Delta do Mekong (Vietname) – Episódio 1 – 3 atrações do Delta do Rio Mekong

Can Tho é extremamente atmosférica. Pequena, simpática e fácil de explorar. Ainda se vêm bicicletas como meio de transporte. O porto é muito agradável e, passear pelas ruelinhas ao anoitecer, quando elas se iluminam pelas luzes artificiais (e são muitas), é fantástico.
Não há muitos turistas, nem mesmo aos fins de semana. Talvez pela época, talvez porque não venham tanto assim. Fora a as pessoas que te abordam a cada segundo oferecendo passeios de bote, o assédio é zero. Pode-se caminhar a vontade pelos mercados, cafés e entre os feirantes de rua. São intermináveis eles sorridentes e honestos.
18 milhões de pessoas vivem na região do Delta do Mekong, a antiga Cochinchina. Na verdade, Saigon, urbana e industrializada, já é parte da Cochinchina, mas que graça tem dizer que o fim do mundo é uma cidade cheia de neóns piscando, quando se pode fazer isso num barco ultra simples no meio de um mercado flutuante, numa região que vive quase que 100% de agricultura?
#1 – Mercado flutuante de Cai Rang
DCIM137GOPRO
can_tho_1
O alarme tocou às 4. Estava no porto às 5 e negociei com uma das várias mulheres que estão lá oferecendo o passeio ao mercado flutuante de Cai Rang, por 200.000 Dong,  num bote ( tipo voadora com motor ) só pra mim, por 3 horas. Até lá, meia hora, com o sol nascendo. Das 6 as 7 o mercado é uma experiência impagável – sem dúvida, o grande motivo para visitar Can Tho.
Um pouco daquele Vietname dos cartazes, com feirantes vendendo produtos frescos e abundantes, em barcos de todos os tamanhos. Café gelado com leite condensado e bahn mi (baguete francesa recheada, herança dos tempos coloniais) para café da manhã, cada um por 10.000 Dong (US$ 0,40). Negocie com os barcos no próprio cais, o Ninh Kieu Wharf, perto da estátua de Ho Chi Minh. É a forma mais barata e mais garantida de saber que tipo de barco o  está  levando.
#2 – Ong Pagoda
DCIM137GOPRO
DCIM137GOPRO
A fachada, espremida entre os hotéis e restaurantes da rua do cais, engana. O Ong Pagoda é um templo budista fascinante, iniciado há mais de 500 anos. Durante este período, foi reconstruído e redecorado diversas vezes para manter sua aparência impecável. A luz que entra do tecto corta as luminárias de madeira e a fumaça dos incensos, criando um ambiente místico.
Endereço:
32, Hai Ba Trung – Ninh Kieu Wharf
Entrada Gratuita
#3 – Mercado noturno de Can Tho
can_tho_6
DCIM137GOPRO
Se os mercados flutuantes são um cenário único, não se pode dizer a mesma coisa dos mercados nocturnos. Cruzando o Vietname de sul a norte, esse vai ser apenas o primeiro que você verá. A diferença é que, como Can Tho é muito menor que a maioria das cidades pelo caminho, os vendedores aqui são pouco ou quase nada insistentes, fazendo desta uma das feiras noturnas mais simpáticas e baratas do país. Dá para circular a vontade e sem pressão.
Ninh Kieu Wharf, à frente do Cho Can Tho.
Como chegar a Can Tho e outras cidades do Delta do Mekong:
Em Saigon (Ho Chi Minh City), procure o escritório da companhia de ônibus Phuong Trang (FUTA Busline – 84, Tran Hung Dao Street), no District 1. A passagem custa 120.000 Dong (US$ 6,00), incluindo a mini-van que leva do escritório da empresa até a estação de ônibus, em Saigon. Em Can Tho, não ceda as pressões dos taxistas e motoqueiros que te abordarão logo que você pisar fora do ônibus – há outra mini-van que leva do terminal rodoviário até o seu hotel, gratuitamente.

3em3.com