AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quarta-feira, 29 de abril de 2015

NUNO MELO, O FASCISTA

NUNO MELO, O FASCISTA


"Tentaram suprimir a liberdade" e agora colocam "cravo ao peito" in-Nuno Melo (CDS)

Sim, este é fascista, corre-lhe nas veias o saudosismo salazarista, tem nas entranhas o ódio pidesco e legionário dos fascistas, este Melo não presta, é escarro, é escória, é, o que eu chamo, um monte de merda.
Talvez um dia, não muito distante, o Povo os julgue e os coloque na tumba mais funda do esquecimento.



http://ferroadas2.blogspot.pt/

A ORIGINALIDADE DO PINTOR AMERICANO ANDY RUSSELL


































INAUGURADA UMA CICLOVIA DE PAINÉIS SOLARES COM 40 KM NA COREIA DO SUL

Já falamos algumas vezes do papel primordial das ciclovias para estimular a utilização da bicicleta no transporte urbano, um recurso valioso para aquelas cidades que aspiram melhorar sua qualidade do ar e consequentemente a da vida de sua população. Em nosso país podemos nos deparar com situações muito diferentes dependendo da cidade e da região onde nos encontremos, mais quase sempre existe pouca motivação para pegar a bicicleta e usá-la como meio de transporte.


Inauguram uma ciclovia de 40 km coberta de painéis solares na Coreia do Sul
Por isso, não podemos evitar de ver com certa inveja estes projetos que chegam de fora, como é o caso da ciclovia que liga as cidades de Sejong e Daejeon na Coréia do Sul. Tem uma distância de quase 40 quilômetros e está perfeitamente integrada em uma auto-estrada. Toda essa extensão foi coberta por painéis solares, para um aproveitamento energético que termina de fechar este círculo de sustentabilidade.
Inauguram uma ciclovia de 40 km coberta de painéis solares na Coreia do Sul
E não só isso, a parte mais óbvia dessa cobertura é que protegerá os ciclistas das condições climatológicas mais desfavoráveis. Não é de estranhar, do mesmo modo, sua integração em uma rodovia: uma verdadeira proposição para que muitos comecem a pedalar ao trabalho.

Ademais, para deixar qualquer amante do ciclismo babando de inveja, este trecho é o primeiro do mastodôntico projeto de construir uma ciclovia de 350 quilômetros ao redor da cidade de Sejong, todos e cada um, cobertos por painéis solares.
Inauguram uma ciclovia de 40 km coberta de painéis solares na Coreia do Sul
Este é um enorme passo para incentivar formas de transporte não poluentes em um país que não adotou o ciclismo tanto quanto deveria, visto que 7 de 10 coreanos possui uma bicicleta, mas apenas a metade utiliza a magrela apenas uma vez por mês. A maioria considera o ciclismo como lazer, o que já é algo favorável.
Inauguram uma ciclovia de 40 km coberta de painéis solares na Coreia do Sul
Comparado com a Holanda, onde cerca de 43% da população usa bicicletas como forma primária de transporte ou no Japão onde o percentual é de 25%, na Coreia este índice não supera os 3%.

Esperemos que as coisas possam ser resolvidas na medida em que as preocupações de segurança com o trânsito aumentem, e vamos esperar que nosso país (que todo e qualquer país) comece a implementar modelos semelhantes que promovam a energia solar, bem como transporte urbano movido a uma saudável pedalada.

VÍDEO


http://www.mdig.com.br

Uma descoberta revolucionária: a democracia custa tempo e dinheiro…

Uma descoberta revolucionária: a democracia custa tempo e dinheiro…

Jeroen Dijsselbloem2

O presidente do Eurogrupo, o holandês Jeroen Dijsselbloem, deu muito uso às suas meninges e descobriu que a democracia custa tempo e dinheiro: «Há que pensar que isso [referendo] custa dinheiro e iria causar uma grande incerteza política, e não temos tempo [para isso] nem os gregos».
Depois disto nada será como dantes. Confesso que estou banzo, sem palavras. A genialidade do homem siderou-me…
Ah é verdade:
Segundo as estatísticas «oficiais» os muito ricos representam 1 por cento da população adulta do globo. A dúvida assalta-me: será que os restantes 99 por cento têm direito à democracia? 

Conclusão:
Para alguns eurocratas isto de eleições e referendos segundo o princípio de um homem/mulher 1 voto é uma tremenda «chatice». O bom mesmo são os directórios, as troikas, as agências de notação… 

Via: O CASTENDO http://ift.tt/1HZ1PVN

FLORES - A ILHA ESPONJA - VEJA AQUI UMA BELA REPORTAGEM SOBRE OS AÇORES







FLORES











A ILHA ESPONJA






















VEJA AQUI UMA BELA REPORTAGEM DOS AÇORES







CLIK NO LINK ABAIXO

Flores, a ilha esponja - Expresso

downloads.expresso.pt/expressoonline/infografias/flores/index.html

Leilão da colecção de arte da família Espírito Santo rendeu 1,5 milhões de euros

Leilão da colecção de arte da família Espírito Santo rendeu 1,5 milhões de euros

A estrela do leilão foi a rara taça chinesa do século XVIII, do período Qianlong, arrematada por 204,6 mil euros.
A taça chinesa é do século XVIII, do período Qianlong 
Foram 149 lotes no total e nem todos foram comprados. A colecção de arte de Ana Maria do Espírito Santo Bustorff Silva (1928-2014) foi leiloada nesta quarta-feira pela Christie’s, em Londres, e rendeu 1,5 milhões de euros. A estrela do leilão foi, como se esperava, a rara taça chinesa do século XVIII, do período Qianlong, decorada a partir de uma pintura de William Hogarth, que acabou arrematada por 120 mil libras (167,7 mil euros), com a comissão da leiloeira o preço da peça fixou-se nas 146,5 mil libras (204,6 mil euros). Surpresa para a pintura a óleo Circle de Jakob Bogdáni que foi à praça por 30 mil libras (cerca de 42 mil euros) e acabou vendida também por 120 mil libras (com a comissão o preço foi o mesmo da taça chinesa).O leilão começou com alguns lotes a não encontrarem comprador e outros a serem arrematados por valores abaixo das estimativas apontadas pela Christie’s até que ao lote 28 a leiloeira levou à praça a pintura a óleo Circle do húngaro Jakob Bogdáni (1660-1724). As estimativas mais altas da Christie’s apontavam para que a obra fosse arrematada por 50 mil libras (cerca de 70 mil euros) mas esta acabou por ser vendida por mais do dobro do preço. Numa venda muito disputada, a pintura foi arrematada por 120 mil libras (167,7 mil euros). Segundo o leiloeiro responsável pela venda, o quadro terá sido comprado por um licitador online a partir de Itália.
Este foi também o valor da rara taça chinesa do século XVIII e que era anunciada como a estrela deste conjunto que pertencia à neta de José Maria Espírito Santo Silva, o fundador da empresa que deu origem ao Banco Espírito Santo, e filha mais nova de Ricardo do Espírito Santo Silva (1900-1955), que dirigiu o BES nos anos 1930 e foi um importante mecenas e coleccionador de arte. Ana Maria do Espírito Santo Bustorff Silva morreu no ano passado e era a mãe da ex-ministra da Cultura Maria João Bustorff e tia do banqueiro Ricardo Salgado.
A peça chinesa foi à praça por 48 mil libras (67 mil euros). Foi disputada não só por licitadores na sala como ao telefone e na internet. Acabou arrematada por um licitador na sala, cuja identidade não foi revelada.
O antiquário Jorge Welsh, especializado em porcelanas orientais, considera esta taça “uma peça muito rara no mercado internacional”, e pergunta-se mesmo como “terá vindo parar a Portugal” este objecto decorado com armas inglesas. Já as restantes porcelanas da colecção, acrescenta, incluem “algumas peças interessantes”, mas que "vão aparecendo em leilões e não são de grande raridade".
Estas foram as duas peças mais caras de todo o leilão, seguindo-se o par de pastéis de Jean-Baptiste Pillement (1728-1808) vendido por 92,5 mil libras (129 mil euros), acima das esperadas 60 mil libras (83 mil euros).
Uma destas telas é uma vista do Tejo, com pescadores na margem do rio, e a outra mostra uma paisagem ribeirinha escarpada e um rebanho de ovelhas e respectivos pastores. São ambas datadas de 1782, pouco posteriores ao regresso do pintor a Portugal, onde chegou a fundar uma escola. Pillement tinha apenas 17 anos quando chegou pela primeira vez a Lisboa, empregando-se como pintor e decorador. E o seu talento era já então suficientemente reconhecido para que D. José I lhe tenha oferecido o cargo de pintor real, que então recusou para regressar a Londres.
Hoje sobretudo reconhecido pela influência que as gravuras que executava a partir dos seus próprios desenhos vieram a ter na disseminação do estilo rococó na Europa, Pillement foi um importante paisagista, e terá justamente atingido o seu apogeu no período em que realizou o par de telas agora leiloado. A colecção integrava ainda várias outras pinturas e esboços do artista, mas que não alcançaram preços significativos. 
Do total da colecção que era composta por pinturas, desenhos, móveis, porcelanas e pratas de várias épocas e proveniências, 40 lotes não foram vendidos.
Quando em Março, a Christie’s anunciou este leilão referiu-se a este conjunto da família como o “mais consistente núcleo da colecção original de peças francesas, chinesas, italianas e inglesas” que Ricardo do Espírito Santo Silva reuniu. Para a leiloeira, Ricardo do Espírito Santo Silva foi um “verdadeiro conhecedor”, “um dos maiores coleccionadores do seu tempo” e “um dos mais importantes patronos das artes em Portugal". Parte da colecção foi doada ao Estado português em 1953, tendo-se criado a Fundação Ricardo Espírito Santo Silva (FRESS), que se mantém activa até aos dias de hoje. Ao doar a colecção Ricardo do Espírito Santo Silva doou também o Palácio Azurara (nas Portas do Sol), para que ali as obras pudessem ser expostas.
A outra parte da colecção ficou então com a sua filha, Ana Maria do Espírito Santo Bustorff Silva. É essa colecção privada que nesta quarta-feira a Christie’s leiloa. 

9 lugares extravagantes para se barbear espalhados pelo mundo

9 lugares extravagantes para se barbear espalhados pelo mundo

Sejamos sinceros: não é preciso ter uma cara barbuda para ser um “homem de barba rija”. Na verdade, com o verão a aproximar-se a passos largos, o calor a apertar e a praia a chamar, talvez seja a altura ideal para se ver livre dessa barba que desenvolveu durante o inverno.
Mas se vai dar cabo de tudo o que arduamente deixou crescer, ao menos torne-o uma ocasião especial.
Em vez de se despedir da sua barba de forma banal no seu apartamento enquanto os vizinhos discutem aos gritos do outro lado da parede, permita que o inspiremos com algumas sugestões do momondo e do AEIOU de locais inesperados à volta do mundo onde pode fazer a barba.

Turquia

Possivelmente o país mais célebre no que toca a barbearias, as técnicas turcas são imitadas por todo o mundo. Em primeiro lugar, para se fazer a barba à turca é necessário usar uma daquelas lâminas de barbear de aspeto afiado e preocupante.
Se isso não representa perigo suficiente, de seguida passam uma pequena chama ao de leve pelo seu rosto, a qual remove todos aqueles pequenos pelos que a lâmina não conseguiu remover.
Felizmente, no fim tem direito a uma massagem à cabeça, a forma original escolhida pelos barbeiros para lhe mostrar que, apesar de todos os instrumentos de tortura, não lhe desejam mal.
Se estiver em Istambul, o local mais famoso para fazer a barba é o Grand Bazaar, enquanto noutra parte da cidade um barbeiro local far-lhe-á o serviço em troca da sua reciclagem.
Recomendamos que se dirija a sudoeste para o centro da Turquia onde as gloriosas paisagens da Capadócia ajudam a complementar a sensação de rosto recém-barbeado.

Vietname

O Vietnamepossui uma longa tradição de barbeiros de rua. Desde o momento em que os colonizadores franceses levaram a moda de manter o cabelo curto no final do século XIX, os vietnamitas mantiveram esta tradição nos cortes de cabelo.
Devido ao clima quente, grande parte do dia-a-dia dos vietnamitas decorre nas ruas – apesar de existirem muitos salões interiores, muitas pessoas gostam de se barbear ou de cortar o cabelo à beira do passeio onde passa uma leve brisa.

Inglaterra

Compartimentos individuais na Trumper’s, para que não se tenha de misturar com os restantes
Compartimentos individuais na Trumper’s, para que não se tenha de misturar com os restantes
Londres, cidade que é um verdadeiro “mar de barbas”, possui bastantes opções no que toca a barbearias, incluindo um salão de Stuart Phillips, o barbeiro que corta regularmente o cabelo ao Sultão de Brunei.
Mas não estamos a apoiar que gaste milhares, portanto se quer ver-se livre da sua barba de forma menos extravagante, vá até ao Trumper’s, onde os armários e cubículos de mogno farão com que sinta que está de volta ao século XIX. Aqui até à escola de barbeiros pode candidatar-se.
Outra opção requintada que deve ter em conta é The Refinery, um local de sofisticação garantida que permanecerá no seu rosto muito depois de ter de lá saído.
Bem, tudo isto é muito bonito. Contudo, o mais famoso cortador de cabelos associado a Londres é Sweeney Todd, o mítico “Terrível Barbeiro de Fleet Street”, que, alegadamente, tinha a sua barbearia/matadouro/fábrica de empadas ao lado da St Dunstan’s Church no início do século XIX.
Se for a Fleet Street para se barbear nos dias de hoje poderá não ser tão perigoso, contudo, espere pagar quantias aterradoras.
Se a história de Sweeney Todd for verdade, toda a carnificina passou-se aqui… Na “Hen and Chickens Court” em Fleet Street.
Se a história de Sweeney Todd for verdade, toda a carnificina passou-se aqui… Na “Hen and Chickens Court” em Fleet Street.
Ao fugir de toda a decadência e horrores de Londres, em Merseyside encontrará oGallaghers, um pub em Birkenhead que é, na verdade, uma barbearia.
Um casal adquiriu este pub em estado decrépito no ano de 2010 para montar a sua barbearia, e combinou os dois negócios astutamente tornando-o num local de atração comunitário galardoado. Ninguém se importa com as filas para a cadeira do barbeiro quando se podem encostar ao balcão do bar enquanto esperam.

Los Angeles

Riverside Art Museum
Live Psychic Haircutting Event no Riverside Art Museum
Live Psychic Haircutting Event no Riverside Art Museum
A exposição “O Barbeiro Espírita” no Riverside Art Museum terminou perto do fim do mês de Novembro, mas nós sentimos que tínhamos de lhe falar dela na mesma.
Tal como sugere o seu nome, a exposição apresenta barbeiros que usam os seus dons alegadamente espíritas para descortinar os seus pensamentos e depois dar-lhe uma
cabeleira de acordo com as suas visões. Para dizer a verdade, nem temos exatamente a certeza o que significa…
Seja como for, o corte é feito no meio de uma galeria à frente de outros visitantes, por isso a nossa própria visão diz-nos que, se acabar nesta cadeira de barbeiro, talvez seja um pouco exibicionista.

Nova Zelândia

Ao fazer a barba, metade das pessoas irão querer aparar também o cabelo por pura preguiça. Já que estão no barbeiro, por que não?
Mas não há cá cortes comuns no My Fathers Barber em Christchurch, onde o barbeiro Matt Brown passa grande parte do seu dia a fazer retratos nos cabelos dos clientes. A sua legião de seguidores levou a que Matt fizesse um tourpelos EUA, para ensinar as suas técnicas.

Nova Iorque

Com cerca de nove milhões de habitantes do sexo masculino, há um sem fim de rostos que precisam de ser aparados na cidadedeNovaIorque.
Mas como a vida passa a correr na cidade que nunca dorme, o número de barbearias aumentou exponencialmente e, além disso, estas tornaram-se verdadeiros locais de atração. Os salões John Allan’s oferecem tudo em termos de cortes de cabelo, bem como mesas de bilhar e cerveja.
Caso compre a adesão anual, até irão deixá-lo guardar a sua própria bebida no minibar. Se quiser um bar completo com direito a bartender a fazer cocktails, dirija-se à Martial Vivot e barbeie-se ao lado das celebridades que frequentam esta barbearia ultramoderna.
Contudo, estes lugares nunca se descontrolam demasiado – uma barbearia na Flórida chegou a ser fechada por também ser um clube de strip.

África do Sul

Podem encontrar-se barbeiros de bairro por todas as comunidades da África do Sul.
Podem encontrar-se barbeiros de bairro por todas as comunidades da África do Sul.
A barbearia mais antiga da Cidade do Cabo abriu há cerca de cem anos atrás e ainda é gerida pela mesma família. Na zona em rápida expansão de Woodstock poderá ver o que é genuinamente retro, onde a Alfreda’s Hairdressers cortará o seu cabelo e barba sem recorrer a lâminas elétricas – tudo isto no meio de uma decoração que remonta há um século atrás.
Eles afirmam conseguir fazer qualquer estilo, por isso poderá fazer um corte moderno no meio de um cenário à antiga. Até poderá apanhar por lá uma equipa de filmagens – a sua autenticidade é popular entre os responsáveis de realização para TV e filmes.
No lado exatamente oposto do espectro, a barbearia Metroman a norte de Johannesburg possui uma caixa multibanco de bitcoins – se quiser até pode segui-la no Twitter. As criptomoedas não são a primeira coisa que as pessoas tendem a associar com os cuidados de beleza masculinos, mas, bem, estamos no século XXI e ele está aqui para nos confundir.

Austrália

A Austrália possui um grande entusiasmo no que toca à cultura das barbearias. Existem bastantes barbearias sofisticadas e retro a cortar a torto e a direito desde Darwin até Melbourne – gostamos especialmente da Man Cave Barbershop mesmo a sul de Sydney, sobretudo devido ao seu nome brutalmente honesto (“Barbearia Antro Masculino”).
O concurso “O Melhor Barbeado do Mundo“ decorre todos os anos em março para apoiar a luta contra a leucemia. Perguntamo-nos se poderia arrancar um pouco por todo o mundo da mesma maneira…

E finalmente…

China, Província de Sichuan

Algumas pessoas barbeiam partes do corpo que não o rosto. Na verdade, pode rapar-se qualquer zona onde cresçam pelos. Contudo, na província de Sichuan, na China, o pelo corporal é posto de parte perante o serviço local de raspagem de globos oculares.
Pegando na mesma lâmina usada para barbear o rosto, alguns barbeiros especializados poderão utilizá-la nos seus olhos por alguns yuan extra.
Aparentemente, a sensação aterradora de limpeza compensa todos os anos passados com pesadelos e em terapia.


zap.aeiou.pt