AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sexta-feira, 13 de novembro de 2015

O Descaramento do PSD e do CDS - A estimativa do INE mostra claramente que as importações em volume continuam a ser maiores que as exportações , no entanto o deputado porta voz do PSD continuou tal como o faz Portas a falar mentirosamente

A estimativa do INE mostra claramente que as importações em volume continuam a ser maiores que as exportações , no entanto o deputado porta voz do PSD continuou tal como o faz Portas a falar mentirosamente , no motor das exportações . Desde a entrada da Troika até julho deste ano a  queda do PIB foi de 5,5% . Apesar de partirmos de um ponto muito baixo , apesar do preço do petróleo e da desvalorização do Euro a economia portuguesa não sai da cepa torta…
Nota sobre a estimativa rápida do PIB do 3º trimestre de 2015
De acordo com o INE, o PIB estagnou no 3º trimestre em relação ao 2º trimestre com uma variação 0,0% e cresceu 1,4% comparativamente com o 3º trimestre do ano anterior.
Ao mesmo tempo na zona euro esse crescimento em cadeia foi de 0,3% e em termos homólogos de 1,6%.
Com a informação agora disponibilizada pelo INE é possível afirmar que com grande probabilidade Portugal não irá crescer em 2015 mais do que 1,4%, ritmo de crescimento inferior ao previsto pelo governo demitido (1,6%), pelo Banco de Portugal (1,7%), pela Comissão Europeia (1,7%), pelo Fundo Monetário Internacional (1,6%) e pela OCDE (1,7%).
Para a evolução registada no PIB no 3º trimestre e em termos homólogos contribuiu positivamente a procura interna, apesar da desaceleração do investimento e do consumo privado e contribuiu negativamente a chamada procura externa líquida, devido a um crescimento em volume das importações superior ao das exportações.
O que estes resultados agora divulgados mostram foi que a nossa economia no 3º trimestre do ano e ao contrário do que o governo demitido PSD/CDS em plena campanha eleitoral afirmava, não se encontra em fase de franco crescimento, mas antes em fase de desaceleração e estagnação. A mentira tem sempre perna curta e não foi preciso muito tempo para que a realidade se sobrepusesse a ela.
Além do mais não podemos ignorar que a evolução positiva registada no PIB desde o 2º semestre de 2014, beneficia muito fortemente da queda do preço das matérias-primas e em particular da redução em mais de 40% do preço do barril de petróleo brent. Se assim não fosse a economia portuguesa permaneceria estagnada neste período ou quanto muito teria um crescimento dito rastejante (entre 0 e 1%).
O grande desafio que se vai colocar ao novo governo de iniciativa do PS será sem duvida interromper as políticas de austeridade, de empobrecimento, de cortes nos direitos laborais e sociais, de concentração de riqueza, de venda das principais empresas ao sector privado e a aposta na devolução de salários e pensões aos trabalhadores e ao povo, na reposição dos direitos laborais, na luta contra a precariedade, no relançamento do investimento na educação, na saúde, na cultura e na ciência. Uma aposta numa nova estratégia económica assente no crescimento e no emprego, no aumento do rendimento das famílias e no investimento público e privado.
CAE, 13 de Novembrode 2015
José Alberto Lourenço
Via: FOICEBOOK http://ift.tt/1Ps0Wc8

NÃO SEI DE SÃO JORNALISTAS, HUMORISTAS, COMENTARISTAS OU PALHAÇOS.

NÃO SEI DE SÃO JORNALISTAS, HUMORISTAS, COMENTARISTAS OU PALHAÇOS.
ESTE É O GOVERNO SOMBRA DA TSF, SUPOSTAMENTE UM PROGRAMA DE HUMOR ONDE A MAIORIA DOS "COMEDIANTES" SÃO DE DIREITA COM "EXCEPÇÃO" DO RICARDO ARAÚJO PEREIRA QUE TAMBÉM VAI NA ONDA DE VEZ EM QUANDO.
PARA MIM JÁ NÃO TÊM (NUNCA TIVERAM) PIADA ALGUMA POIS PARA LÁ DE SE JULGAREM INTELIGENTES NO HUMOR QUE FAZEM NÃO SE APERCEBEM QUE O POVO NÃO ANDA COM VONTADE DE OUVIR A SUA VERBORREIA POLÍTICA E NEM SENTE A MÍNIMA VONTADE DE RIR COM AS ANÁLISES QUE OS RAPAZES FAZEM.
NÃO SEI PARA QUEM SÃO DIRIGIDAS AS SUAS SÁTIRAS QUE NÃO CHEGAM AOS CALCANHARES DO HUMOR QUE SE FAZIA HÁ UNS ANOS ATRÁS.
ESTÃO NA LINHA OPORTUNISTA DE QUEM QUER GANHAR DINHEIRO DEPRESSA COMO O HERMAN E OUTROS TACANHOS DA PRAÇA, E O VERDADEIRO HUMOR FOI EMBORA.
TALVEZ ESTEJAM BEM PARA O GOVERNO QUE AINDA
TEMOS E PODERIAM INTEGRÁ-LO COMO MINISTROS OU SECRETÁRIOS DE ESTADO E COMPLETAREM A PALHAÇADA !

ELES É QUE ARRECADAM A NOTA E SE FARTAM DE RIR E GOZAR COM TUDO ISTO !

António Garrochinho

A PINTURA DE ADRIEN MOREAU

Adrien Moreau (Troyes, França, 18 de abril de 1843 – Paris, França, 22 de fevereiro de 1906)
Começou sua formação artística como aprendiz de vidreiro em sua cidade natal, mas logo partiu para Paris e prosseguiu sua formação  na "École des Beaux-Arts", primeiramente sob a tutela de Léon Cogniet e, um ano depois, com o pintor acadêmico realista Isidoro Pils. 


Artista clássico de formação, Moreau começou a explorar os temas que iriam ocupá-lo para o resto de sua vida – a pintura de gênero e histórica. 


Estreou no Salão de Paris em 1868 com um tema religioso e no ano seguinte, com uma pintura neo-clássica intitulada "Néron Chez Les Belluaires" (Nero na Casa do Belluaires). Pouco tempo depois, durante a guerra franco-prussiana de 1870-71 e os ataques militares nas ruas de Paris, seu estúdio foi destruído por uma explosão. Voltou a apresentar-se no “Salon” em 1873, com a tela "Concert d’Amateurs dans un atelier d’Artiste" (Concerto de Amadores no Atelier de um Artista). O final do século 19  testemunhou um interesse renovado em cenas que lembravam o luxo e o esplendor de épocas passadas da França. 

Artistas como Meissonier, Madou, Detti, Moreau, Hamza e Stone estavam entre seus maiores defensores e os detalhes e precisão de suas obras foram admiradas por muitos colecionadores da época, que disputavam seus trabalhos. Muitos foram reproduzidas em importantes livros de história da arte do período, uma vez que transmitiam uma boa idéia do período histórico neles representados. 
Embora Moreau seja mais lembrado por estas imagens descritivas a partir do século XVIII, também executou composições mostrando a vida dos camponeses, incluindo os aspectos da paisagem e do ambiente. Com uma dessas imagens, "Le Repos à la Ferme" (Repouso na fazenda),  exposta no “Salon” de 1876 – ganhou sua primeira medalha. 


Expôs também uma segunda obra intitulada "Une Kermesse au Moyen Age" (Condado de Feira, na Idade Média). Esta pode ter sido influenciada por suas viagens através da Bélgica e da Holanda, realizadas nesse mesmo ano. 
Continuou a expor no Salão e, em 1884, mostrou Le Bac (O Ferry-boat); em 1887, "Une Mascarade au XVII Siècle" (A Máscara do século XVII). Também participou da Exposição Universal de 1900 onde ganhou uma medalha de segunda classe. 


Muito ligado ao mundo literário, escreveu sobre a história de sua família – Les Moreau -, além de ilustrar várias outras obras, tais como as de Victor Hugo, Voltaire e Alphonse Daudet.   
Em 1892 foi premiado com o "Chevalier de la Légion d’Honneur", uma das mais altas condecorações francesas. 
Continuou a viver e trabalhar em Paris até sua morte, ocorrida em 22 de fevereiro de 1906.

1855 -  May Day,  Private collection
Adrien Moreau - Partie d'échecs
1887 -  Une Mascarade au XVII Siècle
Moreau_Adrien_After_The_Wedding_1882
MOREAU_Adrien_Contemplation_1873
_Adrien_Moreau
Adrien-Moreau, visit to the lake
Moreau, Adrien - The Courtship
1883 -  At the Ferry,  Private collection
1884 -  Le Bac,  Private collection
Toast to the heir presumptive,  Private collection
Plowing the Fields, Private collection
Paysanne aux vaches a la mare by Adrien Moreau - 35 1/4 x 46 inches Signed french academic paris salon figures figurative genre peasants
File:Adrien Moreau Das Brautgeleit 1876.jpg
image

A PINTURA DE ALEXANDER AVERIN

Alexander Averin!
O tema principal da pintura de Alexander Averin são cenas do cotidiano com belas jovens e crianças inseridas num cenário de prados florescentes , jardins, encostas de rio e paisagens do mar. O colorido das pinturas enche os olhos sem necessidade de intelectualismo para a compreensão da obra . Pintura nitidamente de estilo impressionista, cuja característica é a fidelidade às cores da natureza, tendo a iluminação como foco , retratando belos cenários e personagens idealizados . Podemos sentir a respiração fresca do mar Báltico, a transparência do ar e a pureza dos personagens retratados nas obras de Averin . Uma combinação perfeita de um retrato e uma paisagem , com estilo impressionista , caracterizam o talento do artista Alexander Averin .

Tema da Pintura: Cotidiano!


artesehumordemulher.wordpress.com

OUTROS TRABALHOS











 ALEXANDER AVERIN