AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sábado, 8 de novembro de 2014

JUNCKER, UM PILHA-GALINHAS

JUNCKER, UM PILHA-GALINHAS

Não é uma marca de eletrodoméstico, como o nome nos sugeriria, mas é uma grande “peça”. Juncker é acusado de ter feito acordos fiscais secretos com mais de 300 empresas para as ajudar a fugir aos impostos nos países onde estão sediadas. Jean Claude Juncker foi primeiro ministro do Luxemburgo durante 18 anos e é o actual e recente Presidente da Comissão Europeia. Durante 8 anos, grandes empresas multinacionais como a Pepsi, a IKEA, a APPLE, usaram a “benevolência” de Juncker e as práticas do Luxemburgo contrárias á lei comunitária para poupar milhares de milhões de euros.


Recordemos a lengalenga de Juncker de que os países deviam pagar sanções caso não cumprissem os compromissos da chamada “consolidação orçamental”. As palavras “responsabilidade e “rigor” jorravam da sua boca como o ar que respirava. Eleito pelo PPE, o maior grupo parlamentar no Parlamento Europeu, com 221 deputados, Juncker hipocritamente exprimia “confiança” no destino da Europa, enquanto promovia a concorrência fiscal desleal entre países que partilham o mesmo mercado e a mesma moeda. Juncker insultava de forma explícita o eurodeputado João Ferreira quando se alheava das perguntas então feitas, num momento deplorável. Juncker gabava-se de ter vizinhos portugueses com quem, dizia, se inteirava da sua situação. Mas a Grécia, Chipre e Portugal eram etiquetados como os países do lazer e da preguiça, enquanto no Grão Ducado alguém na sombra promovia o desaparecimento das suas justas receitas fiscais. E o povo pagava com austeridade…

O Grupo da Esquerda Unitária no PE desencadeou um processo de pedido de explicações ao tomar conhecimento dos resultados obtidos por uma Associação de Jornalistas de Investigação. Alguém informou que Juncker “está sereno” e se quer “á margem do processo”. O impagável Presidente do Eurogrupo, encontro de Ministros das Finanças da Zona Euro, um socialista holandês de nome Joroen Dijsselbloem, veio em defesa de Juncker, dizendo que achava que devia ser o actual primeiro-ministro do Luxemburgo a dar explicações. Nisto de corrupções, socialistas e conservadores europeus protegem-se mutuamente.

Li um comentário em que se dizia que “as empresas são amigas dos cidadãos”. Pois…

CR
cris-sheandbobbymcgee.blogspot.pt