AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturas e desacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


quinta-feira, 27 de agosto de 2015

COM ESTA RIDICULARIA QUE PROBLEMA IRÃO SOLUCIONAR ? QUANTO DESTE DINHEIRO CHEGARÁ AONDE DEVERIA CHEGAR ? TENTAM AGORA "REMEDIAR" UM MAL QUE CAUSARAM DESTRUINDO PAÍSES, ASSASSINANDO PESSOAS - Por crise com refugiados, Europa libera fundo emergencial de 1,5 mi de euros a países dos Bálcãs


Berlim também anunciou que enviará € 1 milhão à Macedônia e à Sérvia; encontro em Viena nesta quinta-feira vai discutir situação enfrentada pelos países
A Comissão Europeia anunciou nesta quarta-feira (26/08) que vai liberar € 1,5 milhão  aos países dos Balcãs como fundo emergencial para lidar com a crise de refugiados, que afeta especialmente Macedônia e Sérvia no momento. Nos últimos dias, o número de pessoas vindas de diversos países, em especial da África e da Ásia, em busca de refúgio, aumentou dramaticamente na região.

Refugiados atravessam fronteira da Sérvia com a Hungria, em foto desta terça (25/08); Europa vai liberar dinheiro a países dos Bálcãs
O órgão europeu disse, em comunicado, que “o auxílio vai apoiar parceiros humanitários ao ajudar com a provisão de serviços de emergência básicos, como água potável, higiene, saúde, abrigos e proteção para refugiados e migrantes, melhoria dos centros de recepção e coordenação e notificação dos assuntos migratórios na região”.
Anteriormente, a Comissão já havia enviado € 90 mil para a Macedônia e € 150 mil  para a Sérvia.
Nesta quinta-feira (27/08), um encontro em Viena com seis países da região (Albânia, Bósnia-Herzegóvina, Kosovo, Montenegro, Macedônia e Sérvia) vai discutir a atual crise de refugiados. Autoridades da União Europeia, como a chefe da diplomacia do bloco, Federica Mogherni, irão à capital austríaca participar do debate.
Em outro movimento, Berlim anunciou também em comunicado a injeção imediata de € 1 milhão  nos países da região. "Não podemos ficar de braços cruzados quando os refugiados que buscam proteção estão em uma situação de emergência em países vizinhos da União Europeia", afirmou, no documento, o ministro alemão de Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier.
Crise de refugiados
A Europa atravessa uma crise de refugiados, com números recordes de pessoas chegando a cada dia no continente, fugindo de países como Síria, Afeganistão, Paquistão e Líbia. Só nesta quarta-feira, a Hungria interceptou 2.533 pessoas – 555 menores de idade – que tentavam atravessar a fronteira a partir da Sérvia. Este número é o maior já registrado em um dia no país.
A polícia húngara utilizou nesta quarta-feira gás lacrimogênio em um dos centros de amparo e registro de imigrantes, na cidade de Röszke, perto da fronteira com a Sérvia, por razões ainda desconhecidas, informou a emissora hirtv.

Em Presebo, Sérvia, refugiados aguardam registro em centro que reúne pessoas nesta situação
Segundo a Agência Efe, devem chegar ainda hoje à fronteira húngara mais 7.000 refugiados, que atravessaram no final de semana da Macedônia para a Sérvia.
A Macedônia é mais um dos países que registra números recordes de refugiados: o ritmo de pessoas que atravessam a fronteira da Macedônia nas próximas semanas chegará a 3.000 por dia, estimou o Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados) nesta terça-feira (25/08) na terça-feira.
Desde junho, o país já recebeu 42 mil refugiados vindos da Grécia. Se o ritmo de 3.000/dia se mantiver por duas semanas, o total de pessoas que atravessam a fronteira será igual ao registrado nos últimos dois meses.


operamundi.uol.com.br

Sem comentários: