AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quinta-feira, 6 de março de 2014

Página que promete ‘tirar vírus do face’ traz vírus para o Facebook Golpe é hospedado na Chrome Store. Página distribui um clone falso do Flash Player.

Página que promete ‘tirar vírus do face’ traz vírus para o Facebook

Golpe é hospedado na Chrome Store.
Página distribui um clone falso do Flash Player.

Uma fraude na rede Facebook tenta enganar os usuários com a promessa de remover vírus no perfil do internauta. O golpe, porém, instala uma extensão no navegador web que irá realizar atividades fora do controle do usuário.
Fan page que distribui extensões maliciosas no golpe (Foto: Reprodução)
O funcionamento da fraude é semelhante a outras que já estão ocorrendo no Facebook. A extensão é distribuída para usuários dos navegadores Firefox e Chrome.
Uma novidade dessa fraude é que a extensão para o Chrome está na Chrome Store, a loja oficial de extensões do browser do Google. Normalmente, as extensões encontram-se em sites controlados diretamente pelos responsáveis.
Extensão falsa distribuida na Chrome Web Store (Foto: Reprodução)
A fan page que distribui o golpe tem ligações com mais duas outras fraudes do tipo “Saiba quem te visitou” e “Escreva colorido no Facebook“. Nos dois casos, a extensão oferecida é a mesma: um clone malicioso do Adobe Flash Player.
A extensão possui privilégios para acessar vários dados do usuário em páginas e após instalado utiliza os perfis infectados para enviar mensagens promovendo a fan page maliciosa e outros perfis.
Comentários em páginas feitos por perfis infectados (Foto: Reprodução)

Veja também

- See more at: http://www.linhadefensiva.org/2012/03/pagina-que-promete-tirar-virus-do-face-e-falsa-e-traz-virus-para-o-facebook/#sthash.nYa3EIBD.dpuf

AVISO dirigido à Presidente da Assembleia da República Portuguesa Venho comunicar-lhe que não compactuo com o crime e muito menos com aqueles que o apoiam. Provo a todos os portugueses que também a Sra. Presidente da Assembleia da República apoia o crime organizado ...

AVISO dirigido à Presidente da Assembleia da República Portuguesa



Venho comunicar-lhe que não compactuo com o crime e muito menos com aqueles que o apoiam. Provo a todos os portugueses que também a Sra. Presidente da Assembleia da República apoia o crime organizado ...


Em 2013, o Fisco penhorou 1457 salários por dia, em novo recorde de execuções fiscais

Em 2013, o Fisco penhorou 1457 salários por dia, em novo recorde de execuções fiscais

euros 2013As ordens de penhora da Autoridade Tributária (AT) superaram os dois milhões, em 2013, o que constitui o maior registo desde o ano de 2005. No ano passado, o Fisco penhorou 1457 salários por dia, num total superior a 532 mil. No ano de 2013, a AT enviou mais de nove milhões de mensagens eletrónicas aos contribuintes com dívidas fiscais,
O balanço sobre as penhoras e execuções fiscais de 2013, feito pelo Ministério das Finanças, revela um novo crescimento, que se tem verificado nos últimos anos.
Em 2013, houve mais dois milhões de ordens de penhoras, mais do dobro do que se verificou em 2011 (927 mil) e superior às contabilizadas em 2012: 1,6 milhões.
A este crescimento que vem sendo notado junta-se um outro facto: desde 2005 que não se contavam tantas ordens de penhora, sendo que os pedidos incidem em salários, créditos, contas bancárias e outros produtos financeiros.
Os créditos continuam a liderar os alvos das ordens de penhoras emitidas pelo Fisco: 611 941 ordens. A seguir, as contas bancárias, com 576 751. Em terceiro lugar, surgem os salários, com 532 042, ao que corresponde uma média superior a 1457 por dia.
Logo a seguir, nesta lista de ordens de penhora da Autoridade Tributária no ano passado, estão os imóveis, com 123,5 mil e as rendas (33 824).
“Existe uma preocupação por parte da administração fiscal de penhorar primeiro os bens ou rendimentos mais líquidos, deixando a penhora de imóveis para último lugar”, explica Paulo Núncio, secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, em declarações à Lusa.
Sobre a penhora dos salários, Paulo Núncio salienta que a AT “tem instruções precisas para apenas ordenar a penhora de um sexto do rendimento dos contribuintes vencedores”, não obstante “a lei determinar que, em regra, um terço do valor do vencimento mensal é suscetível de penhora”.
Esta redução do valor de penhora tem como objetivo “salvaguardar os contribuintes com rendimentos mais baixo”, realça o secretário de Estado.
No ano de 2013, a AT enviou mais de nove milhões de mensagens eletrónicas aos contribuintes com dívidas fiscais, para que estes procedessem à regularização das dívidas, sob pena de os seus bens ou rendimentos poderem ser alvo de penhora.
Este procedimento do Fisco surge nos “30 dias posteriores à citação do devedor sem ter sido efetuado o pagamento”.
No ano passado, a AT fez uma cobrança coerciva que permitiu um encaixe de 1900 milhões de euros, mais do dobro do valor definido como meta: 1100 milhões.

Sindicatos das forças de segurança temem infiltrados na manifestação Esperam-se mais de dez mil profissionais no protesto desta quinta-feira, um número de ultrapassa a manifestação de Novembro, marcada pela invasão da escadaria do Parlamento.

Sindicatos das forças de segurança temem infiltrados na manifestação

Esperam-se mais de dez mil profissionais no protesto desta quinta-feira, um número de ultrapassa a manifestação de Novembro, marcada pela invasão da escadaria do Parlamento.


Os sindicatos temem que o protesto das forças de segurança, que decorrerá nesta quinta-feira em Lisboa e para o qual se esperam milhares de pessoas, conte com a presença de infiltrados.
O dirigente da Comissão Coordenadora Permanente (CCP) dos Sindicatos e Associações dos Profissionais dos Serviços e Forças de Segurança, em declarações à TSF, disse temer que o protesto possa ser perturbado, já que nas redes sociais há vários grupos a mobilizar pessoas.
O secretário nacional, Paulo Rodrigues, considera que a presença destas pessoas pode ou não ser pacífica e justifica, por isso, o reforço dos agentes da PSP que vão fiscalizar a manifestação. O dirigente estima que no protesto estejam cerca de dez mil profissionais – um número que ultrapassa a manifestação de Novembro. Há pelo menos 60 autocarros que vão chegar a Lisboa, contanto esta manifestação com a presença em massa de elementos da GNR.
Antes, à Lusa, Paulo Rodrigues tinha já referido que espera que o protesto supere o de 21 de Novembro de 2013, que terminou com a invasão da escadaria da Assembleia da República e com a consequente demissão do director nacional da PSP. Na altura, o ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, classificou como "absolutamente inaceitáveis" os acontecimentos que motivaram a invasão da escadaria do Parlamento, garantindo que "foi uma excepção que não voltará a repetir-se". Mas Paulo Rodrigues garante que o episódio foi “simbólico” e isolado.
Ainda à TSF, César Nogueira, da Associação dos Profissionais da Guarda, disse pelo contrário que o reforço policial pode ser contraproducente neste tipo de protesto.

Condicionamentos do trânsito
A manifestação, que os organizadores estimam que seja o maior de sempre, tem como principal motivo os cortes salariais a estas classes. O protesto, que vai realizar-se entre o Marquês de Pombal e a Assembleia da República, é promovida pela CCP dos Sindicatos e Associações dos Profissionais das Forças e Serviços de Segurança, estrutura que congrega os sindicatos mais representativos da GNR, PSP, ASAE, SEF, Guarda Prisional e Polícia Marítima. No protesto vão também participar as associações da GNR e os sindicatos da PSP e dos guardas prisionais que não pertencem à CCP.
Em comunicado, o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP alertou para os condicionamentos do trânsito, a partir das 17h30, entre o Marquês de Pombal e a Assembleia da República, podendo sofrer cortes a Rua Braamcamp, Largo do Rato e a Rua de São Bento.
Em declarações aos jornalistas, na quarta-feira, o Ministro da Administração Interna, afirmou esperar que o protesto decorra dentro da legalidade, mas escusou-se a antecipar cenários caso os polícias voltem a subir a escadaria da Assembleia da República.