AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


domingo, 11 de maio de 2014

NOTÍCIAS DE BABILÓNIA LIX

NOTÍCIAS DE BABILÓNIA LIX


Tozé, o inseguro, clama que o futuro de Babilónia é uma carta fechada. Que Hammurabi não abre, nem deixa abrir - que é um empata!...

E nisso se extingue!...

Porém, Hammurabi, o legislador, esgrime e ameaça - e culpa de novo o Conselho de Sábios de todos os perigos... Entretanto, Hannibal, o “perentório”, a salivar raivinhas, faz vista grossa. E perfila-se na“saída limpa”...

A praça inquieta-se e murmura – “Qual limpa, qual conho!... Ficamos na mesma”!...
.............................................................
E uma velha matrona, tricotando a miséria: “Babilónicos, mãos à obra! De uma vez por todas, arejem o “sótão”!... E exterminem as moscas...”



relogiodependulo.blogspot.pt

VEJA os desenhos de Fiona Tang que parecem saltar da tela O trabalho expressivo da artista canadense Fiona Tang, impressiona até os olhares mais apurados da arte.

VEJA os desenhos de Fiona Tang que parecem saltar da tela

O trabalho expressivo da artista canadense Fiona Tang, impressiona até os olhares mais apurados da arte.
Ela cria desenhos em tamanho natural em formato de animais ou criaturas grotescas, usando apenas uma mistura de carvão, tinta acrílica e giz pastel.
Além disso, suas ilustrações parecem estar saindo da parede graças a técnica chamada Trompr L’oeil, que da aparência 3D aos desenhos feitos em superfície plana.
Fiona-Tang-6Fiona-Tang-7fionatang6Fiona-Tang-3Fiona-Tang-1Fiona-Tang-5Fiona-Tang-8

www.tramp.com.br

Museu mostra os 5 mil anos da história da tatuagem Museu do Quai Branly O Museu do Quai Branly (Paris) montou a maior exposição sobre a história da tatuagem, com o título “Tatuadores, Tatuados”. - Ela começou em 6 de abril de 2014 e vai até outubro de 2015.



Museu mostra os 5 mil anos da história da tatuagem

Museu do Quai Branly
Museu do Quai Branly (Paris) montou a maior exposição sobre a história da tatuagem, com o título “Tatuadores, Tatuados”. Ela começou em 6 de abril de 2014 e vai até outubro de 2015.

A exposição nos mostra os 5 mil anos da história da tatuagem. No entanto, cada povo interpreta os desenhos corporais à sua maneira. Nas sociedades ditas “primitivas”, no Oriente, na África ou na Oceania, as tatuagens tem um papel social, religioso ou místico.

No Ocidente, elas foram por muito tempo ligadas à criminalidade e à rebeldia, antes de se tornarem um código urbano e até um fenômeno de moda. A exposição procura mostrar essa evolução, com mais de 500 peças, entre desenhos, fotografias, vídeos e objetos. 
“O registro mais antigo de uma tatuagem é de Ötzi (foto acima), um homem do gelo, cujos os restos foram encontrados nos Alpes italianos, datado de 2500 anos antes de Cristo”, explica Julien, um dos organizadores do evento.
tatuagemA tatuagem é hoje um fenômeno mundial da moda
Marinheiros, em 1966Marinheiros, em 1966
Presos franceses, entre 1920 3 1940Presos franceses, entre 1920 e 1940
Corpo de Fuzileiros Navais do Exército dos EUACorpo de Fuzileiros Navais do Exército dos EUA  
A última mulher tatuada de Kalinga (Filipinas) - Para elas, os desenhos marcavam etapas da vida e serviam como adornos estéticos. Entretanto, A colonização, a modernidade e o preconceito foram os responsáveis pelo enfraquecimento da tradição.
Capitão Costentenus, século XIX
Capitão Costentenus, século XIX
Tela pintada pelo  artista Tintine LeuTela pintada pelo artista Tintine Leu de um cartaz usado a artista de circo Artoria, que teve todo o corpo tatuado pelo marido, entre 1921 e 1924
Lutador de boxe tailandêsLutador de boxe tailandês
A espanhola Isabel MuñozA espanhola Isabel Muñoz
Projetos de tatuagens de Mark KopaProjetos de tatuagens de Mark Kopa
Tatuagens de Yann Black (esquerda) e de Xed LeheadTatuagens de Yann Black (esquerda) e de Xed Lehead
Tatuagens tradicionais  japonesasTatuagens tradicionais japonesas
Jack RudyTatuagens de Jack Rudy (esquerda) e de Grime Date
Desenho de um homem das Ilhas  MarquesasDesenho de um homem das Ilhas Marquesas
71_1934_172_19_1-3Tatuagens japonesas
TATTOO_FA284703Mulher argelina
Tatouage

Quantos e quais foram os sósias de Hitler? Treinar um sósia para ocupar, em qualquer momento em particular, o lugar de líderes importantes, tem sido uma prática comum ao longo da história, embora na maioria dos casos, o assunto seja tratado como um segredo de Estado.

Quantos e quais foram os sósias de Hitler?

Treinar um sósia para ocupar, em qualquer momento em particular, o lugar de líderes importantes, tem sido uma prática comum ao longo da história, embora na maioria dos casos, o assunto seja tratado como um segredo de Estado.
Talvez,  uma das figuras históricas com mais sósias disponíveis tenha sido Adolf Hitler, sempre obcecado com sua segurança e sempre interessado em estar em todos os lugares onde julgava que a sua presença era indispensável.

Hitler
Mas, claro, o Führer não era onipresente, nem tinha o dom da bilocação, por isso, em muitos casos, ficava difícil explicar como ele conseguia estar em dois lugares ao mesmo tempo, ou como conseguia comparecer a eventos distantes uns do outros por centenas de quilômetros.

Muitos especialistas na figura de Hitler sugerem que ele tinha à sua disposição toda uma equipe de sósias perfeitas; capazes de imitar qualquer um de seus movimentos, desde seus trejeitos até mesmo a sua maneira de  falar e discursar, assim, a figura do líder nazista poderia estar presente em muitos lugares e ser aclamada pelo povo alemão.

Há poucos estudos sobre o número e a identidade desses 'gêmeos', que foram treinados à perfeição para ser tornarem idênticos ao Führer, mas um nome ao longo das últimas décadas tem sido apontado como o sósia  perfeito e preferido de Hitler. Trata-se de Ferdinand Beisel, que para a maioria dos historiadores não é uma figura histórica real, já que não existe nenhuma biografia consistente e convincente a seu respeito. Entretanto, alguns estudiosos deixam uma pequena margem para a possibilidade da existência de Beisel e de seu papel junto a Hitler.

De acordo com alguns relatos, Beisel era um tipo comum, mas com um talento: ele tinha um grande senso de humor e a capacidade inata para fazer imitações engraçadas dos outros. Beisel era o centro das atenções em reuniões realizadas na cervejaria, onde habitualmente comparecia depois de terminar a sua jornada de trabalho.

Lá, Beisel contava piadas e personificava os personagens influentes da época, entre os quais, é claro, estava Adolf Hitler, a quem ele imitava com perfeição, com a entonação de voz e expressões faciais idênticas as do ditador. Logo, a brincadeira chamou a atenção da Gestapo, que enviou à cervejaria dois de seus membros com ordens para prender o homem que zombava publicamente do seu amado líder. Para surpresa do alto escalão nazista, eles descobriram que, brincadeiras à parte, o homem imitava Hitler  impecavelmente e que, com um pouco de polimento, ele poderia se tornar o melhor sósia  do Füher.

Do pouco que se sabe realmente sobre o caso, parece que a ideia  foi um sucesso. Ferdinand apareceu em uma série de lugares onde  Hitler era esperado,  sem que ninguém percebesse que se tratava de um imitador.

Porém, um dos problemas que surgiram foi o fato de que Adolf Hitler tinha uma memória prodigiosa para recordar cada uma das pessoas que ele conhecera ao longo de sua vida, bem como para guardar o nome delas. Isso, em certa ocasião, colocou em perigo uma das aparições de Beisel como dublê do líder nazista, porque ele não reconheceu nem cumprimentou um oficial da SS a quem o verdadeiro Hitler havia condecorado poucos dias antes.

Também especula-se que a mesma situação tenha acontecido em 20 de julho de 1944, o dia em que Claus von Stauffenberg tentou acabar com a vida do Führer na conhecida Operação Valquíria. Hitler conhecia o militar, mas parece que naquele dia não lhe deu nenhuma atenção, tampouco o saudou, de modo que tudo aponta que, quem na verdade estava  na sala onde a bomba explodiu não era o verdadeiro chanceler alemão, mas um dos seus sósias.

Outra hipótese, muitas vezes cogitada, levanta a possibilidade de que o corpo encontrado no bunker em Berlim, em 30 de abril de 1945, não era realmente o corpo de Hitler, mas o de Ferdinand Beisel, enquanto isso, o verdadeiro ditador fugia da Alemanha para viver  escondido o resto de sua vida. Alguns dizem que seu destino foi a Argentina, outros falam da Espanha como lugar de seu refúgio e há quem defenda que o esconderijo final de Hitler tenha sido o ensolarado Brasil. Essa teoria tomou tanta força que o Exército dos Estados Unidos manipulou algumas fotografias de Hitler, mudando sua aparência. O objetivo era distribuí-las para as pessoas saberem como o rosto dele podia estar modificado, na esperança de localizar o Füher verdadeiro.

Fotos manipuladas de Hitler
Em relação à miríade de sósias que Hitler supostamente tinha, algumas fontes indicam que eles foram eliminados pouco antes do final da Segunda Guerra Mundial, para que nunca revelassem nada sobre o trabalho que realizaram.

kid-bentinho.blogspot.pt

fMAIS UMA FOTOGALERIA ESPECIAL - 18 Imagens que mostram algumas das maiores estátuas do mundo

18 Imagens que mostram algumas das maiores estátuas do mundo

Desde a antiguidade, o homem achou na escultura uma forma de expressar suas emoções e até mesmo de homenagear figuras políticas ou agradar aos deuses. Nesse último aspecto em especial, os antigos mostraram grande devoção a essas entidades espirituais esculpindo imagens imensas na Grécia e Egito, apenas citando exemplos mais conhecidos.
Na modernidade, esses monumentos, que já eram grandes no passado, acabaram tomando dimensões verdadeiramente colossais graças a evolução das técnicas de construção e aparelhagem. Se você acha a Estátua da Liberdade ou o Cristo Redentor grandes, eles são fichinha perto do Buda da Primavera, por exemplo, e seus incríveis 130 metros de altura, o equivalente a um prédio de aproximadamente 44 andares.
Conheça agora 18 das estátuas mais altas do mundo.

1 - Grand Byakue Kannon, Japão (41,8 metros)

Reprodução/Fabrice Fouillet

2 - Cristo o Rei, Polônia (33 metros)

Reprodução/Fabrice Fouillet

 3 - Monumento da Renascença Africana, Senegal (49 metros)

Reprodução/Fabrice Fouillet

4 - Mao Zedong, China (30 metros)

Reprodução/Fabrice Fouillet

5 – Mãe da Pátria, Ucrânia (62 metros)

Reprodução/Fabrice Fouillet

6 - Ataturk Mask, Turquia (42 metros)

Reprodução/Fabrice Fouillet

7 – A Mãe Pátria, Rússia (52 metros)

Reprodução/Fabrice Fouillet

8 – Guan Yu, China (61 metros)

Reprodução/Fabrice Fouillet

9 – Jesus Benzendo, Indonésia (50 metros)

Reprodução/Fabrice Fouillet

10 – Sendai Daikannon, Japão (100 metros)

Reprodução/Fabrice Fouillet

11 - Laykyun Setkyar, Myanmar (116 metros)

Reprodução

12 - Qianshou Qianyan Guanyin, China (99 metros)

Reprodução

13 – Imperadores Yan e Huang, China (106 metros)

Reprodução

14 – Monumento a Pedro O Grande, Rússia (98 metros)

Reprodução

15 – Templo do Buda da Primavera, China (130 metros)

Reprodução

16 – Grande Buda da Tailândia, Tailândia (92 metros)

Reprodução

17 - Ushiku Daibutsu, Japão (120 metros)

Reprodução

18 - Nanshan Haishang Guanyin, China (108 metros)

Reprodução
curiososabio.tk

Budapeste 1937: A Cidade dos Suicídios Quis Sorrir

Budapeste 1937: A Cidade dos Suicídios Quis Sorrir

"Na Escola Sorrisos em Budapeste uma mulher, com um desenho de sorriso amarrado sobre sua boca, se olha em um espelho de mão. Fotógrafo desconhecido; Hungria em 1937". Do catálogo da coleção da revista ilustrada holandesa Het Leven (“Da Vida”) (1906-1941) da Image library the Memory of the Netherlands. (Foto: Reprodução/Retronaut; Image library the Memory of the Netherlands
Um artigo publicado no jornal australiano Sunday Times em 17 de outubro de 1937, narrava uma nova tendência presente em Budapeste, capital húngara, após a Primeira Guerra Mundial. Por causa dos altos índices de melancolia e de suicídios em ocorrência naquela capital durante o período, dois homens tiveram a ideia de ensinar o povo a sorrir.

O artigo do Sunday Times segue abaixo com mais algumas fotos da revista holandesa Het Leven.

Cidade do Suicídio Torna-se a Cidade do Sorriso

Embora atraia turistas de todas as partes do mundo, Budapeste é chamada pela sua própria população de a Cidade do Suicídio. Budapeste sofreu muito após a Guerra e tem recebido uma publicidade negativa pelo números de casos de auto destruição ocorrendo todo ano. Alguns destes casos estão sendo supostamente inspirados pela canção “Domingo Melancólico”, mas, sendo ou não esta a causa, a taxa de suicídios em Budapeste é definitivamente alta.
"Do lado de fora da Escola Sorrisos em Budapeste, seis pessoas têm uma máscara que força o sorriso em suas bocas. Elas posam junto à fotografia de Franklin Delano Roosevelt, presidente dos Estados Unidos de março de 1933 a abril de 1945. Fotógrafo desconhecido; Hungria, 1937". Do catálogo da coleção da revista ilustrada holandesa Het Leven (“Da Vida”) (1906-1941) da Image library the Memory of the Netherlands. (Foto: Reprodução/Retronaut; Image library the Memory of the Netherlands
O método de suicídio favorito adotado pelos melancólicos budapestenses é o afogamento, e barcos de patrulha ficam ancorados próximos às pontes para que possam resgatar os cidadãos que procuram consolo nas águas escuras do Danúbio.
"Na Escola Sorrisos em Budapeste, alunos assistem a um professor apontando para os desenhos de cinco diferentes posições lábio-bucais de sorrisos. Fotógrafo desconhecido; Hungria, 1937". Do catálogo da coleção da revista ilustrada holandesa Het Leven (“Da Vida”) (1906-1941) da Image library the Memory of the Netherlands. (Foto: Reprodução/Retronaut; Image library the Memory of the Netherlands
Todavia, um “Clube do Sorriso” foi inaugurado para combater a moda do suicídio. Originalmente o clube iniciou mais como uma piada pelo Professor Jeno e por um hipnotizador de nome Binczo. Mas de alguma forma o clube se tornou popular. Seus organizadores agora têm uma escola permanente e garantem que podem ensinar o sorriso Roosevelt, o sorriso Mona Lisa, o sorrisoClark Gable, o sorriso Dick Powel, o sorriso Loretta Young, e vários outros tipos de sorrisos, e os preços variam de acordo com as dificuldades encontradas.
"Na Escola Sorrisos em Budapeste uma mulher olha fotos de mulheres sorrindo que lhes são mostradas. Na parede encontram-se dois desenhos de lábios em posições distintas, e um pôster da famosa pintura de Leonardo da Vinci, “Mona Lisa”. Fotógrafo desconhecido; Hungria, 1937". Do catálogo da coleção da revista ilustrada holandesa Het Leven (“Da Vida”) da Image library the Memory of the Netherlands. (1906-1941); (Foto: Reprodução/Retronaut; Image library the Memory of the Netherlands
Jeno diz que os métodos empregados em sua escola, acompanhados com a melhoria das condições de negócios em Budapeste, estão fazendo que o sorriso se torne popular e espera-se que em pouco tempo Budapeste passe a ser chamada de Cidade do Sorriso.
Ironicamente, aqueles que fizeram o curso ainda tiveram que enfrentar os horrores da Segunda Guerra Mundial, que já se fomentava naquele momento. O fato é que até hoje a Hungria ainda apresenta um alto índice de suicídio—o país ocupa o décimo lugar em uma lista de taxas de suicídios no mundo organizada pelo portal Business Insider a partir de dados da Organização Mundial de Saúde.
Escola Sorrisos em Budapeste, um professor ensina o sorriso de Mona Lisa. Fotógrafo desconhecido; Hungria, 1937". Do catálogo da coleção da revista ilustrada holandesa Het Leven (“Da Vida”) (1906-1941) da Image library the Memory of the Netherlands. (Foto: Reprodução/Retronaut; Image library the Memory of the Netherlands
Sorrir, tanto como uma terapia ou mesmo como uma fuga psicológica, para muitos ainda pode ser uma das poucas maneiras de se encontrar refúgio no nosso mundo dominado pela violência. Estranho ainda é o fato de ter que se matricular em uma escola para reaprender a sorrir. Mas se esta medida for realmente necessária, nada como um cardápio de sorrisos que contenha o sorriso de La Gioconda.

c&p

Fonte: RetronautTroveBusiness InsiderMemory of the Netherlands.