AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Gatos: Esses felinos maravilhosos gatos-04 Oconvívio entre o homem e o gato existe desde 4 mil anos antes de Cristo. Foram encontrados afrescos e pinturas funerárias de gatos caseiros das primeiras dinastias egípcias. Encontrou-se no Egito uma grande variedade de múmias de gatos.

Gatos: Esses felinos maravilhosos


gatos-04  Oconvívio entre o homem e o gato existe desde 4 mil anos antes de Cristo. Foram encontrados afrescos e pinturas funerárias de gatos caseiros das primeiras dinastias egípcias. Encontrou-se no Egito uma grande variedade de múmias de gatos. Algumas são envolvidas em tiras de pano entrecruzadas formando um desenho bicolor. Discos redondos representam as narinas e os olhos, sendo as orelhas imitadas com folhas de palmeira. Outras são encerradas em sarcófagos de madeira, de bronze ou de barro. Alguns exemplares podem ser vistos no Museu Nacional do Rio de Janeiro.
Os egípcios apreciavam de tal maneira seus gatos que sua exportação era expressamente proibida; mas os mercadores jônicos entregaram-se a um lucrativo contrabando que permitiu ao gato-caseiro alcançar primeiro a Ásia Menor e depois a Europa. Na Índia o gato foi, aproximadamente, amansado na mesma época que no Egito. A China já conhecia o gato-caseiro mil anos antes de nossa era, o Japão um pouco mais tarde.
Os romanos se interessaram mais pelo gatos do que os gregos. A legião de César contribuiu muito para sua distribuição por toda a Europa e, em particular a Inglaterra. Portanto, foi somente ao ano de 1400 que o gato-caseiro substituiu definitivamente em Roma a fuinha, que era utilizada até então para o controle de ratos.
Na Idade Média foi, de um modo geral, hostil aos gatos, que eram associados às feitiçarias e considerados criaturas diabólicas. É desta época que parte a maioria das superstições, das quais algumas chegaram aos nossos dias.
O gato-doméstico, por seu caráter independente, aceita a coabitação do homem mas não abandona nenhuma de suas prerrogativas de animal livre. Por isso não é considerado propriamente doméstico. Sai à hora que lhe convém, deita-se onde quer, come o que gosta, goza nossa hospitalidade e nossas carícias que lhe agradam, mas recusa-as quando as irritam. Em troca, oferece-nos sua beleza e sua graça. Se caça camundongos é pelo esporte e não para se tornar útil.
gatos-1Animal livre, o gato é independente e voluntarioso. A reação do gato, é muito diferente do cão, quando ele defende seu território é unicamente contra os outros gatos, nada mais lhe importando. Como os outros carnívoros marca o seu território urinando nos limites do mesmo, inclusive na cama do dono e, isso tem significação apenas para os outros gatos.
O gato-caseiro é um animal gracioso, limpo e simpático. de movimentos harmoniosos, tem uma agilidade surpreendente. Seus passos são flexíveis e medidos, e ele se apóia com suavidade sobre as acolchoadas patas. Suas unhas retrateis tornam a marcha perfeitamente silenciosa. Quando perseguido ou assustado, ele pode deslocar-se rapidamente por meio de uma série de saltos que o põe fora de perigo. Mas, em terreno plano e descoberto, sua corrida é bem menos rápida que a do cão. E é por esta razão que ele em geral tenta subir em árvores ou escalar muros com a ajuda de suas garras.
Qualquer que seja a maneira que ele caia, o gato consegue sempre aterrar sobre as patas, graças ao seu senso de equilíbrio, que permitem que ele de contorça no ar. Se a queda é grande a cauda funciona como leme. O gato também sabe nadar, mas só o faz excepcionalmente.
Senta-se como os cães, apoiando-se no solo com a parte posterior do corpo e sustentando-se nas patas anteriores estendidas. Dorme geralmente de lado, mas tem uma noção de conforto muito pessoal o que o leva a adotar, muitas vezes, as posições mais estranhas.
Para se expressar, o gato-caseiro dispõe de um vocabulário bem diversificado cheio de miados, ruídos, assobios, gritos, espirros e sopros variados, capazes de expressar prazer, pesar, desprezo, medo, cólera, ameaça, namoro, etc.. A maioria dos gatos emite um som muito especial para saudar o dono, e todos sabem que um gato satisfeito ronrona. O miado é dirigido exclusivamente às pessoas e nunca aos outros gatos.
O tato e a visão e a audição são os sentidos mais desenvolvidos do gato. O olfato é menos sensível. Os pêlos de seus bigodes são órgãos táteis muito sensíveis. As patas têm, igualmente grande sensibilidade tátil. A visão é excelente, tanto de dia como de noite, pois sua pupila vertical tem grande poder de dilatação e contração, segundo a intensidade da luz; mas ele é capaz de perceber objetos numa luz muito fraca. Sua audição é ainda mais aguda. Reage, aproximadamente, como a do homem, a freqüências inferiores a 2.000 ciclos por segundo. Mas na gama dos agudos percebe sons correspondentes a 60.000 c.p.s, enquanto o limite humano é de 20.000 c.p.s.
O gato é um animal muito limpo e, limpa o seu pêlo cuidadosamente, lambendo e alisando incansavelmente do pescoço à extremidade da cauda. Oculta cuidadosamente os excrementos com terra ou serragem preparada para esse fim e que deve ser renovada todos os dias.
Ao contrário do cão o gato é um animal essencialmente individualista, altivo e solitário e, ele nunca se submete a seu dono. Esse caráter independente valeu-lhe uma reputação muito justificada de desobediente.
O gato também é de natureza prudente. Jamais se aventura a fazer algo sem tomar precauções. Se sai à noite, espera junto da porta, antes de partir, que seus olhos se acostumem à escuridão. Em face do perigo, geralmente prefere pôr-se em segurança, em qualquer refúgio elevado, donde observa o inimigo com um olhar maligno, seguro de que este não poderá alcançá-lo mas, se não vê saída, não hesita em defender-se com a maior coragem.
A atitude de arquear o dorso e eriçar os pêlos é uma atitude para intimidar o adversário fazendo com que se parece maior do que realmente é.
Reprodução menagA gata é fecundada geralmente pela primeira vez aos cinco meses. É com essa idade que ela tem o seu primeiro cio e se torna sexualmente adulta. O cio dos gatos não tem período determinados. Nos climas temperados os acasalamentos são mais freqüentes durante a primavera e podem durar de três dias a três semanas. Se a fêmea não é fecundada, ela começa imediatamente um novo período de cio.
Na época da reprodução, a gata emite um grito característico e de grande alcance que alerta todos os machos da vizinhança. O comportamento, nessa época, tanto do macho, como da fêmea, muda completamente. O animal se torna subitamente selvagem, inquieto, e vaga de dia e de noite à procura de seu companheiro (ou de sua companheira). Todos nós já fomos acordados alguma noite por seus gritos que lembram o choro de uma criança. Os machos lançam a combates implacáveis para resolver apenas a questão da precedência, uma vez que, no fim das contas, a fêmea será servida, a curtos intervalos, por todos os machos. A gata pode dar à luz, numa mesma ninhada, a filhotes originados de vários machos, podendo cada um deles ser de um pai diferente.
A gestação dura em média 62 dias, mas também nisso o gato é individualista, e ela pode variar de 59 a 69 dias. A mãe prepara com antecedência um leito macio e confortável num lugar tranqüilo. Seu instinto faz com que ela esconda a prole de modo que o pai não descubra, pois ele não hesitará em devorá-la.
Na hora do nascimento, cada gatinho nasce num envoltório que a mãe rompe ao limpar o filhote, ela come a placenta o que estimula a produção de leite. Ela não se contenta em apenas amamentar seus filhotes, mas passa grande parte do tempo a lambê-los e lustrá-los com sua língua áspera. A gata é uma excelente mãe e, é ainda capaz de amamentar cachorrinho, coelhinho e mesmo ratinhos órfãos.
Curiosidades sobre gatos
  • Os gatos adoram cheiros tais como loções ou perfumes. É por isso que se podem ver gatos a cheirar flores;
  • O gato mais estranho de todos nasceu na Alemanha e tinha 5 pernas, 6 patas e 30 dedos;
  • O gato usa a cauda para se equilibrar.
  • Todos os gatos domésticos detestam limões ou qualquer outro citrino;
  • Os cães geralmente têm 42 dentes enquanto os gatos apenas têm 30;
  • Quando os gatos afiam as garras, eles deixam um sinal. Têm glândulas nas patas que segregam uma substância, avisando os outros gatos que eles lá estiveram. Estas glândulas existem não só nas patas, mas também na face, pescoço, ombros e cauda;
  • Após uma refeição, os gatos lavam-se imediatamente. Isto é um instinto que lhes diz para se limparem de modo a que os predadores não sintam o cheiro a comida e os ataquem;
  • Os gatos não vêm muito bem de perto. Qualquer coisa num raio inferior a 15 cm torna-se muito desfocada;
  • Apenas um em cada mil gatos cor-de-laranja é fêmea;
  • Os gatos têm um QI que no reino animal só é ultrapassado pelo dos macacos e dos chimpanzés;
  • A maneira como os gatos comunicam é fascinante. Eles não constróem frases para exprimir o afeto, raiva, fome, solidão, alegria e medo nas freqüências naturais, inaudíveis para o homem, mas sim, em freqüências mais baixas de modo a que os humanos os possam ouvir. Alguns cientistas acreditam que os gatos aprenderam que nós não os conseguimos ouvir nas freqüências naturais , e por isso, adaptaram-se de modo a comunicarem conosco;
  • Os gatos conseguem ouvir as suas presas rodando as orelhas independentemente uma da outra;
  • Há mais gatos em Londres do que pessoas na Noruega;gatos-olhando-a-cidade_942_1024x768
  • Os antigos Egípcios adoravam os gatos como se fossem deuses. Qualquer dono de um gato pode confirmar que eles não se esqueceram disso;
  • A salvação de um animal mais desastrosa de sempre aconteceu em Londres, quando uma senhora idosa chamou os bombeiros para tirarem um gato de cima de uma árvore. Eles retiraram o gato são e salvo, mas atropelaram-no quando se iam embora;
  • O gato usa 32 músculos para controlar as orelhas;
  • Os gatos vêm ter com as pessoas e roçam-se a elas para as marcar como seu território. Eles têm glândulas que segregam uma substância química que os distingue dos outros gatos;
  • A elasticidade dos ossos dos gatos é apenas 1/10 menor do que a da borracha. Se um gato cair de um 10º andar, tem 90% de hipóteses de sobreviver. Se um humano cair da mesma altura, só tem 10% de hipóteses de sobreviver;
  • Os gatos pretos são geralmente mais calmos do que os brancos, que estão sempre muito nervosos;
  • Quando um gato abana a cauda inteira, está zangado. Quando abana a ponta da cauda, está contente.;
  • A maioria doa gatos sentem-se atraídos pelo mentol (pastilhas, pasta de dentes etc…);
  • Os gatos gostam de dormir com as costas encostadas a algo. Eles fazem isto para evitar que apareça alguém por detrás deles;
  • Os gatos sentem-se mais atraídos pelas pessoas que lhes dão menos atenção. Eles sentem-se menos ameaçados quando não há contato visual


  • revistadeciframe.com
    .

O recente derreter do gelo nos Alpes põe à vista múmias de soldados mortos durante a guerra de 1916







As mudanças climáticas estão provocando o derretimento da neve dos Alpes italianos fato que, por sua vez, revelou uma curiosa descoberta: o surgimento de diversos cadáveres da Primeira Guerra Mundial, na maioria, mumificados. O fenômeno trouxe à tona incontáveis restos humanos de batalhas travadas entre a Itália e o Império Austro-húngaro, durante a Primeira Guerra.
A descoberta aconteceu nas áreas de Presena e Ortles-Cevedale, na pequena cidade italiana de Peio. No local, milícias de ambos os lados construíram uma fortaleza bélica no topo das montanhas geladas, uma área estratégica para guardar as armas pelo seu difícil acesso. Entretanto, o gelo se transformou no verdadeiro e cruel inimigo comum, já que muitos morreram em decorrência da temperatura (abaixo dos 30°C negativos) e avalanches.
Durante a década de 90, diários, cartas e fragmentos de jornais russos começaram a aparecer. A quantidade de objetos encontrada fez com que residentes da área construíssem um local para guardá-los, que hoje é o atual Museu da Guerra de Peio. Depois disso, em 2004, um guia da montanha achou três corpos mumificados em uma parede congelada, próximo ao pico San Matteo. Os cadáveres eram de soldados austríacos, estavam desarmados e traziam pacotes de ataduras nos bolsos, uma indicação de que poderiam ser enfermeiros austríacos mortos durante a Batalha de San Matteo, de 3 de setembro de 1918.
Desde então, mais de 80 corpos foram encontrados e todos, naturalmente, acabaram mumificados em função do tempo e das condições climáticas. A última cerimônia para as vítimas encontradas ocorreu no final do ano passado. Os corpos eram de dois soldados austríacos, de 17 e 18 anos de idade. Eles morreram nas montanhas e foram enterrados em uma fenda, na geleira, por seus companheiros. A previsão de alguns arqueólogos é que muitos outros corpos ainda serão encontrados. VEJA O VÍDEO DOS SOLDADOS DESFILANDO NOS ALPES


DANGER - PERIGO - O CONGRESSO - um vídeo de António Garrochinho

UM VÍDEO DE ANTÓNIO GARROCHINHO.





UM VÍDEO CHATO DE XATICE E DE XATOS PRECISAMENTE PARA AVISAR DA PERIGOSIDADE DOS ARTISTAS QUE COMPÕEM ESTE ELENCO DESGOVERNATIVO





SÃO CINCO MINUTOS DE CHATICE, DUVIDO QUE VÁ GOSTAR DE VER O ELENCO DESTE CIRCO QUE ESTÁ EM DIGRESSÃO POR PORTUGAL E TAMBÉM PELA EUROPA.

UM ESPECTÁCULO PERIGOSO E ABORRECIDO SEMPRE COM AS MESMAS LACANTINAS E OS MESMOS TRUQUES, O MESMO DEBOCHE E DESPREZO PELO POVO ONDE OS INTERVENIENTES SÃO AS PERSONAGENS DE TERROR QUE ENSOMBRAM A NOSSA VIDA..

DE ESPANHA....AS PENSÕES


o monólogo do incensado- Uma das minhas obras mais notáveis, eu Pedro, pela mão de um dos meus sequazes, de nome Pedro, mas esse Mota, mas esse Soares, tem sido a recuperação da caridade como prática institucional.

o monólogo do incensado

Manuel de Brito
Uma das minhas obras mais notáveis, eu Pedro, pela mão de um dos meus sequazes, de nome Pedro, mas esse Mota, mas esse Soares, tem sido a recuperação da caridade como prática institucional. O Estado não tem por dever proteger os seus. Esse é trabalho do empreendedorismo social, seja lá o que isso for. Acabe-se com o RSI, o subsídio de desemprego, as pensões de reforma ou invalidez, deixemo-nos de sustentar chulos e madraços, passemos as nossas responsabilidades para as mãos de terceiros, criemos, num país sem Indústria, uma nova indústria, a da esmola, e Deus nos acolherá no seu esplendoroso seio. Continuemos a subsidiar a Santa Casa da Misericórdia de Santana Lopes e o Pingo Doce que, esses sim, precisam da ajuda do Estado para sobreviver e prosseguir a sua missão em defesa dos pobrezinhos, tanto como eu preciso que Santana Lopes me venha ungir ao Congresso, elogiando a minha obra em prol da produção de mais desvalidos que, por sua vez, irão recorrer à Santa Casa, Santa Casa essa que precisará, por seu turno, de mais subsídios que me apressarei a atribuir para que Santana me louve, para que Santana me incense, para que Santana me idolatre. Essas coisas da solidariedade, da equidade, da justiça social são coisas muito bonitas mas são um luxo, não há verba para essas lérias com que só os canhotos se importam, essa esquerda perdulária, esses comunas esbanjadores. Os bancos sim, esses estão necessitados e todo o dinheiro é pouco para lhes acudir. Os portugueses percebem isto. Entendem que o assalto que lhes tenho feito é por uma boa causa. Eles, agradecidos e reverentes, voltarão a votar em mim. Nem que, para isso, tenha que lhes dar uma esmola antes das eleições. É isso. É o que farei. Eles não gostam de trabalhar, são calaceiros, mas adoram receber dinheiro em troca de nada. Adorar-me-ão, quer queiram, quer não, se não for a bem, vai a mal.

Tenho que sacar umas ideias ao Portas, esse é que a sabe toda.


aditaeobalde.blogspot.pt

Se estou melhor do que em 2011? - Em 2011 eu trabalhava mesmo mal remunerado, porque neste país o trabalho nunca foi bem pago. Agora vivo tranquilamente, não trabalho já deixei de ter subsídio de desemprego e até já nem tenho de ir tirar cursos de jardinagem promovidos pelo centro de emprego, já nem procuro trabalho, nem vale a pena, nem os salários miseráveis que agora querem pagar merecem o esforço.

Se estou melhor do que em 2011?


 photo melhor_zps5dd31a7e.jpgEm 2011 eu trabalhava mesmo mal remunerado, porque neste país o trabalho nunca foi bem pago. Agora vivo tranquilamente, não trabalho já deixei de ter subsídio de desemprego e até já nem tenho de ir tirar cursos de jardinagem promovidos pelo centro de emprego, já nem procuro trabalho, nem vale a pena, nem os salários miseráveis que agora querem pagar merecem o esforço.
Provisório ou não em 2011 era professor, agora estou desempregado e as únicas ofertas de empego que recebo são de doméstica, balconista na McDonald’s ou repositora no supermercado. Tive que pagar uma taxa para poder concorrer ao concurso mas até agora não sei qual será o meu futuro.
Sou funcionário público e agora ganho menos 25% do que ganhava em 2011, dantes era um profissional considerado enquanto agora sinto vergonha de dizer em público que sou funcionário público, o governo transformou-se num dos profissionais mais mal remunerados do país e ainda por cima atirou toda a comunicação social contra mi, de alguém útil à sociedade passei a ser um inútil e um chulo do país.
Sou pensionista, durante toda a vida descontei, nunca aceitei empregos com ordenados por fora e só pedi a reforma já tinha passado a data em que me podia reformar. Agora sou tratado como um inútil, um parasita do país, um fardo pesado para a geração mais nova a quem paguei as escolas, a modernização do país, as estradas e os hospitais. Agora consideram que não tenho qualquer direito à pensão e por isso cortam nela sempre que precisam de dinheiro para o BPN ou para financiar os colégios privados.
Em 2011 era empregada de um café, mas tanto o Passos Coelho como o Vítor Gaspar consideraram que o negócio do meu patrão estava a mais no país, que devia ser perseguido até deixar de ser viável e foi isso que sucedeu, agora estou desempregada e vou sobrevivendo com umas horas como empregada doméstica, pagas miseravelmente e sem quaisquer descontos para a Segurança Social.
Em 2011 era pedreiro numa média empresa que se dedicava a recuperar casas de habitação, mas a crise mais a eugenia económica defendida pelo Gaspar levou todo o sector da construção à falência, o meu patrão faliu e nem teve dinheiro para me indemnizar. Vivi dois anos do subsídio de desemprego e depois de calcorrear o país em busca de emprego desisti.
Em 2011 acabei a universidade com resultados brilhantes, comecei a preparar o meu doutoramento beneficiando de uma bolsa. Agora perdi a bolsa e só me resta emigrar para um país que tenha um governo de gente normal e que goste dos seus concidadãos, em Portugal estou a mais.
Em 2011 era professor catedrático, apesar de mal remunerado ainda assim gostava de ser professor no meu país. Mas o ódio de Passos Coelho a todos os que tenham um curso melhor tirado do que o do Relvas levou a que neste país um professor ganhe pouco mais do que uma empregada doméstica. Com tantos cortes e tantas medidas para desmantelar a minha universidade cansei-me, desisti, e quando recebei um convite de uma universidade estrangeira não pensei duas vezes, abandonei o meu país onde as universidades são desprezadas.
Em 2011 era polícia, não ganhava muito mas era o suficiente. Mas sofri tantos cortes no vencimento que já ganho menos do que um desses trabalhadores das empresas de segurança, que não correm riscos e se limitam a dizer bom dia à menina que entra. Muitos colegas meus passam fome, outros são apanhados a roubar, eu penso muito seriamente na hipótese de emigrar para Angola, não é que esteja seguindo a sugestão de Miguel Relvas, mas em África há uma grande procura de seguranças.
Em 2011 era um oficial do quadro, a remuneração não era grande coisa mas era respeitada a dignidade dos militares. Agora temos um ministro que usa as cerimónias militares para fazer comícios e depois dos cortes ganho menos como oficial do Exército do que a secretária do Ulrich, o tal ideólogo do governo que certo dia disse que nós portugueses que não somos ricos somos capazes de aguentar tudo o que o governo decida.
Sou português e em 2011 tinha orgulho de o ser, agora tenho vergonha do meu país.

Se estou melhor do que 2011? Estou, chamo-me Belmiro de Azevedo, chamo-me Soares dos Santos, chamo-me Fernando Ulrich, chamo Eduardo Catroga e estou bem melhor do que em 2011. 




jumento.blogspot.pt


RESUMO FIM DE SEMANA - UMAS NO CRAVO OUTRAS NA FERRADURA

Umas no cravo e outras na ferradura


 
   Foto Jumento 
 

 photo Marcelo1_zps73636c1c.jpg
     
Garfitti
  
 Jumento do dia
    
Poiares Maduro

Poiares veio para substituir Relvas, era o académico que Relvas não era, era inteligente e uma mais-valia para o governo de Passos Coelho, mas quase um ano depois Poiares Maduro revelou-se um falhanço tão grande quantos os ridículos briefings que engendrou com o Lomba.

O regresso de Miguel Relvas vai suscitar muitas análises, anedotas e considerações, mas há uma que é inevitável, o grande académico não conseguiu fazer esquecer o falso licenciado que agora vai ser o ministro sombra da pasta de Poiares Maduro, aquele rapaz sorridente que estava sentado na primeira fila do Coliseio dos Recreios.
 
 O estranho sentido da dignidade de Marcelo
 photo cata-vento_zps51058510.jpg

Cata-vento artesanal numa rua de Lisboa

Se tivesse chegado a tempo Marcelo teria votado na moção em que era retratado como um cata-vento.

 Acabou o congresso
 photo Congresso_zpsacd1f93f.jpg

 40 Anos de PSD

Para celebrar os 40 anos do PSD o presidente do Conselho Nacional vai lançar a iniciativa "40 anos, 40 diplomas". Depois da iniciativa do Ali Babá que acabou no BPN sempre é melhor termos 40 falsos doutores do que 40 ladrões verdadeiros.

 Os submarinos emergem antes das elieções, diz Portas

O que nuca vem à superfície são os muitos milhões de euros que o Ministério Público alemão considerou terem sido pagos em luvas.
 
 A dúvida do dia

Devemos tratar Miguel Relvas por Dr ou por Sr? Acabo de ouvir o pequeno imperador Marco António tratá-lo por Dr, significa isso que Relva tirou ouro curso ou que o que lhe deram se mantém válido?
 
 A calçada portuguesa de Lisboa
 photo calccedilada_zps0a894f9f.jpg

A CML decidiu abandonar parcialmente a calçada portuguesa e logo se ouviram protestos nas redes sociais. Não hesitaria em aderir a esses protestos se estivesse em causa a manutenção da calçada portuguesa em todos os locais, mas não é esse o caso. A maioria dos comentários faz-se acompanhar de fotografias de  bons exemplos da calçada portuguesa, curiosamente são calçadas que serão mantidas pois o que está em causa não é manter ou não as calçadas com valor artístico, mas sim não a considerar como regra na pavimentação das ruas.

Pessoalmente e apesar de apreciar a calçada portuguesa sou favorável à decisão da Câmara Municipal e se muitos dos que se opõem fossem mais rigorosos na escolha das fotografias o debate seria mais sério. Proponho a quem se quiser dar ao trabalho que percorra a Rua Augusta ou outra grande rua da capital e conte os buracos e situações que justifica uma reparação.

Se sairmos das zonas histórica não há metro quadrado de calçada que esteja inteira, Lisboa está cheia de buracos e dificilmente tem calceteiros e recursos para manter este tipo de solução. Para além dos tradicionais buracos podemos encontrar centenas de artérias degradadas, com passeis aos solavancos, irregulares, que são verdadeiras armadilhas para pessoas incapacitadas.

Este ano tive a oportunidade de viver a experiência de muitos dos nossos idosos e deficientes e posso garantir que os carros em cima do passeio estão longe de ser o único ou mesmo o principal obstáculo perigoso, pior do que ter de contornar um carro que está em cima do passeio é cair. E nem é preciso considerarmos que muitos das nossas idosas sofrem de osteoporose para podermos avaliar as consequências de muitas quedas. Em muitos casos a calçada é uma armadilha, com água é escorregadia, na maior parte dos casos não está niveladas e facilmente se degrada dando origem a buracos.

A partir de uma certa idade o risco de queda é muito maior e as consequências de uma queda poderão ser muito graves, conduzindo mesmo à morte em muitos casos. Cada metro de muitas das nossas calçadas são verdadeiras armadilhas para os nossos idosos, desníveis, buracos, pedras soltas por todo o lado. E na maior parte dos casos a calçada não tem qualquer beleza como muitas vezes se insinua, são simplesmente uma solução do tempo em que era mais barato ter trabalhadores do que pagar o combustível das máquinas. De há uns anos a esta parte nem sequer são bem feitas.

Sou um firme defensor da calçada portuguesa e lamento que tenha sido banida do Terreiro do Paço sem que se tenha levantado uma única voz, mas considero que na maioria das nossas ruas as calçadas são um inferno. São uma tecnologia em que era mais barato alimentar trabalhadores do que usar máquinas, é um símbolo de uma sociedade que cresceu com escravidão, são um símbolo de décadas e décadas de mão-de-obra barata e isso explica bem as dificuldades em encontrar calceteiros.

Se estiver em causa a defesa da calçada com valor artístico,. considerando que essa defesa também significa exigir a sua manutenção, contem comigo. Na minha rua preferia outras alternativas menos perigosas e mais eficientes.
 
 Na última vez foram os alemães a visitar a Ucrânia
 photo ucrania_zps9575b229.jpg
 
      
 Quem não aparece, esquece
   
«Como previamente anunciaram, os principais opositores ao Governo não estiveram no Congresso do PSD. E, no entanto, a esmagadora maioria dos mais ferozes contestatários à atuação da equipa de Passos Coelho, os que têm sido mais assertivos e certeiros nas críticas, podiam ter-se sentado na sala reservada aos congressistas. Esses senhores e senhoras tinham a possibilidade até de ter feito mais: podiam ter partilhado com os seus companheiros, com aqueles com quem têm afinidades ideológicas, o seu violento descontentamento face à forma como o País e o partido têm sido conduzidos. (...)» [DN]
   
Autor:
 
Pedro Marques Lopes.
     

   
   
 photo Shu-ShinChin1_zps7d3bbbf7.jpg

 photo Shu-Shin-Chin-2_zpsff8cad0b.jpg
 
 photo Shu-Shin-Chin-4_zpse83aeb1f.jpg

 photo Shu-Shin-Chin-5_zps9a38643b.jpg
 
 photo Shu-Shin-Chin-3_zpsc1dbf666.jpg

jumento.blogspot.pt  

CUIDAR DA SAÚDE! água fria e ataque cardíaco

CUIDAR DA SAÚDE!


água fria e ataque cardíaco

 

                       É real, não ignorar!
      

Este é um artigo muito bom. Não só sobre a água quente após a sua refeição, mas acerca de ataques cardíacos.
Os chineses e os japoneses bebem chá quente com as refeições, não água fria, talvez seja hora de mudar seus hábitos de consumo.
Para aqueles que gostam de beber água fria, este artigo é aplicável a você. É bom ter um copo de bebida quente após a refeição.
A água fria solidifica o alimento gorduroso que você acabou de comer. Isso retarda a digestão. Uma vez que essa 'mistura' reage com o ácido digestivo, ela reparte-se e é absorvida pelo intestino mais depressa do que o alimento sólido. Será o intestino. Muito em breve, isso vai se transformar em gordura e levar ao câncer. É melhor tomar uma sopa quente ou água quente após cada refeição. 



Sintomas comuns de ataque cardíaco grave
Uma nota sobre os ataques cardíacos - Você deve saber que nem todos os sintomas de ataques cardíacos vão ser dor no braço esquerdo. Esteja ciente de dor intensa no queixo. Você pode nunca ter primeiro uma dor no peito no decurso de um ataque cardíaco. 

Náuseas e sudorese intensa são sintomas muito comuns. 60% das pessoas têm ataques cardíacos enquanto dormem e não conseguem despertar. Uma dor no maxilar pode despertar-te de um sono profundo. Vamos ser cuidadosos e estar atentos. Quanto mais se sabe, melhor a chance de sobreviver. 



encontrogeracoesbnm.blogspot.pt