terça-feira, 31 de março de 2015

CDU TRIPLICA. RETIRA MAIORIA ABSOLUTA AO PSD

CDU TRIPLICA. RETIRA MAIORIA ABSOLUTA AO PSD

TERÇA-FEIRA, 31 DE MARÇO DE 2015


Éoficial: a CDU triplica o número de deputados eleitos na Assembleia Regional da Madeira, passando de 1 para 3 e, ao mesmo tempo, retira a maioria absoluta ao PSD. Não é coincidência: o pior resultado de sempre do PSD é conseguido com o melhor resultado de sempre da CDU.
Desde o acto eleitoral que se suspeitava que podiam ter tido lugar irregularidades, mas a desconfiança recaía sobre os votos anulados. No entanto, de acordo com fonte do PSD, o problema estará relacionado com "um erro informático no carregamento de uma das mesas" ou, mais sucintamente, os votos foram mal contados.

A direita de Passos Coelho e Jardim recebe hoje uma derrota histórica entregue sob a curiosa roupagem de uma recontagem. Uma recontagem que não quer necessariamente dizer que a direita esteja tão isolada politicamente que só lhe reste a aldrabice, quer apenas dizer que o que parece inevitável e mesmo aquilo que é dado pelas notícias como decidido, pode e deve ser recontado. Nas mesas de voto, nas empresas e nas ruas, é urgente recontar cada voto, cada argumento, cada vontade.

Retirado do Jornal da Madeira no dia 31 às 18:00



manifesto74.blogspot.pt

POVOS (X) - Hauçás - Os hauçás, haussás ou haúças, também conhecidos pela grafia inglesa hausa, são um povo do Sahel africano ocidental que se encontra principalmente no norte da Nigéria e no sudeste do Níger.

Hauçás



Os hauçás, haussás ou haúças, também conhecidos pela grafia inglesa hausa, são um povo do Sahel africano ocidental que se encontra principalmente no norte da Nigéria e no sudeste do Níger. 




Também há populações significativas em áreas do Sudão, Camarões, Gana, Costa do Marfim e Chade, ademais de pequenos grupos espalhados pela África ocidental e na rota tradicional do Haje muçulmano, através do Saara e do Sahel. Muitos hausas mudaram-se para cidades maiores e mais próximas do litoral, como Lagos, Acra, Kumasi e Cotonou, bem como para países como a Líbia, à procura de empregos com salários pagos em espécie. Todavia, a maioria dos hausas continuam a viver em pequenos vilarejos, onde praticam a agricultura e a pecuária, incluindo gado. Falam a língua hausa, do grupo lingüístico tchadiano da família afro-asiática.

História e cultura

Kano, na Nigéria é considerada o centro comercial e cultural dos hauçás. Em termos de relações culturais com outros povos da África Ocidental, os Hausas são culturalmente e historicamente próximos dos fulas, songhai, mandês e tuaregues bem como outros grupos afro-asiáticos e Nilo-saariano ainda no Oriente Chade e Sudão. A lei islâmica (charia_ é de forma livre a lei da terra e é entendida o tempo todo por qualquer praticante do islamismo, conhecidas no hauçá como um Mallam (ver Maulana).

Os povos hauçás entre 500 e 700 d.C., que tinham sido movidos lentamente para o oeste da Núbia e misturou-se com a populações locais do Norte e Centro da Nigéria, estabeleceram uma série de fortes estados e que é agora do Norte e Centro da Nigéria e Leste do Níger. Com o declínio de Nok e Sokoto, que tinham controladas anteriormente as regiões central e norte da Nigéria, entre 800 a.C. e 200 a.C, os hauçás foram capazes de emergir como um novo poder na região. Intimamente ligados com o povo kanuri do Kanem-Bornu (Lago Chade), a aristocracia hauçá adotou o Islão no século XI.

Os hauçás são muçulmanos, embora no passado adotassem práticas animistas, que ainda são encontradas em partes mais remotas. Têm sido um fator importante da disseminação do islamismo na África ocidental, por meio de contatos econômicos, de comunidades comerciais da diáspora hauçá e da política.




civilizacoesafricanas.blogspot.pt

Os bem intencionados - É sempre para o nosso bem. Quando há um atentado terrorista, são os big brothers adormecidos que despertam com a oportunidade de nos transformarem a todos em terroristas em potência para poderem angariar apoios para a concretização do sonho adiado de nos vigiarem cada movimento.

Os bem intencionados


É sempre para o nosso bem. Quando há um atentado terrorista, são os big brothers adormecidos que despertam com a oportunidade de nos transformarem a todos em terroristas em potência para poderem angariar apoios para a concretização do sonho adiado de nos vigiarem cada movimento. Quando é um piloto de aviação com problemas psiquiátricos por si ocultados da entidade patronal a levar consigo para a morte 150 passageiros, tornam-nos pilotos kamikaze em potência, com toda a certeza não aparecerá tão cedo  melhor oportunidade para finalmente conceder às entidades patronais a informação que contem o poder de contratar os mais saudáveis e suspender ou despedir os menos produtivos. O bastonário da Ordem dos Médicos admitiu ontem a criação de um mecanismo para as baixas serem comunicadas directamente à entidade patronal, sem que seja violado o segredo médico, nos casos que impliquem riscos para terceiros. Mas afinal que interesse teria essa informação nestas condições? Nenhum. O segredo médico é que lhe confere todo o interesse. E o que será lá isso de "riscos para terceiros"? Se incluir o risco de contágio de doenças infecciosas, em vez de avançarem também sobre o direito à privacidade, podiam começar por conceder o direito a estar doente aos portugueses que obrigam a levar os vírus e as bactérias aos colegas no local de trabalho se não quiserem perder o direito ao salário dos dias em que necessitarem de ficar em casa. O risco desaparece. Da mesma forma, o  direito à estabilidade no emprego, que inclui o direito a não ter medo de ser despedido por se estar com problemas psiquiátricos, se não fizesse desaparecer, pelo menos minimizaria o risco de um piloto com tendências suicidas se apresentar ao serviço para a seguir matar 150 pessoas. Se o objectivo fosse realmente minimizar o perigo e fazer a nossa civilização avançar no sentido correcto, era isto que estaria a ser debatido, mais direitos e não menos. Já nos restam tão poucos.



opaisdoburro.blogspot.pt

António Costa anuncia saída da Câmara de Lisboa

António Costa anuncia saída da Câmara de Lisboa

Costa sai da CML depois de quase oito anos de mandato

costa.ps.liderAntónio Costa apresenta quarta-feira, em reunião da câmara, a renúncia ao mandato de presidente da Câmara de Lisboa. O líder do PS informou esta tarde os membros da Assembleia Municipal de Lisboa da sua intenção
"Amanhã [quarta-feira], na reunião de câmara, irei apresentar o pedido de renúncia ao mandato", afirmou, segundo a Lusa. António Costa marcou uma declaração à imprensa para as 12:00 de quarta-feira nos Paços do Concelho.
Costa sai da CML depois de quase oito anos de mandato. Foi eleito pela primeira vez em 2007, numa eleições municipais intercalares motivadas pela demissão de Carmona Rodrigues.
Em Setembro do ano passado, António Costa foi eleito candidato do PS a primeiro-ministro. Posteriormente, foi confirmado como secretário-geral do PS.

Oração de Passos a Satanás - Obrigado por teres feito de mim primeiro ministro. Nunca o conseguiria se não me tivesses ensinado uma parafernália de mentiras com que consegui enganar os tugas e levá-los a votarem em mim;

Oração de Passos a Satanás



Satanás todo poderoso que dominas o reino 

dos Infernos



Obrigado por  teres feito de mim primeiro ministro.  Nunca o conseguiria se não me tivesses  ensinado uma parafernália de mentiras com que consegui enganar os tugas e levá-los a votarem em mim;

Obrigado por me teres ensinado o truque da falta de memória, para me esquivar às explicações sobre o dinheiro que ganhei na Tecnoforma e naquela associação cujo nome já nem me lembro e da qual me fizeste presidente; 

Obrigado por  me permitires continuar a passar férias na Manta Rota, sem ter de aturar os jornalistas a perguntarem-me se eu exijo factura à boa senhora que todos os anos me empresta a casa;

Obrigado por me teres ensinado o truque da humildade e da pobreza  com que consegui justificar, perante os tugas, as minhas fugas ao Fisco e à Segurança Social, que os papalvos continuam a pagar;

Obrigado por teres arranjado  emprego a todos os comentadores que me apoiam e defendem nos jornais, rádios e televisões. Sei que alguns o fazem porque querem que lhes dê qualquer coisa em troca, mas estou certo que na altura própria, me darás a justificação adequada para  não cumprir as promessas que lhes fiz;

Obrigado por me teres enviado os anjos Maduro e Lomba, mestres em manipular a comunicação social, que com o engenho de que tu os dotaste conseguem que as minhas falcatruas sejam esquecidas;

Obrigado por teres convencido o Cavaco a ser o meu maior apoiante. Foi uma jogada de Mestre teres-lhe lembrado o caso da sisa da casa da Coelha e das acções do BPN, para o obrigares a dar-me todo o apoio. Ficaste mesmo zangado quando ele se referiu à aparição da Maria para salvar Portugal  naquela noite do 13 de Maio e encostaste-o à parede. Foi muito bem feito! 

Obrigado pela ideia da lista VIP dos contribuintes, que o meu ajudante Paulo Núncio criou, para impedir os curiosos das finanças de acederem aos meus dados pessoais, que devem permanecer secretos , como ficou estabelecido no pacto que assinei contigo quando me tornei presidente do PSD;

Tens sido infinitamente Misericordioso comigo, Mafarrico Todo Poderoso,  por isso te agradeço e penitencio por ter desobedecido às tuas ordens e ter restituído 20% do que roubei aos funcionários públicos, mas estamos em ano de eleições e, se tu não me deres mais ideias para as ganhar, tenho de fazer algumas cedências.

Sei que compreendes  esta minha fraqueza e nem sequer dás importância ao programa VEM que criei para atrair os votos dos tipos que, seguindo a tua sugestão, mandei emigrar, porque sabes que  esse programa é tão mentiroso quanto eu.



Permite-me, por isso, que invoque uma vez mais a tua Misericórdia e te peça que faças com que os portugueses esqueçam as sacanices que lhes fiz durante estes quatro anos. Sabes muito bem que se o fiz foi com o intuito de Te servir. Aproximam-se as eleições- que tenho a certeza irei ganhar com a tua ajuda- e uma amnésia colectiva seria muito útil para que eles votassem em mim. Ou melhor... em Nós (ih!ih!ih!)
Avisaste-me que me irias fazer passar por provações, para veres se eu estava à altura de ser  teu embaixador aqui na Tugalândia. Podes confiar que serei fiel seguidor das tuas ordens e poderás manter a confiança na minha maldade para com os pobres, os velhos, as crianças, os doentes  e os desempregados.  Não te desiludirei  e cumprirei fielmente a missão que me confiaste, continuando a roubá-los, para entregar aos ricos e poderosos, teus fiéis aliados.
Mas por favor Satanás,  rei todo poderoso do Inferno onde espero contigo repousar  para a Vida Eterna, sê misericordioso e  não me exijas demasiado. Não abandones este teu filho sempre pronto a obedecer-te .
Pela glória da Vida Eterna no reino dos Infernos
Pedro

cronicasdorochedo.blogspot.pt

Você sabe qual é o maior peixe do mundo? - VEJA VÍDEO

Você sabe qual é o maior peixe do mundo?

Você pode estar pensando "claro que algum tipo de baleia é o maior peixe do mundo... talvez a baleia-azul".

Talvez você fique surpreso em saber que o maior peixe do mundo não é uma baleia, e sim um tubarão. Simplesmente pelo fato de que as baleias não são peixes.

O maior peixe do mundo, apesar de ser menor do que uma baleia-azul, é o tubarão-baleia! 

Apesar de seu tamanho colossal e da fama assassina que carregam os tubarões, a espécie é, técnicamente, inofensiva para os humanos, você pode até nadar ao lado deles


O vídeo mostra a retirada do mar de um tubarão-baleia morto na costa do Paquistão, o que parece ter rendido uma boa peixada.

Enquanto não encontramos o Bloop, o tubarão-baleia segue no topo do ranking dos maiores peixes conhecidos, podendo atingir até 20m e pesar mais de 13 toneladas.

plezi.blogspot.com.br

AQUI NESTE SITE PODE VER QUAIS AS POTÊNCIAS QUE LIDERAM O MUNDO EM ARMAMENTO E EFECTIVOS. O SITE TEM TRADUÇÃO AUTOMÁTICA PARA PORTUGUÊS E NO LADO ESQUERDO UMA TABELA DE PAÍSES ONDE PODERÁ CLIKAR E FAZER COMPARAÇÕES.

AQUI NESTE SITE PODE VER QUAIS AS POTÊNCIAS QUE LIDERAM O MUNDO EM ARMAMENTO E EFECTIVOS.
O SITE TEM TRADUÇÃO AUTOMÁTICA PARA PORTUGUÊS E NO LADO ESQUERDO UMA TABELA DE PAÍSES ONDE PODERÁ CLIKAR E FAZER COMPARAÇÕES.


CLIK NO LINK

Desemprego está a aumentar e a um ritmo mais elevado

INE

Desemprego está a aumentar e a um ritmo mais elevado

Taxa de desemprego voltou a crescer em fevereiro e já atinge os 14,1%. Taxa mensal tem crescido sempre, desde que o INE começou a publicar estes dados em novembro, e a um ritmo cada vez maior.
FRANCIS R. MALASIG/EPA
A taxa de desemprego em Portugal voltou a subir em fevereiro, pelo quinto mês consecutivo, e atingiu os 14,1%, anunciou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE). Quase 720 mil pessoas são consideradas desempregadas, quase 12 mil engrossaram esta lista em fevereiro.
O INE começou a publicar estatísticas para os números mensais em novembro. Os primeiros, referentes ao desemprego em outubro, apontavam para uma taxa mensal de 13,4%, que em si já era um aumento face a setembro.
Dai em diante, as notícias não são animadoras para a economia nacional. A taxa aumentou 0,1 pontos percentuais em dezembro, 0,2 em janeiro e agora 0,3 pontos percentuais.
São já 719,6 mil pessoas que compõem a população desempregada, um aumento de 11,7 mil pessoas face a janeiro.
Destes 11,7 mil pessoas que engrossaram as listas em fevereiro, 7,4 mil são homens, 4,3 mil são mulheres. Entre estes, 3,9 mil são jovens.

ELEIÇÕES REGIONAIS NA MADEIRA - Maioria do PSD em risco? - PCP quer recontar votos

ELEIÇÕES REGIONAIS NA MADEIRA

Maioria do PSD em risco? PCP quer recontar votos

O líder do PCP Madeira vai pedir a recontagem de cerca de três mil votos. O objetivo é conseguir validar mais cinco, para assim alcançar o terceiro deputado e retirar a maioria ao PSD.
HOMEM DE GOUVEIA/LUSA
A CDU ficou a apenas cinco votos de conseguir eleger o terceiro deputado regional na Madeira e quer agora uma recontagem da votação para conseguir que sejam validados pelo menos cinco. Se isso acontecer, retirará assim a maioria absoluta ao PSD.
Miguel Albuquerque conseguiu 24 dos 47 deputados regionais, mas se depois da recontagem o PCP ganhar um deputado este será retirado ao PSD, partido que elegeu o último, de acordo com o método de Hondt. O que levará a que o PSD fique sem maioria.
Em declarações à TSF, o líder do PCP-Madeira afirmou que vai pedir a recontagem dos votos que foram considerados nulos – cerca de quatro mil – uma vez que, diz Edgar Silva, em outros atos eleitorais alguns votos que foram invalidados foram depois considerados bons. A recontagem pode no entanto favorecer qualquer dos lados, uma vez que poderá haver votos validados para a CDU ou para o PSD. Certo é que o 24º deputado regional eleito pelo PSD (e que dá a maioria absoluta a Miguel Albuquerque) está preso por um fio.
A recontagem dos votos nulos vai ser feita esta terça-feira e só depois se saberá o resultado final. Miguel Albuquerque, também na TSF, desvalorizou o pedido dos comunistas considerando que é um procedimento habitual em eleições.
Pedidos de recontagem de votos são, de facto, um procedimento habitual, apesar de os partidos terem representantes nas mesas de voto que tratam da contagem dos boletins. Desta vez nem houve registos de incidentes junto de mesas de voto ou dúvidas nas votações, como em eleições anteriores, por isso a margem é bastante reduzida.

CHICAGO - Escola Vacina Secretamente Adolescente sem o Consentimento - Várias vacinas foram administradas em adolescentes de 16 anos de idade, incluindo a vacina contra o HPV. Uma mãe em Chicago está furiosa depois que sua filha adolescente recebeu várias vacinas na escola sem o consentimento dela.

Escola Vacina Secretamente Adolescente sem o Consentimento

segunda-feira, 30 de março de 2015

Várias vacinas foram administradas em adolescentes de 16 anos de idade, incluindo a vacina contra o HPVUma mãe em Chicago está furiosa depois que sua filha adolescente recebeu várias vacinas na escola sem o consentimento dela.

Michelle Miller acreditava que um formulário que ela assinou dava permissão à escola para que sua filha de 16 anos de idade realizasse nada mais do que um exame físico de rotina.


Mas a estudante Noelle Miller acabou recebendo várias vacinas: uma para catapora, hepatite A, meningite e a vacina contra HPV, nenhuma das quais a mãe de Noelle tinha consentido, exceto a vacina contra catapora.

"Quando eu vi aquilo enlouqueci completamente", disse Miller sobre os registros de imunização da filha.

Uma fonte interna da Escola Pública de Chicago, diz que a mãe, de fato, assinou um termo de consentimento para as vacinas, de acordo com a CBS 2 Chicago, mas a mãe nega dizendo que ela só aprovou as imunizações estaduais necessárias.

"Assinei apenas as exigências do estado para uma estudante da Escola Pública de Chicago e apenas a vacina contra catapora entrou nessa categoria", disse Miller.

Um porta-voz do Norwegian-American Hospital, que operava a van de cuidados que administrou as vacinas, não poderia comentar à CBS 2 sobre o caso específico, mas disse que ele exige um formulário de consentimento para cada vacina administrada.

lei de Illinois também permite que menores de 12 anos ou mais permitam as vacinas contra o HPV, mas Noelle diz que ela nunca foi questionada.

As preocupações de Miller sobre o excesso vacinações são prudentes.

As vacinas voltadas ao combate do Papilomavírus Humano, Gardasil e Cervarix, têm sido responsabilizadas por uma série de efeitos debilitantes de saúde, incluindo dores de cabeça, derrames cerebrais, convulsões, problemas auto-imunes e várias mortes. (Dados do CDC entre junho de 2006 e dezembro de 2008 admitem 34 mortes, mas ressaltam que "não houve um padrão comum para as mortes que poderiam sugerir se fossem causadas ​​pela vacina.")

"O Sistema de Relatórios de Casos Adversos da Vacina do Governo Federal dos EUA em julho de 2013 mostra 30.674 reações adversas notificadas após a vacinação do Gardasil, com 963 receptoras inválidas e 140 mortes", de acordo com a publicação de Illinois.

A prevalência dos casos adversos levou pessoas de vários países, incluindo França, Japão, Índia e Espanha, a abrirem processos criminais contra os fabricantes das vacinas contra o HPV. Inúmeras histórias de horror do Gardasil também podem ser encontradas no site SaneVax.org.

A perturbada mãe de Chicago diz que está esperando por uma explicação da escola de sua filha e do conselho escolar.


http://www.anovaordemmundial.com/

"Democracia" e Mudança de Regime em "Países Inimigos": O "Projeto de Integridade Eleitoral" - Um projeto multimilionário financiado pelo governo australiano na Universidade de Sydney, está ligado a Washington

"Democracia" e Mudança de Regime em "Países Inimigos": O "Projeto de Integridade Eleitoral"

terça-feira, 31 de março de 2015 | 

Um  projeto multimilionário financiado pelo governo australiano na Universidade de Sydney, está ligado a Washington

Um  projeto multimilionário financiado pelo governo australiano na Universidade de Sydney, ligado a assessores políticos em Washington, está usando um método tendencioso e secreto para ajudar a desacreditar as eleições em uma série de países 'inimigos'. O Electoral Integrity Project - Projeto de Integridade Eleitoral (EIP) junta-se ao United States Studies Centre (USSC), criado em 2007, como mais uma iniciativa fortemente politizada que compromete a independência da universidade mais antiga da Austrália (Anderson 2010).

Uma meta fundamental é a socialista Venezuela, que enfrenta ainda uma outra campanha de desestabilização, apoiada por Washington. Os recentes ciclos de violência começaram no início de 2014 e recentemente levaram à detenção de várias figuras da oposição por assassinato e conspiração golpista. O pretexto para a violência tem sido a de que o governo do presidente Nicolas Maduro é de alguma forma democraticamente ilegítimo.

No entanto, os radical populares governos 'bolivarianos' ganharam 12 das últimos 13 eleições da Venezuela. Além disso, 80% da população em idade de votar participaram da eleição de 2013, vencida por Maduro (International IDEA 2015). Isso é um grande aumento nos níveis desde 1990, quando o fenômeno Chavez efetivamente marginalizou o sistema antigo e moribundo dos dois partidos. E o sistema eleitoral é seguro. Mesmo o jornalista político do jornal anti-governamental El Universal descreveu o sistema eleitoral da Venezuela como "um dos sistemas de votação verificável ​​tecnologicamente mais avançado do mundo", com proteções contra fraude e adulteração e mecanismos controladores de recontagem aleatória (Martinez 2013).

O 'Projeto de Integridade Eleitoral' da Universidade de Sydney conta uma história muito diferente. De acordo com o seu relatório de 2015, a eleição presidencial da Venezuela em 2013 foi uma dos piores do mundo, ocupando a posição 110 de 127. Eles corroboram os seus dados com uma pesquisa afirmando que Presidente Maduro só tinha uma taxa de popularidade de 24%, com "85% da população acreditando que o país estava indo na direção errada" (Norris et al 2015: 31). O EIP não mencionou as pesquisas Hinterlaces, a qual tiveram a popularidade de Maduro  durante a recente crise), variando de 39% a 52%; nem citou as pesquisas que mostram a esmagadora rejeição de tentativas violentas da oposição para remover o presidente eleito (Dutka 2014).

O EIP produz uma impressionante floresta de dados para formar os seus rankings sobre a legitimidade das eleições em todo o mundo; mas qual é a base para todos esses números? Embora não seja tão fácil descobrir, o método envolve a seleção de uma série de critérios e, em seguida, procura a "opinião de especialistas", a partir de um grupo de pessoas não identificadas. Ou seja, os números e rankings confiam na "opinião de especialistas", e esses especialistas são anônimos. Há apenas um recurso anedótico aos métodos padrão, tais como pesquisas de opinião reais, ou as taxas de participação reais.

No entanto, as percepções populares e especialistas são uma coisa curiosa. Como a maior parte dos meios de comunicação permanece nas mãos de uma pequena oligarquia, para quem a Venezuela tem sido uma "ovelha negra", a formulação da imagem é muitas vezes distorcida. Pesquisas realizadas pela empresa Latinobarómetro com sede chilena  (2014: 8-9) ilustram este ponto muito bem. A imagem de democracia da Venezuela fora do país é bastante ordinária (visto entre 41% e 47% favorável, entre 2010 e 2013), enquanto que dentro da Venezuela é muito diferente. Os venezuelanos avaliam sua democracia em 70%, o segundo maior (depois do Uruguai) na América Latina. O Barômetro Latino  (2014: 9) em si é surpreendido por estes resultados, dizendo: "Os cinco países que mais apreciam sua própria democracia são países governados pela esquerda: Uruguai, Venezuela, Argentina, Equador e Nicarágua ... a democracia que os cidadãos falam claramente não é a democracia da qual os especialistas falam".

Contudo, certamente qualquer democracia é melhor julgada por aqueles que são capazes (ou não) de participar dela? As opiniões dos especialistas de fora parecem de pouca relevância. Essa é uma abordagem da elite. O Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos (Art 25) descreve os direitos democráticos da seguinte maneira: "o direito e a oportunidade...  tomam parte na direção dos assuntos públicos, diretamente ou por meio de representantes livremente escolhidos." Isso se refere ao direito dos cidadãos em um corpo político particular. Medidas contra este princípio, o método do projeto EIP, baseia-se na opinião de especialistas de fora, parece mal concebido.

No entanto, uma abordagem elitista é consistente com o modelo promovido pelo National Endowment for Democracy (NED), um corpo governamental financiado dos EUA  lançado pela administração Reagan na segunda guerra fria de início de 1980. O NED (geralmente através de intermediários) financia uma série de organizações, na tentativa de moldar democracias ou "sociedades civis", para torná-las mais amigáveis ou compatíveis com Washington. Um dos fundadores e primeiro presidente do NED, Allen Weinstein, disse em 1991: "Muito do que fazemos hoje era feito de forma encoberta, há 25 anos pela CIA" (Lefebvre 2013). Na verdade, assim como com as 'operações psicológicas"da CIA, o NED estava envolvido em golpes de Estado e planos de desestabilização em uma série de países latino-americanos, incluindo a Nicarágua, Haiti e Venezuela (Kurlantzick 2004; Lefebvre 2013; Golinger 2006). A ideia do NED sobre a  democracia tem sido descrita como "de cima para baixo, a restrita (ou "poliarcal") democracia da elite ... [onde] as elites decidem os candidatos ou as perguntas adequadas antes do povo" (Scipes 2014). O pesquisador francês Olivier Guilmain (em Teil 2011) diz que o NED financia os partidos de oposição em vários países e fornece uma ajuda especial aos exilados e opositores dos regimes visados ​​pelo Departamento de Estado dos EUA.

Eva Golinger, cujo livro O Código Chávez expôs o envolvimento da administração Bush no fracassado golpe de 2002, documentou a contribuição do NED para desestabilização e golpes de Estado na Venezuela. No último ano, o NED gastou muitos milhões em grupos da oposição venezuelanos,  "incluindo financiamento para as suas campanhas políticas em 2013 e para os atuais protestos anti-governo de 2014" (Golinger 2014). Ela chama isso de "as mesmas velhas táticas sujas de um golpe de Estado em movimento (Golinger 2015).

Pode não parecer uma surpresa a essa altura, descobrir que de fato o NED e outros órgãos americanos estão ligados ao Projeto de Integridade Eleitoral de Sydney. A investigadora-chefe e Professora Pippa Norris orgulhosamente apresenta seu trabalho como uma consultora do NED, e pelo menos seis dos parceiros do projeto  (cujo trabalho sem o apoio do EIP 'não teria sido possível ") tem financiamento direto do governo dos EUA. O método EIP de confiar na opinião de especialistas parece bastante coerente com a 'democracia restrita da elite...'.

Pior, o EIP baseia-se em opinião anônima. Um membro do projeto esclareceu isso para mim com as seguintes palavras: "temos de manter a confidencialidade das nossas fontes, como parte de nossas obrigações legais ... revelar os nomes dos especialistas poderia arriscar colocá-los em perigo em vários estados, os quais não respeitam os direitos humanos e os quais suprimem as críticas". Seja como for, as opiniões de pessoas anônimas não fornecem nenhuma maneira de avaliar a legitimidade de um Estado independente. Ela contradiz os princípios de abertura e transparência, valoriza o EIP tanto a afirmar a avaliação quanto promoção. Quem são esses especialistas anônimos? Eles incluem figuras da oposição nos países cujos governos estão sob ataque? Eles incluem os infiltrados de Washington que aconselham sobre os planos de desestabilização e de golpe de Estado? Há pouca indicação que o EIP leva a sério o princípio bem estabelecido de evitar conflitos de interesse.

Isso também é alarmante que o EIP, como um projeto acadêmico financiado pelo governo australiano (ARC), cujo subtítulo ("Por que as eleições fracassam e o que podemos fazer sobre isso") sugere uma série de medidas de práxis, compartilha a frase de Washington "Eleições fracassadas [que] levantaram as principais bandeiras vermelhas", mencionando vários estados, incluindo a Síria. É bem conhecido que uma grande intervenção militar na Síria foi evitada por pouco em setembro de 2013, depois de falsas alegações de que o governo sírio havia usado armas químicas contra crianças (para provar a falsidade dessas alegações veja: Hersh 2013 & 2014Lloyd e Postol 2014; ISTEAMS 2013). O EIP procura associar-se com as intervenções militares "bandeira vermelha", se os países não cumprirem os seus critérios duvidosos?

Leia também: [BOMBA!] Estados Unidos Apoiou Plano Para Lançar Ataque de Armas Químicas Sobre a Síria e Culpar o Regime de Assad


O projeto avaliou as eleições presidenciais de 2014 da Síria, próximo da parte inferior de sua classificação (125 de 127), com base em suas opiniões de especialistas anônimos (Norris et al 2015: 11). A única razão para isso pode ser visto em uma breve nota que observa "a eleição foi profundamente falha porque algumas áreas do país não estavam sob o controle do governo, de modo que a votação não ocorreu nas regiões onde os insurgentes estavam mais fortes", e o fato de que  'Coalizão Nacional - o principal grupo de oposição apoiado pelo ocidente boicotou a eleição (Norris et al 2015: 27). Enquanto estas são afirmações corretas, eles não contam toda a história. O conflito em outros países não pareceu incomodar muito o EIP ou seus especialistas quando eles classificaram a eleição Ucrânia em 78 de 127 (Norris et al 2015: 10). No entanto, o grupo de monitoramento eleitoral IDEA Internacional (2015), um parceiro do EIP, coloca as taxas de participação da eleição presidencial da Ucrânia de 2014 em 50%, enquanto a eleição presidencial da Síria 2014 que era de 73%. É evidente que o fator de política externa dos EUA está em jogo.   Washington fortalece a "oposição" na Síria e o governo na Ucrânia. Da mesma forma o NED financiou diretamente a oposição síria (NED 2006; Teil 2011; IRI 2015), enquanto pediu apoio militar para o governo da Ucrânia (Sputnik 2014; veja tambémParry 2014).

Finalmente, pode-se observar que as eleições de Israel de 2013 foram devidamente revistas pelo EIP, levando a uma  classificação muito saudável 17/127 (Norris et al 2015: 8). Aparentemente, ser um Estado racial, com vários milhões de pessoas palestinas efetivamente apátridas, mantendo territórios controlados por militares e praticamente sem direitos civis ou políticos, tem pouco impacto sobre a avaliação do EIP. No entanto, o que é coerente com o que o eixo Washington-Tel Aviv há muito tempo nos disse sobre Israel ser "a única democracia na região" (por exemplo, Goldman 2015, etc). Os critérios duplos são de tirar o fôlego. Com os EUA ligados ao Projeto de Integridade Eleitoral e seus pressupostos elitistas sobre a democracia parece que o projeto tem pouco senso de conflito de interesses, muito menos um método de pesquisa apropriado.


 http://www.anovaordemmundial.com/

Colaboradores de George Bush Conspiram na Colômbia contra a Venezuela

Colaboradores de George Bush
Conspiram na Colômbia contra a Venezuela

Os Editores
31.Mar.15 :: Editores


Semanas depois de Obama ter emitido um Decreto Executivo acusando a Venezuela bolivariana de ameaçar a segurança nacional dos EUA, o Noticias Uno, da rede independente, de Caracas, divulgou uma nova manobra provocatória imperialista em que estão envolvidos dois altos funcionários norte-americanos: o ex presidente da Camara de Nova York, Rudolph Giuliani, e Mary Beth Long, ex- subsecretária de Estado da Defesa de George Bush.
Ambos intervieram ativamente numa mesa redonda promovida em Bogotá pelo ministro da Defesa da Colômbia, Juan Carlos Pinzón, o falcão do governo do presidente Santos.
No encontro participaram também altas patentes das Forças Armadas colombianas.
O tema da iniciativa é esclarecedor do objetivo: o papel do exército da Colômbia se os atuais Diálogos de Paz de Havana terminarem com a assinatura de um Acordo de Paz que conduza à desmobilização das FARC-EP e sua integração na vida política.
Giuliani foi particularmente agressivo. Refletindo sobre os problemas que podem surgir no «pós conflito», afirmou que o perigo maior não viria da violência, dos escândalos e roubalheiras, da delinquência em geral, mas da possibilidade de «os narcotraficantes das FARC se tornarem governo». Caberia às Forças Armadas enfrentar essa situação.
Mary Beth, que, antes de ser nomeada por Bush subsecretária da Defesa, fora agente da CIA e funcionária da NSA (o sistema de espionagem planetária dos EUA) manifestou a sua grande preocupação com as ameaças externas de «vizinhos como a Venezuela». Mas está convicta de que as Forças armadas saberão enfrentá-las com firmeza.
Na conferência de imprensa realizada após o encontro, o ministro Pinzón disse partilhar tais temores, mas afirmou estar certo de que os generais Mora (o comandante chefe das Forças Armadas) e Naranjo estão conscientes dos perigos que se esboçam no horizonte.
Essa estranha mesa redonda de Bogotá confirmou que os EUA estão empenhados em sabotar o processo de paz com as FARC e no agravamento das relações da Colômbia com o governo de Nicolas Maduro. Sabe- se que 1800 paramilitares colombianos estão acampados na fronteira da Venezuela, prontos a instalar a desordem e a violência nos estados de Zulia e Tachira.
O envolvimento direto do governo de Washington na conspiração que visa o derrubamento do governo da Venezuela bolivariana está a contribuir para o reforço da solidariedade internacionalista àquele país.
Dezenas de personalidades da América Latina e da Europa, participantes da organização Intelectuais e Artistas em Defesa da Humanidade, exigiram já a revogação do Decreto Executivo de Obama e condenaram as ameaças à Venezuela.
Os Editores de ODiário.info

Livro sobre Guantánamo censurado nos EUA é publicado em Portugal (VEJA VÍDEO)

Livro sobre Guantánamo censurado nos EUA é publicado em Portugal


Chama-se Mohamedou Ould Slahi, é mauritano e está detido há 14 anos em Guantánamo, sem qualquer acusação, nem provas de ser terrorista. Mohamedou escreveu um livro, censurado pelos Estados Unidos, e que já está à venda em Portugal, em que revela como é a vida na prisão, criada depois dos atentados de 11 de Setembro.

video

Como e quando foi construída a cidade de Veneza? - HISTÓRIA E FOTOGALERIA

Como e quando foi construída a cidade de Veneza?

mundoestranho.abril.com.br

Todas as imagens foram extraídas da net por António Garrochinho


Tudo começou no ano 452, quando habitantes do nordeste italiano se refugiaram nas ilhas de uma grande lagoa de água doce, à beira do Mar Adriático, para escapar das invasões bárbaras que puseram fim ao Império Romano. Nesse local, parte de uma região chamada Veneto, havia 120 ilhotas, cortadas por 177 canais, e os primeiros moradores ocuparam justamente as áreas secas, de terra firme. Quando as ilhas já estavam completamente tomadas, a cidade começou a avançar sobre as águas. Foram construídas passarelas suspensas ao lado das fachadas e 40 canais deixaram de existir, conforme os moradores foram construindo anexos às suas casas. Os aterros tornaram-se comuns, com os canais ficando cada vez mais estreitos, à medida que a cidade crescia. O crescimento desordenado em aterros revelou-se, inclusive, responsável pelo maior problema que a cidade enfrenta hoje: as enchentes.
Essa etapa inicial de construção foi excepcionalmente lenta, devido à dificuldade em firmar fundações em solo tão instável; à escassez de materiais de construção, trazidos de longe; e à incapacidade de manter os trabalhadores fixos nas obras em circunstâncias tão desfavoráveis. No princípio, a cidade foi toda edificada em madeira, com as fundações das casas fincadas entre 2 a 5 metros de profundidade. Alguns séculos depois, as pedras passaram a ser o principal material de construção, utilizadas também, a partir do século X, para forrar as margens dos canais. Essa medida foi especialmente útil para dar maior estabilidade às fundações das casas e facilitar o embarque e o desembarque nos barcos. Até então, esse era o único meio de transporte da população e quase não havia pontes. As raras existentes eram apenas tábuas suspensas sobre pilares, unindo uma ilha à outra.
As primeiras pontes feitas de pedra surgiram em 1170, mas até o século XIII a cidade tinha apenas 11 delas. Em 1500, entretanto, já contava com 166.Devido à sua posição geográfica estratégica, Veneza lucrou muito com o comércio entre Oriente e Ocidente, tornando-se, a partir do século XIII, a principal potência comercial da Europa. Mas, com a descoberta, por Vasco da Gama, de outra rota de navegação para as Índias, a cidade começou a perder importância e a sofrer derrotas em seguidas guerras. Em 1797, Veneza acabou sendo conquistada por Napoleão e, em 1866, passou a pertencer ao reino da Itália.
Retratada pelo pintor suíço Joseph Heintz, a Veneza do século XVI já deixava de ser uma potência comercial para se tornar uma das maiores atrações turísticas do planeta

FOTOGALERIA