AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Presidência divulga declaração de Cavaco Silva sobre o Grupo Espírito Santo A Presidência da República divulgou hoje, "por uma razão de transparência", a transcrição na íntegra das declarações do chefe de Estado após perguntas de jornalistas a propósito do Grupo Espírito Santo.

Presidência divulga declaração de Cavaco Silva sobre o Grupo Espírito Santo

A Presidência da República divulgou hoje, "por uma razão de transparência", a transcrição na íntegra das declarações do chefe de Estado após perguntas de jornalistas a propósito do Grupo Espírito Santo.

A nota, divulgada no "site" da Presidência da República, refere apenas que "por uma razão de transparência, transcreve-se na íntegra, a resposta dada pelo Presidente da República a perguntas de jornalistas sobre o Grupo Espírito Santo, no dia 21 de julho de 2014, em Seul".


A transcrição das declarações do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, surge um dia depois de o advogado Miguel Reis, um dos responsáveis pela defesa do consórcio de pequenos acionistas lesados pelo BES, ter dito numa entrevista ao jornal i que "quando a crise já estava ao rubro, já depois do aumento de capital, houve clientes que foram convencidos, de forma fraudulenta e enganosa, a transformar depósitos em ações, com base nas sucessivas declarações do Presidente da República e do governador do Banco de Portugal".

Nas declarações que fez em Seul, em resposta a uma pergunta sobre como estava a acompanhar a situação e se encarava a possibilidade de consequências para a economia portuguesa, Cavaco Silva reconheceu que "haverá sempre efeitos", não do lado do Banco, mas da área financeira.

"Se alguns cidadãos, alguns investidores, vierem a suportar perdas significativas, podem adiar decisões de investimento ou mesmo alguns deles podem vir a encontrar-se em dificuldades muito fortes; por isso, não podemos ignorar que algum efeito pode vir para a economia real, por exemplo, em relação àqueles que fizeram aplicações em partes internacionais do Grupo que estão separadas do próprio Banco em Portugal. Mas eu penso que, pela informação que temos, não terá assim um significado de monta", referiu o chefe de Estado.

Na altura, Cavaco Silva mostrou-se convicto, pela informação que dispunha, de que "o Banco de Portugal, como autoridade de supervisão, tem vindo a atuar muito bem para preservar a estabilidade e a solidez do nosso sistema bancário".

O chefe de Estado referiu-se ainda à diferença entre a área financeira do Grupo Espírito Santo e a área não financeira, sublinhando que "há alguma confusão" entre essas duas áreas.

"O Banco de Portugal, desde há algum tempo, tem vindo a tomar medidas para isolar o banco, a parte financeira, das dificuldades financeiras da zona não financeira do grupo. E, o Banco de Portugal tem sido perentório, categórico, a afirmar que os portugueses podem confiar no Banco Espírito Santo, dado que as folgas de capital são mais do que suficientes para cobrir a exposição que o banco tem à parte não financeira, mesmo na situação mais adversa", disse.

Cavaco Silva acrescentou ainda: "eu, de acordo com informação que tenho do próprio Banco de Portugal, considero que a atuação do Banco e do Governador tem sido muito, muito correta".

* Temos as maiores dúvidas da apreciação do economista Cavaco Silva investido na função de Presidente da República. São muitos os especialistas a criticar a actuação do governador do BdP, nomeadamente nas afirmações de tranquilidade que transmitiu sobre aquela panela de pressão prestes a explodir. Gostaríamos de ver o "Alves dos Reis" do sec XXI na "pildra".

apeidaumregalodonarizagentetrata.blogspot.pt

Fotos Dramáticas da seca histórica da Califórnia (ESTA SEMANA)

Fotos Dramáticas da seca histórica da Califórnia

De acordo com os EUA , 82 por cento do estado da Califórnia fica atualmente na categoria de "seca extrema". O feitiço anos de duração da seca tem atacado reservas de águas subterrâneas e reservatórios e os deixou em mínimos históricos. 

ATENÇÃO NÃO FOI POSSÍVEL CAPTAR ESTA PUBLICAÇÃO NAS MELHORES CONDIÇÕES POIS AS LEGENDAS NÃO APARECEM POR COMPLETO E A TRADUÇÃO DO GOOGLE É DEFICIENTE MESMO ASSIM DÁ PARA ENTENDER

Uma seção do Lago Oroville é visto quase seco em 19 agosto de 2014 em Oroville, Califórnia. Como a seca severa na Califórnia continua por um terceiro ano consecutivo, os níveis de água em lagos e reservatórios do Estado estão atingindo mínimos históricos. Lago Oroville está atualmente em 32 por cento do seu total de 3.537.577 metros Acre. (Justin Sullivan / Getty Images)
2
Baixos níveis de água são visíveis na Marina Bidwell no Lago Oroville em 19 agosto de 2014 em Oroville, Califórnia.(Justin Sullivan / Getty Images) # 
3
Terra rachada seca nas margens do lago Shasta no Holiday Harbor em Lakehead, Califórnia, em 30 de agosto de 2014 Shasta Lake é atualmente perto de 30 por cento de sua capacidade total, o menor tem sido desde 1977. (Justin Sullivan / Getty Images) # 
4
Anéis nas margens do Lago Oroville que costumavam ser debaixo de água em 19 de agosto de 2014 em Oroville, Califórnia.(Justin Sullivan / Getty Images) # 
5
Uma bóia fica em terra rachada seca em uma entrada de seca de Shasta Lake em 30 de agosto de 2014 em Lakehead, California.(Justin Sullivan / Getty Images) # 
6
(1 de 2) Para uma antes e após a comparação, em primeiro lugar uma imagem de um tempo mais úmido.: Ponte Verde passa sobre os níveis de água cheio em uma seção do Lago Oroville perto do Bidwell Marina em 20 de julho de 2011(Paul Hames / California Departamento de Recursos Hídricos via Getty Images) # 
7
(2 de 2) Visto a partir do mesmo local que a imagem anterior, a Ponte Verde passa sobre os baixos níveis de água em uma seção do Lago Oroville em 19 de agosto de 2014. (Justin Sullivan / Getty Images) # 
8
(1 de 2) níveis de água total na Marina Bidwell no Lago Oroville em 20 de julho de 2011.(Paul Hames / California Department of Water Resources via Getty Images) # 
9
(2 de 2) níveis de água baixos no Marina Bidwell no Lago Oroville em 19 de agosto de 2014. (Justin Sullivan / Getty Images) # 
(1 de 2) Antes:. níveis de água completos na Bidwell Marina no Lago Oroville sobre em 20 de julho de 2011(Paul Hames / California Department of Water Resources via Getty Images) # 
(2 de 2) Depois:. baixos níveis de água na Marina Bidwell no Lago Oroville em 19 agosto de 2014 (Justin Sullivan / Getty Images) # 
(1 de 2) Antes:. ponte da Enterprise passa por cima de um lago cheio Oroville em 20 de julho de 2011(Paul Hames / California Department of Water Resources via Getty Images) # 
(2 de 2) Depois:. ponte da Enterprise passa sobre um quase seco Lake Oroville em 19 de agosto de 2014(Justin Sullivan / Getty Images) # 
Veado caminhada em terreno que costumava ser o fundo do lago Shasta perto Digger Bay Marina em 30 de agosto de 2014 em Redding, Califórnia. (Justin Sullivan / Getty Images) # 
Trilhas animais na terra rachada seca nas margens do lago Shasta em 30 de agosto de 2014 em Lakehead, California.(Justin Sullivan / Getty Images) # 
A marina Digger Bay fica nos baixos águas do lago Shasta longe da rampa do barco em 30 agosto de 2014 em Redding, Califórnia.(Justin Sullivan / Getty Images) # 
Linhas de água são visíveis nos bancos íngremes de Shasta Lake na ponte Bay Resort em Redding, Califórnia, em 30 de agosto de 2014.(Justin Sullivan / Getty Images) # 
O vertedouro Oroville Dam fica seco no Lago Oroville em 19 de agosto de 2014. (Justin Sullivan / Getty Images) # 
A casa flutuante é ofuscado pelos bancos íngremes de Shasta Lake, em 30 de agosto de 2014 em Redding, Califórnia.(Justin Sullivan / Getty Images) # 
De Shasta Lake Bailey Cove é visto completamente seco em 31 de agosto de 2014 em Lakehead, California.(Justin Sullivan / Getty Images) # 
A Paddleboarder flutua sobre as águas do lago Shasta perto da Shasta Marina Resort dia 30 Agosto, 2014, em Lakehead, California.(Justin Sullivan / Getty Images) # 

Barcos de casa são diminuídos pelos bancos íngremes de um encolhimento Lake Oroville em 19 de agosto de 2014 em Oroville, Califórnia.Como a seca severa na Califórnia continua por um terceiro ano consecutivo, os níveis de água em lagos e reservatórios do Estado está atingindo m

Eu so sei viver assim - Fernando Girao

Tudo o que você precisa saber sobre o Ebola - veja vídeo

Tudo o que você precisa saber sobre o Ebola

olho_ebola
Se você está ligado nos noticiários recentes, deve ter percebido como o mundo está em pânico com o crescimento de casos de Ebola. Conheça um pouco mais sobre esta doença, sem enrolações, sem terrorismo e sem sensacionalismo.






O valioso sangue azul dos caranguejos-ferradura que salva vidas

O valioso sangue azul dos caranguejos-ferradura que salva vidas

Caranguejo-ferradura Límulo sangue azul
Todo ano cerca de 250 mil caranguejos-ferradura, esse bichinho feio que, apesar do nome, tem mais parentesco com aranhas e escorpiões do que com crustáceos, são retirados de seu habitat na costa leste dos EUA e submetidos a um processo de extração de sangue. Além de valioso, ele é muito importante para a nossa saúde.
À primeira vista, a característica mais curiosa do sangue do caranguejo-ferradura (também conhecido como Límulo) é sua cor azul. Ele é assim devido à presença da hemocianina para o transporte de oxigênio nas células sanguíneas, similar à nossa hemoglobina, mas baseada em cobre em vez de ferro.
Embora bonito, o que torna o sangue desses caranguejos valioso são suas propriedades medicinais. Um componente químico encontrado em seus amebócitos consegue detectar e isolar contaminações por bactéria rapidamente (45 minutos, contra dois dias em mamíferos) e, mais importante, mesmo quando ela está presente em quantidades ínfimas – até uma parte em um trilhão.
Esse material é usado para testar equipamentos médicos e vacinas. Se alguma bactéria é encontrada, ele coagula e vira um tipo de gel, indicando a presença dela. Se não, é sinal verde para serem usados em nós. Esse processo simples e quase instantâneo, chamado de teste LAL, evita muitas mortes por infecção. Nos Estados Unidos, a FDA, equivalente à Anvisa, impõe esse teste a toda a indústria farmacêutica e de implantes cirúrgicos.
Infelizmente, a “doação” de sangue pelos caranguejos-ferradura não é tão simples quanto a feita por nós. Tanto que, após detectarem um declínio na população do artrópode na América do Norte, as cinco empresas responsáveis pela coleta de sangue implementaram mudanças: agora, elas colhem no máximo 30% do sangue de cada caranguejo-ferradura e os devolvem à natureza em seguida. Mesmo assim, estima-se que entre 10 e 30% deles morra no processo, e entre as fêmeas sobreviventes, foi constatado que a taxa de natalidade diminui.
Além dos benefícios à saúde humana, existe outro fator que pesa: o valor financeiro do belo sangue azul dos caranguejos-ferradura. Um litro chega a valer US$ 15 mil, o que faz dessa coleta uma indústria multimilionária. Existem pesquisas que buscam criar uma variedade sintética do elemento que nos interessa, mas ela ainda é bastante preliminar e precisa de mais tempo para ser desenvolvida. [Atlantic via IFLScience] veja vídeo do caranguejo na natureza
gizmodo.uol.com.br



As 10 bizarras práticas do passado que vão deixá-lo(a) de boca aberta


É impressionante o modo como a humanidade mudou o seu pensamento nos últimos 50 anos. Antes de várias descobertas científicas e, principalmente, no campo da medicina, fazíamos coisas absurdas! Mas se você acredita que ainda vivemos como nossos avós, é bom dar uma olhada nessa lista. Se você não acredita, pode ler e escolher qual é a prática que acha a mais bizarra.
10 – Venda de Esposas
É claro que isso ainda acontece em alguns países, mas antigamente era um evento “um pouco” mais humilhante. Durante a época medieval, quando um homem e uma mulher se casavam, eles se tornavam uma “entidade” literalmente. Tudo o que a mulher possuía, incluindo ela mesma, passava a ser do seu marido. E, se ele quisesse, poderia vendê-la em um leilão público, que era anunciado por todos os cantos da cidade. Em alguns casos (e você pode até imaginar quais) a própria mulher arranjava sua “venda” e levava o dinheiro ao ex-marido.
9 – Enema de Tabaco
Era realmente um procedimento médico colocar um tubo “lá” e soprar fumaça de cigarro para dentro do sujeito doente. E isso aconteceu até o século XIX. O tratamento era usado para aliviar dores de cabeça, de estômago, cólicas e, ironicamente, problemas respiratórios.
8 – Exames de gravidez bizarros
Como saber se você realmente está grávida sem ter que esperar pelo próximo mês? As moças da antiguidade tinham vários métodos. No Egito e na Grécia antigos elas faziam xixi sobre um saco de trigo. Se ele germinasse, é porque ela estava grávida. Hipócrates, um dos pais da medicina, sugeria que a mulher tomasse água com mel antes de dormir. Se tivesse cólicas, o teste deu positivo. Mas um dos testes mais bizarros era o dos coelhos, desenvolvido em 1927. A urina da moça supostamente grávida era inserida no útero das coelhas. Se os ovários delas respondessem, é porque um certo hormônio estava presente e a moça estava grávida.
7 – Xarope calmante Mrs. Winslows
Entre os séculos XIX e XX, várias substâncias foram testadas e, algumas, mostraram ter um impacto no cérebro. Um bom exemplo é o xarope calmante Mrs. Winslows, que era usado para acalmar crianças pequenas. Ele diminuía o batimento cardíaco dos pequenos e isso fazia com que eles dormissem rápido. Só que alguns bebês começaram a morrer após a ingestão da mistureba. E, apesar de denúncias, o xarope continuou a ser vendido até 1930.
6 – Lobotomia
Você já deve ter ouvido falar de lobotomias, mas você sabe realmente do que se trata? Ela é uma terapia extremamente invasiva e radical, muito praticada na primeira metade do século XX, para tratar as pessoas que tinham problemas mentais. A lobotomia simplesmente cortava as conexões do córtex pré-frontal do cérebro com outras partes do órgão. Os médicos furavam os crânios dos pacientes e destruíam os tecidos que cercavam os lobos frontais. Obviamente, os pacientes que sofriam de esquizofrenia, depressão e outros problemas mentais, aparentavam mudança significativa no comportamento. Só que isso porque o paciente, além de sua doença, passava a sofrer com lesões cerebrais que o incapacitavam. Apesar de seus efeitos colaterais, estima-se que centenas de milhares de lobotomias tenham sido feitas. Hoje, ela é uma prática ilegal.
5 – Bibliopegia antropodérmica
A Bibliopegia antropodérmica é uma prática deveras perturbadora. Basicamente, consiste em encapar um livro usando não couro ou outro material, mas pele humana. No século XIX, onde ocorriam muitas dissecações de cadáveres, essa se tornou uma prática comum e várias universidades ainda possuem alguns exemplares de livros encapados com pele. No fim dos anos 1800, vários criminosos apareceram nos EUA – um deles era conhecido como Big Nose George (ou George Narigudo). Ele foi capturado e, posteriormente, morto. Seu corpo foi doado para pesquisa científica e acabou nas mãos de Thomas Maghee e John Eugene Osborne, médicos. Eles dissecaram o corpo, ofereceram o topo de seu crânio para uma menina de 15 anos chamada Lilian Heath (que, mais tarde, se tornaria a primeira mulher a exercer a medicina no estado americano de Wyoming) que o usou como cinzeiro, peso de papel e de porta. A pele do criminoso foi removida e usada para fazer sapatos para John Eugene e uma mala. Ele usou o sapato quando foi eleito governador do estado. Hoje, os sapatos estão em exposição, juntamente com o topo do crânio de Big Nose George.
4 – Drapetomania
Drapetomania foi um “distúrbio” descoberto por um médico americano em 1851 que causava aos escravos negros uma “misteriosa” vontade de fugir das fazendas onde trabalhavam. Segundo o médico Samuel A. Cartwright isso era culpa dos proprietários dos escravos, que, frequentemente, os tratavam como iguais e não como seres inferiores. Para curar essa “doença”, o médico sugeria que os proprietários punissem os escravos até que eles fossem completamente submissos.
3 – Direito divino dos reis
Basicamente, é a premissa de que os reis podem governar porque têm direito divino – ou seja, suas ações seriam justificadas porque Deus estava por trás delas. A teoria foi especialmente usada em governos europeus. Exemplos são James VI da Escócia(1567–1625), James I da Inglaterra (1603–1625) e Louis XIV da França (1643–1715). Só que isso causava um problema para os educadores dos príncipes. Como você não poderia punir o representante de Deus na Terra, se um príncipe jovem fazia alguma besteira, os seus colegas eram punidos na frente dele. Como, normalmente, os filhos do rei eram educados isoladamente, amizades não eram formadas. Para isso, usava-se alguns meninos de classes mais baixas, que, supostamente, formariam amizades com o futuro rei e, quando ele não obedecesse, havia esse menino especialmente contratado para ser chicoteado na frente dele. Então se considerava que punir um amigo do príncipe era uma maneira de atingi-lo sem machucá-lo. O problema é que nem todos os reis e príncipes eram tão benevolentes com pessoas de classes sociais inferiores.
2 – Mimizuka
No período da história japonesa conhecido como Sengoku, havia muitas disputas militares. Uma das práticas após os conflitos era que o lado vencedor poderia levar “troféus” da batalha – normalmente as cabeças decepadas dos inimigos. Normalmente, a recompensa que os lordes davam aos seus guerreiros era baseada na quantidade de cabeças inimigas que eles traziam de volta. Quando o Japão invadiu a Coréia, era mais prático trazer de volta não as cabeças inteiras, mas uma orelha ou um nariz, que eram trazidos ao Japão em barris. Estima-se que cerca de um milhão de pessoas foram mortas. Templos que continham essas partes foram erguidos e o maior deles se chama Mimizuka – estima-se que ele guarde os restos de 38 mil coreanos.
1 – Histeria feminina
A histeria feminina já foi um diagnóstico comum que, hoje, está completamente desacreditado. Em 1859, um médico chegou a dizer que um quarto de todas as mulheres sofria com histeria feminina. Outro médico catalogou 75 páginas de sintomas que caracterizavam a histeria feminina. De acordo com o documento, quase todos os males que o corpo humano sofre, independente do motivo, poderiam ser caracterizados como sintomas da doença. Acreditava-se que a “vida moderna” do século XIX fazia com que as moças fossem mais suscetíveis a desenvolver histeria. E isso não é o mais chocante. Como a histeria era associada com insatisfação sexual, o médico fazia “massagens pélvicas” na moça até que elas passassem por “paroxismo histérico” – em outras palavras, o médico masturbava a paciente até que ela tivesse um orgasmo. E, estranhamente, eles diziam que apesar das pacientes não terem risco de morte, elas precisavam de tratamento constante – não vamos esquecer que eles eram pagos pelas massagens pélvicas. Em 1873, o primeiro vibrador foi inventado para propósitos médicos – eles eram apenas disponíveis para os médicos que os usavam e não para as moças insatisfeitas diretamente. Posteriormente, o aparelho se popularizou e as moças puderam comprar seus companheiros sem a “interferência médica”.
www.truenoticias.com