AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturas e desacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


sexta-feira, 28 de agosto de 2015

CINCO CIENTISTAS ESTRANHOS



Alguns deles são bem estranhos como os cientistas que vamos falar logo abaixo. 
Se você gosta desse mundo da ciência, de estar sempre informado sobre as criações de cientistas e gosta de saber um pouco mais sobre eles, separamos uma lista com os cinco cientistas mais estranhos e bizarros. Confira:

Cientistas estranhos e bizarros

1- Alfred Nobel (1833-1897)

Alfred Nobel
Nobel era um engenheiro sueco e também químico. Sua especialidade era inovar e inventar armas. Ele foi o responsável pela criação da dinamite e de outros explosivos. Sua criação começou a ser usada para ocasionar assassinato em massa e até mesmo o seu irmão foi vítima de um desses assassinatos por conta da sua invenção explosiva.

2- Dr. Jack Kevorkian (1928-2011)

Dr. Jack Kevorkian
Quem se lembra do Dr. Morte? Isso mesmo, esse é o Dr. Jack Kevorkian que foi responsável pela criação da eutanásia, conhecida como “máquina do suicídio” ou Thanatron. Dr. Jack dizia que a sua especialidade era a morte e ele sentia prazer ao ajudar os doentes terminais a morrem de forma não dolorosa.
O título de Dr. Morte veio após cerca de 130 pacientes morrerem por meio de sua invenção, que foi considerada uma forma de suicídio. Dr. Jack discordou do termo e antes de morrer disse que “morrer não é um crime”.

3- Joseph Mengele (1911-1979)

Joseph Mengele
Já que estamos falando em Dr. Morte, temos um outro cientista que também poderia merecer esse título, já que Joseph Mengele foi o responsável pela morte de 40 mil prisioneiros do campo de concentração de Auschwitz apenas para experimentos. Ele examinava as pessoas do campo de concentração e logo depois aplicava-lhes uma injeção letal para mata-las e por meio disso, analisa-las e tentar conseguir descobrir algo interessante no pós-morte.

4- Shiro Ishii (1822-1959)

Shiro Ishii
Shiro Ishii era um microbiologista e também tenente-coronel em uma unidade de guerra pertencente ao Exército Imperial Japonês. Shiro realizou diversos crimes biológicos, entre eles a vivissecção em mulheres, onde ele congelava partes do corpo das mesmas para depois descongelar e estudar sobre a gangrena não tratada.
Além desse experimento, Shiro também aplicava vacinas nos prisioneiros para poder estudar o efeito causado. Algumas pessoas também foram usadas por Shiro para testes de granadas e lança-chamas.

5- Paracelso (1493-1541)

Paracelso
Enfim um cientista que não usou de seu experimento para matar e sim para curar. Paracelso ficou conhecido como o médico da saúde e tinha uma certa habilidade para estipular doses de medicamentos de forma precisa para obter a cura das doenças. Ele acreditava que todas as substâncias poderiam ser veneno, mas que se usadas na medida correta, seriam remédios.
Um dos estudos de Paracelso foi sobre a cura da sífilis, onde ele usou mercúrio para esse experimento e obteve resultado. Nessa época, houve um alto índice de pessoas com sífilis e Paracelso com o seu experimento, contribuiu para a cura e ficou conhecido por todos, tendo fama de ser o responsável por descobrir a cura da doença.
mundopocket.com.br

Sem comentários: