AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


terça-feira, 28 de janeiro de 2014

SOBRE CARNEIROS


Cartazes.
Autocolante.
28-mar-09-fotografia
Contra Sá Carneiro e a AD, 1980.
copia-2-de-2-mar-09-fotografia-4
Contra a AD.
EPHEMERA

MORREU UM PIDE


Movimento «Salvar Faro» quer anulação de concurso para dinamizar Baixa A iniciativa «Ativar a Baixa», lançada pela empresa municipal farense Ambifaro, é vista pelo movimento «Salvar Faro, com Coração» como «uma coisa que “abre a porta aos amigos”, revela grandes incapacidades nos planos económico e de gestão, não tem significado e exclui parceiros relevantes».

Movimento «Salvar Faro» quer anulação de concurso para dinamizar Baixa


A iniciativa «Ativar a Baixa», lançada pela empresa municipal farense Ambifaro, é vista pelo movimento «Salvar Faro, com Coração» como «uma coisa que “abre a porta aos amigos”, revela grandes incapacidades nos planos económico e de gestão, não tem significado e exclui parceiros relevantes».
A estrutura que liderada por José Vitorino e que apoiou a candidatura do antigo presidente da Câmara nas eleições autárquicas de setembro passado defende que a iniciativa deve «ser anulada e profundamente reformulada».
Em causa, está o concurso recentemente lançado pela Ambifaro, que pega numa iniciativa que já havia sido lançada há cerca de um ano pela associação «Faro 1540», mas com o nome «Estamos na Baixa!».
Este concurso é agora liderado pela empresa municipal, em parceria com a «Faro 1540» e a Associação de Desenvolvimento Comercial da Zona Histórica de Faro. O seu objetivo é, resumidamente, escolher as cinco melhores propostas de negócio que se queiram instalar em lojas não usadas na Baixa de Faro, que usufruirão de rendas “amigas” durante 9 meses.
Numa nota de imprensa, o «Salvar Faro» diz ter analisado o processo de «uma iniciativa designada “Dinamizar a Baixa”» e mostra-se desiludido por não ter encontrado «um indispensável Programa consistente para a Baixa».
Entre as críticas que tece à medida, está a acusação de que este concurso «abre as portas aos amigos», pois, no seu regulamento, «diz que o júri “pode aceitar candidaturas que não satisfaçam as condições” – quando o próprio regulamento as impõe – o que vai permitir todo o tipo de discricionariedades».
No artigo 21 do regulamento do concurso, a que o movimento se refere, lê-se, na íntegra: «A Organização reserva o direito de admitir a concurso, em circunstâncias excecionais, as candidaturas que não verifiquem a totalidade das condições estabelecidas neste regulamento».
O movimento acrescenta: «Falta também transparência, porque não se sabe quem compõe o júri. Além disso, no ponto 9, os concorrentes estão proibidos de recorrer se não concordarem com algo sobre o Concurso…».
Outro problema apontado pelo «Salvar Faro» é o facto do concurso revelar, na sua opinião, «grandes incapacidades nos planos económicos e de gestão». «Os candidatos não podem ver as lojas antes de se candidatarem, desconhecendo a localização, tipo, área, valor das rendas (depois dos primeiros nove meses, em que estão pré-fixados) e outras condições contratuais», ilustrou.
«Não há condições de base para preparar um projeto sustentável e sério: como conceber o valor do investimento, a viabilidade económico-financeira, um plano de marketing e até decidir se interessa para uma determinada atividade, sem esses dados? Seria trabalhar no abstrato, do tipo tiro no escuro. Tudo tem que ser previamente definido», defenderam.
Por fim, defende o movimento liderado por José Vitorino, «os apoios são de pouca monta quando tinham de ser significativos e apelativos, de preferência associados à banca e outros aspetos». Também o facto de esta iniciativa não incluir associações «como a ACRAL, a CEAL e a ANJE» é criticado.
«Perante os profundos problemas estruturais da Baixa, exige-se um vasto Programa com várias componentes, em vez deste minimalismo. Mesmo especificamente para o que é proposto, além das graves limitações expostas, iriam apenas ser selecionadas cinco candidaturas e com apoios de reduzido alcance, não criando massa crítica de relançamento da Baixa», conclui o movimento.
Contactado pelo Sul Informação, o presidente da Ambifaro Bruno Lage (que é também presidente da Associação Faro 1540) não quis fazer comentários a estas acusações do movimento liderado por José Vitorino, por considerar que é «uma tomada de posição puramente política».

The Lucky Capela Árvore da Rocha A natureza pode tomar posse em lugares precários. Capela Rock on Lake Superior tem uma única árvore empoleirada no topo de sua coluna. Por direito a árvore não devia estar lá: a pequena área de superfície de terra no topo da rocha é insuficiente para sustentar uma árvore deste tamanho. Não há praticamente nenhum solo, certamente não o suficiente para uma árvore, obviamente, prosperando. Como, então, é que ela faz sucesso?

The Lucky Capela Árvore da Rocha 

TRADUÇÃO GOOGLE

A natureza pode tomar posse em lugares precários. Capela Rock on Lake Superior tem uma única árvore empoleirada no topo de sua coluna. Por direito a árvore não devia estar lá: a pequena área de superfície de terra no topo da rocha é insuficiente para sustentar uma árvore deste tamanho. Não há praticamente nenhum solo, certamente não o suficiente para uma árvore, obviamente, prosperando. Como, então, é que ela faz sucesso?
Olhe um pouco mais e você vai ver a resposta - a corda do lado direito da imagem não é, de fato uma corda. É um sistema de raízes, ampliando e se estende ao longo da borda da rocha para a principal bluff onde há grande quantidade de nutrientes e água.
Crédito de imagem Flickr Usuário MTSN 
entanto, como diabos a raiz estender para o continente? Será que ele deslizar em alguma triffid como caminho até chegar ao outro lado? Existe uma Little Shop of Horrors coisa acontecendo aqui? Se você pode se lembrar do quebra-cabeça sobre o homem enforcado em uma sala vazia, então você está se movendo na direção certa para resolver um dos mistérios da natureza.

Crédito de imagem Flickr Usuário eoz15 
A resposta está no tipo de rocha sobre a qual a árvore é equilibrada. É parte das rochas representadas National Lakeshore no Lago Superior, que fica entre a cidade de Munising e do município de Grand Marais. Parte deste Lakeshore Nacional (o primeiro assim designado em os EUA, em 1966), que varia de 42 milhas é de 15 quilômetros de falésias de arenito coloridos. Arenito corrói.

Crédito de imagem Flickr Usuário MTSN 
Durante milênios as falésias foram esculpidos em qualquer número de formas maravilhosas, de cavernas e arcos de formações que se parecem com rostos humanos ou as torres de castelos medievais românticas. Capela Rocha é um tal de rock ao longo do lado do penhasco. No entanto, até que um dia em 1940 a pedra não era um pilar - que era um arco .

Imagem Flick Crédito Usuário Dave Hogg 
Assim, não é a sua resposta. Se, no seu livro, algumas pessoas nascem com sorte, em seguida, assim, ao que parece, é a árvore ocasional. Este tinha-se estabelecido enquanto Capela Rocha foi anexado ao principal blefe da face do penhasco. Como era na beira do penhasco-lado, as suas raízes naturalmente cresceu em direção à fonte mais próxima de água fresca e desenvolvido em um sistema longo e forte. Então, no dia fatídico veio setenta e tantos anos atrás.Quando o arenito tinha corroído a um ponto em que não podia mais suportar o seu próprio peso, todo o arco caiu no chão deixando uma coluna para trás.

Crédito de imagem Flickr Usuário MTSN 
Contudo, em vez de queda ao solo com a rocha eo solo as raízes de alguma forma conseguiu se agarrar a um ou outro lado de onde o arco tinha sido anteriormente. As raízes têm continuado a crescer ao longo das décadas e agora estão de espessura e de madeira (mesmo que eles já teriam que ter sido muito forte). Eles olham, para todos os efeitos, como se tivessem deliberadamente lutou e se esforçou sobre o abismo. Por mais tentador que possa parecer, eu não consigo encontrar nenhum registro de qualquer sould temerário tentando usar as raízes para escalar até a coluna e árvore.

Velcro imagem Flickr Usuário
Imagem Flickr Usuário Farlane 
Se tivesse sido um pouco mais perto do arco, então não há dúvida de que a árvore teria caído. Em vez disso, tem intrigado muitos um visitante para esta bela parte da Picture Rocks National Lakeshore. Você pode dizer que é um caso arbórea do ovo e da galinha. No entanto, assim como o homem quebra-cabeça pendurado, se você sabe como olhar para o bloco de gelo metafórica a resposta finalmente parece óbvia.

Imagem Flickr Usuário Brook b19
Crédito de imagem Flickr Usuário jrfeenst 
Primeiro Crédito de imagem Flickr Usuário James Phelps Marvin


www.kuriositas.com

A ARTE NO METRO DE LISBOA - FABULOSA FOTOGALERIA