AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


domingo, 11 de outubro de 2015

Putin revela exactamente quien apoya a ISIS











vídeo



Edgar





Edgar


Vou votar no Edgar. Subscrevi a candidatura de Sampaio da Nóvoa, porque sei que é uma pessoa honesta, simpatizo com Marcelo, de quem guardo a memória de uma das primeiras entrevistas que fiz, no antigo aeroporto e de muitos encontros ao longo destes mais de 20 anos em que admirei a sua inteligência. Estava indeciso para onde iria o voto, mas vou votar no Edgar. Porque há coisas que estão muito acima da política, do tão falado e pouco compreendido sentido de Estado ou das responsabilidades dos cidadãos. Muito mais.
Não sou comunista, socialista, centrista ou outro ‘ista’ partidário qualquer. Sou portista e maritimista e isso chega. Mas vou votar no Edgar, sem hesitar.
Conheci-o quando tinha oito anos. Ele era muito mais velho, deveria ter 11 ou 12. Um dos grandes, para nós, miúdos da segunda classe, que ainda andavam na escola que tinha o triste nome de Salazar e que um ano depois seria dos Ilhéus. O irmão era o meu melhor amigo. Colega e camarada até ao fim do Liceu e até hoje.
O Edgar era um modelo. Jogava bem à bola, era ponderado quando todos eram tão irresponsáveis quanto a infância e a adolescência podem ser. Era o mais velho. Falava e os outros ouviam.
Passaram os anos, as décadas, e no regresso a uma terra que cheguei a pensar não ser um porto de retorno e numa profissão que foi vocação e não formação, voltei a ver o Edgar. Ele era político caloiro, eleito há pouco tempo para deputado, eu era o jornalista que uma aleatória agenda de redacção tinha colocado na política. Ele era o senhor deputado, eu era o jornalista que quando os promotores das conferências de imprensa queriam passar a mão no pelo também era promovido a senhor.
A roda da vida e o passar dos anos poderiam ter criado barreiras naturais que a política e a profissão assumem. Parecia ser assim, mas tudo voltou à infância dos oito anos quando me chamou pelo nome que só alguns conheciam. O nome de infância, da adolescência, dos tempos de vizinhos na Levada do Cavalo. Estava tudo na mesma.
O Edgar não vai ganhar, nem sei até onde vai chegar, mas tem o meu voto porque sei que seria o melhor Presidente da República. Porque esteve sempre ao lado dos mais fracos, daqueles que eram colocados fora da fotografia das inaugurações. Porque muito antes de ser reconhecida a pobreza e a exclusão que esta terra produziu, já estava lá, a levantar a voz e a falar para quem não queria ouvir. Porque continua a ser o mais velho e um exemplo para os miúdos da vizinhança, vou votar no Edgar.

Este lago está tão poluído que às vezes pega fogo


por DN.pt
O lago está coberto de uma espuma branca com um cheiro forte.
O lago está coberto de uma espuma branca com um cheiro forte.Fotografia © Life in Bangalore

O lago Bellandur, na terceira maior cidade da Índia, está coberto de espuma tóxica. Veja o vídeo.

As imagens fazem lembrar uma banheira gigante coberta de espuma, mas são de um lago na Índia que está tão poluído que às vezes pega fogo. O lago Bellandur é o maior de Bangalore e a espuma é o resultado da combinação de amónia e fosfatos num ambiente com muito pouco oxigénio.

VÍDEO

Os químicos foram despejados para o lago sem qualquer tratamento durante décadas, resultado do crescimento descontrolado da cidade de Bangalore, a terceira maior da Índia. A espuma que se forma pode misturar-se com óleos, gordura e detergentes inflamáveis, o que pode fazer com que pegue fogo, como já aconteceu em várias ocasiões. Quando chove, a água do rio pode subir e inundar as estradas próximas do lago de Bellandur, que tem 36 quilómetros de extensão, e cobrir carros e bicicletas. O cheiro da espuma química também é muito forte e causa dores nos olhos das pessoas que vivem perto.


VÍDEO



video

O problema já dura há anos mas, apesar da preocupação das pessoas, não tem uma solução fácil. "Precisamos de mudar de rumo, mas é como tentar dar a volta ao Titanic", contou ao jornal norte-americano LATimes o ambientalista Nagesh Aras, que se queixou da dificuldade em fazer-se ouvir junto do poder local. "Há um iceberg no nosso caminho, mas o capitão ainda nem o viu. E é essa a tragédia destes fogos. Estamos a tentar explicar que são só a ponta do iceberg".

Vida à política e esperança


CARVALHO DA SILVA

Os resultados das eleições legislativas criaram um quadro político bem diferente daquele que o país viveu nos últimos 4 anos e meio.
A coligação de Direita, formada por PSD e CDS, teve uma grande derrota. Neste novo quadro a Direita não pode governar sozinha. Precisa de apoios para aprovar o seu programa de governo e o Orçamento do Estado, pode até nem sequer formar Governo, ou vir a cair e surgir um Governo de efetiva alternativa.
É um facto inquestionável que, há poucos meses, existia na sociedade portuguesa a perspetiva de esta coligação de Direita no Governo ter uma derrota ainda maior. Havia também um certo consenso (nos média) quanto à possibilidade de o PS ser a força política mais votada.
Inúmeros fatores se podem enunciar como explicação para as escolhas feitas pelos portugueses, nomeadamente: i) o PS enredou-se em contradições, com um programa eleitoral marcadamente técnico (com notas de influência neoliberal) quando o combate era político. Daí resultou um debate eleitoral em que no centro da discussão esteve muito mais o programa do PS do que o balanço dos 4 anos e meio de governação da Direita e das propostas que esta tinha ou não para o futuro. Dirigentes do PS chegaram a acreditar que o PS podia resolver o problema apresentando-se como o saco do voto útil, esquecendo que a social-democracia que representa está sem programa capaz de gerar alternativas e que muitos cidadãos, apesar de gostarem da Europa como projeto comum, começam a apostar em propostas que contestem as regras europeias; ii) a emigração de centenas de milhares de portugueses levou para fora do país muitos jovens, cuja ausência enfraqueceu bases e capacidades de mobilização à Esquerda; iii) parte do descontentamento das pessoas - que andam a fugir da vida porque esta é muito dura - refugiou-se na abstenção perante a inexistência de alternativas que interpretem os seus dramas; iv) as intervenções do presidente da República (PR), sempre numa perspetiva de subjugação do país aos poderes dominantes na União Europeia (UE) e/ou mercados, bem como o seu combate a alternativas tiveram, ao longo dos anos, um efeito desmobilizador nos portugueses e de favorecimento da Direita; v) a ideia de que no espaço da UE e da Zona Euro será muito difícil fazer vingar políticas alternativas foi reforçada com o processo político grego e com os pronunciamentos de tecnocratas da UE. Sem dúvida que isto intimidou e estes medos não serão ultrapassados sem que à Esquerda se desenvolvam respostas mais sólidas, o que ainda não aconteceu neste processo eleitoral.
O PS, que não atingiu os seus objetivos eleitorais, surge "entalado" e obrigado a gerir cenários complexos, mas está no centro de todo o processo político e, à partida, tem condições para fazer melhor do que tem feito.
As forças à Esquerda do PS reforçaram-se e avançaram com posições políticas novas no sentido de trabalhar compromissos com o PS com vista a uma "maioria de Esquerda" para viabilizar um Governo. Estes novos dados vão influenciar relações de forças - estão já a desencadear novas confluências, mas também contradições nos tradicionais posicionamentos à Esquerda - e ter impactos em todo o quadro político-partidário existente e no futuro político do país.
Ao contrário do que pregaram certos políticos europeus, os portugueses não sancionaram as políticas de austeridade. Trata-se de uma grande mentira. É bom lembrar que a Direita proclamou durante toda a campanha eleitoral que "a crise e a austeridade" eram passado. Conquistaram votos a partir do convencimento de que agora vai haver recuperação de direitos e de condições de desenvolvimento. A sociedade portuguesa mobilizar-se-á para exigir essa recuperação, seja qual for o futuro Governo. Ninguém ignora o excesso de cor-de-rosa com que a Direita tentou pintar a realidade do país, que são grandes os problemas económicos e políticos no contexto europeu e internacional, mas, acima de tudo, só cabeças loucas podem apresentar as políticas austeritárias como solução para um futuro melhor.
Com otimismo moderado direi: abriram-se janelas de esperança.
*INVESTIGADOR E PROFESSOR UNIVERSITÁRIO

QUASE A MORRER - VEJA VÍDEO - EUA: 39 imigrantes são resgatados em condições precárias dentro de caminhão; veja vídeo


Com sinais de asfixia e desidratação, grupo de guatemaltecos, salvadorenhos e mexicanos ficou preso no caminhão por quatro a cinco horas
A polícia do condado de Frio, no Estado do Texas (Estados Unidos), resgatou 39 imigrantes que estavam dentro do compartimento de carga de um caminhão e tentavam entrar nos EUA. No total, eram 28 homens, sete mulheres e quatro crianças. Eles exibiam sinais de asfixia e não portavam documentos. O grupo apresentava três nacionalidades distintas: guatemalteca, salvadorenha e mexicana.
O vídeo a seguir mostra o momento do resgate e foi divulgado


VÍDEO



Ao abrir das portas, os imigrantes, que estavam desidratados, precisaram de atendimento médico imediato. Os policiais, que falavam espanhol, exigiram que todos ficassem de joelhos. “Eles estavam suados, desidratados, acreditaram que estavam perto de morrer”, disse Jerry Reyna, um dos policiais da operação. Reyna disse acreditar que o grupo estava de quatro a cinco horas presos no caminhão.
Os imigrantes foram levados de volta a Laredo, no México, de onde haviam partido, e estão sob custódia das autoridades da fronteira dos EUA. Eles irão permanecer em Laredo para participar como testemunhas no processo contra o motorista.
Segundo a emissora norte-americana ABC, quem dirigia o caminhão era Drew Christopher Potter, de 33 anos. Potter declarou que foi pago para levar o caminhão de Laredo a San Antonio, no Texas, mas que não sabia que transportava pessoas. Ele foi processado e pode pegar até 10 anos de prisão, além de pagar uma multa de até US$ 250 mil .
A polícia chegou ao caminhão após receber uma denúncia por telefone 
Reprodução/LiveLeakArmy

Policial que participou da operação disse que imigrantes estavam prestes a morrer"

operamundi.uol.com.br


Estado virou máfia e assassino em série’, diz líder de partido de esquerda após atentado na Turquia



‘Liberdade e paz são mais importantes que eleições’, afirmou Demirtas ao anunciar que o HDP vai suspender a campanha eleitoral em todo o país
“Estamos diante de um Estado que se converteu em máfia, assassino e matador em série”. A declaração do presidente do partido turco HDP (Partido Democrático dos Povos), Selahattin Demirtas, foi dada neste sábado (10/10) a jornalistas em Istambul após o massacre ocorrido em Ancara, capital do país, no qual pelo menos 86 pessoas morreram e quase 200 ficaram feridas.

Demirtas deu declarações à imprensa pouco antes de viajar a Ancara, onde ocorreu o massacre
O líder do HDP, que também agrega outras minorias turcas e movimentos progressistas, criticou o fato de que, segundo ele, pouco depois do atentado, a polícia teria lançado gases lacrimogêneos no local, dificultando o acesso das ambulâncias para socorrer os feridos. Assim, o socorro teria sido prestado não por equipes médicas e sim pela polícia antidistúrbios.
“Que tipo de governo é este que manda a polícia lançar bombas de gás lacrimogêneo contra os feridos, exatamente como ocorreu em Diyarbakir? Eu não sei que tipo de bomba causou esse massacre, mas definitivamente foi uma mal-intencionada. Uma bomba muito efetiva foi usada aqui para garantir um alto número de vítimas, como foi o caso em Suruç e Diyarbakir”, afirmou Demirtas.
Demirtas se refere aos atentados realizados em Diyarbakir, em junho – às vésperas das eleições locais, em um comício do HDP, que deixou dois mortos e centenas de feridos – e em Suruç, em julho, quando a ação contra um centro cultural curdo matou mais de 30 pessoas. A avalição do político é de que “também não serão descobertas as forças que estão por trás do massacre [deste sábado] porque não há uma força por trás da mesma que assuma a responsabilidade, exatamente como em Diyarbakır e Suruç”.

Turcos foram às ruas, em Istambul, protestar contra violência, após ataque que matou pelo menos 86
Ainda para Demirtas, “é óbvio que havia uma intenção de aumentar o número de mortes [no atentado deste sábado]. E agora os representantes do governo e o primeiro-ministro vão falar diante de nossas caras: ‘mantenham a compostura’, enquanto as forças policiais sob seu comando atacam os feridos”.
PUBLICIDADE
E questiona: "é possível que um Estado, cuja organização de inteligência é tão poderosa não tenha qualquer informação sobre este incidente?" E continua: "Estamos diante de um Estado que se tornou uma máfia, assassino e matador em série e que quer manter a sociedade cativa. (…) Não permitiremos que estes incidentes entrem para a história como um simples ato de crueldade. Vamos garantir que essas atitudes não vão durar para sempre".
Eleições
A Turquia celebrará eleições no próximo dia 1º de novembro em um cenário de crescimento do HDP e enfraquecimento do governista AKP (Partido pela Justiça e Desenvolvimento) desde as eleições de junho.

Milhares participaram do comício do HDP realizado ontem em Istambul
Mas, diante do atual cenário e do massacre ocorrido hoje, o HDP anunciou que toda a programação eleitoral do agrupamento será cancelada, “uma vez que eles não podem continuar com a mesma quando dezenas de pessoas estão sendo mortas”, como esclareceu Demirtas. “A liberdade e a paz são muito mais importantes do que as eleições", concluiu.
Por outro lado, a cúpula do PKK anunciou que estabelecerá uma trégua unilateral até a realização do pleito. Apesar de o anúncio ter ocorrido horas depois do atentado, a decisão tem sido debatida há dias pelo grupo, como confirmaram à Agência Efe fontes próximas aos ativistas curdos.


 operamundi.uol.com.br

Obama acusa a Rússia de perseguir os “Terroristas Maneiros” dos EUA


Obama acusa a Rússia de perseguir os “Terroristas Maneiros” dos EUA


Por Prof. Michel Chossudovsky
"Conquanto a narrativa midiática reconheça que a Rússia tenha aprovado a campanha de contra-terrorismo, na prática a Rússia está (indiretamente) combatendo a coalizão EUA-OTAN de quando apoiando o governo sírio na luta contra os terroristas, que se apresentam na realidade como os soldados rasos da aliança militar ocidental. O que na prática a Rússia está combatendo são terroristas apoiados pelos Estados Unidos."
Amplamente documentado mas raramente mencionado em reportagens e notícias é o fato do Estado Islâmico ser uma criação dos serviços de inteligência dos EUA com seus membros tendo sido recrutados, treinados e financiados pelos Estados Unidos e seus aliados o que aqui incluiria a Inglaterra, França, Arábia Saudita, Qatar, Turquia e Jordânia.
Até recentemente o Estado Islâmico tinha sido conhecido como Al-Qaeda no Iraque (AQI). Em 2014 essa veio a ser denominada como Estado Islâmico (Estado Islâmico do Iraque e Síria, Estado Islâmico do Iraque e do Levante).
A Rússia está agora envolvida na Guerra Contra o Terrorismo
Uma grande virada na dinâmica da guerra Síria-Iraque está se desenrolando agora porque a Rússia está ficando diretamente envolvida na campanha do contra-terrorismo em coordenação com os governos da Síria e do Iraque.
Mesmo que Washington tenha reconhecido essa resolução de Moscou ele se põe agora a reclamar que os russos estão perseguindo os “terroristas maneiros” e bem comportados, apoiados por Washington.
Saindo diretamente da “Boca do Cavalo”
De acordo com o Wall Street Journal:
Ataques Aéreos da Rússia na Síria miram CIA-Apoiados Rebeldes, dizem EUA-Oficiais
Uma das áreas atingidas teria sido uma localização ocupada principalmente por rebeldes recebendo fundos, armas e treinamento da CIA e seus aliados.
Um importante dado de informação não mencionado pela reportagem do WSJ é que a CIA está apoiando os terroristas como meio de engatilhar uma “mudança de regime” na Síria, o que implica a condução de operações secretas no território da Síria:
“A agência de espionagem dos EUA tem armado e treinado rebeldes em Síria desde 2013 para lutar contra o regime de Assad” (WSJ, 30 de setembro de 2015, ênfases acrescentadas, nota do autor: o apoio secreto vem sendo dado aos terroristas desde o começo da guerra, em março de 2011)
O acima apresentado é conhecido e bem documentado, mas também um assunto praticamente não tocado pelos principais meios de comunicação.
Al Nusra: “Terroristas Maneiros”
Conquanto o Pentágono francamente reconheça agora que a CIA está apoiando grupos afiliados a Al-Qaeda na Síria, incluindo Al Nusra, ele ainda deplora o fato de que a Rússia esteja supostamente perseguindo os “terroristas maneiros”, apoiados por Washington:
Um dos ataques [russos] atingiu uma área principalmente ocupada por rebeldes apoiados pela Agência Central de Inteligência e serviços secretos aliados, disseram oficiais dos EUA, .........
Entre as sete áreas que a mídia estatal síria apresentou como alvos dos ataques russos, só uma–área, a do leste da cidade de Salamiyah, na província de Hama–tem uma conhecida presença de combatentes. As outras áreas apresentadas são em grande parte dominadas por frações moderadas ou grupos islâmicos como Ahrar al-Sham e a Fronte Nusra, afiliada da Al-Qaeda. (WSJ, 30 de setembro de 2015, ênfases acrecentadas)
Al Nusra é uma organização “jihadista”, afiliada a Al-Qaeda, financiada pelos Estados Unidos, e responsável por inúmeras atrocidades. Desde 2012, AQI e Al Nusra — ambas apoiadas pelos serviços de inteligência dos EUA– estiveram trabalhando, como mãos numa luva, em muitos empreendimentos terroristas na Síria.
O governo da Síria identificou em desenvolvimentos recentes suas próprias áreas de prioridade da campanha aérea do contra-terrorismo, prioridade síria essa que consiste essencialmente em focalizar na Al Nusra. Al Nusra é apresentada, e caracterizada, como a ala terrorista do Exército Livre da Síria (FSA).
Conquanto Washington tenha categorizado Al Nusra como uma organização terrorista (no começo de 2012), ele ainda assim apoia Al Nusra, e seus ditos “rebeldes moderados”, em forma de fornecimento de armas, treino, apoio logístico, recrutamento, etc. Essa ajuda substancial é canalizada não só pelos aliados dos Estados Unidos no Golfo Pérsico, o que incluiria Qatar e Arábia Saudita, mas também por Turquia e Israel.
É ironico que o Conselho de Segurança da ONU tenha decidido, em maio de 2012, “a pôrFronte al-Nusra na Lista Negra como um álias da al-Qaeda no Iraque”, nomeadamente então – ISIL [Estado Islâmico]:
essa decisão iria submeter o grupo a sanções incluindo embargo de armas, proibição de viagens, e congelamento de bens, foi dito então por diplomatas.
A missão dos Estados Unidos para a ONU tinha declarado que nenhum dos 15 membros do conselho tinha levantado qualquer objeção a acrescentar Al-Nusra como um álias da Al-Qaeda no Iraque, na de então quinta-feira.
Al-Nusra, uma das forças mais efetivas lutando contra o Presidente Bashar al-Assad, jurou no mês passado fidelidade ao líder da al-Qaeda Ayman al-Zawahri. (Al Jazeera, May 2012)
A Rússia está agora sendo acusada de atacar uma entidade terrorista que não só está na Lista Negra do Conselho de Segurança da ONU, como também tem vínculos declarados com o Estado Islâmico (ISIS).
Qual seria o significado dessas acusações?
Conquanto a narrativa midiática reconheça que a Rússia tenha aprovado a campanha de contra-terrorismo, na prática a Rússia está (indiretamente) combatendo a coalisão EUA-OTAN de quando apoiando o governo sírio na luta contra os terroristas, que se apresentam na realidade como os soldados rasos da aliança militar ocidental. O que na prática a Rússia está combatendo são terroristas apoiados pelos Estados Unidos.
A proibida verdade é que através de dar ajuda militar tanto a Síria como ao Iraque a Rússia está (indiretamente) confrontando os Estados Unidos.
Moscou estará apoiando esses dois países em sua guerra por procuração contra ISIL, Estado Islâmico esse, que por sua vez é apoiado pelos Estados Unidos e seus aliados.
Copyright © Prof Michel Chossudovsky, Global Research, 2015
*Traduzido e fonte por Anna Malm – https://artigospoliticos.wordpress.com para Mondialisation.ca

POLÍTICAS CRIMINOSAS


Palmira
Com algumas da últimas notícias vindas da Síria, estava a organizar um texto sobre o tema. Além de algumas notas o que iria escrever está melhor escrito e documentado pelo José Goulão no seu blogue Mundo Cão. É necessário repor a verdade contra a imensa fraude que tem sido a luta pelos direitos humanos e a democracia na Síria. Assad é um ditador? É, claro que é pelos padrões da democracia ocidental. Mas é um democrata comparado com os ditadores da Arábia Saudita, Qatar e outros, grandes aliados e amigos das democracias ocidentais! Com a ofensiva que a Rússia está a realizar contra os terroristas na Síria, Estado Islâmico, as variantes da Al-Qaeda e, colateralmente, essa ficção que é o Exército Livre da Síria, uma tropa de alguns sírios e muitos mercenários que repetidamente se tem passado de armas e bagagens para um dos grupos terroristas como aconteceu recentemente nos finais de Setembro, os terroristas têm sofrido grossas perdas em homens, equipamentos, logistica estando a recuar as suas linhas da frente, empurradas no terreno pelo exército sírio e mílicias apoiantes. Nalgumas semanas a Rússia causa perdas muitíssimo maiores aos grupos terroristas que a famosa coligação ocidental anti terrorista liderada pelos EUA durante um ano. Quem se alarma com o êxito do combate aos terroristas? Os EUA, a NATO, os seus aliados regionais, Turquia, Arábia Saudita,Qatar e Israel !!! A máquina de propaganda ocidental foi a primeira a abrir fogo e, como é habitual, continua manobras de desinformação sistemáticas. Noticiou que os os bombardeamentos russos tinham causado grandes perdas civis quando ainda nem um avião russo tinha levantado voo! Uma das fontes mais citadas é o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), uma instituição pouco credível financiada pela Irmandade Muçulmana, agora também reactivada e que já notíciou ataques aéreos que nunca se realizaram, como um bombardeamento a Palmira. Os Estados do Golfo,anunciam que, por causa da ofensiva russa, vão entregar misseis anti-tanque e mesmo terra-ar ao Exército Livre da Síria. Todo o mundo sabe que o destino final é o Estado Islâmico e a Frente Al-Nusra, que sempre foram apoiados financeira e militarmente pela Arábia Saudita e o Qatar. Que fazem os EUA, os fornecedores dessas armas aos seus aliados do Médio-Oriente? Através da NATO dão ordens aos aviadores da coligação para no espaço aéreo iraquiano atacarem, sempre que se sentirem ameaçados, os aviões russos! É este o calibre, a estatura política.a ética dos líderes ocidentais! Fazem orelhas moucas mesmo aos apelos dos patriarcas católicos e ortodoxos na Síria que apelam, através do Vaticano, para que o Ocidente acabe com as políticas desastrosas de armar os terroristas e armam-nos contra quem os combate. É o desvairo, sobretudo de Obama e Cameron,  por começarem a sentir aquela região que dominavam a seu bel-prazer com o seu aliado Israel a fugir da sua esfera de influência.
O seu interesse no combate ao terrorismo é uma ficção e tem tido acções muito eficazes como o recente bombardeamente pelos EUA a um Hospital dos Médicos Sem Fronteiras no Afeganistão, destruindo-o completamente e causando centenas de vítimas. Aliás eles já estão habituados a ser bombardeados pelas forças democráticas  como acontece sistematicamente na Palestina.
Há que parar esta gente, que é gente muito perigosa para a paz e para o futuro do mundo.

pracadobocage.wordpress.com

UGT, what else?


domingo, 11 de outubro de 2015

Publicado por André Albuquerque 


Esta coisa de de repente se apresentarem alternativas ao velho "arco da velha", anda a irritar muita gente. Inefável na sua defesa do "centrão", condição essencial para a sua existência, vem agora a UGT, através do seu iluminado líder, Carlos Silva, dizer que bonito, bonito era um blocozinho central com o CDS à mistura. Nada de novo, os cães fiéis e bem treinados obedecem sempre à voz do dono, sabem bem que no dia em que o não fizerem vão descalços para a cama e de barriga vazia.
Sempre que é preciso a máscara da UGT cai. Já o lancei várias vezes e volto a lançá-lo, o apelo aos trabalhadores sindicalizados nos sindicatos desta amarelice em forma de central sindical para que se deixem disso. Não adianta pagarem quotas a quem efectivamente não vos defende, não adianta suportarem sindicatos que constantemente aceitam migalhas em troca de bifes do lombo.

Os exemplos são mais que muitos. Um dos últimos, assinado pela calada durante as férias balneares de Agosto, é o acordo colectivo entre a FNE, federação dos professores da UGT, e pela AEEP - Associação dos Estabelecimentos de Ensino Particular e Cooperativo. Este acordo responde, nomeadamente, ao fim dos apoios europeus ao Ensino Artístico Especializado, e fá-lo como? Modificando as tabelas salariais e a contagem do tempo de serviço em desfavor dos professores, ora bem. E quando se começaram a perceber os problemas de financiamento e de funcionamento que estas escolas iriam ter, já lá estava o acordo colectivo assinado, para ser entregue pelos directores destas escolas aos professores que, com medo de perder o emprego, até foram assinar tal documento.

E é isto todos os dias, a todas as horas, a todos os segundos, a UGT e os seus sindicatos a colaborarem com os patrões, a aumentar-lhes o espaço de manobra, a encher-lhes os bolsos, sempre em defesa da concertação social e dos desígnios do país. Anda tudo a tremer que nem varas verdes. Bem, a UGT não treme, mantém-se firme no divisionismo. 

Este texto, ao nível da qualidade de escrita, ficou fraquinho. Mas também para que é que me havia de dar ao trabalho de tentar escrever alguma coisa de jeito sobre uma coisa que não tem jeito nenhum?

Para terminar, um pequeno texto do Ricardo Matos, apanhado por aí: "A situação política actual é muito pedagógica. Uns estão a perceber agora porque que é que as legislativas não são eleições para primeiro ministro. Outros descobrem a democracia parlamentar. Outros ainda deram a descobrir que a democracia não é o seu forte."

Resto de bom domingo, no quentinho, que faz frio lá fora.


 manifesto74.blogspot.pt