AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

UM MALUCO INGLÊS E AS ESTÁTUAS DE HERÓIS E VILÕES Jardim de Heróis e Vilões Que tipo de loucura você faria se ficasse milionário de repente? Uma viagem sem data de volta, comprar um carro mais caro que um apartamento, contratar um jogador para o seu time do coração?


UM MALUCO INGLÊS E AS ESTÁTUAS DE HERÓIS E VILÕES



Jardim de Heróis e Vilões

Que tipo de loucura você faria se ficasse milionário de repente? Uma viagem sem data de volta, comprar um carro mais caro que um apartamento, contratar um jogador para o seu time do coração?
Tudo isso é meio louco mesmo, mas perto de um sujeito chamado Felix Dennis, isso tudo é fichinha.
Um pequeno resumo da história dele: em 1967 ele vendia a revista OZ pelas ruas de Londres. Essa revista era muito aclamada por ser um ícone da contra-cultura na Inglaterra, já que abordava termas como drogas, sexo e críticas aos políticos ingleses. Não demorou muito pra que ele conseguisse um emprego na revista e passasse a escrever sobre esses mesmos temas.
Até que em 1969 ele publicou uma matéria sobre uma banda iniciante, o Led Zeppelin. A banda explodiu semanas depois e ele virou o co-editor da revista por causa desse artigo.
E não parou mais. Daí pra frente ele gravou uma música com John Lennon, foi preso por escrever todos os palavrões possíveis em sua revista, plantou mais de 1 milhão de árvores em sua propriedade e, durante uma entrevista na tv, jurou ter matado uma pessoa (????).
De fato, ele não parece bater muito bem da cabeça, mas um dia ele teve uma ideia para dividir sua loucura com as outras pessoas. Porque não construir mais de 50 estátuas de bronze em tamanho real, de personalidades reais e fictícias, no jardim da sua fazenda, e abrir isso para o público?
Jardim de Heróis e Vilões
E não deu outra, ele colocou isso em prática! O Garden of Heroes & Villains (Jardim de Heróis e Vilões) pode ser visitado algumas vezes por ano.
Quem chega lá pode ver esculturas de figuras como Galileo, Einstein, Stephen Hawking, Bob Dylan, Billie Holiday e Bruce Lee, entre outros.
Jardim de Heróis e Vilões
Cada uma dessas personalidades têm uma importância particular da vida do Felix e isso é descrito numa plaquinha ao pé de cada estátua. O passeio por todas elas dura algumas horas e com certeza rende boas histórias pra quem visita o Jardim, ao tentar imaginar a história que o levou a cada um daqueles personagens.
Jardim de Heróis e Vilões
Jardim de Heróis e Vilões
www.viagemcriativa.com.br

FLOR DE SAL OU FLOR DO SAL - VEJA A DIFERENÇA


Flor de Sal ou Flor do Sal? Entenda a diferença!

SeaSalt
Há um tempo fiz uma postagem para a Série Temperos aqui no blog sobre a Flor de Sal, tipo de sal que vem sendo muito divulgado na mídia relacionada à gastronomia e culinária, acompanhando pratos salgados e doces que se dizem refinados e gourmet. Eu mesma uso bastante a flor de sal em meus pratos pois acho que sua textura diferenciada e o toque salgado (diferente do sal refinado comum) agregam em muito aos pratos. A questão é que, dentre todas as marcas de flor de sal que comprei e ganhei percebi que existiam diferenças gritantes no tamanho dos grãos, umidade e sabor, o que me deixou muito intrigada.
Até que um dia um dos leitores do blog – olha só que legal que é quando vocês comentam, sempre leio e aprendo muito com os comentários de vocês – comentou lá na postagem que fiz sobre a Flor de Sal que alguns produtores estariam vendendo um produto similar denominado Flor DO Sal, e nãoFlor DE Sal, diferença essa que quase ninguém percebe quando olha para o rótulo. Achei a coisa estranha e resolvi dar uma fuçada na internet.
Achei alguns outros sites  explicando que a Flor DO Sal é realmente diferente da Flor DE Sal. Como expliquei aqui antes, a Flor de Sal é adquirida através de um processo manual e muito delicado nas salinas de retirada da primeira fina camada de sal que surge nas salinas, antes de depositar no fundo. Esse processo garante grãos um pouco menores e mais delicados que os do sal grosso, com uma crocância gostosa mas sem ser duro, conservando uma umidade típica desse tipo de sal.  Já a Flor DO Sal não tem essa textura, perdendo principalmente da umidade, sendo bem mais seco.
Abri meu armário aqui em casa e me deparei com a seguinte situação: tenho Flor de Sal e Flor do Salde diferentes marcas. Resolvi experimentar todos e ficou bastante claro, de posse dessa informação, da diferença de textura e sabor entre as duas coisas. Não estou dizendo que a Flor do Sal seja ruim, mas realmente não tem nada a ver com a Flor de Sal, e se você for comprar, seja lá qual for, é bom que esteja ciente da diferença, correto?
Para quem procura produtos nacionais, indico a Flor de Sal (a tão famosa) das marcas Cimsal eLebre, que são muito boas. Já as marcas Bombay Cia das Ervas vendem Flor do Sal, com grãos mais duros e menos úmidos, mas que também finalizam pratos de forma bastante interessante. Mas já posso adiantar dois diferenciais: a Flor de Sal nunca virá dentro de um moedor e ela costuma ser bem mais cara que a Flor do Sal. Abaixo as fotos para vocês compararem (prestem atenção nos rótulos):
flordesal_lebre flordesal_cimsal
Essas são as marcas de Flor de Sal nacionais que eu indico.





flordosal_ciadaservas Moedor-Flor-Do-Sal-Com-Ervas-Italianas
Essas são as marcas de Flor do Sal que eu tenho em casa. Algumas delas são misturadas com outros sabores como ervas finas, manjericão, pimenta, dentre outros.





Série Temperos: Flor de Sal

1094-0w0h0_Paludier_Fleur_Sel_From_Guerande


Hoje resolvi fazer mais um post para a Série Temperos, só que um pouquinho diferente: não vou falar de ervas, grãos ou raízes comumente utilizadas em nossa cozinha. Vou falar de um tipo diferente de tempero, que vem sendo cada vez mais conhecido e utilizado nas cozinhas brasileiras: a Flor de Sal.
Sim, é verdade: existem vários tipos diferentes de sal além do sal grosso ou do sal marinho refinado que usamos diariamente em nossas cozinhas. A Flor de Sal é a coqueluxe do momento, mas existem vários outros “sais gourmet” disponíveis no mundo agora. Achei essa imagem bem legal do Blog di Sea com vários tipos diferentes de sal do mundo inteiro, olha que legal:
Flor de sal é um tipo de sal coletado na camada superior das salinas, antes que se depositem no fundo e formem o nosso conhecido sal marinho. Abaixo dá para ter uma ideia de como é essa camada, bem delicada, que deve ser retirada com um tipo de “rodo” especial:
Dizem que a Flor de Sal começou a ser extraída na Era Cristã pelos celtas, mas atualmente a Flor de Sal mais tradicional é a francesa, coletada na costa da Bretanha, na cidade de Guérande (A Fleur de Sel de Guérande é a mais famosa e reverenciada).
Infelizmente encontrar a Fleur de Sel de Guérande por aqui não é das tarefas mais fáceis, pois a venda de grande parte dos tipos internacionais de sal  é proibida no Brasil, já que por aqui é obrigatória a adição de iodo ao sal vendido nos mercados (lei nº 6150 de 03/12/1974 e RDC nº130 de 26/05/2003). Aliás, isso foi motivo de um grande bafafá na internet há um tempo atrás, iniciado pela incrível chef Roberta Sudbrack em seu blog numa postagem em setembro de 2009.
Mas não fiquem, tristes! Temos excelentes produtores nacionais de Flor de Sal no país (o mais famoso é a Cimsal, da região de Mossoró, no Rio Grande do Norte), e seus produtos são facilmente encontrados em delicatessen e mercados especializados. Por ser um produto artesanal e relativamente escasso (para cada 80 quilos de sal marinho produzido somente 1 quilo de Flor de Sal é extraído), é um dos tipos mais caros de sal disponíveis à venda no mercado gastronômico.
Flor de Sal normalmente possui um tom acizentando devido à areia que existe no processo de produção do sal. Em casos mais raros existe a presença da Dunaliella Salina, um tipo de microalga rosa comumente encontrada nas salinas, o que garante uma linda cor roseada à iguaria. Além disso, ela pode ser encontrada com diversos tipos de misturas e aromatizadores. Eu mesma tenho um potinho de Flor de Sal com Manjericão que ADORO!
Flor de Sal contém mais minerais do que o sal comum. Segue uma análise química de seus componentes:
MineralQuantidade
Cloreto de Sódio94.3 – 97.6%
Cálcio0.19 – 0.20%
Magnésio0.42 – 0.79%
Potássio0.22 – 0.67%
Ferro8.0 – 11.1 mg/kg
Iodo0.5 – <3 mg/kg
A utilização da Flor de Sal nas receitas é bem diferente do uso do sal marinho. Ele não deve ser utilizado durante a receita, tampouco ser levado ao fogo, justamente para não perder sua textura crocante. O sabor da Flor de Sal é bem mais concentrado, portanto deve ser utilizado com muita moderação. Aqui no blog já postei uma receita em que usei a Flor de Sal, a Focaccia de Parmesão, Alecrim e Flor de Sal.
E você, já conhecia a Flor de Sal? Possui alguma receita infalível com esse tempero? Então conta para a gente!
FONTES:

temperaria.com.br

EM TODO O LUGAR EXISTE UM ROSTO DESSIMULADO - VEJA ESTAS IMAGENS DIVERTIDAS

Rostos escondidos em todos os lugares.

As vezes podemos encontrar a felicidade em coisas simples, não é? Com certeza você já se divertiu procurando formas e rosto nas nuvens. Agora, tire um minuto do seu dia e conheça a conta no Twitter,@FacesPics. Nela é possível encontrar uma coletânea de fotografias diárias de objetos, prédios e carros que parecem rostos. As casas são quase Transformers. Preste bem atenção: você consegue enxergar um helicóptero engolindo soldados e uma máquina de lavar mostrando a lingua? Divirta-se!


www.bauruzeira.com.br




A vida no Afeganistão antes dos Talibans (28 fotos) antes dos Talibã e da lei Sharia imposta.




A vida no Afeganistão antes dos Talibans (28 fotos)


 antes dos Talibã e da lei Sharia imposta.
Afeganistão-Before-Taliban (1)

Afeganistão-Before-Taliban (2)

Afeganistão-Before-Taliban (3)

Afeganistão-Before-Taliban (4)

Afeganistão-Before-Taliban (5)

Afeganistão-Before-Taliban (6)

Afeganistão-Before-Taliban (7)

Afeganistão-Before-Taliban (8)

Afeganistão-Before-Taliban (9)

Afeganistão-Before-Taliban (10)

Afeganistão-Before-Taliban (11)

Afeganistão-Before-Taliban (12)

Afeganistão-Before-Taliban (13)

Afeganistão-Before-Taliban (14)

Afeganistão-Before-Taliban (15)

Afeganistão-Before-Taliban (16)

Afeganistão-Before-Taliban (17)

Afeganistão-Before-Taliban (18)

Afeganistão-Before-Taliban (19)

Afeganistão-Before-Taliban (20)

Afeganistão-Before-Taliban (21)

Afeganistão-Before-Taliban (22)

Afeganistão-Before-Taliban (23)

Afeganistão-Before-Taliban (24)

Afeganistão-Before-Taliban (25)

Afeganistão-Before-Taliban (26)

Afeganistão-Before-Taliban (27)

Afeganistão-Before-Taliban (28)