AVISO


OS COMENTÁRIOS, E AS PUBLICAÇÕES DE OUTROS
NÃO REFLETEM NECESSARIAMENTE A OPINIÃO DO ADMINISTRADOR DO "desenvolturas e desacatos"

Este blogue está aberto à participação de todos.


Não haverá censura aos textos mas carecerá
obviamente, da minha aprovação que depende
da actualidade do artigo, do tema abordado, da minha disponibilidade, e desde que não
contrarie a matriz do blogue.

Os comentários são inseridos automaticamente
com a excepção dos que o sistema considere como
SPAM, sem moderação e sem censura.

Serão excluídos os comentários que façam
a apologia do racismo, xenofobia, homofobia
ou do fascismo/nazismo.


terça-feira, 28 de abril de 2015

Dois aponta mentes na (ainda) manhã

Dois aponta mentes na (ainda) manhã

  1. 1.   Afinal há outras. E não é só a TINA e o BIDÉOIS. Leitor contumaz de Nicolau Santos, algo dele tenho lido, apre(e)ndido,  transcrito com gosto e (espero) proveito para outros. Sempre comprovando que, como keyneseano confesso, nunca se atreveria a viajar por outras paragens que não as do estrito e estreito modo de produção capitalista (o que é confessada terminologia marxista, confesso…). O artigo de fundo deste sábado da sua página Cem por Cento do Expressso, confirma-o… mas fá-lo à sobreposse (ou seja, por demais). Para quem tem dado provas de lucidez, NS escorrega e divulga a ilusão que lhe terá suscitado o documento-proposta do PS, afirmando que o tempo da TINA (“não há alternativa”)
    acabou porque “doze economistas, dos quais 10 são independentes (…) elaboraram um documento de 95 páginas, onde está consubstanciada uma alternativa clara à política seguida pela troika e pelo Governo (…)”. Nem sei se algo estará consubstanciado ou não, mas o facto (para mim, claro) é que por, segundo os 12-autores-12 (dos quais 10-independentes-10), se afirmar que tal proposta “é compatível com a manutenção do país na zona euro, um maior crescimento económico, criação de emprego, promoção da competitividadee maior sustentabilidade da dívida pública num quadro decumprimento dos compromissos orçamentais (sublinhados meus), sou levado a concluir que se trata de umas duas únicas (!) “alternativas”, encerradas dentro de uma estratégia (ou será táctica?) de alternância sem beliscarem o essencial. Não num caminho diferente para o País mas no mesmo caminho, através da criação de ilusões de compatibilização do incompatível, enquanto o capital financeirizado transnacional dominar.

  2. 2. A TAP e este primeiro-ministro… há largo tempo demissionável mas não demitido, a não ser, por sua postura, de funções de Estado). Das muitas (milhentas!) coisas a dizer sobre esta(s) magna(s) questões da privatização da TAP e da greve dos seus pilotos, apenas um brevíssimo aponta mentes para relevar a atitude de um primeiro-ministro que tem o corajoso (?) desplante (!) de tomar a sua já recorrente posição do isso é lá com eles e de o governo não se  vai meter nisso. É, apenas!, de uma total irresponsabilidade! Que, evidentemente, o próprio virá a ter de, de facto e por factos, desmentir… Aliás, que de mentiras e de desmentidos mentindo está cheio este primeiro-ministro e seus acompanhantes!
Via: anónimo séc. xxi http://ift.tt/1EMGaiN

Sem comentários: