AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


terça-feira, 26 de maio de 2015

Elora Hardy abandonou uma carreira de sucesso dentro do mundo da moda em Nova Iorque, para construir casas de bambu na Indonésia e também este incrível hotel (INCLÚI VÍDEO)

Elora Hardy abandonou uma carreira de sucesso dentro do mundo da moda em Nova Iorque, para construir casas de bambu na Indonésia e também este incrível hotel . Atualmente, Elora e o grupo de arquitetos da Ibuku, estão já há 5 anos trabalhando e revolucionando o terreno da construção com este material, já que setrata de um recurso completamente renovável e pouco utilizado. Elora diz utilizar boro para tratar o bambu e fazer com que insetos, como isópteros, não possam digeri-lo.

01
Deixou uma carreira bem sucedida para construir casas sustentáveis de bambú em Bali 01
Ela inspirou-se em seu pai, que escolheu bambu para todos os edifícios do campus, já que lhe parecia promissor, explica em seu TED Talk.

- "É uma promessa para as crianças. É um material sustentável que não vai se acabar. E a primeira vez que vi estas estruturas construídas há 6 anos, pensei que tudo isto fazia sentido..."

O bambu tem a resistência à compressão do cimento, uma relação de força e peso similar ao aço. Suas principais debilidades são a umidade e os danos causados por insetos, mas se forem tratados corretamente, as estruturas de bambu podem durar toda uma vida.

Ao ver estas imagens não restará dúvida sobre a beleza arquitetural e artesanal dos projetos de Elora que utiliza a planta tropical renovável e que produz ano a ano sem a necessidade de replantio.

Além de ser um eficiente sequestrador de carbono, o bambu é o recurso natural que se renova em menor intervalo de tempo, não existindo nenhuma outra espécie florestal que possa competir com ele em velocidade de crescimento e de aproveitamento por área.

No entanto, apesar de toda versatilidade, a planta ainda é pouco utilizada no nosso país por total desconhecimento de suas espécies e aplicações e também devido à falta de pesquisas específicas desta grama arborescente (sim, o bambu é uma gramínea) que pode chegar até a 15 metros de altura.
02
Deixou uma carreira bem sucedida para construir casas sustentáveis de bambú em Bali 02
03
Deixou uma carreira bem sucedida para construir casas sustentáveis de bambú em Bali 03
04
Deixou uma carreira bem sucedida para construir casas sustentáveis de bambú em Bali 04
05
Deixou uma carreira bem sucedida para construir casas sustentáveis de bambú em Bali 05
06
Deixou uma carreira bem sucedida para construir casas sustentáveis de bambú em Bali 06
07
Deixou uma carreira bem sucedida para construir casas sustentáveis de bambú em Bali 07
08
Deixou uma carreira bem sucedida para construir casas sustentáveis de bambú em Bali 08
09
Deixou uma carreira bem sucedida para construir casas sustentáveis de bambú em Bali 09
10
Deixou uma carreira bem sucedida para construir casas sustentáveis de bambú em Bali 10
11
Deixou uma carreira bem sucedida para construir casas sustentáveis de bambú em Bali 11
12
Deixou uma carreira bem sucedida para construir casas sustentáveis de bambú em Bali 12
13


VÍDEO



 http://www.mdig.com.br

BRASIL - JORNALISTA MORTO E DECAPITADO - ESTE COITADO FOI ASSASSINADO POR TENTAR DESCOBRIR CORRUPTOS, OS DE CÁ ESCREVEM BIOGRAFIAS E LIVROS PARA BRANQUEAR OS CORRUPTOS -Jornalista brasileiro encontrado decapitado no estado de Minas Gerais

Jornalista brasileiro encontrado decapitado no estado de Minas Gerais

O corpo do jornalista de 67 anos foi encontrado decapitado, seminu e com as mãos atadas sobre a barriga. Desde 2011, 14 jornalistas foram mortos no Brasil.
D.R
O corpo decapitado de um jornalista brasileiro foi encontrado na zona rural de Padre Paraíso, no estado de Minas Gerais, reporta o Comité para a Proteção dos Jornalistas (CPJ). Evany José Metzker foi encontrado numa vala às portas da cidade na passada segunda-feira, 18 de maio, depois de um telefonema anónimo ter alertado as autoridades.
O corpo seminu do jornalista tinha as mãos atadas sobre a barriga — a cabeça foi descoberta horas depois, a 100 metros de distância. Metzker ainda tinha consigo a carteira, o relógio e um anel, diz o Globo. Pelo estado de decomposição do corpo, o jornalista estaria morto há cinco dias. A  Época fez um relato pormenorizado do que terá acontecido, afirmando que este foi violentamente torturado.


Metzker, de 67 anos, tinha um blogue chamado Coruja do Vale, onde se dedicava a escrever notícias relacionadas com política e corrupção na zona de Minas Gerais, um dos maiores estados do país. De acordo com a imprensa local, o jornalista estaria a investigar um caso de prostituição infantil. Num post publicado no blogue, a 9 de maio, pode-se ler que em Padre Paraíso “Regras e Leis, só atrapalham, aqui não temos isso”.
A sua mulher, Ilma Chaves Silva Borges, confirmou ao CPJ que Metzker estaria na região em trabalho. “Há muitos assassínios aqui. Acho que o motivo, tendo em conta a barbaridade do assassinato, deve-se ao facto de ele ter encontrado algo. Ele investigava presidentes da Câmara, políticos, roubos de carga e prostituição”, disse.


“Condenamos o assassínio brutal de Evany José Metzker e instamos às autoridades para que não deixem uma pedra por virar no decorrer da investigação deste crime e todos os seus possíveis motivos”, disse Carlos Lauría, da CPJ. “A habilidade de jornalistas locais para reportar as notícias está claramente a ser minada por uma violência mortal contra a imprensa brasileira.” Já a União de Jornalistas Profissionais emitiu um comunicado onde escreve que o assassínio deve ser “rigorosamente investigado” e que os responsáveis devem ser chamados à justiça.
A CPJ diz ainda que o Brasil tem assistido, nos últimos anos, a um aumento considerável de violência para com a imprensa nacional. Ao todo, e desde 2011, 14 jornalistas foram mortos em relação direta com o seu trabalho.

O pote e o círculo do poder - Na corrida desenfreada ao pote, a CP Carga é a privatização que se segue à da TAP. Várias empresas já manifestaram interesse em ir a este pote: ALB, Algeposa, Altri, Mota-Engil e MSC Portugal

O pote e o círculo do poder


Na corrida desenfreada ao pote, a CP Carga é a privatização que se segue à da TAP. Várias empresas já manifestaram interesse em ir a este pote: ALB, Algeposa, Altri, Mota-Engil e MSC Portugal.

Hoje, o Diário Económico (VEJA ABAIXO) dá conta de que há mais uma candidata: a Atena Equity Partner. Trata-se de uma sociedade «criada recentemente» por João Santos, Miguel Lancastre e Victor Guégués e que «se dedica exclusivamente a reestruturações empresariais em Portugal». Apresenta como senior advisors Jorge Ponce Leão, presidente da ANA, João Moreira Rato, ex-presidente do IGCP.

Que raio, não me lembro de onde os conheço, mas estes nomes não me são estranhos. 

corporacoes.blogspot.p

“Atena está a estudar a privatização da CP Carga”

Empresa que tem como seniores advisor Ponce Leão e Moreira Rato deverá apresentar uma proposta formal para a compra da CP Carga.
“Atena está a estudar a privatização da CP Carga”
A Atena Equity Partner está interessada na reprivatização da CP Carga, empresa do universo do Estado e que o Governo pretende alienar até ao final do mandato.
"A Atena está a estudar o dossier de privatização da CP Carga com vista à apresentação de uma proposta formal que responda aos desafios do processo em curso", adiantou fonte oficial da empresa ao Diário Económico. A mesma fonte salienta que o objectivo é " permitir à empresa criar valor a longo prazo para colaboradores, parceiros de negócio, Estado, accionistas e demais ‘stakeholders'".
A Atena assume-se como um candidato independente de base nacional e assegura que é controlada pelos seus sócios fundadores (João Santos, Miguel Lancastre e Victor Guégués) e que os fundos que gere são participados "pela equipa de gestão e por investidores institucionais europeus e norte-americanos". A empresa, criada recentemente e que se dedica exclusivamente a restruturações empresariais em Portugal tem como sénior advisores Jorge Ponce Leão, presidente da ANA, João Moreira Rato, ex-presidente do IGCP e ainda Paulo Nunes de Almeida, presidente da Associação Empresarial de Portugal.
O Diário Económico sabe que o processo de privatização da CP Carga está a ser desenvolvido por uma equipa alargada e que engloba gestores portugueses com vasta experiência no sector. 
A private equity admite que tem fundos próprios para entrar nesta privatização e sobretudo que tem capacidade para levantar capital nos mercados internacionais. 
Para além da Atena, a CP Carga terá despertado o interesse da ALB, Algeposa, Altri, Mota-Engil e MSC Portugal.
O Governo aprovou no início do mês a venda até 100% do capital da CP Carga, através de uma operação de venda directa de referência a um ou mais investidores, nacionais ou estrangeiros. Uma participação de 5% do capital ficará reservada aos trabalhadores através de uma Oferta Pública de Venda.
De acordo com o Governo, o primeiro critério de selecção no processo de privatização da CP Carga será o da robustez do projecto estratégico. Os outros dois serão o valor apresentado para aquisição das acções e eventuais mecanismos de capitalização da empresa, designadamente aumentos de capitais, e o compromisso do reforço da capacidade económico-financeira. O caderno de encargos obriga ainda à permanência dos investidores privados no capital da empresa durante pelo menos três anos.
A CP Carga obteve em 2014, um resultado líquido de 5,3 milhões de euros, que compara com o prejuízo de 23 milhões de euros registados em 2013. A CP, holding que controla a CP Carga justifica o lucro da empresa com a transferência dos terminais para a Refer em Dezembro passado.


FIFA Joseph Blatter responde a Figo

FIFA


Joseph Blatter responde a Figo
 .
O atual presidente da FIFA e também candidato ao ato eleitoral da mesma, com data marcada para 29 de Maio, Joseph Blatter, respondeu às duras críticas de Figo, que desistiu a semana passada das eleições e reafirmou a sua confiança.

O português Luís Figo afirmou que o processo eleitoral à presidência da FIFA é um ato de corrupção.

«Figo pode dizer o que quiser porque é livre para o fazer», disse Joseph, citado pela Sky Sports.

«Vocês conhecem-me, sou uma pessoa otimista e por isso, claro que estou confiante para as eleições», revelou o atual presidente da FIFA.

Joseph Blatter e o príncipe Ali bin Al-Hussein são, neste momento, os únicos candidatos à presidência.

* Nem todo o optimista é corrupto mas o corrupto é sempre um optimista, em Portugal há dezenas de exemplares.




apeidaumregalodonarizagentetrata.blogspot.pt

De qualquer maneira, eles vão dar cabo disto

PEDRO TADEU

De qualquer maneira, eles vão dar cabo disto

por PEDRO TADEU
Maria Luís Albuquerque acha que a Segurança Social, como está, entra em rutura e, por isso, defende cortes definitivos nos valores pagos aos atuais pensionistas.
A obsessão de sangrar a Segurança Social vem de longe. Nos anos 80 do século passado já eu ouvia as atuais teses, agora dadas a beber aos cérebros tenros dos jovens da JSD, esponjas prontas a absorver para o resto da vida a "lição" da ministra das Finanças.
Naquela época os fundamentalistas mais radicais da fé na santa Thatcher defendiam mesmo o fim das reformas pagas pelo Estado: cada um cuidasse, durante a vida ativa, da sua futura velhice. Ponto final.
As companhias de seguros trataram, logo, de inventar planos financeiros para quem aderisse aos seus sistemas. Celebrizou-se, entre os remediados e abonados, a sigla PPR - Plano Poupança Reforma - que o Estado subsidiava indiretamente com benefícios fiscais. O mesmo Estado que, sempre que tinha problemas financeiros, retirava verbas aos cofres da Segurança Social pública...
Em 2008 um dos potentados mundiais desses fundos de pensões, a AIG/Alico, entrou em colapso e esteve no início da crise financeira dos EUA. Foi o Estado norte--americano que teve de a salvar, evitando que milhões de pensionistas/investidores em todo o planeta ficassem sem um único dólar.
Em Portugal já tivemos a reforma da Segurança Social, em 2007, que alterou os limites da idade da aposentação. Seguiram-se os cortes "provisórios" subsequentes à chegada da troika, a tornar magras muitas pensões gordas. Persiste ainda o congelamento das atualizações do valor da esmagadora maioria das reformas e a proibição quase total de antecipação de saídas do mundo do trabalho.
Este ano, revela o DN, apesar de haver mais reformados, o Estado gasta menos 762 milhões de euros com eles do que em 2011. Mesmo assim, garante a ministra, qual guru dos anos 80, sem mais cortes definitivos o sistema ruirá.
António Costa, por seu lado, acha que pode fazer uma redução da Taxa Social Única que tirará 1850 milhões de euros em quatro anos às receitas da Segurança Social (contas do jornalista da SIC José Gomes Ferreira) medida que o mais elementar bom senso adivinha ir descambar na ruína do sistema, dada a incerteza de receitas alternativas e o facto (apontado ontem pelo mesmo jornalista) de haver um défice total no sistema de 5300 milhões de euros.
No fim, Maria Luís e António Costa, por caminhos tão diferentes, chegam afinal à mesma meta: a falência definitiva da Segurança Social. É incrível! ... Viva o arco da governação! Vivam PS, PSD e CDS! De uma maneira ou de outra, eles vão mesmo conseguir dar cabo disto.

Tortura em prisões secretas da CIA – Polónia paga indemnizações

Tortura em prisões secretas da CIA – Polónia paga indemnizações

Mapa SZYMANY Polónia.jpg

A indemnização resulta da sentença do Tribunal Europeu dos Direitos Humanos (TEDH) que, em 24 de Julho de 2014, condenou a Polónia por «cumplicidade» no programa das prisões secretas da CIA, nomeadamente na camuflagem do trânsito de aviões no seu território.
O tribunal de Estrasburgo deu como provadas as torturas praticadas em solo polaco, entre 2002 e 2003, contra um palestiniano e um saudita, que foram mais tarde transferidos para a prisão de Guantánamo.
Na sua resolução, o Tribunal concluiu, por unanimidade, que a Polónia violou a Convenção Europeia dos Direitos Humanos ao permitir que a CIA detivesse e torturasse dois suspeitos de terrorismo.
Trata-se do palestiniano Abu Zubaydah, de 43 anos, e do saudita Abd al-Rahim al-Nashiri, de 49 anos, que apresentaram a queixa já depois de se encontrarem em Guantánamo.
Ainda que o veredicto admita a possibilidade de desconheceram as práticas de tortura nos centros de detenção da CIA, considera que as autoridades polacas deveriam ter garantido no seu território a integridade física e o respeito dos direitos humanos dos detidos.
Mesmo que as torturas tenha sido executadas por agentes norte-americanos, a Polónia «facilitou na prática todo o processo e criou condições necessárias à sua realização, sem nada ter feito para o impedir», salienta a sentença.
O Governo polaco apresentou recurso, mas o pedido foi indeferido em Fevereiro passado, sendo fixado o prazo máximo para o pagamento da indemnização. 
SZYMANY Polónia3
Negócio sujo
Em Janeiro último, o jornal Washington Post reacendeu o escândalo, revelando que a CIA pagou em 2003 à Polónia 15 milhões de dólares para instalar a sua prisão.
Apesar das evidências, Leszek Miller, primeiro-ministro polaco entre 2001 e 2004, continua hoje a negar a existência de prisões, posição que nunca foi revista pelos dignitários que o sucederam.
Além da Polónia também a Macedónia foi condenada pelo TEDH em Dezembro de 2012, pela detenção e tortura de Khaled el-Masri, um alemão de origem libanesa.

38 anos de política de direita - Declínio económico e retrocesso social (vídeo)










vídeo


ALGARVE - PORTIMÃO - FOTOGALERIA: O mercado mais cool do Sul está na margem do Arade

FOTOGALERIA: O mercado mais cool do Sul está na margem do Arade

Por Elisabete Rodrigues • 23 de Maio de 2015 
O mercado mais cool do Sul de Portugal continua até à meia noite deste sábado junto à antiga lota e à ponte velha de Portimão, à beira do rio Arade.
Novo artesanato, street food, produtos gourmet, objetos de design e artísticos, caipirinhas e tostas gigantes, à mistura com música, saltos acrobáticos de bmx são a proposta.  A noite convida ainda a uma saída, por isso apresse-se. E se já vir estas fotos muito tarde, só lhe resta esperar pela edição número três do Lota Cool Market.
Fotos: Elisabete Rodrigues/Sul Informação