AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


terça-feira, 25 de novembro de 2014

Antena 1 - A Década de Jerónimo - reportagem de Célia de Sousa - VEJA E OUÇA O VÍDEO

CLIK AQUI NO LINK ABAIXO PARA VER VÍDEO

Antena 1 - A Década de Jerónimo - reportagem de Célia de Sousa


A Década de Jerónimo - reportagem de Célia de Sousa
Foto: Célia de Sousa/Antena1
A caminho da comemoração dos dez anos de liderança, percorremos «A Década de Jerónimo» à frente do PCP, numa grande reportagem de Célia de Sousa, com pós produção áudio de João Carrasco.



COM O PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS, UMA POLÍTICA PATRIÓTICA E DE ESQUERDA



Romper com política de direita e fazer emergir como possibilidade real uma política alternativa, patriótica e de esquerda, constitui não só um imperativo nacional e uma exigência patriótica como corresponde a uma legítima aspiração dos trabalhadores e do povo português.
É esse o objectivo e a prioridade que o PCP toma em mãos.
O PCP afirma com confiança que reside no povo a soberania de decisão, que com a força do Povo, a sua luta e intervenção mas também as suas opções e escolhas é possível romper com décadas de política de direita e abrir caminho a uma política vinculada aos valores de Abril.

Com o PCP, uma Política Patriótica e de Esquerda
A concretização de uma alternativa política ao actual rumo de desastre para que o País tem sido conduzido nos últimos 38 anos, constitui um imperativo nacional e exigência patriótica.
Uma alternativa que tem na política patriótica e de esquerda a base essencial de concretização, assente em seis direcções fundamentais:
 - Renegociar a dívida, rompendo com o garrote que ela constitui ao desenvolvimento soberano de Portugal;
- Promover e valorizar a produção nacional e recuperar para o controlo público os sectores e empresas estratégicas, designadamente do sector financeiro;
- Valorizar os salários e rendimentos dos trabalhadores e do povo e assegurar o respeito pelos direitos;
- Defender os serviços públicos e as funções sociais do Estado, designadamente o direito à educação, à saúde e à protecção social;
- Adoptar uma política fiscal que desagrave a carga sobre os rendimentos dos trabalhadores e dos pequenos e médios empresários e tribute fortemente os rendimento do grande capital, os lucros e a especulação financeira;

- Rejeitar a submissão às imposições do Euro e da União Europeia recuperando para o País a sua soberania económica, orçamental e monetária.

Guerra total na Ucrânia: "Ofensiva final" da NATO - "Uma intensificação da febre da guerra está a varrer o ocidente; as consequências desta loucura parecem mais graves a cada hora que passa.




Guerra total na Ucrânia: "Ofensiva final" da NATO
por James Petras

"Uma intensificação da febre da guerra está a varrer o ocidente; as consequências desta loucura parecem mais graves a cada hora que passa."


"A NATO está a enviar vastos carregamentos de armas para a junta de Kiev, juntamente com conselheiros de "Forças Especiais" e peritos em contra-insurgência em antecipação a um ataque em plena escala contra os rebeldes no Donbass".  

"Para isolar e enfraquecer a resistência no Donbass e garantir a vitória do blitz iminente de Kiev, a UE e os EUA estão a intensificar sua pressão econômica, militar e diplomática sobre a Rússia para abandonar as nascentes democracias populares na região Sudeste da Ucrânia, seu principal aliado.

Toda escalada de sanções econômicas contra a Rússia destina-se a enfraquecer a capacidade dos combatentes da resistência no Donbass para defenderem seus lares e cidades. Todo despacho russo de abastecimento médico e alimentar essencial para as populações sitiadas incita a um novo acesso ainda mais histérico – porque contraria a estratégia Kiev-NATO de esfaimar os partisans e sua base de massa ou provocar a sua fuga para a segurança através da fronteira russa. "


Há sinais claros de que uma grande guerra está prestes a estalar na Ucrânia. Uma guerra promovida activamente pelos regimes NATO e apoiada pelos seus aliados e clientes na Ásia (Japão) e no Médio Oriente (Arábia Saudita). A guerra na Ucrânia basicamente será executada no sentido de uma ofensiva militar em plena escala contra a região Sudeste do Donbass, tomando como alvo os russos étnicos da Ucrânia nas Repúblicas de Donetsk e Lugansk, com a intenção de depor os governos eleitos democraticamente, desarmar as milícias populares, matar os partisans da guerrilha de resistência e sua base de massa, desmantelar as organizações representativas populares e ocupar-se com a limpeza étnica de milhões de cidadãos bilingues ucranianos-russos. O ataque militar da NATO que está para vir na região do Donbass é uma continuação e extensão do seu violento putsch original em Kiev, o qual derrubou um governo ucraniano eleito em Fevereiro de 2014. 

A junta de Kiev e seus governantes-clientes recém eleitos, bem como os seus patrocinadores da NATO, têm a intenção de efectuar um grande expurgo a fim de consolidar o domínio ditatorial do fantoche Poroshenko. As recentes eleições patrocinadas pela NATO excluíram vários grandes partidos políticos que tradicionalmente eram apoiados pelas grandes minorias étnicas do país, além de terem sido boicotadas na região do Donbass. Esta impostura eleitoral em Kiev marcou o tom para o movimento seguinte da NATO destinado a converter a Ucrânia numa gigantesca base militar multi-propósito dos EUA, abastecer Berlim com cereais e matérias-primas e ao mesmo tempo servir como um mercado cativo para bens manufacturados alemães. 

Uma intensificação da febre da guerra está a varrer o ocidente; as consequências desta loucura parecem mais graves a cada hora que passa. 

Sinais de guerra: A campanha de propaganda e sanções, a cimeira do G20 e a acumulação de equipamento militar 

Os tambores da guerra oficiais a rufarem em prol de uma expansão do conflito na Ucrânia, encabeçados pela junta de Kiev e suas milícias fascistas, reflectem-se em todos os mass media ocidentais, todos os dias. Importantes meios de propaganda de massa e "porta-vozes" públicos governamentais publicam ou anunciam novos relatos inventados do crescimento de ameaças militares russas aos seus vizinhos e invasões transfronteiriças da Ucrânia. Novas incursões russas são "informadas" desde as fronteiras nórdicas e dos estados bálticos até o Cáucaso. O regime sueco atingiu um novo nível de histeria quanto um misterioso submarino "russo" ao largo da costa de Estocolmo, o qual nunca foi identificado ou localizado – e muito menos confirmado o "avistamento". A Estónia e a Letónia afirmam que aviões de guerra russos violaram seu espaço aéreo, sem confirmação. A Polónia expulsa "espiões" russos sem prova ou testemunhos. Exercícios militares conjuntos em plena escala de estados clientes da NATO estão a ter lugar ao longo das fronteiras da Rússia nos Estados Bálticos, na Polónia, na Roménia e na Ucrânia. 

A NATO está a enviar vastos carregamentos de armas para a junta de Kiev, juntamente com conselheiros de "Forças Especiais" e peritos em contra-insurgência em antecipação a um ataque em plena escala contra os rebeldes no Donbass. 

O regime de Kiev nunca cumpriu o cessar-fogo de Minsk. Segundo o gabinete de Direitos Humanos da ONU, uma média de 13 pessoas – principalmente civis – tem sido morta a cada dia desde o cessar-fogo de Setembro. Em oito semanas, a ONU informa que 957 pessoas foram mortas – esmagadoramente por parte das forças armadas de Kiev. 

O regime de Kiev, por sua vez, cortou todos os serviços sociais e públicos básicos para as Repúblicas Populares, incluindo electricidade, combustível, salários de serviços civis, pensões, abastecimentos médicos, salários de professores e trabalhadores médicos, salários de trabalhadores municipais; a banca e os transportes foram bloqueados. 

A estratégia é estrangular a economia, destruir a infraestrutura, forçar um ainda maior êxodo de refugiados desamparados das cidades densamente povoadas através da fronteira para dentro da Rússia e então lançar assaltos maciços pelo ar, com mísseis, com artilharia e no terreno a centros urbanos bem como a bases rebeldes. 

A junta de Kiev lançou uma mobilização militar total nas regiões ocidentais, acompanhada por raivosas campanhas de doutrinação anti-russas e anti-ortodoxos do Leste destinadas a atrair os mais violentos brutamontes da extrema direita chauvinista e incorporá-los às brigadas militares estilo nazi para actuarem como tropas de choque na linha de fronteira. A utilização cínica de milícias fascistas irregulares "libertará" a NATO e a Alemanha de qualquer responsabilidade pelo terror e atrocidades inevitáveis na sua campanha. Este sistema de "negação plausível" reflecte as tácticas dos nazis alemães cujas hordas de fascistas ucranianos e ustachi croatas foram notórias na sua época de limpeza étnica. 

G20 + NATO: Apoio ao blitz de Kiev 

Para isolar e enfraquecer a resistência no Donbass e garantir a vitória do blitz iminente de Kiev, a UE e os EUA estão a intensificar sua pressão económica, militar e diplomática sobre a Rússia para abandonar as nascentes democracias populares na região Sudeste da Ucrânia, seu principal aliado. 

Toda escalada de sanções económicas contra a Rússia destina-se a enfraquecer a capacidade dos combatentes da resistência no Donbass para defenderem seus lares e cidades. Todo despacho russo de abastecimento médico e alimentar essencial para as populações sitiadas incita a um novo acesso ainda mais histérico – porque contraria a estratégia Kiev-NATO de esfaimar os partisans e sua base de massa ou provocar a sua fuga para a segurança através da fronteira russa. 

Depois de sofrer uma série de derrotas, o regime de Kiev e seus estrategas da NATO decidiram assinar um "protocolo de paz", o chamado acordo de Minsk, para interromper o avanço da resistência do Donbass à regiões do Sul e proteger seus soldados de Kiev e milícias encravadas em bolsões isolados no Leste. O acordo de Minsk destinava-se a permitir à junta de Kiev reagrupar seus militares, reorganizar seu comando e incorporar as diferentes milícias nazis dentro das suas forças militares na preparação para uma "ofensiva final". A acumulação militar de Kiev no plano interno e a escalada de sanções da NATO contra a Rússia no plano externo seriam os dois lados da mesma estratégia: o êxito de um ataque frontal à resistência democrática da bacia do Donbass depende de minimizar o apoio militar russo através de sanções internacionais. 

A virulenta hostilidade da NATO ao presidente russo, Putin, foi plenamente exibida na reunião do G20 na Austrália: presidentes ligados à NATO e primeiros-ministros, especialmente Merkel, Obama, Cameron, Abbott e as ameaças políticas de Harper e insultos pessoais abertos correram em paralelo com o crescente bloqueio de Kiev para esfaimar rebeldes e centros populacionais no Sudeste. Tanto as ameaças económicas do G20 contra a Rússia como o isolamento diplomático de Putin e o bloqueio económico de Kiev são prelúdios à Solução Final da NATO – o aniquilamento físico de todos os vestígios de resistência no Donbass, de democracia popular e de laços culturais-económicos com a Rússia. 

Kiev depende dos seus mentores da NATO para impor uma nova rodada de sanções severas contra a Rússia, especialmente se a sua planeada invasão deparar-se com uma resistência bem armada e robusta reforçada pelo apoio russo. A NATO está a contar com a restaurada e reabastecida capacidade militar de Kiev para efectivamente destruir os centros da resistência no Sudeste. 

A NATO decidiu uma "campanha tudo-ou-nada": tomar toda a Ucrânia ou, se isto fracassar, destruir o Sudeste incontrolável, destruir sua população e capacidade produtiva e empenhar-se numa guerra económica total (e possivelmente com tiros) com a Rússia. A chanceler Angela Merkel embarcou neste plano apesar das queixas de industriais alemães sobre suas enormes perdas de exportações para a Rússia. O presidente Hollande, da França, descartou as queixas de sindicalistas sobre a perda de milhares de empregos franceses nos estaleiros navais. O primeiro-ministro David Cameron está ansioso por uma guerra económica contra Moscovo, sugerindo aos banqueiros da City de Londres que encontrem novos canais para lavar os ganhos ilícitos de oligarcas russos. 

A resposta russa 

Os diplomatas russos estão desesperados para encontrar um compromisso, o qual permitiria à população de etnia russa no Sudeste da Ucrânia reter alguma autonomia sob um plano federativo e recuperar influência dentro da "nova" Ucrânia pós-golpe. Estrategas militares russos têm proporcionado ajuda logística e militar à resistência a fim de evitar uma repetição do massacre de Odessa, no qual russos étnicos foram massacrados pelos fascistas ucranianos. Acima de tudo, a Rússia não pode permitir-se ter bases militares NATO-Nazis-Kiev ao longo do seu Sul "vulnerável", impondo um bloqueio da Crimeia e forçando um êxodo em massa dos russos étnicos do Donbass. Sob Putin, o governo russo tem tentado propor compromissos permitindo a supremacia económica do ocidente sobre a Ucrânia mas sem expansão militar da NATO e a absorção por Kiev. 

Essa política conciliatória fracassou repetidamente. 

O "regime de compromisso" democraticamente eleito em Kiev foi derrubado em Fevereiro de 2014 num golpe violento, o qual instalou uma junta pró NATO. 

Kiev violou o acordo de Minsk com impunidade e o encorajamento das potências da NATO e da Alemanha. 

A recente reunião do G20 na Austrália exibiu um coro demagógico contra o presidente Putin. A crucial reunião privada de quatro horas entre Putin e Merkel foi um fracasso quando a Alemanha imitou o coro da NATO. 

Putin finalmente respondeu ao expandir a preparação das tropas russas de ar e terra ao longo das suas fronteiras enquanto acelerava o eixo económico de Moscovo na Ásia. 

O mais importante: o presidente Putin anunciou que a Rússia não pode permanecer passiva e permitir o massacre de todo um povo na região do Donbas. 

Será que a próxima blitz de Poroshenko contra o povo do Sudeste da Ucrânia se destina a provocar uma resposta russa – à crise humanitária? Será que a Rússia confrontará a ofensiva de Kiev dirigida pela NATO e se arriscará a uma ruptura total com o ocidente? 





Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .



Ministério Público investiga fugas de informação sobre detenção

Ministério Público investiga fugas de informação sobre detenção

(Público) "Imagens recolhidas por alguns media e detalhes do processo abrem polémica
O Ministério Público vai investigar as fugas de informação que levaram alguns meios de comunicação social, incluindo televisões, a divulgar imagens do carro onde alegadamente seguia José Sócrates, após ter sido detido à chegada ao aeroporto de Lisboa, vindo de Paris.
informação é retirada de uma resposta enviada pela Procuradoria-Geral da República, depois de o PÚBLICO ter questionado o Ministério Público sobre se tinha sido ou ia ser aberto um inquérito por violação do segredo de justiça. 
"A violação do segredo de justiça é um crime público. Sempre que o Ministério Público tem conhecimento de factos susceptíveis de integrar este tipo de crime, age em conformidade", afirma a PGR, numa resposta remetida por email.
Quando o antigo primeiro-ministro aterrou no aeroporto da Portela já equipas de reportagem de vários órgãos de comunicação tentavam registar a passagem de Sócrates já detido dentro de um carro. A SIC, por exemplo, divulgou repetidamente imagens, pouco nítidas, do que dizia ser Sócrates já detido no interior de uma viatura policial descaracterizada.
O Correio da Manhã também publicou uma foto de José Sócrates, à saída do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) à 1h19. Já neste sábado, os órgãos de comunicação social estiveram à porta da casa de José Sócrates no centro de Lisboa, onde o ex-primeiro-ministro terá estado a acompanhar buscas das autoridades."

gotadeagua53.blogspot.pt

Este, sim, é um dos melhores circos do mundo...



Este, sim, é um dos melhores circos do mundo...


Circo, De Calder

...que Calder construiu para o seu neto.






maravista-anamar.blogspot.pt

Conhecer a Ria Formosa?Ou mamar à conta dos indigenas da Ria Formosa?

Conhecer a Ria Formosa?Ou mamar à conta dos indigenas da Ria Formosa?


Mão amiga fez-me chegar por e-mail, mais um fim de semana,que algumas figuras e empresas do regime vão passar há grande e à francesa na Ria Formosa, com a Opium a organizar e a mamar.
O programa é vastissimo pode ler carregando aqui, mas escondido como sempre,  das populações que vivem no Parque Natural da Ria Formosa.
É  o lema do programa organizado pela Opium (mais uma empresa do regime, a mamar à conta de propaganda falsa da Ria Formosa): Conhecer, Organizar e Experimentar.

Vamos então nós no Olhão Livre dar uma ajudinha, à Opium,que se calhar não conhece, ou nem sequer quer conhecer, bem a Ria Formosa, nem a poluição que cada vez mais grassa na Ria Formosa, da qual  dependem mais de 10 000 pessoas,  que dela governam a vida.
O 1º convidado, é nem mais nem menos o ainda presidente da CMOlhão Antonio Pina,um dos princiapis poluidores das Aguas de Producção de Bivalves que são as aguas da Ria Formosa.
Antonio Pina se Portugal fosse um estado de direito sério há muito que tinha sido constiuido arguido,pelo ministério publico,  por crimes  ambientais  cometidos diariamente pela CMOlhão ao descarregar  diáriamente, esgotos Tóxicos nas Aguas onde se cultiva  e se capturam toneladas de bivalves.
 Esgoto Tóxicodo T  a descregar directo em OLhão.

 Por causa desses crimes, diários, e à vista de todos, o ano passado mais de 70% dos viveiros de bivalves em Olhão passaram da Classe B para a Classe C, motivo? Excesso de coliformes fecais  na carne dos bivalves!

Donde provêm esse coliformes fecais no Concelho de Olhão, há muito que se sabe, desde a origem do movimento de Avisar Toda a Gente,em 2006,que as entidades responsaveis pela poluiçãona Ria Formosa tomaram conhecimento publico das origens da Poluição da Ria Formosa.
O Avisar Toda  a Gente ficou pelo caminho,e foi pena,pois  foram pioneiros, no alerta  e no perigo que era a Poluição na Ria Formosa.
Apareceu o Movimento de Cidadania Activa "Somos Olhão" em 2009, que preseguiu os alertas para as entidades oficiais  nacionais, e como não fossem ouvidos alertaram as entidades Europeias sobre o grave problema da Poluição da Ria Formosa,fazendo então uma queixa à Comissão Europeia conforme pode ler carregando aqui.
Das entidades  oficiais presentes todos sabem dos crimes ambientais que todos os dias são praticados na Ria Formosa seja pela C.M.Olhão seja pelas ETARs assasinas de Olhão Poente e de Faro Nascente propriedade das aguas do Algarve que descarregam escorrências venenosas nas A.P.B. e nas aguas de prouducção de sal tradicional e de flor de sal como é o caso da ETAR Poente de Olhão.
A lei  diz que não pode haver fontes de poluição num raio de 500mt nas zonas de salinas que porduzam sal tradicional e flor de sal , no entanto a ETAR Poente de Olhão descarrega a menso de 500 metros para salinas que produzem sal tradicional e flor de sal.
Sabemos que a ministra Assunção Cristas sabe do crime, mas porque será que a ASAE sabe e não faz nada?
Aqui fica a foto do ponto de descarga da ETAR Poente de Olhão situado em Belamandil.



Das entidades convidadas para os passeiosde charme, e repasto à conta do orçamento duas são Associações que se dizem defensoras do ambiente e dos animais, são elas a Almargem e a LPN.
Porque será que essas associações de pretensa defesa do ambiente,  são convidadas e outras associações,   que estão contra a poluiçao na Ria Formosa não foram?
Será que só vão falar da beleza da  Ria Formosa e das belas fotos e videos que dela se fazem, e vão branquear mais uma vez a poluição na Ria Formosa.
Os nossos impostos em 1º lugar, deviam servir para colocar fim à poluição, coisa que as entidades oficiais, tentam com esses eventos esconder a todo o custo,até quando perguntamos nós?
Será que preciso aparecer um surto de Hepatite A na Ria Formosa para se colocar fim à poluição que cada vez é maior?
Que responda quem souber, mas depois as entidades com responsabilidades na matéria , não digam que não sabiam que havia poluição na Ria Formosa.

No e-mail que enviaram aoOlhão Livre,que pediram anonimato, fazia parte o seguinte texto,que publicamos na integra:

"SEXTA A DOMINGO À CUSTA DO ORÇAMENTO, REENVIOU-ME HOJE O CONVITE QUE LHE FIZERAM....SÃO SÓ PANSUDOS A COMER, BEBER, E ANDAREM ATÉ DE BARCO, BEM, INSTALADOS À CUSTA DOS QUE PAGAM IMPOSTOS PARA OS SUSTENTAREM .....PARTILHEM PARA SE SABER ONDE ANDAM OS NOSSOS IMPOSTOS.
Ou se têm vergonha e pagam as despesas que fizerem. PASSEIO DE CHARME PARA MOSTRAR, QUE O REI AINDA NÃO ESTÁ NU, E ONDE FOI APLICADO O DINHEIRO que a C C D R, CREN etc, etc, que REPARTIRAM PELOS AMIGOS. e AGORA AINDA VÃO CONTINUAR A COMER COM UM PROJECTO DE BALÃO DE ÉLIO BEM PINTADO ...."
 Nós no Olhão Livre perguntamos:
Será que não há um pingo de vergonha gastar o dinheiro do QREN desta maneira, em  nem um tostão do QREN para colocar fim à poluição na Ria Formosa .

olhaolivre.blogspot.pt

Pela eliminação da violência - Assinala-se hoje o Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres. Ontem, o presidente da Turquia, antecipava as comemorações discursando numa assembleia de mulheres

Pela eliminação da violência




Assinala-se hoje o Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres. 
Ontem, o presidente da Turquia, antecipava as comemorações  discursando numa assembleia de mulheres  (Women and Justice) afirmou que prefere a equivalência à igualdade de géneros. Na opinião de Erdogan “Não se pode colocar homens e mulheres em pé de igualdade. É contranatura. Eles foram criados de forma diferente. A sua natureza é diferente”. 
Não se indignem já, por favor. Por cá,  também temos exemplos dignos de registo. Como o deputado Mendes Bota que em 2010 dizia que quando um homem bate numa mulher a culpa é da crise. Ou o daquele juiz que  considerou que bater numa mulher na medida certa não é crime  e ainda aquele outro, envolvendo uma turista de férias no Algarve,  que se queixava de assédio e tentativa de violação e ouviu o juiz insinuar que, pela maneira como ia vestida, “estava a pedi-las”.
Momentos dignificantes, que me pareceu oportuno recordar neste dia.  Como igualmente importar lembrar que desde 2004 ( data em que começou a haver registos) já morreram em Portugal 398 mulheres vítimas de violência doméstica. 
Se não há campanhas de sensibilização, nem leis, que combatam este flagelo, talvez valha a pena experimentar esta velha receita promovida pela publicidade de antanho.
cronicasdorochedo.blogspot.pt


 cronicasontherocks.blogspot.pt


Eu vim de longe

António Garrochinho - SOBRE A PRISÃO PREVENTIVA DO EX PRIMEIRO MINISTRO JOSÉ SÓCRATES

SOBRE A PRISÃO PREVENTIVA DO EX PRIMEIRO MINISTRO JOSÉ SÓCRATES


NÃO ESTOU EUFÓRICO NEM CONVENCIDO DE QUE OS 

ROUBOS, AS INJUSTIÇAS, AS TRAFULHICES E AS 

VIGARICES IRÃO ACABAR COM A PRISÃO PREVENTIVA 

DE JOSÉ SÓCRATES ATÉ PORQUE CONTINUAM À 

SOLTA OS GRANDES TUBARÕES DOS GRANDES 

CRIMES E DESFALQUES, CONTINUAM IMPUNES AS 

GRANDES FIGURAS DA CORRUPÇÃO QUE LESARAM 

PORTUGAL E OS PORTUGUESES.

O POVO TERÁ QUE TIRAR ILAÇÕES LÚCIDAS DO QUE 

ESTÁ A ACONTECER E DEVERÁ TER INTELIGÊNCIA 

PARA PENALIZAR QUEM O EXPLORA E ROUBA.

NÃO EMBARCO EM CIRCOS MEDIÁTICOS ONDE SE 

DESTAPA DE UM LADO E SE ESCONDE DO OUTRO E 

ESTOU SIMPLESMENTE SERENO PERANTE ESTES 

GOLPES DOS CARRASCOS E DESONESTOS DO 

NOSSO PAÍS.



DESEJO QUE SEJA FEITA JUSTIÇA SEM OLHAR A 

QUEM, SEM PROTEGER GENTE QUE É CRIMINOSA E 

QUE TEM DESTRUÍDO TUDO O QUE SE CONQUISTOU 

COM 25 DE ABRIL. ESSES, OS EXPLORADORES E 

CRIMINOSOS O POVO SABE QUEM SÃO !

HÁ MUITO PARA DISCUTIR SOBRE OS 

ACONTECIMENTOS E ISSO DEVE SER FEITO ENTRE 

OS PORTUGUESES COM SERENIDADE E QUE DESSA 

DISCUSSÃO APAREÇA A LUZ QUE ILUMINE O POVO 

PARA A LUTA E PARA A VERDADEIRA JUSTIÇA QUE 

PENALIZE QUEM TEM FEITO TANTO MAL AOS JOVENS, 

AOS TRABALHADORES AOS REFORMADOS E AOS 

MAIS CARENCIADOS.



TODOS ESTES CRIMES, OS JÁ MAIS QUE PROVADOS 

MAS SEM CONDENAÇÃO, OS ESCONDIDOS E OS QUE 

MERECEM PROTECÇÃO DO CAPITALISMO NEO-

LIBERAL FASCISTA NACIONAL E INTERNACIONAL TÊM 

LESADO O NOSSO POVO E ARRUINADO A VIDA DE 

GENTE HONESTA, DE GENTE QUE QUER TRABALHAR 

E NÃO TEM TRABALHO DE GENTE QUE QUER SAÚDE E 

NÃO TEM POSSIBILIDADE DE PAGAR COMO QUEREM 

OS TUBARÕES DA PRIVADA, DE GENTE QUE MERECE 

RESPEITO E QUE NÃO O TEM HÁ MUITOS ANOS COM 
OS GOVERNOS DO PS/PSD/CDS/CAVACO.

QUEM NÃO DEVE NÃO TEME ! E TENHO A FIRME 
ESPERANÇA DE QUE O NOSSO POVO UM DIA SE 

LIBERTARÁ DESTA CORJA DE LOBOS COM PELE DE 

CORDEIRO QUE TÊM ARRUINADO E DESTRUÍDO 

PORTUGAL.

A LUTA CONTINUA !

António Garrochinho

SOB O CHORO DAS CARPIDEIRAS - O Estado foi progressivamente aprisionado por interesses particulares, que o retalham

SOB O CHORO DAS CARPIDEIRAS

O assunto aqui falado deveria ser Sócrates. Mas esse não é verdadeiramente assunto. O assunto é o mal estar, a desconfiança, a opacidade, a promiscuidade, a corrupção. Coisas que muitos conhecem mas que poucos denunciam. Por medo, por estratégia, por interesse, por comodismo. O dinheiro (e por vezes o arbítrio) circula dos interesses económicos fortes para os círculos políticos do poder dominante, para mais tarde voltar, reforçado, ao berço original, às famílias poderosas ou a um novo-rico cintilante. Há sempre no meio do percurso instrumentos facilitadores, um escritório de advogados com poder de influência, um meio de comunicação social amigo e de referência, uma maioria politica avessa a “radicalismos” e a “crispações”. 
A gestão política dos interesses ilegítimos instalados cabe á máquina do aparelho de Estado, desde governantes e eleitos, a diretores gerais e a tecnocratas, a funcionários policiais e de justiça. Não faltam competentes gestores de expectativas, e de informações, membros das organizações secretas, confessionais ou não, banqueiros, diplomatas e até agentes estrangeiros, polícias do sistema internacional. Tudo numa rede plural, funcionalmente operante. 
O Estado foi progressivamente aprisionado por interesses particulares, que o retalham, o degradam, o corrompem. De cima a baixo. É um Estado ao seu serviço, e não ao nosso serviço. O serviço público perdeu a alma, a orientação básica, a função utilitária. Já só tem a placa, dentro é cada vez mais um vazio. Impera o discurso da inevitabilidade, do conformismo, do silêncio, do pragmatismo, do relativismo. Está mal, mas podia ser pior. Está mal, mas não há alternativa. Está mal mas Deus assim quer. Está mal? Oh, talvez não!  

Os Centros Escolares, por exemplo, foram “pensados” sobretudo pelas empresas de construção civil, bem como as autoestradas, o novo aeroporto, os terminais de contentores, os submarinos. Não foram os portugueses, o Zé e a Maria, que se lembraram dessas necessidades estratégicas. Foram políticos ambiciosos, jovens sem passado e sem escrúpulos. Sócrates? É uma peça de um puzzle, ele e os outros, socialistas ou maioria actual de direita, reverentes perante os Salgados, os Mota, os Ulrich e quejandos. Querem a lista completa? Os Vara, os Duarte Lima, os Meneses, os Campos e outros cuja única competência provada reside na disponibilidade de servir (servindo-se) os barões do (ou da) capital.  

Das comissões frequentes na Administração passou-se para as ignóbeis “comissões” para os administradores. A gatunagem prospera. Sócrates? Que interessa! Outros ocupam o seu lugar. Privatiza-se a TAP, invocando-se desavergonhadamente o direito comunitário. Salta dinheiro para o bolso de responsáveis políticos. Acumula-se património de alguns em França ou na Suíça. O País não produz, vociferam comentadores-doutores de toda a espécie. O Estado gasta acima das suas posses, cantam vozes em coro “medino-carreiristas”. O inquilino de Belém persiste em demonstrar a sua suprema inutilidade. O País transformou-se numa pocilga onde colocaram um povo sofredor e apático. 

Sócrates? Que importa? Preso ou não preso, a figura histórica não destoa, antes pelo contrário, do cenário negro em que vivemos. Chorem as carpideiras, mas que desabroche a esperança. 
CR
  cris-sheandbobbymcgee.blogspot.pt

PARA QUEM GOSTA DE RUGBY - Haka, o grito de guerra dos Maori



Haka, o grito de guerra dos Maori



Conhece a equipe de Rugby da Nova Zelândia, os All Blacks? Então você deve se lembrar daquela encenação que eles fazem antes de cada jogo certo? Esta encenação é nada mais do que o grito de guerra do povo Maori, o chamado “haka”.



VEJA VÍDEO 



Conheça mais sobre o hino entoado pelos jogadores do All Blacks
Te Rauparaha Haka (trecho)
Ka mate, ka mate! Ka ora, ka ora!
Ka mate! ka mate! ka ora! ka ora!
Tēnei te tangata pūhuruhuru
Nāna nei i tiki mai whakawhiti te ra
Ā, upane! ka upane!
Ā, upane, ka upane, whiti te ra! Hi!
É a morte! É a morte! É a vida! É a vida!
É a morte! É a morte! É a vida! É a vida!
Este é o homem cabeludo
Que fez o sol brilhar de novo
Juntos! Todos juntos para o topo!
Juntos! Todos juntos para o topo, o sol brilha de novo! Sim!
O Haka é uma tradicional ode de guerra, formada por dança, gritos e caretas típica do nativos da Nova Zelândia. Sempre realizada em grupo e com muitos movimentos vigorosos, marcados por golpes das mãos, pernas, braços e peito, tudo arranjado ritmicamente com a canção de guerra.
Haka, o grito de guerra dos Maori
Em sua essência, o Haka é um grito de guerra realizado pelos guerreiros Maori antes das batalhas, proclamando sua força e coragem, como forma de intimidação. Porém, o haka também é realizado em outras ocasiões, como na recepção de convidados ilustres, funerais e hoje em dia é muito comum nas escolas neozelandesas.
A tradição de realizar o haka antes das partidas de Rugby começou em 1905, o que ajudou a tornar a dança popular e conhecida no mundo.
Haka, o grito de guerra dos Maori 3
Um típico haka é formado por contorções faciais, como esbugalhar os olhos e mostrar a língua para fora, além de uma ampla variedade de ações corporais vigorosas, como tapas nas mãos, antebraços, contra o corpo e pernas. As palavras cantadas são uma variedade de gritos e grunhidos que possuem significados mitológicos na língua Maori.
As mãos, braços, pernas, os pés, a voz, olhos e língua formam como um todo a exteriorização da coragem, alegria e outros sentimentos relevantes para o propósito de cada ocasião.
Haka, o grito de guerra dos Maori 4
Hoje o haka é parte integrante da cultura neozelandesa, reconhecida como símbolo máximo do orgulho tanto dos descendentes dos Maori quanto da população branca colonizadora.
Vale lembrar que a prática do Haka foi proibida por muitos anos durante a colonização, sendo novamente liberada e incorporada pela população após a independência da Nova Zelândia. O haka é tão importante que atualmente faz parte de cerimônias oficiais do governo neozelandês.
manualdohomemmoderno.com.br

Fica a pergunta...

Fica a pergunta...

imagem sacada daqui
Politicamente falando, neste momento, Sócrates é menos importante do que o PS...
E, no futuro, para o PS, Costa virá ainda a ser menos importante do que foi Seguro?...


outramargem-visor.blogspot.pt