AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


domingo, 27 de julho de 2014

Os segredos dos submarinos A Justiça alemã mantém secreta a sentença que condenou, no final de 2011, dois administradores da Ferrostaal, no caso da venda de submarinos a Portugal e à Grécia. Recusou cedê-la à comissão parlamentar portuguesa que investiga os negócios de armamento, mas a VISÃO já a leu


Os segredos dos submarinos 

A Justiça alemã mantém secreta a sentença que condenou, no final de 2011, dois administradores da Ferrostaal, no caso da venda de submarinos a Portugal e à Grécia. Recusou cedê-la à comissão parlamentar portuguesa que investiga os negócios de armamento, mas a VISÃO já a leu

No dia 9 deste mês, os deputados da comissão parlamentar de inquérito aos programas de compra de equipamento militar solicitaram à Procuradoria-Geral da República (PGR) cópias da acusação e da sentença por corrupção ativa, no caso dos submarinos. Os documentos já haviam sido enviados pelos alemães ao Ministério Público, em resposta a uma carta rogatória portuguesa. Mas, em meados de julho, a PGR, num ofício "confidencial", comunicou aos deputados não poder satisfazer a solicitação. 


Como as regras da cooperação judiciária internacional não permitem que documentos obtidos na sequência de um pedido de auxílio judiciário sejam utilizados fora do âmbito da investigação a que se destinam sem a autorização da autoridade que os enviou, o organismo dirigido por Ana Marques Vidal contactou a Procuradoria de Munique. E de lá obteve um rotundo "nein!" como resposta. 

Os alemães invocaram que a sentença "não é pública" e que a sua entrega à PGR portuguesa teve como única finalidade a investigação, em Portugal, de um processo criminal (o dos submarinos), não podendo ser usada para outros fins. Resta à comissão parlamentar dirigir-se diretamente ao Governo de Angela Merkel. As expetativas do deputado socialista José Magalhães, que sugeriu a iniciativa da comissão, quanto ao conteúdo dos documentos, eram grandes. Mas, mesmo que o Governo alemão responda em tempo útil, o mais certo é vê-las frustradas.

O que dizem os documentos?
A VISÃO já leu a acusação e a sentença que condena os ex-gestores da Ferrostaal, Johann-Friedrich Haun e Hans-Dieter Mühlenbeck, ambos de 76 anos, a multa e a dois anos de prisão com pena suspensa. 

No caso português, a documentação requerida pela comissão parlamentar aborda,  essencialmente, o pagamento de subornos ao ex-cônsul honorário de Portugal em Munique, o cidadão alemão Jürgen Adolff, que, num processo paralelo, foi condenado, em março deste ano, a dois anos de prisão também com pena suspensa. Adolff apresentara-se a Haun enquanto cônsul honorário, propondo-lhe um contrato de consultoria com vista a uma "assistência decisiva" para influenciar o Governo português na opção pelos submarinos alemães em vez dos concorrentes franceses. 

No caso Lisboa optar pelos germânicos, Adolff receberia 0,3% do valor da encomenda dos dois submarinos, estimada em 880 milhões de euros. Ou seja, 26,4 milhões de euros. "Após a conclusão do contrato de consultoria, o Dr. Adolff continuou a sua atividade para a Ferrostaal AG em contradição com as suas obrigações oficiais de cônsul honorário de Portugal, com o conhecimento e a vontade do arguido Müllenbeck", lê-se no acórdão da 6.ª Vara Criminal do Tribunal Estadual de Munique.

* A história continua muito mal contada, parece-nos que nunca seráesclarecida em tempo útil.

apeidaumregalodonarizagentetrata.blogspot.pt

a vida das flores

Washington esconde provas que incriminam Kiev no derrube do MH17

Washington esconde provas que incriminam Kiev no derrube do MH17 - José Goulão, Martha Ladesic, Nova York, Mário Ramírez, Washington, Castro Gomez, Donetsk


José Goulão, Martha Ladesic (Nova York), Mário Ramírez (Washington), Castro Gomez (Donetsk) Washington esconde provas que incriminam Kiev no derrube do MH17

Caça ucraniano junto ao avião abatido


23 de Julho de 2014

   A espionagem dos Estados Unidos tem provas de que o avião da Malaysian Airlines foi derrubado na Ucrânia por tropas ao serviço do regime de Kiev e procura agora encontrar uma maneira de apresentar o facto de modo a não implicar directamente a junta resultante do golpe de Estado patrocinado pelos Estados Unidos e a União Europeia. Segundo fontes da CIA, a versão agora mais provável é a de que o autor do disparo foi um “desertor” do exército ucraniano.
A versão oficial de Washington, difundida através da porta-voz adjunta do Departamento de Estado, Marie Harf, é a de que o avião foi derrubado por “rebeldes” do Leste da Ucrânia com meios fornecidos pela Rússia. Como provas, a funcionária de John Kerry invoca vídeos circulando no Youtube e informações disponíveis nas redes socials. Marie Harf argumenta igualmente que “o senso comum” induz a responsabilizar os chamados “pró-russos”.
“Como é que o país que espia todo o mundo, a começar pelos seus cidadãos, e que tem satélites fiscalizando a cada momento cada metro de terra e mar não tem registo de quem disparou um míssil com quase cinco metros de comprimento contra o voo MH17?” – interroga-se John Isaacsson, jurista e activista dos direitos humanos em Nova York. “Ninguém consegue acreditar nisso; o que mais provavelmente está a acontecer é que as imagens registadas pelos satélites são inconvenientes para as teses que servem de base à propaganda dos Estados Unidos e dos seus aliados”, acrescentou Isaacsson.
A opinião do advogado novaiorquino parece ter fundamento. Uma fonte do Departamento de Estado admitiu, a título meramente pessoal, que as informações em poder do jornalista Robert Parry, premiado repórter que desvendou o escândalo Irão-Contras, nos anos oitenta, “faz bastante sentido”.
Parry divulgou dados obtidos por uma fonte - que “provou sempre ser bastante pormenorizada nas informações que transmite” - segundo os quais “as agências norte-americanas de espionagem têm imagens detalhadas de satélites mostrando que a bateria de mísseis que provavelmente disparou o engenho fatal parece estar sob o controlo de tropas do governo ucraniano, envergando uniformes que parecem ser os dos soldados ucranianos”.

As explicações que estão a ser debatidas pelos analistas da CIA, segundo Robert Parry citando a mesma fonte, são as de que os soldados poderão ser “rebeldes” envergando fardas semelhantes ou então eram mesmo “soldados ucranianos indisciplinados e embriagados, uma vez que as imagens mostram garrafas espalhadas pelo local”.
John Isaacsson comentou que este tipo de explicações “poderiam, por absurdo, ser plausíveis se não estivéssemos no país, os Estados Unidos da América, que inventou armas químicas em poder de um governo para iniciar uma guerra e mudar um regime e que, já com este secretário de Estado, atribuiu um massacre com armas químicas a um governo, o da Síria, quando o crime foi cometido por aqueles que ele próprio apoia, por sinal terroristas islâmicos”.
O que a Casa Branca e o Departamento de Estado estão a fazer”, acrescentou Isaacsson, “é tentar que os dados a apresentar à opinião pública confirmem a tese de culpar a Rússia e os pró-russos pelo crime, mesmo sabendo que foram os seus aliados fascistas de Kiev que o cometeram”.
As congeminações da CIA, de acordo com as investigações de Robert Parry, incluem ainda a possibilidade de atribuir o derrube do avião a “rebeldes” que “se tivessem enganado, por inexperiência, na leitura dos dados dos radares, julgando disparar contra um caça ucraniano”A mais recente versão das agências de espionagem é a de que o disparo pode ter sido feito por um “desertor” do exército ucraniano, razão pela qual envergaria a farda das tropas ao serviço de Kiev.
“Não acredito que uma imagem de satélite possa ter tantas leituras”, diz um assessor de um congressista em Washington. “O conhecimento destas peripécias em torno das explicações de factos concretos é um descrédito para quem quer ser levado a sério. A única coisa que há a fazer é não dizer mais nada ou assumir a interpretação mais lógica de todas – foram tropas ucranianas que derrubaram o avião – e entregar os materiais às instâncias internacionais de inquérito, uma vez que os Estados Unidos defendem oficialmente que ele se realize. Nesse aspecto os russos estão a ser bastante mais sérios”, acrescentou o assessor.
O Ministério da Defesa russo apresentou em conferência de imprensa imagens e dados obtidos pelos satélites e radares de Moscovo durante os últimos momentos de voo do avião. Essas informações confirmam a existência de pelo menos um caça na vizinhança do aparelho nos últimos minutos antes do desaparecimento dos radares e revelam a movimentação de bases de mísseis na região da tragédia. Sem tirar conclusões sobre quem fez o disparo, o porta-voz do ministério russo, Igor Makuchev, sublinhou que a segunda aeronave no local pode ser um avião militar ucraniano – confirmando a informação divulgada poucos minutos depois do derrube na conta Twitter do controlador aéreo espanhol da torre de controlo de Kiev – e que as movimentações de mísseis ocorreram em zonas sob controlo do exército governamental ucraniano.
Makushev informou ainda que o aparelho foi desviado cerca de 14 quilómetros da rota em que seguia – provavelmente em consequência da presença da escolta militar – e que tentava regressar ao caminho original quando se deu o acidente.
O Ministério russo da Defesa informou que os dados e imagens serão entregues às entidades responsáveis pelo inquérito oficial.
Entretanto, as milícias antifascistas de Lugansk e Donetsk enviaram as caixas negras que descobriram para a Malásia, país de bandeira do aparelho derrubado. As caixas negras que foram confiscadas pela polícia política fascista ucraniana continuam em seu poder.
Do lado norte-americano, a única posição oficial continua a ser a explicitada pelo Departamento de Estado, segundo a qual o aparelho foi derrubado pelos “rebeldes”, sob responsabilidade e com material russo. As provas que servem de base às autoridades do país onde se localizam as mais poderosas agências de espionagem mundiais são as que circulam no Youtube e nas redes sociais, além das deduções decorrentes “do senso comum”.
As duas principais provas invocadas são uma gravação de uma conversa entre milicianos antifascistas sobre o derrube de um avião e fotos de baterias de mísseis Buk regressando à Rússia depois do disparo fatal para o MH17.
Peritos que as analisaram, citados inclusivamente pela comunicação social norte-americana, asseguram que se trata de falsificações.
A gravação é uma colagem de comunicações feitas em momentos diferentes sobre assuntos diversificados.
Quanto às fotos das baterias de mísseis, várias fontes residentes e conhecedoras da região identificaram-nas como sendo captadas junto à localidade de Krasnoarmeisk, que está desde Maio sob o controlo das tropas governamentais. As testemunhas baseiam-se na existência de cartazes nas fotos identificando um stand de automóveis de Krasnoarmeisk, vendo-se em fundo um estabelecimento de materiais de construção na Rua Gorki, em Krasnoarmeisk. Esta localidade situa-se a 120 quilómetros da fronteira russa e a 80 quilómetros do local onde o avião foi abatido.

José Goulão, Martha Ladesic, Nova York, Mário Ramírez, Washington, Castro Gomez, Donetsk

Legislativas Manifesto e Livre vão juntos às próximas eleições

Legislativas 


Manifesto e Livre vão juntos às próximas eleições

O Fórum Manifesto e o partido Livre vão concorrer juntos às próximas eleições legislativas, de acordo com o semanário Sol.

A notícia é avançada pelo semanário Sol, na sua edição online, que dá conta de que o calendário e as bases programáticas não estão fechados.
Numa sessão de esclarecimento, Ana Drago, do Fórum Manifesto, salientou a necessidade de criar uma “plataforma eleitoral”.
 “Não basta fazer o diagnóstico acertado e ficar sentado. Precisamos de estar empenhados na tentativa de fazer uma plataforma que possa assumir compromissos com impacto na vida das pessoas”, afirmou.

Citações - concluir é melhor que acreditar

concluir é melhor que acreditar
Para encontrar a si mesmo, pense por si mesmo.
— Sócrates
Não tenha inveja daqueles que vivem num paraíso dos tolos, pois apenas um tolo o consideraria um paraíso.
— Bertrand Russell
Podemos estar certos de que, num avião em queda, ninguém começará a rezar até que tenham se esgotado todas as possibilidades físicas de colocar a aeronave no chão com segurança.
— André Cancian
Pó apaixonado por fantasmas, tal é o homem.
— Emil M. Cioran
O preferível não é o desejo de acreditar, mas o desejo de descobrir, que é exatamente o oposto.
— Bertrand Russell
Não tenho medo da morte. Estive morto por bilhões e bilhões de anos antes de meu nascimento, e isso nunca me causou qualquer inconveniência.
— Mark Twain
O desejo de salvar a humanidade é quase sempre um disfarce para o desejo de controlá-la.
— H. L. Mencken
Opiniões defendidas apaixonadamente são aquelas para as quais não há boas justificativas.
— Bertrand Russell
O que pode ser afirmado sem provas também pode ser rejeitado sem provas.
— Christopher Hitchens
Convicções são maiores inimigas da verdade que mentiras.
— Friedrich Nietzsche
Realidade é aquilo que não desaparece quando paramos de acreditar.
— Philip K. Dick
Se deus queria que as pessoas acreditassem nele, por que então ele inventou a lógica?
— David Feherty
É melhor ler a previsão do tempo antes de rezar por chuva.
— Mark Twain
Criacionistas fazem parecer que uma “teoria” é algo que você sonhou depois de ter passado a noite inteira bêbado.
— Isaac Asimov
A inspiração da Bíblia depende da ignorância da pessoa que a lê.
— Robert G. Ingersoll
As pessoas defendem apaixonadamente a religião que receberam de seus pais. Defenderiam com igual paixão qualquer outra fé, possivelmente oposta, se tivessem nascido em outra família.
— Richard Dawkins
Sou ateu porque não há evidências para a existência de Deus. Isto é tudo o que precisa ser dito: sem evidência, sem crença.
— Dan Barker
Sempre que a moralidade baseia-se na teologia, sempre que o correto torna-se dependente da autoridade divina, as coisas mais imorais, injustas e infames podem ser justificadas e estabelecidas.
— Ludwig Feuerbach
Quando uma pessoa sofre de um delírio, isso se chama insanidade. Quando muitas pessoas sofrem de um delírio, isso se chama religião.
— Robert M. Pirsig
Se 5 bilhões de pessoas acreditam em uma coisa estúpida, essa coisa continua sendo estúpida.
— Anatole France
Se existisse um Deus bondoso e todo-poderoso, teria feito exclusivamente o bem.
— Mark Twain
E no 4,5 bilionésimo ano o homem disse: que haja deus.
— Justin Thomas
A maioria das pessoas preferiria morrer a pensar. Na verdade, muitas o fazem.
— Bertrand Russell
Lida propriamente, a Bíblia é a força mais potente para o ateísmo jamais concebida.
— Isaac Asimov
Um dogma é a mão dos mortos na garganta dos vivos.
— Lemuel K. Washburn
A mente do fundamentalista é como a pupila do olho: quanto mais luz você joga, mais ela se fecha.
— Stephen Hawking
Milagres acontecem para aqueles que acreditam neles. Por que a Virgem Maria nunca aparece para budistas, muçulmanos e hindus que não ouviram falar dela?
— Bernard Berenson
Acredito hoje no que acreditava quando tinha oito anos — na ciência.
— Rick Reynolds
Eu sou contra a religião porque ela ensina a nos satisfazermos em não entender o mundo.
— Richard Dawkins
Não sou religioso. Respeito todas as crenças, mas os religiosos não têm nenhum respeito pelas pessoas sem fé.
— Dráuzio Varella
Se você rezar por chuva por bastante tempo, ela eventualmente cai. Se você rezar para que enxurradas se acalmem, elas eventualmente o farão. O mesmo acontece na ausência de preces.
— Steve Allen
Fé é o esforço para acreditar naquilo que seu bom senso diz que não é verdade.
— Elbert Hubbard
A função da fé é lhe permitir acreditar naquilo que sua inteligência rejeita.
— Luís Fernando Verissimo
A verdade em assuntos de religião é simplesmente a opinião que sobreviveu.
— Oscar Wilde
Rezar para o Sol ou rezar para Deus resulta na mesma proporção de pedidos atendidos.
— Isaac Asimov
Assim como temos lanchonetes para quem não quer cozinhar, temos religião para quem não quer pensar.
— André Cancian
Se a Bíblia está errada ao nos dizer de onde viemos, como podemos confiar nela para nos dizer para onde estamos indo?
— Justin Brown
Não nos damos conta de que, tendo inventado Deus, imediatamente nos tornamos Seus escravos.
— José Saramago
Deus é o asilo da ignorância.
— Baruch Spinoza
Ao matar a morte, a religião nos tira a vida: vivemos morrendo. A eternidade despovoa o instante. Porque vida e morte são inseparáveis. Tirando-nos a morte, a religião nos tira a vida. Em nome da vida eterna, a religião afirma a morte desta vida.
— Octávio Paz
Não basta apreciar a beleza de um jardim, é preciso também acreditar que há fadas nele?
— Douglas Adams
Alegações extraordinárias requerem evidências extraordinárias.
— Carl Sagan
Render-se à ignorância e chamá-la de Deus sempre foi prematuro. E continua prematuro até hoje.
— Isaac Asimov
Tudo o que ainda permanece vivo dentro do folclore é anterior ao cristianismo. O mesmo para tudo o que ainda está vivo em nós.
— E. M. Cioran
A ignorância mais frequentemente gera confiança do que o conhecimento: são os que sabem pouco, e não aqueles que sabem muito, que afirmam de uma forma tão categórica que este ou aquele problema nunca será resolvido pela ciência.
— Charles Darwin
Não consigo acreditar que o mesmo deus que nos deu inteligência, razão e bom senso nos proíba de usá-los.
— Galileu Galilei
Hoje a teoria da evolução é tão questionável quanto a teoria de que a terra gira em torno do sol.
— Richard Dawkins
Todas as religiões são fundadas sobre o temor de muitos e a esperteza de poucos.
— Stendhal
Quanto mais eu estudo as religiões, mais eu estou convencido de que o homem nunca adorou nada além dele mesmo.
— Richard Francis Burton
Rezar é como uma cadeira de balanço – ela vai dar-lhe algo para fazer, mas você não vai chegar a lugar nenhum.
— Gypsy Rose Lee
Era uma vez um tempo em que todas as pessoas acreditavam em deus e a igreja governava. Esse período foi chamado de Idade das Trevas.
— Richard Lederer
Jamais consideraríamos bondosa uma pessoa que, tendo poder de criar um mundo sem dor, cria deliberadamente o contrário.
— André Cancian
Acreditar é mais fácil do que pensar. Daí existirem muito mais crentes do que pensadores.
— Bruce Calvert
A prece ‘não nos deixes cair em tentação’ significa: ‘não nos deixes ver quem somos’.
— Arthur Schopenhauer
Nos Evangelhos, ‘o mundo’ e ‘o mal’ são termos empregados mais ou menos como sinônimos.
— Arthur Schopenhauer
Os homens não ousam confessar, nem mesmo a seus corações, as dúvidas que têm a respeito desses assuntos. Eles valorizam a fé implícita; e disfarçam para si mesmos a sua real descrença, por meio das afirmações mais convictas e do fanatismo mais positivo.
— David Hume
A forma mais comum de loucura é a crença apaixonada no palpavelmente falso. Essa é a principal ocupação da humanidade.
— H. L. Mencken
A argumentação não é suficiente para a descoberta de novos trabalhos, pois a sutileza da natureza é muitas vezes superior à sutileza dos argumentos.
— Francis Bacon
Discutir com um homem que renunciou à sua razão é como medicar um cadáver.
— Thomas Paine
Se conhecimento pode trazer problemas, não é sendo ignorantes que poderemos solucioná-los.
— Isaac Asimov
Explicações místicas são consideradas profundas. Mas a verdade é que elas não são sequer superficiais.
— Nietzsche
Há algo débil e um pouco desprezível no homem que não conse-gue encarar as adversidades da vida sem a ajuda de mitos confortantes.
— Bertrand Russell
A fé, quando está certa sobre algo, está certa por acidente.
— Sam Harris
Em todo homem dorme um profeta, e quando ele acorda há um pouco mais de mal no mundo.
— E. M. Cioran
Tem de ser dito, e em voz alta, que não faz mais sentido falar de escolas inspiradas na fé ou em ensino inspirado na fé do que em ciência baseada na superstição ou em debate baseado no terror.
— Simon Blackburn
O cume da tolerância é mais rapidamente alcançado por aqueles que não andam carregados de convicções.
— Alexander Chase
Qualquer indivíduo que realmente acredite que seres supra-humanos concederam à nossa raça informações sobre os objetivos de sua existência e do mundo ainda está em sua infância.
— Arthur Schopenhauer
A palavra Deus, para mim, é nada mais que a expressão e produto da fraqueza humana; a Bíblia, uma coleção de lendas honradas, mas ainda assim primitivas, que são bastante infantis.
— Albert Einstein
A religião católica é uma instrução para mendigar o céu, que seria muito difícil merecer. Padres são os intermediários dessa mendicância.
— Arthur Schopenhauer
Afirmo que somos ambos ateus. Apenas acredito num deus a menos que você. Quando você entender por que rejeita todos os outros deuses, entenderá por que rejeito o seu.
— Stephen Henry Roberts
Se, numa discussão, um dos muitos que gostariam de saber tudo, mas se recusam a aprender qualquer coisa, nos perguntar a respeito da continuação da vida após a morte, a resposta mais adequada e mais correta é: “Após a morte você será o que era antes de nascer.”
— Arthur Schopenhauer
A natureza não é cruel, apenas implacavelmente indiferente. Essa é uma das lições mais duras que os humanos têm de aprender.
— Richard Dawkins
Os Deuses são a encarnação do que nunca poderemos ser. O cansaço de todas as hipóteses…
— Fernando Pessoa
Se não há um deus, estamos corretos; se há um deus indiferente, não sofreremos; se há um deus justo, não temos nada a temer pelo uso honesto da racionalidade; mas, se há um deus injusto, temos muito a temer – assim como o cristão.
— George H. Smith
se uma proclamação pública repentinamente anunciasse a anulação de todas as leis criminais, imagino que nenhum de nós teria coragem de ir para casa sob a proteção das causas religiosas.
— Arthur Schopenhauer
A religião pode ser comparada a alguém que pega um cego pela mão e o guia, pois este é incapaz de enxergar por si próprio, tendo como preocupação chegar ao seu destino, não observar tudo pelo caminho.
— Arthur Schopenhauer
Eu jamais iria para a fogueira por uma opinião minha, afinal, não tenho certeza alguma. Porém, eu iria pelo direito de ter e mudar de opinião, quantas vezes eu quisesse.
— Friedrich Nietzsche
Só tem convicções aquele que não aprofundou nada.
— E. M. Cioran
Tem razão quem usa a razão.
— desconhecido
Uma visita ao hospício mostra que a fé não prova nada.
— Friedrich Nietzsche
Não confio em gente que sabe exatamente o que Deus quer que elas façam. Sempre coincide com aquilo que elas próprias desejam.
— Susan Brownell Anthony
Mitologia é o nome que damos às religiões dos outros.
— Joseph Campbell
O homem é tão egoísta que é preciso falar em recompensa em outra vida, para que ele pratique o bem nesta.
— Walter Waeny
Deus é um ser mágico que veio do nada, criou o universo e tortura eternamente aqueles que não acreditam nele, pois os ama.
— Steve Knight
O maior pecado contra a mente humana é acreditar em coisas sem evidências. A ciência é somente o suprassumo do bom-senso — isto é, rigidamente precisa em sua observação e inimiga da lógica falaciosa.
— Thomas H. Huxley
Os homens pensam que a epilepsia é divina meramente porque não a compreendem. Se eles denominassem divina qualquer coisa que não compreendem, não haveria fim para as coisas divinas.
— Hipócrates
Não importa o quão feliz me deixe, se não é verdadeiro, se não é real, muito obrigado. É assim que penso quanto aos deuses e mitos de todas as religiões.
— Francisco Saiz
Não há no mundo amor e bondade bastantes para que ainda possamos dá-los a seres imaginários.
— Friedrich Nietzsche
O Universo não apresenta qualquer evidência de uma mente dirigente (…) Todos os bons intelectos têm repetido, desde o tempo de Bacon, que não pode haver qualquer conhecimento real senão aquele baseado em fatos observáveis.
— Auguste Comte
Afirma-se — não sei com quanta veracidade — que certo pensador hindu acreditava que a Terra estava apoiada em um elefante. Quando lhe perguntaram no que o elefante de sustentava, respondeu que se sustentava numa tartaruga. Quando lhe perguntaram sobre o que a tartaruga se sustentava, ele disse “Estou cansado disso. Vamos mudar de assunto”. Isso ilustra o caráter insatisfatório do argumento da Causa Primeira.
— Bertrand Russell
A religião nunca será capaz de reformar a humanidade, pois religião é escravidão.
— Robert G. Ingersoll
Sempre que a moralidade se baseia na teologia, sempre que o correto se torna dependente da autoridade divina, as coisas mais imorais, injustas e infames podem ser justificadas e estabelecidas.
— Ludwig Feuerbach
As características que foram dadas ao “Ser verdadeiro” das coisas são características do não-Ser, do Nada. Construiu-se o “mundo verdadeiro” a partir da contradição com o mundo efetivo: de fato, o mundo verdadeiro é um mundo aparente, à medida que não passa de uma ilusão ótica de ordem moral.
— Friedrich Nietzsche
As pessoas vão à igreja pelos mesmos motivos que vão à taverna: para estupefazerem-se, para esquecerem-se de sua miséria, para imaginarem-se, de algum modo, livres e felizes.
— Mikhail Bakunin
Não, nossa ciência não é uma ilusão. Ilusão seria imaginar que aquilo que a ciência não nos pode dar podemos conseguir em outro lugar.
— Sigmund Freud
Não é possível convencer um crente de coisa alguma, pois suas crenças não se baseiam em evidências; baseiam-se numa profunda necessidade de acreditar.
— Carl Sagan
Deus deseja prevenir o mal, mas não é capaz? Então não é onipotente. É capaz, mas não deseja? Então é malevolente. É capaz e deseja? Então por que o mal existe? Não é capaz e nem deseja? Então por que lhe chamamos Deus?
— Epicuro
Você diz que acredita na necessidade da religião. Seja sincero! Você acredita mesmo é na necessidade da polícia.
— H. L. Mencken
Se é certo que um Deus fez este mundo, não queria eu ser esse Deus: as dores do mundo dilacerariam meu coração.
— Arthur Schopenhauer
A fé é um eufemismo para preconceito e a religião é um eufemismo para superstição.
— Paul Keller
O médico vê o homem em toda a sua fraqueza; o jurista o vê em toda a sua maldade; o teólogo, em toda a sua imbecilidade.
— Arthur Schopenhauer
A ciência está aberta à crítica, que é o oposto da religião. A ciência implora para que você prove que ela está errada — que é todo o conceito — enquanto a religião o condena se você tentar provar que ela está errada. Ela te diz aceite com fé e cale a boca.
— Jason Stock
Os teólogos dizem: isso são mistérios insondáveis. Ao que respondemos: são absurdidades imaginadas por vós próprios. Começais por inventar o absurdo, depois fazei-nos dele a imposição como mistério divino, insondável e tanto mais profundo quando mais absurdo. É sempre o mesmo procedimento: credo quia absurdum [creio porque é absurdo].
— Mikhail Bakunin
Religiões são como pirilampos: só brilham na escuridão.
— Sebastièn Faure
A ideia de um Ente supremo que cria um mundo no qual uma criatura deve comer outra para sobreviver e, então, proclama uma lei dizendo: “Não Matarás” é tão monstruosamente absurda que não consigo entender como a humanidade a tem aceito por tanto tempo.
— Peter de Vries
Se os bois e os cavalos tivessem mãos e pudessem pintar e produzir obras de arte similares às do homem, os cavalos pintariam os deuses sob forma de cavalos e os bois pitariam os deuses sob forma de bois.
— Xenófanes
É certamente prejudicial para as almas tornar uma heresia acreditar no que é provado.
— Galileu Galilei
A verdade nunca perde em ser confirmada.
— William Shakespeare
Para os peixinhos do aquário, quem troca a água é Deus.
— Mário Quintana
Por simples bom senso, não acredito em Deus. Em nenhum.
— Charles Chaplin
O “puro espírito” é uma pura estupidez: retire o sistema nervoso e os sentidos, o chamado “envoltório mortal”, e o resto é um erro de cálculo — isso é tudo!…
— Friedrich Nietzsche
Governar acorrentando a mente através do medo de punição em outro mundo é tão baixo quanto usar a força.
— Hipácia
A crença em Deus subsiste devido ao desejo de um pai protetor e imortalidade, ou como um ópio contra a miséria e sofrimento da existência humana.
— Sigmund Freud
Pode-se avaliar a inteligência de uma pessoa pela quantidade de incertezas que ela pode suportar.
— Immanuel Kant
O jeito de ver pela fé é fechar os olhos da razão.
— Benjamin Franklin
Eles vieram com uma Bíblia e sua religião — roubaram nossa terra, esmagaram nosso espírito… e agora nos dizem que devemos ser agradecidos ao “Senhor” por sermos salvos.
— Chefe Pontiac
A ciência tem provas sem certeza. Os teólogos têm certeza sem qualquer prova.
— Ashley Montagu
Para mim, um homem rezando e outro portando um pé de coelho para lhe dar sorte são igualmente incompreensíveis.
— H. L. Mencken
Enquanto o padre, esse negador, caluniador e envenenador da vida por profissão for aceito como uma variedade de homem superior, não poderá haver resposta à pergunta: Que é a verdade? A verdade já foi posta de cabeça para baixo quando o advogado do nada foi confundido com o representante da verdade.
— Friedrich Nietzsche
Se Deus existisse, só haveria para ele um único meio de servir à liberdade humana: seria o de cessar de existir.
— Mikhail Bakunin
À medida que buscamos as origens, vamos nos tornando caranguejos. O historiador olha para trás; até que finalmente também acredita para trás.
— Friedrich Nietzsche
Não tenho medo das perguntas difíceis: tenho pavor das respostas fáceis.
— A. Malcot
O que é mais provável: que a natureza quebre suas leis e permita um milagre ou que alguém esteja mentindo ou se iludindo?
— Thomas Paine
Se lhe ensinassem que os elfos causam a chuva, toda vez que chovesse, você veria a prova dos elfos.
— Ariex
Homens convictos são prisioneiros.
— Friedrich Nietzsche
Se as pessoas são boas só por temerem o castigo e almejarem uma recompensa, então realmente somos um grupo muito desprezível.
— Albert Einstein
O fato de um crente ser mais feliz que um cético não é mais pertinente que o fato de um homem bêbado ser mais feliz que um sóbrio.
— George B. Shaw
“Fé” significa não querer saber o que é a verdade.
— Friedrich Nietzsche
Religião é uma coisa excelente para manter as pessoas comuns quietas.
— Napoleão Bonaparte
Afirmar que “Deus fez isso” não é nada mais do que uma admissão de ignorância vestida enganadoramente como uma explicação.
— Peter Atkins
O escopo da ciência é limitado? Sim, sem dúvida: limitado a tratar daquilo que existe, não daquilo que gostaríamos que existisse.
— André Cancian
A fé não é racional, é emocional. Crentes reagem emocionalmente quando sua fé é contestada. No fundo de suas mentes, sabem que acreditam num mito e têm medo de que sua crença desabe na presença da lógica. É por isso que diferenças religiosas levam à guerra, mas não à Aritmética. Quanto menos evidência existe em favor de uma ideia, maior a paixão, maior a violência.
— Bertrand Russell
Não sou um ateu total, todos os dias tento encontrar um sinal de Deus, mas infelizmente não o encontro.
— José Saramago
Penso que só há um caminho para a ciência ou para a filosofia: encontrar um problema, ver a sua beleza e apaixonar-se por ele; casar e viver feliz com ele até que a morte vos separe — a não ser que encontrem outro problema ainda mais fascinante, ou, evidentemente, a não ser que obtenham uma solução. Mas, mesmo que obtenham uma solução, poderão então descobrir, para vosso deleite, a existência de toda uma família de problemas-filhos, encantadores ainda que talvez difíceis, para cujo bem-estar poderão trabalhar, com um sentido, até ao fim dos vossos dias.
— Karl Popper
O problema mais gritante de sistemas absolutistas, como os Dez Mandamentos, é que, quando há mais de uma regra absoluta, torna-se possível o surgimento de conflitos entre elas. Assim, poderíamos perguntar se é algo apropriado assassinar para prevenir um roubo. É permitido roubar para prevenir um assassinato? Deveríamos mentir se tivéssemos uma boa razão para acreditar que a verdade faria com que o indivíduo morresse de ataque cardíaco? É apropriado mentir para evitar ser assassinado? É lícito quebrar o sábado santo para salvar a vida de alguém? Seria correto roubarmos um carro se soubéssemos que isso evitaria que seu dono trabalhasse no sábado santo ou matasse alguém? Deveríamos honrar a vontade de nossos pais se eles nos pedissem para quebrar algum dos outros mandamentos? Deveríamos roubar nossos pais se, ao fazê-lo, talvez estivéssemos prevenindo um assassinato? Todos os tipos de dilema como esses são possíveis. (…) Isso demonstra que não podemos viver baseados em princípios absolutos e abstratos. Precisamos relacioná-los à vida e às necessidades humanas.
— Frederick Edwords
Mas e quanto ao imperativo darwiniano de sobreviver e reproduzir-se? No que concerne ao comportamento cotidiano, não existe esse imperativo. Há quem fica assistindo a um filme pornográfico quando poderia estar procurando um parceiro, quem abre mão de comida para comprar heroína, quem posterga a gestação dos filhos para fazer carreira na empresa, quem come tanto que acaba indo mais cedo para o túmulo. O vício humano é prova de que a adaptação biológica, na acepção rigorosa do termo, é coisa do passado. Nossa mente é adaptada para os pequenos bandos coletores de alimentos nos quais nossa família passou 99% de sua existência, e não para as desordenadas contingências por nós criadas desde as revoluções agrícola e industrial. Antes da fotografia, era adaptativo receber imagens visuais de membros atraentes do sexo oposto, pois essas imagens originavam-se apenas da luz refletindo-se de corpos férteis. Antes dos narcóticos em seringas, eles eram sintetizados no cérebro como analgésicos naturais. Antes de haver filmes de cinema, era adaptativo observar as lutas emocionais das pessoas, pois as únicas lutas que você podia testemunhar eram entre pessoas que você precisava psicanalizar todo dia. Antes de haver a contracepção, os filhos eram inadiáveis, e status e riqueza podiam ser convertidos em filhos mais numerosos e mais saudáveis. Antes de haver açucareiro, saleiro e manteigueira em cada mesa, e quando as épocas de vacas magras jamais estavam longe, nunca era demais ingerir todo o açúcar, sal e alimentos gordurosos que se pudesse obter. As pessoas não adivinham o que é adaptativo para elas ou para seus genes. Estes dão a elas pensamentos e sentimentos que foram adaptativos no meio em que os genes foram selecionados.
— Steven Pinker
Em algum remoto rincão do universo cintilante que se derrama em um sem-número de sistemas solares, havia uma vez um astro, onde animais inteligentes inventaram o conhecimento. Foi o minuto mais soberbo e mais mentiroso da “história universal”: mas também foi somente um minuto. Passados poucos fôlegos da natureza congelou-se o astro, e os animais inteligentes tiveram de morrer. — Assim poderia alguém inventar uma fábula e nem por isso teria ilustrado suficientemente quão lamentável, quão fantasmagórico e fugaz, quão sem finalidade e gratuito fica o intelecto humano dentro da natureza. Houve eternidades em que ele não estava; quando de novo ele tiver passado, nada terá acontecido. Pois não há para aquele intelecto nenhuma missão mais vasta que conduzisse além da vida humana. Ao contrário, ele é humano, e somente seu possuidor e genitor o toma tão pateticamente, como se os gonzos do mundo girassem nele. Mas se pudéssemos entender-nos com a mosca, perceberíamos então que também ela boia no ar com esse páthos e sente em si o centro voante deste mundo. Não há nada tão desprezível e mesquinho na natureza que, com um pequeno sopro daquela força do conhecimento, não transbordasse logo um odre; e como todo transportador de carga quer ter seu admirador, mesmo o mais orgulhoso dos homens, o filósofo, pensa ver por todos os lados os olhos do universo telescopicamente em mira sobre seu agir e pensar.
— Friedrich Nietzsche
A velha noção antropomórfica de que todo o universo se centraliza no homem — de que a existência humana é a suprema expressão do processo cósmico — parece galopar alegremente para o balaio das ilusões perdidas. O fato é que a vida do homem, quanto mais estudada à luz da biologia geral, parece cada vez mais vazia de significado. O que, no passado, deu a impressão de ser a principal preocupação e obra-prima dos deuses, a espécie humana começa agora a apresentar o aspecto de um subproduto acidental das maquinações vastas, inescrutáveis e provavelmente sem sentido desses mesmos deuses.
— H. L. Mencken
Se um Deus bondoso e infinitamente poderoso governa este mundo, como podemos justificar os ciclones, os terremotos, a pestilência e a fome? Como podemos justificar o câncer, os micróbios, a difteria e milhares de outras doenças que atacam durante a infância? Como podemos justificar as bestas selvagens que devoram seres humanos e as serpentes cujas mordidas são letais? Como podemos justificar um mundo onde a vida alimenta-se da vida? Será que os bicos, garras, dentes e presas foram inventados e produzidos pela infinita misericórdia? A bondade infinita deu asas às águias para que suas presas fugazes pudessem ser arrebatadas? A bondade infinita criou os animais de rapina com a intenção de que eles devorassem os fracos e os desamparados? A bondade infinita criou as inumeráveis criaturas inúteis que se reproduzem dentro de outros seres e se alimentam de sua carne? A sabedoria infinita produziu intencionalmente os seres microscópicos que se alimentam do nervo óptico? Pense na ideia de cegar um homem para satisfazer o apetite de um micróbio! Pense na vida alimentando-se da própria vida! Pense nas vítimas! Pense no Niágara de sangue derramando-se no precipício da crueldade!
— Robert G. Ingersoll
A compreensão humana não é um exame desinteressado, mas recebe infusões da vontade e dos afetos; disso se originam ciências que podem ser chamadas “ciências conforme a nossa vontade”. Pois um homem acredita mais facilmente no que gostaria que fosse verdade. Assim, ele rejeita coisas difíceis pela impaciência de pesquisar; coisas sensatas, porque diminuem a esperança; as coisas mais profundas da natureza, por superstição; a luz da experiência, por arrogância e orgulho; coisas que não são comumente aceitas, por deferência à opinião do vulgo. Em suma, inúmeras são as maneiras, e às vezes imperceptíveis, pelas quais os afetos colorem e contaminam o entendimento.
— Francis Bacon
A humanidade só saiu da barbárie mental primitiva quando se evadiu do caos das suas velhas lendas e não temeu mais o poder dos taumaturgos, dos oráculos e dos feiticeiros. Os ocultistas de todos os séculos não descobriram nenhuma verdade ignorada, ao passo que os métodos científicos fizeram surgir do nada um mundo de maravilhas. Abandonemos às imaginações mórbidas essa legião de larvas, de espíritos, de fantasmas e de filhos da noite — e que, no futuro, uma luz suficiente os dissipe para sempre.
— Gustave Le Bon
Muitos indivíduos ortodoxos dão a entender que é papel dos céticos refutar os dogmas apresentados — em vez de os dogmáticos terem de prová-los. Essa ideia, obviamente, é um erro. De minha parte, poderia sugerir que entre a Terra e Marte há um bule de chá chinês girando em torno do Sol em uma órbita elíptica, e ninguém seria capaz de refutar minha asserção, tendo em vista que teria o cuidado de acrescentar que o bule é pequeno demais para ser observado mesmo pelos nossos telescópios mais poderosos. Mas se afirmasse que, devido à minha asserção não poder ser refutada, seria uma presunção intolerável da razão humana duvidar dela, com razão pensariam que estou falando uma tolice. Entretanto, se a existência de tal bule fosse afirmada em livros antigos, ensinada como a verdade sagrada todo domingo e instilada nas mentes das crianças na escola, a hesitação de crer em sua existência seria sinal de excentricidade.
— Bertrand Russell
… [a religião é] um sistema de doutrinas e promessas que, por um lado, lhe explicam os enigmas deste mundo com perfeição invejável e que, por outro lado, lhe garantem que uma Providência cuidadosa velará por sua vida e o compensará, numa existência futura, de quaisquer frustrações que tenha experimentado aqui. O homem comum só pode imaginar essa Providência sob a figura de um pai ilimitadamente engrandecido. Apenas um ser desse tipo pode compreender as necessidades dos filhos dos homens, enternecer-se com suas preces e aplacar-se com os sinais de seu remorso. Tudo é tão patentemente infantil, tão estranho à realidade, que, para qualquer pessoa que manifeste uma atitude amistosa em relação à humanidade, é penoso pensar que a grande maioria dos mortais nunca será capaz de superar essa visão da vida. Mais humilhante ainda é descobrir como é vasto o número de pessoas de hoje que não podem deixar de perceber que essa religião é insustentável e, não obstante isso, tentam defendê-la, item por item, numa série de lamentáveis atos retrógrados.
— Sigmund Freud
As pessoas dirão que, sem os consolos da religião, elas seriam intoleravelmente infelizes. Tanto quanto este argumento é verdadeiro, também é covarde. Ninguém senão um covarde escolheria conscientemente viver no paraíso dos tolos. Quando um homem suspeita da infidelidade de sua esposa, não lhe dizem que é melhor fechar os olhos à evidência. Não consigo ver a razão pela qual ignorar as evidências deveria ser desprezível em um caso e admirável no outro.
— Bertrand Russell
Má compreensão do sonho. — Nas épocas de cultura tosca e primordial o homem acreditava no sonho conhecer um segundo mundo real; eis a origem de toda metafísica. Sem o sonho, não teríamos achado motivo para uma divisão do mundo. Também a decomposição em corpo e alma se relaciona à antiquíssima concepção do sonho, e igualmente a suposição de um simulacro corporal da alma, portanto a origem de toda crença nos espírito e também, provavelmente, da crença nos deuses: “Os mortos continuam vivendo, porque aparecem em sonho aos vivos”: assim se raciocinava outrora, durante muitos milênios.
— Friedrich Nietzsche
Só confie numa testemunha quando ela fala de questões em que não se acham envolvidos nem o seu interesse próprio, nem as suas paixões, nem os seus preconceitos, nem o amor pelo maravilhoso. No caso de haver esse envolvimento, requeira evidência corroborativa em proporção exata à violação da probabilidade evocada pelo seu testemunho.
— Thomas Huxley
Foste vós que, primeiramente, afirmastes a existência de Deus; deveis, pois, ser os primeiros a pôr de parte vossas afirmações. Sonharia eu, alguma vez, com negar a existência de Deus, se vós não tivésseis começado a afirmá-la? E se, quando eu era criança, não me tivessem imposto a necessidade de acreditar nele? E se, quando adulto, não tivesse ouvido afirmações nesse sentido? E se, quando homem, os meus olhos não tivessem constantemente contemplado os templos elevados a esse Deus? Foram as vossas afirmações que provocaram as minhas negações. Cessai de afirmar que eu cessarei de negar.
— Sebastièn Faure
Eu li a Bíblia de capa a capa. Chamar aquele livro de “a palavra de Deus” é um insulto a Deus. Chamar aquele livro de um guia moral é uma afronta à decência e dignidade dos povos. Chamá-lo de guia para a vida é fazer uma piada de nossa existência. E pretender que ela seja a verdade absoluta é ridicularizar e subestimar o intelecto humano.
— desconhecido
No cristianismo, nem a moral nem a religião têm qualquer ponto de contado com a realidade. São oferecidas causas puramente imaginárias (“Deus”, “alma”, “eu”, “espírito”, “livre arbítrio” — ou mesmo o “não-livre”) e efeitos puramente imaginários (“pecado”, “salvação”, “graça”, “punição”, “remissão dos pecados”). Um intercurso entre seres imaginários (“Deus”, “espíritos”, “almas”); uma história natural imaginária (antropocêntrica; uma negação total do conceito de causas naturais); uma psicologia imaginária (mal-entendidos sobre si, interpretações equivocadas de sentimentos gerais agradáveis ou desagradáveis, por exemplo, os estados do nervus sympathicus com a ajuda da linguagem simbólica da idiossincrasia moral-religiosa — “arrependimento”, “peso na consciência”, “tentação do demônio”, “a presença de Deus”); uma teleologia imaginária (o “reino de Deus”, “o juízo final”, a “vida eterna”). — Esse mundo puramente fictício, com muita desvantagem, se distingue do mundo dos sonhos; o último ao menos reflete a realidade, enquanto aquele falsifica, desvaloriza e nega a realidade. Após o conceito de “natureza” ter sido usado como oposto ao conceito de “Deus”, a palavra “natural” forçosamente tomou o significado de “abominável” — todo esse mundo fictício tem sua origem no ódio contra o natural (— a realidade! —), é evidência de um profundo mal-estar com a efetividade… Isso explica tudo. Quem tem motivos para fugir da realidade? Quem sofre com ela. Mas sofrer com a realidade significa uma existência malograda… A preponderância do sofrimento sobre o prazer é a causa dessa moral e religião fictícias: mas tal preponderância, no entanto, também fornece a fórmula para a décadence…
— Friedrich Nietzsche
Estamos convencidos de que o pior mal, tanto para a humanidade quanto para a verdade e o progresso, é a Igreja. Poderia ser de outra forma? Pois não cabe à Igreja a tarefa de perverter as gerações mais novas e especialmente as mulheres? Não é ela que, através de seus dogmas, suas mentiras, sua estupidez e sua ignomínia tenta destruir o pensamento lógico e a ciência? Não é ela que ameaça a dignidade do homem, pervertendo suas ideias sobre o que é bom e o que é justo? Não é ela que transforma os vivos em cadáveres, despreza a liberdade e prega a eterna escravidão das massas em benefício dos tiranos e dos exploradores? Não é essa mesma Igreja implacável que procura perpetuar o reino das sombras, da ignorância, da pobreza e do crime? Se não quisermos que o progresso seja, em nosso século, um sonho mentiroso, devemos acabar com a Igreja.
— Mikhail Bakunin
A humanização da natureza deriva da necessidade de pôr fim à perplexidade e ao desamparo do homem frente a suas forças temíveis, de entrar em relação com elas e, finalmente, de influenciá-las. (…) O homem primitivo não tem escolha, não dispõe de outra maneira de pensar. É-lhe natural, algo inato, por assim dizer, projetar exteriormente sua existência para o mundo e encarar todo acontecimento que observa como manifestação de seres que, no fundo, são semelhantes a ele próprio.
— Sigmund Freud
Tudo que a humanidade sofreu com as guerras, com a pobreza, com a pestilência, com a fome, com o fogo e com o dilúvio, todo o pavor e toda a dor de todas as doenças e de todas as mortes — tudo isso se reduz a nada quando posto lado a lado com as agonias que se destinam às almas perdidas. Este é o consolo da religião cristã. Esta é a justiça de Deus — a misericórdia de Cristo. Este dogma aterrorizante, esta mentira infinita: foi isto que me tornou um implacável inimigo do cristianismo. A verdade é que a crença na danação eterna tem sido o verdadeiro perseguidor. Fundou a Inquisição, forjou as correntes e construiu instrumentos de tortura. Obscureceu a vida de muitos milhões. Tornou o berço tão terrível quanto o caixão. Escravizou nações e derramou o sangue de incontáveis milhares. Sacrificou os melhores, os mais sábios, os mais bravos. Subverteu a noção de justiça, derriscou a compaixão dos corações, transformou homens em demônios e baniu a razão dos cérebros. Como uma serpente peçonhenta, rasteja, sussurra e se insinua em toda crença ortodoxa. Transforma o homem numa eterna vítima e Deus num eterno demônio. É o horror infinito. Cada igreja em que se ensina esta idéia é uma maldição pública. Todo pregador que a difunde é um inimigo da humanidade. Em vão se procuraria uma selvageria mais ignóbil que este dogma cristão. Representa a maldade, o ódio e a vingança sem fim. Nada poderia tornar o inferno pior, exceto a presença de seu criador, Deus. Enquanto estiver vivo, enquanto estiver respirando, negarei esta mentira infinita com toda minha força, a odiarei com cada gota de meu sangue.
— Robert G. Ingersoll
Contra o panteísmo, sustento principalmente que ele não diz nada. Chamar Deus ao Mundo não significa explicá-lo, mas apenas enriquecer a língua com um sinônimo supérfluo da palavra Mundo. Se dizeis “o Mundo é Deus”, ou “o Mundo é o Mundo”, dá no mesmo. Quando partimos de Deus como se ele fosse o dado e o a-ser-explicado, e dizemos portanto: “Deus é o Mundo”; então numa certa medida exista uma explicação, ao se reconduzir ignotum a notius: mas trata-se somente de uma explicação de vocabulário. Porém, quando se parte do efetivamente dado, portanto o mundo, e se afirma “o Mundo é Deus”, então se torna claro que com isto não se diz nada, ou ao menos que se explica ignotum per ignotius [O desconhecido pelo mais desconhecido].
— Arthur Schopenhauer
A ideia de que Deus é um gigante barbudo de pele branca sentado no céu é ridícula. Mas se, com esse conceito, você se referir a um conjunto de leis físicas que regem o Universo, então claramente existe um Deus. Só que Ele é emocionalmente frustrante: afinal, não faz muito sentido rezar para a lei da gravidade!
— Carl Sagan
…consideremos quão ingênuo é dizer: “o homem deveria ser de tal ou de tal modo!” A realidade nos mostra uma encantadora riqueza de tipos, uma abundante profusão de jogos e mudanças de forma — e um miserável serviçal de um moralista comenta: “Não! O homem deveria ser diferente.” Esse beato pedante até sabe como o homem deveria ser: ele pinta seu retrato na parede e diz: “ecce homo!” [eis o homem].
— Friedrich Nietzsche
— “Não houve conversão no leito de morte”, disse Druyan, “Nenhum apelo a Deus, nenhuma esperança sobre uma vida pós-morte, nenhuma pretensão que ele e eu, que fomos inseparáveis por vinte anos, não estávamos dizendo adeus para sempre”.

— “Ele não queria acreditar?”, ela perguntou.

— “Carl nunca quis acreditar”, ela respondeu ferozmente, “Ele quis saber.”
— Ann Druyan, esposa de Carl Sagan
— “Somente uma coisa é necessária”… Que todo homem, por possuir uma “alma imortal”, tenha tanto valor quanto qualquer outro homem; que na totalidade dos seres a “salvação” de todo indivíduo um possa reivindicar uma importância eterna; que beatos insignificantes e desequilibrados possam imaginar que as leis da natureza são constantemente transgredidas em seu favor — não há como expressar desprezo suficiente por tamanha intensificação de toda espécie de egoísmos ad infinitum, até a insolência. E, contudo, o cristianismo deve o seu triunfo precisamente a essa deplorável bajulação de vaidade pessoal — foi assim que seduziu ao seu lado todos os malogrados, os insatisfeitos, os vencidos, todo o refugo e vômito da humanidade. A “salvação da alma” — em outras palavras: “o mundo gira ao meu redor”…
— Friedrich Nietzsche
Os que não padecem desta neurose (religiosidade) talvez não precisem de intoxicante para amortecê-la. Encontrar-se-ão, é verdade, numa situação difícil. Terão de admitir para si mesmos toda a extensão de seu desamparo e insignificância na maquinaria do universo; não podem mais ser o centro da criação, o objeto de eterno cuidado de uma Providência beneficente. Estarão na mesma posição de uma criança que abandonou a casa paterna, onde se achava tão bem instalada e tão confortável. Mas não há dúvidas que o infantilismo está destinado a ser superado. Os homens não podem permanecer crianças para sempre; têm de, por fim, sair para a vida “hostil”.
— Sigmund Freud
Onde fica o cemitério dos deuses mortos? Algum enlutado ainda regará as flores de seus túmulos? Houve uma época em que Júpiter era o rei dos deuses, e qualquer homem que duvidasse de seu poder era ipso facto um bárbaro ou um quadrúpede. Haverá hoje um único homem no mundo que adore Júpiter? E que fim levo Huitzilopochtli? Em um só ano — e isto foi há apenas cerca de quinhentos anos — 50 mil rapazes e moças foram mortos em sacrifício a ele. Hoje, se alguém se lembra dele, só pode ser um selvagem errante perdido nos cafundós da floresta mexicana. Falando em Huitzilopochtli, logo vem à memória seu irmão Tezcatilpoca. Tezcatilpoca era quase tão poderoso: devorava 25 mil virgens por ano. Levem-me a seu túmulo: prometo chorar e depositar uma couronne des perles. Mas quem sabe onde fica? (…) Arianrod, Nuada, Argetlam, Morrigu, Tagd, Govannon, Goibniu, Gunfled, Odim, Dagda, Ogma, Ogurvan, Marzin, Dea Dia, Marte, Iuno Lucina, Diana de Éfeso, Saturno, Robigus, Furrina, Plutão, Cronos, Vesta, Engurra, Zer-panitu, Belus, Merodach, Ubililu, Elum, U-dimmer-an-kia, Marduk, U-sab-sib, Nin, U-Mersi, Perséfone, Tammuz, Istar, Vênus, Lagas , Belis, Nirig, Nusku, Nebo, Aa, En-Mersi, Sin, Assur, Apsu, Beltu, Elali, Kusky-banda, Mami, Nin-azu, Zaraqu, Qarradu, Zagaga, Ueras. Peça ao seu vigário que lhe empreste um bom livro sobre religião comparada: você encontrará todos eles devidamente listados. Todos foram deuses da mais alta dignidade — deuses de povos civilizados —, adorados e venerados por milhões. Todos eram onipotentes, oniscientes e imortais. E todos estão mortos.
— H. L. Mencken
Para ter certeza que minha blasfêmia está minuciosamente clara, por meio desta declaro minha opinião que a noção de um deus é uma superstição básica, que não há evidência para a existência de nenhum deus(es), que diabos, demônios, anjos e santos são mitos, que não há vida após a morte, paraíso nem inferno, que o Papa é um dinossauro medieval perigoso e intolerante, e que o Espírito Santo é um personagem de história em quadrinhos digno de risadas e escárnio. Acuso o deus Cristão de assassinato ao permitir o Holocausto — sem mencionar a “limpeza étnica” presentemente sendo feita pelos Cristãos no mundo — condeno e vilipendio essa divindade mítica por encorajar o preconceito racial e comandar a degradação da mulher.
— James Randi
Por que haverá alguém de envergonhar-se de seu corpo quando este é perfeitamente sadio e capaz de desempenhar as suas funções? Não seria verdade, porventura, que uns poucos neuróticos tivessem primeiro concebido a doutrina do pecado original para justificar as próprias neuroses e que todas as gerações subsequentes de homens normais tivessem seguido pensadores anormais como estúpidos carneiros? Não era a nossa moralidade uma fraude? Não era a felicidade o desígnio da vida? A religião, longe de ser uma aceitação é uma negação da vida.
— Friedrich Nietzsche
Num sistema tecnológico bem projetado, os componentes são caixas pretas que realizam suas funções como se o fizessem por arte mágica. Isto não é menos verdadeiro em relação à mente. Parece-nos que a faculdade de refletir sobre o mundo não tem igual em outras faculdades para as quais está dotada. Isso nos faz vítimas de uma ilusão: que a nossa própria psicologia provém de alguma força divina, uma essência misteriosa ou um princípio todo-poderoso.
— Steven Pinker
O cristão comum. — Se o cristianismo tivesse razão em suas teses acerca de um Deus vingador, da pecaminosidade universal, da predestinação e do perigo de uma danação eterna, seria um indício de imbecilidade e falta de caráter não se tornar padre, apóstolo ou eremita e trabalhar, com temor e tremor, unicamente pela própria salvação; pois seria absurdo perder assim o benefício eterno, em troca da comodidade temporal. Supondo que se creia realmente nessas coisas, o cristão comum é uma figura deplorável, um ser que não sabe contar até três, e que, justamente por sua incapacidade mental, não mereceria ser punido tão duramente quanto promete o cristianismo.
— Friedrich Nietzsche
Se papai Noel existe, e acreditamos nele, no natal ele entrará pela nossa chaminé para colocar presentes debaixo da árvore. Se papai Noel existe, e não acreditamos nele, ficamos sem presentes. Se papai Noel não existe, e acreditamos nele, nada perdemos. Se papai Noel não existe, e não acreditamos nele, nada ganhamos. Portanto, a opção mais vantajosa é acreditarmos no papai Noel.
— André Cancian
O crédulo — A fé pode ser definida em resumo como uma crença ilógica na ocorrência do improvável. Ela contém um sabor platônico; extrapola o processo intelectual normal e atravessa o viscoso domínio da metafísica transcendental. O homem de fé é aquele que simplesmente perdeu (ou nunca teve) a capacidade para um pensamento claro e realista. Não que ele seja uma mula; é, na realidade, um doente. Pior ainda, é incurável, porque o desapontamento, sendo essencialmente um fenômeno objetivo, não consegue afetar sua enfermidade subjetiva. Sua fé se apodera da virulência de uma infecção crônica. O que ele diz, em suma, é: “Vamos confiar em Deus, Aquele que sempre nos tapeou no passado”.
— H. L. Mencken