrário, em palavras até se dizem anti-capitalistas.

Com propostas de intervenção política diferenciada, por vezes, aparentemente incoerentes, mas assentes em objectivos precisos: impedir o ascenso do «socialismo e comunismo», formar «Estados fortes», «acabar com a luta de classes», militarizar a sociedade.

Assim sucedeu com o partido fascista de Mussolini, ou o partido nazi de Hitler, ou com a falange espanhola, que alçou Franco ao poder.

3 – Historicamente, desde as primeiras décadas do século passado, o ascenso dos partidos fascistas está ligado às profundas crises que o capitalismo atravessa.

Enquanto o desenvolvimento capitalista flue, normalmente, nas suas transações de mercado, levando a uma expansão sem sobressaltos, a sua gestão política é assegurada, com sucesso, por entidades partidárias «socialistas», «sociais democratas» ou mesmo «conservadoras democratas».

É, pois, nos períodos de estagnação capitalista, em alturas que a possibilidade de se abrir vias de mudanças políticas profundas, mesmo revolucionárias, que o capital usa as suas entidades políticas extremas para conseguir manter o seu domínio.

Não se coíbe, portanto, para tal, de fomentar a militarização da sociedade, como sucedeu com a Alemanha nazi, a Itália fascista ou o Japão monárquico-medieval de 1939.

Hoje, a situação torna-se mais grave para o sistema capitalista.

As forças produtivas que se agigantaram nas últimas décadas estão em fase de travagem pelas relações de produção existentes.

A crise financeira de 2007, iniciada nos Estados Unidos da América, veio mostrar qual profunda era a crise económica e social mundial nos dias de hoje. É problema que se alonga pela Europa, pela Rússia, China, Brasil.

Perpassa pelos diferentes continente, onde a capacidade de mercadejar está em concorrência inaudita entre potências: umas que se afundam, caso dos EUA, outras que pretendem ocupar o seu lugar, como Rússia e a China.

Ora, tudo isto sucede dentro de um quadro económico extremamente preocupante e explosivo: os índices de desemprego são astronómicos e cada vez mais permanente.

A técnica e a ciência que se desenvolvem estão a desenvolver-se com menos emprego, cada vez menos, e mais degradante.

As sociedades estão em crise continuada de superprodução, sem escoamento mercantil.

O capitalismo está a ter a percepção que a encruzilhada não está a desaparecer.

4 – Voltemos à Frente Nacional.

Como vai ganhando espaço político: Afirma-se em luta contra o sistema existente, embora, como lhe convém, seja ambígua sobre a forma real de poder que pretende.

Adopta um vago «nacionalismo», explora as contradições entre trabalhadores que já trabalham e aqueles +estrangeiros+ que procuram melhoria da sua vida.


São firmemente contra o «socialismo» e o «comunismo» que procura identificar com o capitalismo de Estado da antiga era soviética russa e a actual chinesa.

Mas, acima de tudo, propagandeiam a necessidade de *solidariedade nacional*, a favor de impostos baixos.

A FN diz-se ainda favorável à simplificação fiscal, e, afirma mesmo defender impostos para mais ricos, entre outros itens.

Ou seja, aparentemente, se isoladas do seu contexto de poder, poderiam ser subscritas por um partido de revolução.

A questão está, pois, aqui: não existem partidos a propor um poder revolucionário, mas a defender a vacuidade de uma democracia dentro do actual sistema.


 http://tabancadeganture.blogspot.pt

A geringonça.

A geringonça.

 
 







Gostos discutem-se. E, para o meu gosto, o Museu do Amanhã, projectado por Santiago Calatrava, é um pavor. É certo que foi construído numa zona degradada da baía do Rio de Janeiro. Mas macular desta forma a mais bela cidade do mundo… não havia direito. Reparem na piscina azul, nas palmeirinhas adjacentes, a emoldurar a nave  Star Trek. Previsíveis, insuportáveis na sua visão paternalista do que é «ser Brasil». Por cá, junto ao Tejo, prepara-se uma concha grotesca, sob os auspícios da EDP. Mas esta, do Calatrava, ultrapassa tudo o que há de mau. E no Brasil há tanta e tão boa arquitectura… 

malomil.blogspot.pt

ÚLTIMA - CUIDADO COM O CONSUMO DE CALCITRIN - Sugestão de oferta de Calcitrin como prenda de Natal, em anúncios com Simone de Oliveira, levou Ordem dos Farmacêuticos a avançar para tribunal para suspender publicidade.




Sugestão de oferta de Calcitrin como prenda de Natal, em anúncios com Simone de Oliveira, levou Ordem dos Farmacêuticos a avançar para tribunal para suspender publicidade.

A Ordem dos Farmacêuticos (OF) entregou esta sexta-feira uma providência cautelar para suspender de imediato os anúncios publicitários do suplemento alimentar Calcitrin MD Rapid nos órgãos de comunicação social, alegando que lesam o direito dos cidadãos à saúde. "Em causa está, em particular, o incentivo à aquisição deste suplemento alimentar como presente de Natal", explica a ordem, num comunicado intitulado "publicidade enganosa e abusiva em saúde". Ao fim da manhã, o Infarmed, autoridade que regula o medicamento em Portugal, adiantou que está a avaliar os anúncios dos produtos que contêm cálcio, face às "intensas campanhas publicitárias" em curso na comunicação social.

Os anúncios em que a actriz Simone de Oliveira dá a cara pelo Calcitrin foram "a gota de água" que fez com que a Ordem dos Farmacêuticos decidisse avançar para tribunal, explicou uma fonte da instituição. A publicidade está a passar em estações de rádio e de televisão. Contactada pelo PÚBLICO, Simone Oliveira defende que este não é um problema que lhe diga respeito. "É um problema dos donos da empresa. Eu fui contratada para fazer um anúncio e acho que o produto é bom. São produtos naturais, as farmácias não gostam", comenta, enquanto pergunta por que razão é que estão a "embirrar" com ela, quando há produtos semelhantes anunciados por outros artistas, como o do "cogumelo do tempo" [Roberto Leal]  e Júlio Isidro.

A tomada de posição da Ordem dos Farmacêuticos acontece depois de alegislação sobre publicidade a actos e serviços de saúde – que entre outras coisas proíbe promessas de resultados sem base científica nos anúncios – ter entrado em vigor em 1 de Novembro passado. Os responsáveis da OF explicam, a propósito, que já no passado enviaram queixas sobre produtos semelhantes, como o "cogumelo do tempo", para a ASAE (Autoridade de Segurança Alimentar e Económica), mas que foi o "incentivo especial ao consumo", por se propôr aqui a oferta de um produto destes como prenda de Natal, que justificou a opção por uma medida mais drástica.

Na providência cautelar contra a empresa Proactivar-Viva Melhor Sempre, Lda -  que foi interposta no tribunal cível da Comarca de Lisboa - argumenta-se que o incentivo para a aquisição do Calcitrin (que é anunciado como possuindo capacidade de reforçar a densidade óssea), durante o período natalício, “irá com certeza originar o consumo deste produto de forma indiscriminada e poderá ter como consequência danos na saúde e bem-estar de muitos cidadãos, causando lesões sérias e de difícil reparação”.

Frisando que as afirmações proferidas nos anúncios “não têm qualquer base científica”, os responsáveis da OF lamentam também o recurso a figuras públicas, como a actriz Simone de Oliveira, que dão a este tipo de publicidade um “cunho de verdade e seriedade”.

Sem fazer referência a este suplemento alimentar em particular, o Infarmed adiantou entretanto que está a desenvolver, em conjunto com a ASAE, acções "para verificar a conformidade" dos produtos contendo cálcio que têm sido anunciados na comunicação social, face às "intensas campanhas publicitárias" em curso.

O Infarmed recomenda que não se usem produtos deste tipo para prevenir ou tratar doenças e acrescenta que está a "inspeccionar as peças publicitárias em causa", admitindo que "accionará todos os mecanismos ao seu alcance para proteger a saúde dos cidadãos". Estes produtos, alerta,  "não são medicamentos, pelo que não podem reivindicar que previnem, tratam ou diagnosticam doenças ou os seus sintomas"  e "não são isentos de riscos para a saúde, quando utilizados em quantidades excessivas, ou, por exemplo, em indivíduos com doenças renais".

Já a Ordem dos Farmacêuticos defende, na providência cautelar, que não está demonstrado que o uso destes suplementos possa diminuir as fracturas ósseas ou reforçar as articulações. Conclui, por isso, que os anúncios “violam de forma grave os princípios a que devem obedecer as práticas publicitárias em saúde”. O bastonário Maurício Barbosa questiona mesmo as “falsas expectativas” que desta forma são criadas nos cidadãos. "Convidar as pessoas a comprar embalagens para oferecer aos amigos no Natal? Naturalmente consideramos que se ultrapassou tudo o que é aceitável nesta situação”, enfatizou o bastonário em declarações à Lusa.

A empresa Viva Melhor Comércio Internacional Lda, que comercializa o suplemento Calcitrin há seis anos em Portugal, diz estar disponível "para corrigir o que se prove ser inadequado às finalidades anunciadas", mas garante que não teve até à data "qualquer queixa dos consumidores" e nota que faz acompanhar o produto "da literatura adequada ao completo esclarecimento das suas características".

Em comunicado, a empresa considera ainda que "o foco exclusivo da Ordem dos Farmacêuticos e do seu Bastonário" neste produto específico "permite questionar se a verdadeira motivação dos queixosos é uma preocupação com o eventual consumo excessivo ou apenas visa propiciar um resultado comercial acrescido aos concorrentes". "A ser verdadeira e honesta" a preocupação da OF, "deveriam ter sido propostas e apresentadas à imprensa tantas providências cautelares quantas as marcas de suplementos alimentares" que fazem anúncios em televisões e outros meios, reclama.

A nova legislação sobre publicidade a actos e serviços de saúde foi aprovada um ano depois de sete ordens profissionais terem denunciado a completa desregulação nesta área. O decreto-lei veio proibir as práticas publicitárias que induzam ou possam induzir em erro os cidadãos quanto às decisões a tomar. Quem infringir a legislação, arrisca-se a coimas que vão dos 250 aos 44.891 euros.



A Ordem dos Farmacêuticos considera que compete à Entidade Reguladora da Saúde (ERS) fiscalizar a publicidade a produtos em que se alegue haver benefícios para a saúde, mas a a ERS esclarece que as suas atribuições nesta matéria se limitam à área de prestação de "cuidados/serviços de saúde", sendo os suplementos alimentares regulados por outra legislação. A ERS escusa-se ainda a comentar situações que estejam a ser analisadas por tribunais.

Fonte: Público

Milhares manifestam-se na Polónia contra o novo Governo



Milhares de pessoas saíram às ruas na Polónia para "defender a democracia", que consideram ameaçada pelo Governo dos conservadores do ex-primeiro-ministro Jaroslaw Kaczynski, no poder há cerca de um mês.










"Nós vamos defender a democracia", "nós vamos defender a Constituição", "nós temos de defender o Tribunal" Constitucional, gritavam em Varsóvia milhares de manifestantes junto do parlamento, no qual o partido de Jaroslaw Kaczynski, Justiça e Liberdade (PiS), tem a maioria.
"Nós queremos liberdade e nós iremos bater-nos para a defender", disse Mateusz Kijowski, fundador do Comité da Defesa da Democracia (KOD), um movimento cívico espontâneo criado para se opor às tentativas do PiS de politizar o Tribunal Constitucional.
O KOD organizou manifestações nas grandes cidades, nomeadamente Lublin, Gdansk e Poznan. A televisão pública informou que havia 4.000 manifestante em Pozan, assim como em Gdansk, e cerca de mil em Lublin.
Cerca de um mês depois da chegada dos conservadores ao poder, a Polónia está em plena crise política devido à nomeação dos juízes do Tribunal Constitucional.
A nomeação pelo PiS de cinco juízes suscitou uma vaga de críticas da oposição, dos media e dos cidadãos.
No sábado passado, 50 mil manifestantes marcharam em Varsóvia e, um dia depois, os apoiantes do PiS mostraram também a sua força na capital polaca.

www.jn.pt

FRANCO LO DEJÓ BIEN ATADO



























FRANCO LO DEJÓ BIEN ATADO































http://aviagemdosargonautas.net/

VÍDEO - ECONOMIZE !






VÍDEO


video

VÍDEO - OS ALUNOS DA ACADEMIA KUNFU (TEMPLO SHAOIN) CHINA











ALUNOS DE KUNFU

TEMPLO SHAOIN
















VÍDEO





DOIS PINTORES, DOIS ESTILOS - PINTURAS DE CRIANÇAS (VÁRIOS PINTORES) e FAUSTO SAMPAIO

Portraits d'enfants

Portrait de Ivan Makarov
Portraits d'enfants
Portrait de Sophie Anderson
Portraits d'enfants
Portrait de Konstantin  Miroshnik
 Portraits d'enfants
Portrait de  Konstantin Ergorovich Makovky
 Portraits d'enfants
Portrait de  Alex Alemany
 Portraits d'enfants
Portrait de  Sandra Kuck
Portraits d'enfants
Portrait de Franz Xaver Winterhalter
Portraits d'enfants
Portrait de Franz Xaver Winterhalter
Portraits d'enfants
Portrait de Brenda Burke
Portraits d'enfants
Danuta Muszynska-Zamorska
Portraits d'enfants en peintures
Shahrzad Hazrati
Portraits d'enfants en peintures
Shahrzad Hazrati
Portraits d'enfants en peintures
Tatyana Chuvasheva
Portraits d'enfants en peintures
Friedrich Meyer
Portraits d'enfants en peintures
Portraits d'enfants en peintures
Portraits d'enfants en peintures
Portraits d'enfants
Bruno Amadio
Portraits d'enfants
Bruno Amadio
Superbes portraits d'enfants
Karl Moser.
Superbes portraits d'enfants
Damien  Willy
Superbes portraits d'enfants
Geza Vastagh
Superbes portraits d'enfants
Fredrich Kepp
Superbes portraits d'enfants
Nicholas Šurygina
Superbes portraits d'enfants
Nicholas Chevalier
Superbes portraits d'enfants
Superbes portraits d'enfants
Jean Baptiste Greuze
Superbes portraits d'enfants
Jaroslav Ciko
Superbes portraits d'enfants
Ferdinand Georg Waldmüller.
Superbes portraits d'enfants
Jaroslav Ciko
Superbes portraits d'enfants
Superbes portraits d'enfants
Nicholas Šurygina.
Superbes portraits d'enfants
Nicholas Šurygina
Superbes portraits d'enfants
Brunel James.
Superbes portraits d'enfants
Christine Robertson.
Superbes portraits d'enfants
  Superbes portraits d'enfants
Jules Joseph Lefebvre
Superbes portraits d'enfants
Alfred Guillou.
Superbes portraits d'enfants
Sophie Gengembre Anderson.
Superbes portraits d'enfants
James Sant
Superbes portraits d'enfants
Orest Kiprenskiy
Superbes portraits d'enfants
Emile Munier
Portraits d'enfants
Alex Alemany
Portraits d'enfants
Alex Alemany
Portraits d'enfants
Alex Alemany
Portraits d'enfants
Alex Alemany
Portraits d'enfants
Alex Alemany
Portraits d'enfants
Gunnar Berndtson
Portraits d'enfants
Friedrich von Amerling
Portraits d'enfants
Sayda Afonina
Portraits d'enfants
Pilar del Fresno Ahijado
Portraits d'enfants
Pilar del Fresno Ahijado
Portraits d'enfants
Pilar del Fresno Ahijado
Portraits d'enfants
Pilar del Fresno Ahijado
Portraits d'enfants
Enfant de Alexei Antonov
Portraits  d'enfants
Portrait de Kirillov Sergey
Portraits  d'enfants
Portrait de Shirokova Inna
Portraits  d'enfants
Portrait de Bannister Pati
Portraits  d'enfants
Portrait de Bannister Pati
Portraits  d'enfants
Portrait de Bannister Pati
Portraits  d'enfants
Portrait de Bannister Pati
Portraits  d'enfants
Portrait de Bannister Pati
Portraits  d'enfants
Portrait de Bannister Pati
Portraits  d'enfants
Portrait de Bannister Pati
Portraits  d'enfants
Portrait de Bannister Pati
Portraits  d'enfants
Portrait de Bannister Pati
 Superbes portraits d'enfants
Donald Ash.
 Superbes portraits d'enfants
Brenda Burke
 Superbes portraits d'enfants
Brenda Burke
 Superbes portraits d'enfants
Brenda Burke
 Superbes portraits d'enfants
Brenda Burke
 Superbes portraits d'enfants
Brenda Burke
 Superbes portraits d'enfants
Ford Shari
 Superbes portraits d'enfants
Bannister Pati
Superbes portraits d'enfants
Brenda Burke
Superbes portraits d'enfants
Brenda Burke
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Crawford Cree Robert 
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Heywood Hardy
Portraits d'enfants
Portrait de Gronckel Jean Wital
Portraits d'enfants
Portrait de Frederic Leighton
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Brian Neher
Portraits d'enfants
Portrait de Zinaida Serebryakova
Portraits d'enfants
Portrait de Franz Xaver Winterhalter
Portraits d'enfants
Portrait de Zuber-Buhler Fritz
Portraits d'enfants
Portrait de Anne-Louis Girodet de Roussy-Trioson
Portraits d'enfants
Portrait de Danuta Muszynska-Zamorska
Portraits d'enfants
Portrait de Anna Lea Merritt
Portraits d'enfants
Portrait de Tatyana Tolstaya
Portraits d'enfants
Portrait de Robert Papp
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portrait de Yuehui Tang
Portraits d'enfants
Portrait de Mary Koski 
Portraits d'enfants
Portrait de Martha Carpenter
Portraits d'enfants
Portrait de Alan Mark Burnett
Portraits d'enfants
Portrait de  Jacques Barcat
Portraits d'enfants
Portrait de  Jacques Barcat
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portrait de  Heinrich Rettig
Portraits d'enfants
Portrait de  Heinrich Rettig
Portraits d'enfants
Portrait de  Ferdinand Küss 
Portraits d'enfants
Portrait de  Fröschl Carl
Portraits d'enfants
Portrait de  Michele Anderson
Portraits d'enfants
Portrait de Bragolin
Portraits d'enfants
Portrait de Emile Munier
Portraits d'enfants
Portrait de Emile Munier
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portrait de Shari Ford
Portraits d'enfants
Portrait de Carl Reichert
Portraits d'enfants
Portrait de Tatiana Chuvasheva
Portraits d'enfants
Portrait de Coni Belleau Adams 
Portraits d'enfants
Portrait de Kate Perugini
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portrait de Remsley R.
Portraits d'enfants
Portrait de Slava Groshev
Portraits d'enfants
Portrait de Slava Groshev
Portraits d'enfants
Portrait de Slava Groshev
Portraits d'enfants
Portrait de Slava Groshev
Portraits d'enfants
Portrait de Jean Monti
Portraits d'enfants
Portrait de Jean Monti
Portraits d'enfants
Portrait de Jean Monti
Portraits d'enfants
Portrait de Jean Monti
Portraits d'enfants
Portrait de Jean Monti
Portraits d'enfants
Portrait de Jean Monti
Portraits d'enfants
Portrait de Jean Monti
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portrait de  Sichel Nathaniel
Portraits d'enfants
Portrait de Alexander Shilov
Portraits d'enfants
Portrait de  Bragolin Tablolar
Portraits d'enfants
Lobrichon
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portrait de Kerri Gibbs
Portraits d'enfants
Portrait de Jill Harlem
Portraits d'enfants
Portrait de Slava Groshev
Portraits d'enfants
Portrait de Emile Munier
Portraits d'enfants
Portrait de Jean Monti
Portraits d'enfants
Portrait de Alexander Shilov
Portraits d'enfants
Portrait de  Nataliya Ryabchun
Portraits d'enfants
Portrait  de  Rudolf Epp
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portrait de  Alexander Shilov
Portraits d'enfants
Portrait de  Jean Monti
Portraits d'enfants
Portrait de  Jill Cohen
Portraits d'enfants
Portrait  de  Remsley R. 
Portraits d'enfants
Portrait  de  Remsley R. 
Portraits d'enfants
Portrait de  Remsley R. 
Portraits d'enfants
Portrait  de  Remsley R. 
Portraits d'enfants
Portrait de  Remsley R. 
Portraits d'enfants
Portrait de  Remsley R. 
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portrait de Slave Groshev 
Portraits d'enfants
Portrait de Slave Groshev 
Portraits d'enfants
Portrait de Slave Groshev 
Portraits d'enfants
Portrait de Slave Groshev 
Portraits d'enfants
Portrait de Remsley R. 
Portraits d'enfants
Portrait de Remsley R. 
Portraits d'enfants
Portrait de Alexander Shilov
Portraits d'enfants
Portrait de Marta Carpenter
Portraits d'enfants
Portraits d'enfants
Portrait de Hau Vladimir Ivanovich
Portraits d'enfants
Portrait de Renso Castaneda
Portraits d'enfants
Portrait de Christiane Vleugels
Portraits d'enfants
Portrait de Amalia Lindegren 
Portraits d'enfants
Portrait de Bauerle Wilhelm Karl
Portraits d'enfants
Portrait de McCormack Paul
Portraits d'enfants
Portrait  de Bruno Di Maio
Portraits d'enfants
Portrait de  Bruno Di Maio
Portraits d'enfants
Portrait de  Renso Castaneda
Portraits d'enfants
Portrait de Vaughn Susan Mary
Portraits d'enfants
Portrait de Anthony Frederick Sandys 
Portraits d'enfants
Portrait de Eybl Franz
Portraits d'enfants
Portrait de Hans Zatzka
Portraits d'enfants
Portrait de  Anthony Frederick Sandys
Portraits d'enfants
Portrait de Izabella Faradi Veres
Portraits d'enfants
Portrait de William Robert Symonds
Portraits d'enfants
Portrait de Bruno Di Maio
Superbes portraits d'enfants
Mark Lovett
Superbes portraits d'enfants
Adolphe Piot
Superbes portraits d'enfants
Emile Vernon

Fausto Sampaio!
image
Fausto Sampaio (Anadia, 4 de Abril de 1893 — 1956) foi um pintor impressionista e paisagista português.
Fausto Sampaio nasceu em Alféolas, Anadia a 4 de Abril em 1893. A incapacidade auditiva que o atingiu ao 22 meses de idade tornou-o surdo-mudo e dotou-o, de certa forma, de uma grande sensibilidade para se exprimir através da pintura.
Possuidor de grande mestria técnica e de uma sensibilidade inigualável, Fausto Sampaio foi um impressionista de grande versatilidade e um paisagista nato; realizou obras únicas em que a rápida pincelada e a extrema facilidade de manejar a espátula, lhe permitiram captar a impressão dos momentos que viveu, instantes quase palpáveis, fazendo-os perdurar para sempre.
Foi inexcedível na representação das terras do Vale do Rio Vouga. Imbuído no espírito da procura de uma identidade nacional, Fausto Sampaio atinge o auge da sua carreira artística nas décadas de 30 e 40 do século XX, época em que realizou grande parte das suas obras nas províncias ultramarinas e que lhe valeram o título de "Pintor do Império". As suas obras, fruto da vivência nas terras por onde viajou, como Goa, Diu, Damão ou Timor, mas também daquelas em que viveu, como Macau, exprimem a atmosfera, os contrastes, a paisagem, a luz, as figuras e as formas próprias de cada uma.
Foi discípulo de Jules Renard, tendo frequentado as academias de Paris. Foi um dos mestres do pintor ilhavense Cândido Teles, a partir de 1939, que dele terá perfilhado o gosto pelas representações pictóricas dos coloridos moliceiros da Ria de Aveiro.
00s
Galeria Fausto Sampaio!
[lot0250.+F.S.+1953.jpg]
FAUSTO SAMPAIO (1893-1956)
00s