AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


segunda-feira, 13 de outubro de 2014

O ciclo da traição se completa: Descansa em Paz Marina !

O ciclo da traição se completa: Descansa em Paz Marina !



“Marina Silva acabou no domingo 12 de outubro, quando virou as costas para sua própria trajetória ao declarar voto no candidato Aécio Neves, o representante de uma política econômica ostensivamente contrária à valorização do salário mínimo e à ampliação das políticas sociais e de inclusão. Com o capital eleitoral que conseguiu reunir no primeiro turno (21,32 % do total de votos, 
ou 22.176.619 eleitores), Marina poderia ajudar sua Rede Sustentabilidade a se consolidar como a tal terceira via de que tanto falou antes. Ela preferiu juntar-se a forças bem conhecidas dos 
brasileiros: Que criminalizam os movimentos sociais; que atentam contra a liberdade de imprensa; que são apoiadas pela chamada “Bancada da Bala”, por Silas Malafaia e por Marcos  Feliciano. Sem contar que os votos de Levi Fidelix (PRTB, o idiota que fez do aparelho excretor um programa de governo) devem ir para Aécio também. Marília de Camargo César, autora da biografia “Marina: a vida por uma causa” (editora Mundo Cristão, 2010), conta que,
diante de um 
problema de difícil resolução, a ex-ministra costuma praticar a “roleta bíblica”, que consiste em abrir a Bíblia aleatoriamente, para saber o que Deus recomendaria na situação.  Não é difícil imaginá-la nesse mister quando ela se saiu com a idéia de pedir que o PSDB reconsiderasse a campanha pela redução da maioridade penal, como condição sine qua non a seu apoio. Aécio respondeu sem pestanejar: não! E assim acabou-se mais uma convicção “firmíssima” de Marina.Descansa em paz, Marina!”

Por: Miguel do Rosário


A velha roda das traições nunca pára.
Quando se deixa o ressentimento tomar conta da consciência política, a tendência, quase sempre, é dar 
a volta a si mesmo e se tornar o oposto de tudo que já se foi.
Foi assim com Carlos Lacerda.
Foi assim com Roberto Freire.
Foi assim com Marina Silva.
Marina Silva fez a sua vida política dentro do PT.
Teve solidariedade, apoio e recursos do partido, que a resgatou de um destino obscuro no longínquo 
Acre para uma trajetória brilhante: foi vereadora, deputada e, enfim, senadora.
Lula a faz ministra de Estado, coroando sua carreira.
Por que Marina entrou na política?
Ela o fez porque, junto com Chico Mendes, sentia que precisava lutar contra a opressão capitalista, que 
explora o trabalhador, que desmata florestas, que ignora as condições miseráveis do pobre, que usa o 
Estado apenas para beneficiar os ricos.
Lutando contra isso, ela entrou no PT, e o PT, quando chegou ao poder federal, iniciou os maiores 
programas sociais da história do nosso país, reduziu brutalmente o desmatamento da Amazônia, salvou 
a agricultura familiar do destino cruel que o neoliberalismo tentava lhe reservar.
Marina sequer nega isso, tanto que, em sua campanha, sempre elogiou as conquistas sociais do 
governo Lula.
Então o que faz Marina Silva agora apoiar Aécio Neves, representante do mais duro neoliberalismo?
Do neoliberalismo que oprimiu milhões de pessoas, não só no Brasil?
Simples, a sua opção segue a escala de seu ressentimento.
O TSE não aprovou a criação de seu partido?
Culpa do PT.
Não chegou ao segundo turno?
Culpa do PT.
Daí que, de candidata que tentou associar a si mesma aos protestos de junho, Marina agora se liga ao 
partido que defendeu abertamente a criminalização dos manifestantes.

militanciaviva.blogspot.pt

ILUSÃO DE ÓPTICA - LEÃO QUE VIRA RATO




OU PORCO QUE VIRA CORUJA



HUMOR - PONTOS DE VISTA



UMA RÉPLICA DA CASA DOS FLINTSTONES FOI VENDIDA POR 3.5 MILHÕES DE DÓLARES - VEJA FOTOGALERIA

A casa dos Flintstones

  A casa Flintstones construída em Malibu, na Califórnia num lugar totalmente isolado, tranquilo e bucólico.
     A casa foi construída inspirada no famoso desenho e foi vendida por 3.5 milhões de dólares pelos proprietários Dick Clark e sua esposa.
    












Marinho e Pinto recebeu 40.700 euros em salários e subsídios do Parlamento Europeu em três meses - Eurodeputado disponibilizou na Internet os recibos do dinheiro que recebeu desde meados de Junho até fins de Setembro.

Marinho e Pinto recebeu 40.700 euros em salários e subsídios do Parlamento Europeu em três meses

Eurodeputado disponibilizou na Internet os recibos do dinheiro que recebeu desde meados de Junho até fins de Setembro.

Foram pelo menos 40.700 euros em salários líquidos e subsídios diversos que António Marinho e Pinto recebeu do Parlamento Europeu entre o final de Junho e fins de Setembro. A que se somam 2267 euros de reembolso de despesas com transportes.
No limite do prazo prometido, António Marinho e Pinto disponibilizou na noite de sábado, no site do seu Partido Democrático Republicano, um conjunto de recibos de salários e de subsídios que recebe do Parlamento Europeu. Pelas contas do PÚBLICO, terão entrado nas contas bancárias do eurodeputado até final de Setembro 43 mil euros.
“Eu prometi mais verdade na política e isto é apenas o princípio”, assegura o parlamentar eleito pelo MPT, mas que agora se senta no hemiciclo europeu como independente. Há vários meses que tem vociferado contra os 18 mil euros que os eurodeputados ganham, considerando o valor "um escândalo".
No site do PDR estão três recibos de remuneração de Julho a Setembro: são 8.020,53 euros de salário bruto mensal, a que depois são descontadas duas cotizações para o seguro de acidentes (6,67 euros) e de roubos/perdas (2,11 euros) e o imposto comunitário de 21,98% (1761,85 euros), perfazendo um salário líquido de 6249,9 euros. Total líquido dos três meses: 18.749,7 euros.
Marinho e Pinto tem afirmado publicamente que os eurodeputados só pagam 20% de impostos sobre um terço dos 18 mil euros que recebem por mês – ou seja, sobre os seis mil euros de salário base. Na verdade, desde 2013 que os eurodeputados portugueses têm que pagar em Portugal a diferença entre os 21,98% do imposto comunitário e o escalão de IRS máximo em que se inseriam se trabalhassem no país com o salário bruto anual de 96.246 euros que recebem do Parlamento Europeu, descreveu ao PÚBLICO um eurodeputado português. Ou seja, pagam ao fisco nacional 26,02% sobre o total, a que acrescem as sobretaxas extraordinária de 3,5% e ainda a de solidariedade de 2,5%. Portugal é dos poucos países da UE que faz esta taxação dupla aos eurodeputados - nas mesmas condições estão também a Espanha, Alemanha e Suécia.
Além do salário, Marinho e Pinto disponibilizou fichas de pagamento dos subsídios diários relativos a cinco dias de Junho (1520 euros), 14 de Julho (4256 euros) e 16 de Setembro (4864 euros). Trata-se de um subsídio de 304 euros por cada dia de trabalho com presenças no plenário, em reuniões do grupo parlamentar ou em delegações internacionais, mas que têm que ser comprovadas junto dos serviços. Servem para fazer face a despesas de alojamento e alimentação, já que o nível de vida em Bruxelas e Estrasburgo é elevado. Total recebido: 10.640 euros.
E há também as fichas de pagamento dos subsídios de viagem. O Parlamento reembolsa as viagens de avião do país de origem para Bruxelas ou Estrasburgo ou em viagens de trabalho integradas em delegações europeias. Mas os eurodeputados têm que entregar os comprovativos. Total reembolsado: 2267 euros.
Marinho e Pinto recebeu ainda subsídios de distância – são 50 cêntimos por cada quilómetro percorrido em carro próprio. Embora o eurodeputado afirme na sua explicação que o seu aeroporto de referência é o do Porto (por ser mais perto de casa, que é em Coimbra), a verdade é que tem usado sempre o de Lisboa, o que faz elevar a conta do que recebe ao quilómetro. Total recebido: 2749 euros.
A estes valores há que acrescentar um subsídio mensal de 4299 euros para despesas gerais que deveriam servir para, por exemplo, um gabinete de representação do deputado em Portugal e equipamento como telefones e material informático, mas pelo qual o Parlamento “não emite qualquer recibo ou documento que titule esse pagamento”, diz Marinho e Pinto.
“Trata-se, obviamente, de um expediente para furtar ao pagamento de impostos uma fatia importante da remuneração dos deputados”, critica o antigo bastonário, que promete passar a emitir no site uma declaração pessoal sobre esse valor – mas não diz se o vai incluir na sua declaração de IRS para poder ser taxado. O PÚBLICO apurou que o Parlamento Europeu deverá mudar o regime deste subsídio durante o actual mandato, à semelhança do que fez com as viagens em 2009, reduzindo o valor ou fazendo o pagamento contra a apresentação de facturas. Esse subsídio não será pago em Agosto, pelo que só se contabilizam dois meses. Total de dois meses recebido: 8598 euros.

FOTOGALERIA ESPECIAL - A batalha para Donetsk 13 DE OUTUBRO DE 2014 | IMAGENS DE REBELDES RUSSOS, DE FERIDOS E MORTOS DURANTE OS BOMBARDEAMENTOS À CIDADE DE DONETSK

A batalha para Donetsk


www.theatlantic.com

 imagens de rebeldes russos, de feridos e mortos durante os bombardeamentos à cidade




Durante seis meses, as batalhas ocorreram na região de Donetsk da Ucrânia oriental, entre os militares ucranianos e rebeldes pró-russos, parte da Donetsk República autodeclarado Popular. Em 5 de setembro, ambos os lados concordaram com um cessar-fogo, mas o bombardeio continuou nas semanas desde então, ambos os lados culpando o outro por violar a trégua. Dos cerca de 3.600 pessoas que morreram nos combates, mais de 330 morreram desde o cessar-fogo foi assinado. A maioria das batalhas atuais estão ocorrendo em alguns bairros da cidade de Donetsk, principalmente perto do aeroporto internacional. 

O principal terminal do Aeroporto Interna




www.theatlantic.com


www.theatlantic.com