AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sábado, 26 de setembro de 2015

«CORAGEM» E «VERDADES» NAS RUAS DE OLHÃO A Ria Formosa é do povo

A Ria Formosa é do povo

«CORAGEM» E «VERDADES» NAS RUAS DE OLHÃO

A Ria Formosa é do povo



Nas ruas de Olhão, esta tarde, várias pessoas cumprimentaram Jerónimo de Sousa saudando a coragem de dizer verdades que vão ao encontro do descontentamento e do protesto perante injustiças gritantes que resultam da política de direita, acentuada pelo actual Governo.
Antes de arrancar a arruada da CDU, junto à estação dos correios, Paulo Sá fez uma breve declaração à comunicação social sobre os números da execução orçamental, hoje tornados públicos pela Direcção-Geral do Orçamento, salientando que a prometida «devolução da sobretaxa» é afinal um embuste que fica cada mais mais evidente. O deputado do PCP e cabeça de lista da CDU pelo círculo de Faro afirmou a necessidade de mudar de rumo também na área fiscal e pôr em prática as medidas que a coligação PCP-PEV tem proposto, para aliviar a carga imposta aos trabalhadores e aos pequenos e médios empresários, taxando com mais justiça os rendimentos do grande capital.
O desfile de candidatos e apoiantes, que transportou a mensagem e as palavras de ordem da CDU pelas ruas pedonais, foi recebido com simpatia pelas pessoas nas esplanadas e à porta das lojas. Terminou junto aos mercados, num palco móvel, onde o candidato Filipe Parra Martins chamou para junto de si José Raimundo, mariscador olhanense que integra a lista da CDU, o vereador do PCP na CM de Olhão, Sebastião Coelho, e, por fim, Paulo Sá, Heloísa Apolónia, dirigente do Partido Ecologista «Os Verdes», e Jerónimo de Sousa.
O Secretário-Geral do PCP dedicou a maior parte da sua breve intervenção aos problemas que hoje preocupam os pescadores, mariscadores e habitantes das ilhas da Ria Formosa. A ameaça de demolição de casas, acusou, não surge para uma política de reordenamento do território, mas sim para entregar esta riqueza natural aos interesses da especulação, à exploração do grande capital.
A CDU e o PCP, contrapôs Jerónimo de Sousa, exigem que sejam defendidos os interesses daqueles que ali trabalham e vivem, para fomentar o emprego e o desenvolvimento da economia local e a sobrevivência das famílias. «A Ria Formosa é do povo, é de quem lá está e de quem lá trabalha», afirmou, sob fortes aplausos.

MUDA A TUA VIDA


Para refletirmos III - A “campanha negra”

Para refletirmos III

A “campanha negra”

Notas de um artigo de opinião de Carlos Gonçalves no Avante
 
« – As «sondagens», concebidas como armas de mistificação de massas para «fazer cabeças» e fabricar resultados nos media dominantes, que, quanto muito, indiciam tendências e nunca o «score» eleitoral, de que estão muito longe, já que as margens de erro, no caso da RTP, podem somar ou retirar a qualquer força dois por cento … Não são sondagens, são palpites e manipulações da política de direita, para impor os «resultados convenientes”…»
«… As calúnias do Expresso à Festa, ou as agressões cobardes de quatro fascistas são expressão do seu medo de que este povo tome nas suas mãos o futuro do País».
«- As tretas dos protagonistas da política de direita, que falsificam todas as estatísticas e convergem, à beira de eleições, com a revisão reles do «rating» de Portugal pela Standard & Poors – a tal que abichou centenas de milhões com notificações falsas no Lemhan Brothers e que o próprio governo USA fez pagar 1,5 mil milhões de dólares para suspender um processo crime por fraude..
«São manobras da «campanha negra», insidiosa e perigosa…»
sublinhados meus.
Via: C de …

Psiquiatras: Engenheiros do Controle Mental - É a última moda nos EUA (e logo poderá estender-se facilmente ao resto do mundo): os psiquiatras estão administrando Adderall às crianças dos bairros pobres.



É a última moda nos EUA (e logo poderá estender-se facilmente ao resto do mundo): os psiquiatras estão administrando Adderall às crianças dos bairros pobres.

Eles administram Adderall, um estimulante perigoso, fazendo falsos diagnósticos de transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), ou diretamente, sem fazer diagnósticos de nenhum tipo.

Seu objetivo? Supostamente "promover a justiça social", para "melhorar o rendimento acadêmico na escola".

À frente deste programa, está o médico Michael Anderson, um pediatra da área de Atlanta. Inacreditavelmente, Anderson declarou ao The New York Times, em um artigo intitulado "Seja transtorno de atenção ou não, as pílulas ajudam na escola", que seu diagnósticos de TDAH são "fabricados" e uma "desculpa" para administrar os medicamentos.

"Nós decidimos como uma sociedade que é muito caro modificar o ambiente da criança. Então nós temos que modificar a criança", disse Anderson.

Seria difícil encontrar uma declaração mais clara vinda de um psiquiatra: o controle da mente.

Um pesquisador da Universidade de Washington em St. Loius, o Doutor Ramesh Raghavan, vai ainda mais além com este comentário assustador: "Estamos obrigando efetivamente os psiquiatras das comunidades locais para que utilizem a única ferramenta que possui à sua disposição para igualar as oportunidades nos bairros e baixa renda, que é administrar a medicina psicotrópica".

Desta forma os EUA está pressionando os psiquiatras para colocarem em marcha um programa de modificação de conduta atroz, usando medicamento contra as crianças em bairros pobres.

É importante entender que todos os estimulantes psicotrópicos como o Adderall ou a Ritalina, podem provocar um comportamento agressivo ou inclusive violento.

O que estamos vendo aqui é um paralelo direto ao antigo programa da CIA, exposto pelo falecido jornalista, Gary Webb, que detalhou a importação de cocaína crack (um outro tipo de estimulante) em South Central Los Angeles, o qual contribuiu consideravelmente para destruir essa comunidade.

São amplamente reconhecidos e admitidos nos artigos do Times que os efeitos dos medicamentos para TDAH sobre o cérebro ainda em desenvolvimento de crianças são desconhecidos. Por isso, os riscos destes medicamentos são muito altos.

Ao menos um destacado psiquiatra, Peter Breggin, acredita que há evidências significativas de que estes estimulantes podem causar atrofia cerebral.

Administrar medicamentos para TDAH cria sintomas que então devem ser tratados com compostos como o Risperdal, um poderoso anti-psicótico que pode causar dano cerebral.

Tudo isto a serviço da "justiça social" para os pobres.

E o que podemos dizer sobre a afirmação destes psiquiatras que, "os medicamentos para TDAH podem melhorar o rendimento escolar"?

A resposta podemos encontrar claramente em uma publicação de 1994 no "Textbook of Psychiatry", publicado pela American Psychiatric Press, o qual contém este trecho (Popper y Steingard): "Os estimulantes administrados para TDAH não produzem melhoras duradouras na agressividade, transtornos de conduta, criminalidade, grau de escolaridade, rendimento no trabalho, relacionamentos íntimos ou equilíbrio mental a longo prazo".

Esta é a base deste programa de "justiça social" sobre as comunidades pobres, que pretende que os medicamentos para TDAH melhorem o rendimento escolar das crianças pobres e que isso irá permitir 'igualar suas oportunidades com as crianças de famílias ricas', está inteiramente baseado em uma mentira.

Se intrometer nos cérebros das crianças através destes produtos químicos constitui um ataque criminoso, e é hora de reconhecê-lo pelo que ele é

Em 1986, o The International Journal of the Addictions publicou uma importante revisão da literatura realizada por Richard Scarnati.

Foi chamada de "Um esquema dos perigosos efeitos colaterais da Ritalina (metilfenidato)”. O Adderall e outros medicamentos para TDAH estão na mesma classificação: são substâncias estimulantes, de tipo anfetamínico.

Scarnati nos apresenta um grande número de efeitos adversos da Ritalina e cita publicações de revistas científicas que informam cada um destes sintomas.


Para cada um dos seguintes efeitos da Ritalina, há ao menos uma fonte que nos confirma a literatura médica:

* Delírios paranoicos
* Psicose paranoica
* Sintomas maníacos e hipomaníacos, psicose tipo anfetamina
* Ativação dos sintomas psicóticos
* Psicose tóxica
* Alucinações visuais
* Alucinações auditivas
* Pode ultrapassar o LSD na produção de experiências bizarras
* Processos de efeitos de pensamento patológicos
* Abstinência extrema
* Pavor
* Começar a gritar
* Agressividade
* Insônia
* Uma vez que a Ritalina é considerada uma droga do tipo anfetamina, espere efeitos do tipo anfetamínico
* Dependência psíquica
* Potencial alta de abuso de drogas DEA Programação II
* Diminuição de sono REM
* Quando usada com antidepressivos pode-se ver reações perigosas, incluindo hipertensão, convulsões e hipotermia
* Convulsões
* Os danos cerebrais pode ser vistos com o abuso de anfetaminas.

Então, em qual sentido estes medicamentos para TDAH tem a ver com a "justiça social"?

A verdade é que eles são uma guerra química.

E os predadores licenciados se aproveitam dos pobres.


Isto pode parecer um caso limitados aos EUA, mas significa uma chamada de alerta para todos, visto que muitas das políticas que se iniciam nos EUA acabam se repetindo em outros lugares do mundo.

E em particular, tudo relacionado com a aplicação da psiquiatria norte-americana, acaba se expandindo a outros locais.

O artigo seguinte, traduzido do Daily Mail, nos fala claramente sobre está agindo esta perigosa máfia psiquiátrica em outros lugares do mundo...

Escândalo: Médicos administram desnecessariamente anti-psicóticos à milhares de pacientes sem antecedentes de doença mental

Os médicos estão administrando desnecessariamente medicamentos anti-psicóticos potentes à milhares de pacientes, advertem os especialistas.

Pessoas com problemas de aprendizagem, demência e autismo estão sendo medicadas para controlar seu comportamento.

Os anti-psicóticos devem ser utilizados para tratar doenças mentais como a esquizofrenia e o trastorno bipolar.

No entanto, um estudo publicado no British Medical Journal, revela que 71% das pessoas com dificuldade de aprendizagem prescritas com medicamentos não possuem antecedentes de doença mental grave.

Os resultados impulsionam a crescente preocupação de que o Reino Unido é uma nação "sobremedicalizada" (algo que pode ser estendido a todo ocidente) e que milhares de pacientes sofrem efeitos adversos prejudiciais como resultado disso.


O uso de medicamentos de contenção química para alterar o comportamento dos pacientes vulneráveis é particularmente preocupante.

O estudo, dirigido pela University College de Londres, analisou os dados de mais de 33.000 pessoas com incapacidade de aprendizagem, entre 1999 e 2013. Os pacientes estudados incluíram as pessoas que sofrem de síndrome de Down, demência, autismo e epilepsia. Muitos possuíam dificuldade de aprendizagem, comunicação, vida diária, gerenciamento de informação e habilidades sociais.

Os pesquisadores disseram que 9.135 haviam sido prescritas com medicamentos anti-psicóticos, dos quais 71% não tinham antecedentes de doença mental grave.

Das 11.915 pessoas com um registro de conduta desafiante, 47% haviam recebido medicamentos anti-psicóticos, enquanto que somente 13% possuíam antecedentes de doença mental grave.

Os autores concluíram que as pessoas com um histórico de comportamento desafiante possuíam o dobro de probabilidades de receber anti-psicóticos.


O médico Dan Scorer afirma que: "Lamentavelmente as conclusões do relatório não são uma surpresa, uma vez que confirmam o que temos ouvido há muito tempo. Os testemunhos das famílias nos disseram que a seus entes queridos receberam altos níveis de medicação anti-psicótica ou anti-depressiva, muitas vezes e durante anos.

Em muitos casos, estas famílias reportaram efeitos adversos graves e não há evidência de que a medicina está ajudando estes indivíduos. Esta recente pesquisa publicada, mostra que isto está acontecendo, não somente nas unidades hospitalares, mas em toda a comunidade".

Os efeitos adversos dos medicamentos anti-psicóticos provocam aumento de peso causado pelo aumento do apetite e fazem com que os pacientes sejam mais passivos.


Os exemplos que temos visto nestes artigos, representam uma advertência para deter um dos grupos mais perigosos para o futuro de todos os indivíduos livres deste planeta: o perigosíssimo cartel psicotrópico.

Um grupo disposto a programar a mente da sociedade do amanhã...

 http://www.anovaordemmundial.com

Tributo A Waldir Azevedo - O Mestre do Cavaquinho - CD Completo

















vídeo



Um amigo, camarada e conterrâneo emigrado na Suiça

José Abreu

clique na seta para abrir

video

VOTA CDU


NUNCA DIGAS NUNCA



NUNCA DIGAS NUNCA


Se Portugal não fosse um país ocupado por imbecis e desgovernado por alienados, poderia almejar a que o seu povo pudesse ir concretizando fases de felicidade, onde níveis médios de solidariedade se fossem consolidando entre si. Se a profunda ignorância deste povo vetusto e o seu medo incontrolado de dar dois passos em frente (mesmo que não conheça o caminho), não fosse do tamanho do céu, estes pinocas rasteiros e incompetentes do laranjismo sentiriam no corpo a reacção justa de quem exige o que lhe é devido: trabalho, justiça, saúde, educação, grande consideração social pelos ex-produtores, hoje num descanso merecido, etc.
Há cerca de 10 minutos vi, casualmente, o homem público mais degradado do meu país, “o homem sem qualidades” na catalogação rigorosa de uma conhecida historiadora cá do burgo, em campanha eleitoral, e houve povo que o foi vitoriar, velhos que o foram cumprimentar educadamente. Uma mulher simples afagou-lhe a face, sem entender que festejava o seu algoz.
Embora inflamada, a luta de classes em Portugal precisa de mais calor humano dos “de baixo”. Essa tomada de consciência dos trabalhadores, sem a qual nada feito, é travada pelas históricas barreiras do compromisso com o P”S” e a UGT, que mantém atrelada gente sem esperança, nem horizonte. Gente com o cérebro ocupado de ar e o coração em local inapropriado. Gente manipulada que não vê as correntes que lhe cobrem os corpos.
Em caso de nova vitória da extrema-direita o mundo dramático dos portugueses aumentará significativamente. Só pelas 19 horas do próximo dia 4 de Outubro, devem todos os comunistas e os seus amigos parar de fazer campanha política pela CDU.

Guilherme Antunes (facebook)

COMO SE FAZ A PROMOÇÃO PAPAL DE MANEIRA ARDILOSA - O Papa Francisco é católico?

ANSELMO BORGES

O Papa Francisco é católico?

por ANSELMO BORGES
1. "O Papa é católico?" Esta é a pergunta que a revistaNewsweek, pensando na sua visita aos Estados Unidos, pôs na capa por cima de uma imagem pouco nítida de Francisco. E, para se perceber melhor a revolução que Francisco está a fazer - "lavou os pés a presos, muçulmanos e mulheres; recusou vestimentas esplendentes; quis como carro um Ford Focus com cinco anos, e uma casa modesta; dirigiu-se aos católicos divorciados e até sugeriu que não lhe competia julgar os gays; criticou o aquecimento global e a desigualdade de rendimentos" -, compara-o com o arcebispo de São Francisco, Salvatore Cordileone, favorável à Missa em latim e que continua num "tradicionalismo sexual que vai contra o tom de tolerância de Francisco", afirmando, por exemplo, que a erosão do casamento tradicional desembocaria num "regresso ao paganismo de outrora", e que o sexo gay e a masturbação, comportamentos sexuais não procriativos, são "males graves, demoníacos". Até parece não pertencerem os dois à mesma Igreja. Mas não se pense que Francisco vai mudar a doutrina do catolicismo: "A mudança é pastoral, não doutrinal."
A 7 de Setembro foi o The Washington Post a sublinhar "a reacção conservadora que se está a gerar dentro do Vaticano". Na frente dessa dissensão, encontra-se o cardeal R. Burke, que prometeu "resistir" às mudanças liberais de Francisco, sublinhando que o poder do Papa "não é absoluto": ele "não tem o poder de mudar a doutrina". Enquanto "os aliados progressistas de Francisco o aclamam como um revolucionário", "a rebelião conservadora está a adquirir múltiplas formas", também em livros e nas redes sociais. O autor do texto, Anthony Faiola, elenca oito das afirmações e atitudes "mais liberais" de Francisco: "Mesmo os ateus podem ir para o Céu"; o carreirismo na Igreja é uma "lepra"; "se alguém é gay e procura o Senhor e tem boa vontade, quem sou eu para julgar?"; "hoje", contra "a globalização da indiferença", "temos de dizer "não" a uma economia da exclusão e da desigualdade. Essa economia mata"; quando Diego Neria Lejarraga, nascido mulher, depois de mudar de sexo, se encontrou com Francisco e lhe perguntou se tinha lugar na Igreja, o Papa respondeu abraçando-o; na encíclica sobre o meio ambiente, colocou a Igreja na frente da obrigação moral por uma "ecologia integral"; no Ano da Misericórdia, alargou aos padres o poder de perdoar às mulheres que abortaram; a um mês do Sínodo, acelerou, simplificou e quer que sejam gratuitos os processos de declaração de nulidade dos casamentos, e pediu ao clero que mantenha "as portas abertas" aos católicos que voltam a casar-se.
Também o The New York Times de 19 de Setembro chamou para a primeira página a figura de Francisco, "um Papa humilde, a desafiar o mundo", "um pastor e não um rei", que "alcançou em pouco tempo uma estatura global única". O seu imperativo de mudança da Igreja e do mundo provocou ansiedade e esperança: "Muitos conservadores projectam nele os seus medos. Muitos liberais assumem que é uma alma gémea. Outros argumentam que Francisco está menos preocupado com a esquerda ou a direita, pois do que se trata é de inverter a diminuição da popu- laridade da Igreja na América Latina e não só." Independentemente do que vá acontecer, "a sua missão espiritual de colocar os pobres no centro da Igreja já lhe permitiu empurrar para o centro do debate mundial questões como as alterações climáticas, as migrações, o repensar da economia capitalista do pós-2008".
2. O Papa é católico? O próprio Francisco, na viagem de Cuba para os Estados Unidos, respondeu a um jornalista, com algum humor cáustico: "Um cardeal amigo contou-me que foi vê-lo uma senhora, muito preocupada, muito católica, um pouco rígida, mas boa pessoa. E perguntou-lhe se era verdade que na Bíblia se falava de um Anticristo. Depois, perguntou-lhe se falava de um Anti-Papa. E, quando ele lhe perguntou a razão destas perguntas, ela respondeu: "Tenho a certeza de que Francisco é um Anti-Papa, porque não usa os sapatos vermelhos." Quanto a ser comunista: tenho a certeza de não ter afirmado senão o que ensina a Doutrina Social da Igreja. Sou eu que sigo a Igreja, e sobre isto julgo não estar errado. Talvez algo tenha dado a impressão de ser um pouco mais "à esquerda", mas seria um erro de interpretação. Quanto a ser católico, se for necessário recitar o Credo, estou disposto a fazê-lo." E riu escancaradamente.

8,8 milhões de euros em propaganda, comícios, caravanas e 'outdoors'


8,8 milhões de euros em propaganda, comícios, caravanas e 'outdoors'
Fotografia © JOSÉ SENA GOULÃO/ LUSA
Muita gente ganha com as eleições e não falamos dos partidos vencedores, mas das empresas que fornecem materiais, impressos e digitais, logística e estudos de imagem. Brindes estão em desuso.
Muitas são as empresas a lucrar com as campanhas eleitorais, basta ler os relatórios dos partidos entregues no Tribunal Constitucional. Folhetos, T-shirts, vídeos, chapéus, leques, canetas, autocolantes, comícios, jantares, sondagens, tempos de antena, carros, bandeiras, tudo serve para conquistar eleitores.Dezanove partidos concorrentes, alguns em coligação, preveem gastar 8,8 milhões de euros nestas legislativas.E a experiência mostra que os orçamentos são quase sempre ultrapassados. A propaganda, impressa e digital, os ajuntamentos e a publicidade levam a maior fatia.
Nem os políticos nem os empresários abrem o jogo sobre estes negócios. É preciso esperar pelos próximos relatórios do Tribunal Constitucional para ver onde cada par- tido gastou, até porque parece haver rotatividade nos fornecedores de eleição para eleição. O tipo de materiais muda em cada ato eleitoral, se são legislativas, presidenciais, autárquicas ou europeias, mas ban- deiras e suportes e outros equipamentos já constituem património partidário.
Várias foram as empresas a faturar nas legislativas de 2011 que referiram não trabalhar para esta campanha. É o caso da Absolutus Audiovisuais, fornecedora de equipamento de som, luz e vídeo, que ganhou 31 mil euros com o CDS há quatro anos. Perderam com a união dos centristas aos sociais-democratas, e estes contratam sobretudo a Smart Choice Audiovisuais, que não fala sobre o tema. Sigilo profissional. "Temos de respeitar a decisão do cliente", justifica o diretor comercial. Em 2011 faturaram 680 822 euros, 16% do total de despesa do PSD nessas eleições: 3,8 milhões de euros, mais 1,8 milhões do que o previsto.
Também o principal fornecedor do PS nas últimas legislativas prefere o silêncio sobre o que representam as campanhas eleitorais nas receitas. Trata-se da Aedis - Assessoria e Estudos de Imagem, do mili- tante socialista Domingos Ferreira. Faturou nesse ato eleitoral 887 575 euros, 21% do total: 4,1 milhões, mais 1,9 milhões do que o previsto.
A realização de eventos, que envolve o espaço, todo o equipamento necessário à realização dos comícios, jantares e espetáculos e o catering, representa a maioria fatia das despesas. E, como explicou Pedro Gaiteiro, gerente da Brindes & Companhia, atualmente as organizações contratam agências que tratam de todos os materiais e serviços alusivos a uma campanha. Nestas eleições, estão a trabalhar para "um partido pequeno", além da impressão de canetas para outro. Mas essas não são as eleições dos brindes, apesar das novidades do chapéu do PS e do leque da coligação Portugal à Frente. "Fazemos muita coisa nas autárquicas, são mais os candidatos. Trabalhamos com várias câmaras, fazemos desde as T-shirts aos bonés e esferográficas. A nossa faturação anual aumenta na ordem dos 30%."
O negócio é mais vantajoso para quem se dedica ao fabrico de propaganda, seja digital ou impressa, ainda assim com diferenças. "Nas eleições legislativas há um acréscimo de 5% na faturação desses meses, mas as autárquicas têm um maior peso, 50% no volume de produção. São dezenas de candidaturas", explica o gerente da Empresa Diário do Porto, Joaquim Gomes.
As despesas são financiadas pelo Estado de acordo com o número de votos e desde que o partido obtenha 50 mil eleitores.

Cartas de condução mais caras com novas regras


A carta de condução vai encarecer. A mudança das regras nas aulas vai implicar um aumento do preço da "licença" de 10%, mas que pode chegar aos 20%.
 
PEDRO CORREIA/GLOBAL IMAGENS
E dificulta a "batota", já que os tempos e as distâncias percorridas nas aulas ficarão registados num aparelho de controlo. A portaria 185/2015 entrou em vigor esta semana e define as regras de tudo o que diz respeito à formação dos condutores

.

Homem agredido por PàF’s em Espinho

Pouco antes do início da arruada de ontem do PàF em Espinho, um homem que por ali estava terá alegadamente gritado “corruptos” – e convenhamos que a probabilidade de ali estarem alguns era elevada – e,segundo o repórter da CMTV no local, atirado algumas bandeiras da coligação para o chão. O que se seguiu, e que de resto surgiu nos telejornais, foram apoiantes/militantes do PSD ou do CDS-PP que agrediram de forma, vá lá, “enérgica”, o indivíduo em questão. Num dos momentos da cena, existe um PàF que segura o homem e outros dois que lhe batem em simultâneo. No final, e após a evacuação do agredido, surge uma PàF de bandeira na mão que, num momento pedagogia parola, lhe diz “você veio para aqui provocar“. E como veio provocar é merecedor de uma série de socos, pontapés e joelhadas sem que se tenha visto uma única agressão do anónimo revoltado. Cuidado: quem se mete com o PàF leva! Já dizia o Zeca Mendonça.


Quero em primeiro lugar manifestar o meu repúdio pela falta de solidariedade de quem em tempos infiltrou o Vader do Fraque na campanha do PS e que muito se indignou por dois empurrões e um abraço colectivo dos jotinhas socialistas que por ali andavam. No Insurgente ouviam-se ecos dessa indignação. Chamaram-lhe agressão. Quanto tempo teriam demorado a reagir se o sucedido se tivesse passado numa arruada do PS? Arrisco dizer que a reacção seria imediata e daria boas crónicas na Fox News do PàF. Para já temos apenas o silêncio, ou não tivessem eles um papel a desempenhar nesta campanha.
Mas quero também deixar uma palavra para o trabalho “jornalístico” da CMTV, cujo repórter no local narra a história de um homem que chegou ao local, atirou X bandeiras da coligação para o chão e que, cito, “o que é certo é que o homem começou a agredir alguns dos apoiantes da coligação e, em consequência disso, os apoiantes da coligação entraram também em confronto com ele.”. Pena nenhum OCS no local ter captado essas imagens onde este homem, entre centenas de apoiantes da coligação, agrediu alguns apoiantes sem que ninguém fizesse absolutamente anda até que o mini-espancamento começou. Em linha com a CMTV, podemos ouvir na RTP que “o homem e alguns apoiantes envolveram-se em agressões físicas” apesar de, também aqui, não surgirem quaisquer imagens onde o homem que vemos no vídeo a levar pancada agrida quem quer que seja.
E era isto. Fica o alerta para que tenha cuidado da próxima vez que se cruzar com uma caravana do PàF. E não acredite em tudo o que vê na CMTV e na RTP. A primeira é a anedota que sabemos e a segunda nunca mais foi a mesma desde o episódio dos falsos paralíticos da Grécia.

aventar.eu

Ativistas atacam sem-abrigo e roubam cão - Vídeo gravado em França causa revolta.

Ativistas atacam sem-abrigo e roubam cão 

Vídeo gravado em França causa revolta.  

A associação francesa de defesa dos direitos dos animais 

Cause Animale Nord está a ser muito criticada nas redes sociais, depois de ter sido divulgado um vídeo (que pode ver no final do texto) em que dois dos seus membros tiram um cão a um sem-abrigo com recurso à força. 

Nghi Le Duc, que filmou o vídeo em Paris, a capital francesa, diz que os ativistas foram "violentos, implacáveis e sem piedade" e que ficou chocado por roubarem "o melhor amigo de um sem-abrigo". 

Antony Blachard, diretor da Cause Animale Nord, alega que o homem drogou o cão, para que este se mantivesse calmo, e que o animal não tinha chip identificativo, nem a vacinação em dia, o que é contra a lei francesa. 
A associação já colocou o animal, agora chamado 'Vegan', numa lista para adoção, por uma taxa de 195 euros a ser paga pelo novo dono. 

O polémico vídeo originou uma petição online, para que a Cause Animale Nord seja investigada, exigindo provas de que o cão estava sob o efeito de alguma droga.

VÍDEO


video



 http://www.cmjornal.xl.pt

VÍDEO - ANIMADOR "ENGANOU-SE" E CHAMOU PALHAÇO A ANTÓNIO COSTA -

Animador chama "palhaço" a Costa? 

Há uma nova polémica na campanha do PS. 

Há quem tenha ouvido o animador do comício do Partido Socialista em Leiria a chamar "palhaço" a António Costa, quando o líder do PS entrava no Mercado de Santana, onde decorreu o comício, em vez de gritar "PS". O PS já negou que isso tenha acontecido.


VÍDEO


video

 http://www.cmjornal.xl.pt

Protesta nu na Segurança Social - Homem despiu-se na Segurança Social de Viana do Castelo.



Protesta nu na Segurança Social 

Homem despiu-se na Segurança Social de Viana do Castelo.  

Vítor Rodrigues, 45 anos, residente em Arcos de Valdevez, despiu-se esta sexta-feira à tarde, em plena Segurança Social de Viana do Castelo. 

O homem dirigiu-se aos serviços desesperado, depois de lhe terem retirado, de uma só vez, 14.00 euros da conta, para saldar uma dívida que, como comprovou com os respetivos recibos, estava a pagar em prestações. "Já que me querem levar tudo, então fiquem mesmo com tudo", disse Vítor Rodrigues, entregando a roupa aos funcionários. 

Estes pediram a intervenção da PSP, mas Vítor só se vestiu quando lhe foi garantido que houve, de facto, um erro e que o dinheiro lhe iria ser devolvido. Só que era sexta à tarde e o homem salientou que só tinha 23 euros e o depósito do carro vazio.



 http://www.cmjornal.xl.pt

TEATRO MUNICIPAL DE FARO REPLECTO NO COMÍCIO DA CDU - Jerónimo de Sousa condena "política assassina” na saúde


Líder comunista acusa Governo de pretender destruir SNS e "transferir" cuidados para as mãos de privados

Jerónimo de SousaJerónimo de Sousa acusou o Governo de ter "atirado para a morte milhares de portugueses" com uma política "assassina" no setor da saúde. As acusações do secretário-geral do PCP foram feitas no comício de campanha da CDU desta sexta-feira à noite, que decorreu no Teatro Municipal de Faro.  
"O processo de transferência da prestação de cuidados de saúde do Serviço Nacional de Saúde (SNS) para as mãos dos privados atingiu nos últimos anos uma dimensão nunca vista, afetando gravemente o direito à saúde dos portugueses", disse Jerónimo de Sousa, perante uma sala com os mais de 780 lugares ocupados. 

Para o líder comunista, o último Governo foi responsável por uma  "uma política de destruição do SNS" e de "negação do acesso aos cuidados de saúde". O objetivo, diz, é "servir a privatização e os interesses dos grupos económicos."
"Assim se percebe a notícia recente, de que nunca se tinha gasto tanto em seguros de saúde como nos primeiros meses do ano, 340 milhões de euros", exemplificou, realçando os lucros de "30 por cento para as seguradoras" e a "duplicação" de consultas de que beneficiaram os hospitais privados na última década.

"Isto é um autêntico maná", afirmou, para depois explicar o processo de funcionamento deste "grande negócio":  "Aos privados, que têm uma lógica de funcionamento centrada na doença, interessa a prestação de cuidados, o Estado fornece os clientes e paga, e pelos vistos muito bem, porque fez disparar as receitas dos grandes grupos privados para valores que em 2014 foram superiores a 1200 milhões de euros".  
Jerónimo de Sousa recusou ainda as explicações para os cortes na saúde, considerando-os uma falácia e uma mentira.
"O Governo dos arautos do Estado mínimo diz que não há dinheiro, mas isso é uma aldrabice. O que querem é implementar um sistema de saúde a duas velocidades", argumentou, explicando que haverá uma velocidade "para quem pode pagar" e outra "para aqueles que menos têm, de difícil acesso e apenas nas prestações mínimas garantidas." 

Para o líder comunista, as políticas do atual governo estão a "transformar a saúde numa mercadoria e num negócio", à custa de "vidas".  

"Estamos perante uma política assassina. Não há outra caracterização possível", defendeu. "Essa política é responsável por atirar para morte antecipada milhares de portugueses."