AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


domingo, 17 de novembro de 2013

Lidl oferece formação remunerada a jovens Lidl oferece formação remunerada a jovens O Lidl acaba de abrir candidaturas para uma formação pioneira em Portugal na área do Comércio e da Distribuição, com duração de três anos e meio e experiência internacional, para maiores de 18 anos, com o 12º ano de escolaridade. Numa altura em que muitos jovens são obrigados a repensar o seu percurso de formação para fazer face à conjuntura económica, “O Lidl Campus 2013” é uma alternativa que oferece a vantagem de incluir uma experiência internacional numa das maiores cadeias de distribuição da Europa, explica a empresa num comunicado enviado ao Boas Notícias.

Lidl oferece formação remunerada a jovens

Lidl oferece formação remunerada a jovens
O Lidl acaba de abrir candidaturas para uma formação pioneira em Portugal na área do Comércio e da Distribuição, com duração de três anos e meio e experiência internacional, para maiores de 18 anos, com o 12º ano de escolaridade.
 
Numa altura em que muitos jovens são obrigados a repensar o seu percurso de formação para fazer face à conjuntura económica, “O Lidl Campus 2013” é uma alternativa que oferece a vantagem de incluir uma experiência internacional numa das maiores cadeias de distribuição da Europa, explica a empresa num comunicado enviado ao Boas Notícias.
 
Nos primeiros seis meses, os formandos têm oportunidade de conhecer os procedimentos fundamentais do negócio Lidl, recebendo formação numa das 238 lojas da cadeia em Portugal. Nesta fase inicial irão também ter uma preparação intensiva da língua alemã.
 
O restante período de formação, com duração de três anos, ocorre na Alemanha, onde os jovens são preparados para assumir funções de maior responsabilidade, nomeadamente nas áreas da gestão de equipas e de organização. Terão ainda oportunidade de complementar os seus conhecimentos adquiridos de alemão com um acompanhamento mais avançado.

Candidaturas até Dezembro
 
As candidaturas, que devem ser feitas através do site www.lidl.pt, estão abertas até 15 de Dezembro 2013 e destinam-se a todos os jovens maiores de 18 anos e o ensino secundário concluído.
 
Os 15 candidatos selecionados serão conhecidos em Janeiro de 2014 e irão começar o programa de formação em Março do mesmo ano. Todos os formandos vão receber uma bolsa progressiva e enquanto estiverem na Alemanha ajudas de custo para suportar alojamento e viagens a Portugal.

No final dos três anos e meio, tendo em conta as competências pessoais, a avaliação dos formadores e a classificação final do ensino secundário, será dada a oportunidade aos formandos de se juntarem formalmente à equipa Lidl enquanto chefes de secção ou encarregados de loja.
 
O “Lidl Campus 2013” é mais um programa de formação promovido pela Lidl, à semelhança do que já existe com os Trainees, que se destina a jovens licenciados ou com mestrado, e que começou em Portugal no ano de 2011.

16 DE NOVEMBRO DE 1975 - Faz hoje 38 anos que se realizou uma grande manifestação unitária entre o Marquês de Pombal e o Terreiro do Paço, com a presença de 200.000 manifestantes, contra o "avanço das forças reaccionárias e de apoio ao Poder Popular, convocada pelo Secretariado Provisório das Comissões de Trabalhadores da Cintura Industrial de Lisboa e apoiada pelo PCP e FUR ( Frente unitária composta por partidos da esquerda revolucionária), com a presença de delegações das UCP do Alentejo.



16 de Novembro de 1975. Faz hoje 38 anos que se realizou uma grande manifestação unitária entre o Marquês de Pombal e o Terreiro do Paço, com a presença de 200.000 manifestantes, contra o "avanço das forças reaccionárias e de apoio ao Poder Popular, convocada pelo Secretariado Provisório das Comissões de Trabalhadores da Cintura Industrial de Lisboa e apoiada pelo PCP e FUR ( Frente unitária composta por partidos da esquerda revolucionária), com a presença de delegações das UCP do Alentejo.

A manifestação popular abalou as hostes do VI governo provisório do Almirante Pinheiro de Azevedo, muito fragilizado e impopular após o cerco ao parlamento, e fez tremer o CDS, PSD e PS que dias antes a tentaram desmobilizar com campanhas de intimidação. Num Comício do PS em Penafiel, a 15 de Novembro, Manuel Alegre afirmava que a manifestação unitária, convocada para Lisboa por comissões de trabalhadores e de moradores e trabalhadores agrícolas do Alentejo, tem a intenção de «paralisar» a capital e de «talvez, tomar de assalto pontos estratégicos do aparelho de Estado». Porém, nada de anormal aconteceu e a manifestação voltou a colocar a revolução na ordem do dia.

Talvez um prenúncio do que viria a acontecer a 25 de Novembro, no mesmo dia da manifestação, o Brigadeiro graduado António Pires Veloso, conotado à extrema-direita, afirmava que era preciso «acabar com essa insurreição» popular, disciplinar as Forças Armadas e retirar o povo da rua, que ao mesmo tempo contactou unidades da Região Militar de Lisboa para impedir a manifestação popular unitária que estava convocada para hoje. De nada lhe valeu, pois a vontade popular foi mais forte.