AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sexta-feira, 15 de novembro de 2013

HUMOR E VERDADE - TERRAS DE PORTUGAL COM NOMES ESQUESITOS

venda das pulgas
Há tanta terra com nomes estranhos que até dá para imaginar a seguinte conversa entre amigos: “Este ano vou passar férias no Vale da Rata, pois como este ano há pouco dinheiro já não posso ir à Vila Nova do Coito e se as coisas continuarem assim fico-me mesmo é pelo Monte dos Tesos.”

  • À-dos-loucos, Vila Franca de Xira
  • Aliviada, Marco de Canaveses
  • Amor, Leiria
  • Angústias, Paredes de Coura
  • Às Dez, Angra do Heroísmo
  • Bicha, Gondomar
  • Bicho, Santo Tirso
  • Cabeçudos, Marvão
  • Cabrão, Ponte de Lima
  • Cabrões, Santo Tirso
  • Cama Porca, Alhandra
  • Campa do Preto, Maia
  • Casal de Água de Todo o Ano, Abrantes
  • Catraia do Buraco, Belmonte
  • Cemitério, Paços de Ferreira
  • Chiqueiro, Lousã
  • Coito, (Várias)
  • Colo do Pito, Castro d’Aire
  • Endiabrada. Aljezur e Odemira
  • Esgaravatadouro, Monchique
  • Focinho de Cão, Aljustrel
  • Garanhão, Ponte da Barca
  • Hospícios, Azeitão Imaginário, Caldas da Rainha
  • Mal Lavado, Odemira
  • Mata Mouros, Vila do Bispo Mata Porcas, Lagos e Monchique
  • Monte dos Tesos, Avis
  • Monte Teso, Oliveira de Frades
  • Monte Coito, Santiago do Cacém
  • Namorados, Castro Verde e Mértola
  • Orelhudo, Coimbra
  • Paitorto, Mirandela
  • Passado, Vila Verde
  • Pedaço Mau, Vila Nova de Ourém
  • Pés Escaldados, Arganil
  • Pé de cão, Torres Novas
  • Picha, Pedrógão Grande
  • Pições, Valença
  • Pobreza, Caminha
  • Porca. Ponte de Lima
  • Presa dos Mouros, Lagoa
  • Punhete, Valongo
  • Purgatório, Albufeira
  • Quinta de Comichão, Guarda
  • Rabo de Porco, Penela
  • Rato, Barcelos e Vila Nova de Famalicão
  • Ratoeira, Vila Nova de Cerveira
  • Rego do Azar, Ponte de Lima
  • Rio Seco dos Marmelos, Ferreira do Alentejo
  • Senhora do Alívio, Baião
  • Sítio das Solteiras, Tavira
  • Terra da Gaja, Lousã
  • Travessa Mulher Morta, Ourém
  • Vacalouras, Castanheira de Pêra
  • Vaginha, Vagos
  • Vale da Rata, Almodôvar
  • Vale de Mortos, Beja
  • Venda da Porca, Estremoz
  • Venda das Pulgas, Mafra
  • Venda dos Pretos, Leiria
  • Vila Nova do Coito, Santarém
  • Vinha da Desgraça, Coruche
  • Venda da Gaita, Pedrógão Grande

www.humorsemlimites.com

BANHEIRO PÚBLICO


Um texto notável... relativo a uma "criatura" que anda a destruir Portugal desde 1985. Baptista Bastos sobre Cavaco Silva «O dr. Cavaco consumiu vinte minutos, no Centro Cultural de Belém, a esclarecer os portugueses que não havia português como ele. Os portugueses, diminuídos com a presunção e esmagados pela soberba, escutaram a criatura de olhos arregalados. Elogio em boca própria é vitupério, mas o dr. Cavaco ignora essa verdade axiomática, como, aliás, ignora um número quase infindável de coisas.

Um texto notável... relativo a uma "criatura" que anda a destruir Portugal desde 1985.

Baptista Bastos sobre Cavaco Silva

«O dr. Cavaco consumiu vinte minutos, no Centro Cultural de Belém, a
esclarecer os portugueses que não havia português como ele. Os
portugueses, diminuídos com a presunção e esmagados pela soberba,
escutaram a criatura de olhos arregalados. Elogio em boca própria é
vitupério, mas o dr. Cavaco ignora essa verdade axiomática, como,
aliás, ignora um número quase infindável de coisas.

O discurso, além de tolo, era um arrazoado de banalidades, redigido
num idioma de eguariço. São conhecidas as amargas dificuldades que
aquele senhor demonstra em expressar-se com exactidão. Mas, desta vez,
o assunto atingiu as raias da nossa indignação. Segundo ele de si
próprio diz, tem sido um estadista exemplar, repleto de êxitos
políticos e de realizações ímpares. E acrescentou que, moralmente, é
inatacável.

O passado dele não o recomenda. Infelizmente. Foi um dos piores
primeiros-ministros, depois do 25 de Abril. Recebeu, de Bruxelas,
oceanos de dinheiro e esbanjou-os nas futilidades de regime que,
habitualmente, são para "encher o olho" e cuja utilidade é duvidosa.
Preferiu o betão ao desenvolvimento harmonioso do nosso estrato
educacional; desprezou a memória colectiva como projecto ideológico,
nisso associando-se ao ideário da senhora Tatcher e do senhor Regan;
incentivou, desbragadamente, o culto da juventude pela juventude,
característica das doutrinas fascistas; crispou a sociedade portuguesa
com uma cultura de espeque e atrabiliária e, não o esqueçamos nunca,
recusou a pensão de sangue à viúva de Salgueiro Maia, um dos mais
abnegados heróis de Abril, atribuindo outras a agentes da PIDE, "por
serviços relevantes à pátria." A lista de anomalias é medonha.

Como Presidente é um homem indeciso, cheio de fragilidades e de
ressentimentos, com a ausência de grandeza exigida pela função. O
caso, sinistro, das "escutas a Belém" é um dos episódios mais vis da
história da II República. Sobre o caso escrevi, no Negócios, o que
tinha de escrever. Mas não esqueço o manobrismo nem a desvergonha,
minimizados por uma Imprensa minada por simpatizantes de jornalismos e
por estipendiados inquietantes. Em qualquer país do mundo, seriamente
democrático, o dr. Cavaco teria sido corrido a sete pés.

O lastro de opróbrio, de fiasco e de humilhação que tem deixado atrás
de si, chega para acreditar que as forças que o sustentam, a
manipulação a que os cidadãos têm sido sujeitos, é da ordem da mancha
histórica. E os panegíricos que lhe tecem são ultrajantes para aqueles
que o antecederam em Belém e ferem a nossa elementar decência.

É este homem de poucas qualidades que, no Centro Cultural de Belém,
teve o descoco de se apresentar como símbolo de virtudes e sinónimo de
impolutabilidade. É este homem, que as circunstâncias determinadas
pelas torções da História alisaram um caminho sem pedras e empurraram
para um destino que não merece. Triste República, nas mãos de gente que a 
não ama, que a não desenvolve, que a não resguarda e a não protege!

Estamos a assistir ao fim de muitas esperanças, de muitos sonhos
acalentados, e à traição imposta a gerações de homens e de mulheres. É
gente deste jaez e estilo que corrói os alicerces intelectuais,
políticos e morais de uma democracia que, cada vez mais, existe,
apenas, na superfície. O estado a que chegámos é, substancialmente, da
responsabilidade deste cavalheiro e de outros como ele.

Como é possível que, estando o País de pantanas, o homem que se
apresenta como candidato ao mais alto emprego do Estado, não tenha,
nem agora nem antes, actuado com o poder de que dispõe? Como é
possível? Há outros problemas que se põem: foi o dr. Cavaco que
escreveu o discurso? Se foi, a sua conhecida mediocridade pode ser
atenuante. Se não foi, há alguém, em Belém, que o quer tramar.

Um amigo meu, fundador de PSD, antigo companheiro de Sá Carneiro eleitor omnívoro de literatura de todos os géneros e projecções, que me dizia:

"Como é que você quer que isto se endireite se o dr. Cavaco e a
maioria dos políticos no activo diz 'competividade' em vez de
'competitividade' e julga que o Padre António Vieira é um pároco de qualquer igreja?"

Pessoalmente, não quero nada. Mas desejava, ardentemente desejava, ter um Presidente da República que, pelo menos, soubesse quantos cantos tem "Os Lusíadas."»


(do mural facebook de Beatriz Guia)

10 LUGARES ABANDONADOS EM PORTUGAL - Portugal é um Pais rico em lugares bonitos, jardins românticos, praias maravilhosas…mas também lugares abandonados!

 10 lugares abandonados de Portugal


Portugal é um Pais rico em lugares bonitos, jardins românticos, praias maravilhosas…mas também lugares abandonados!

1. Palácio do Rei do lixo ou Torre do Inferno – Coina

Esta estranha torre escontra-se situada na freguesia de Coina e é um marco da região. Foi mandada construir por Manuel Martins Gomes Júnior , conhecido como Rei do lixo, de forma a mostrar a sua grandiosidade. Há quem diga que ele construiu o palácio para que conseguisse avistar a propriedade que possuía em Alcácer do Sal.
palacio rei do lixo
http://olhares.sapo.pt/delete

2. Sanatório do Caramulo – Tondela

Este é um dos 19 Sanatórios situados no Caramulo. O Caramulo, como estância Sanatorial, foi criado em 1921 (a única vila portuguesa criada de raiz) e foi a primeira vila a dispor de saneamento básico e electricidade. Esta “Vila sanatorial”, criada pelo médico Jerónimo de Lacerda, nasceu com a finalidade de tratar doentes com tuberculose.
Autor: http://olhares.sapo.pt/PereiraLuis
Autor: http://olhares.sapo.pt/PereiraLuis

3. Castelo da Dona Chica – Braga

Este belíssimo castelo foi mandado construir por Francisca Peixoto de Sousa em 1915, no entanto as obras arrastaram-se por décadas. e foram inúmeros os proprietários desta mansão.
castelo dona chica

4. Casa dos Ingleses – Moita

Uma bonita casa agrícola com capela e praia privativa, que pertenceu a uma família inglesa. Hoje está completamente abandonada.
http://ruinarte.blogspot.pt/
http://ruinarte.blogspot.pt/

5. Hotel Monte Palace – S. Miguel, Açores

Este “hotel” está situado nas Sete Cidades, em S. Miguel. Foi o primeiro hotel 5* da Ilha, e apesar da sua beleza e grandiosidade, teve pouco tempo aberto. Abriu em 1989 e fechou portas dois anos depois.

locais abandonados 34

6. Palácio de Midões – Tábua

Este palácio ocupa a parte central da freguesia de Midões no concelho da Tábua. A data da construção é desconhecida.
O bonito Palácio de Midões encontra-se hoje em avançado estado de degradação.
palaciodemidoes

7. Casa do Professor ou Quinta do Parreira – Oliveira de Azemeis

Uma casa lindíssima, que teve vários proprietários ao longo dos anos. Os nomes pela qual é conhecida deve-se a dois dos seus proprietários.
casadoprofessor

8. Convento de S. Francisco do Monte – Viana do Castelo

Este convento situa-se na freguesia de Santa Maria Maior, em Viana do Castelo. Foi um dos três primeiros conventos da Ordem dos Frades Menores a ser erguido.
Hoje encontra-se como pode ver na imagem abaixo.
Convento s francisco do monte

9. Convento de Seiça – Figueira da Foz

Mandado construir por D. Afonso Henriques em 1175, em louvor à Virgem Maria devido a um milagre recebido junto da capelinha de Nossa Senhora de Seiça.
D. Afonso Henriques morreu sem ver finalizada a construção do convento.
convento de seica

10. Chalet da Condessa d´Elda (restaurado) – Sintra

Este bonito Chalet foi mandado construir em 1864 pelo rei D. Fernando II (também responsável pela reconstrução do Palácio da Pena) e a sua segunda esposa, Elise Hensler – Condessa d’Elda.
O edifício encontrava-se em estado avançado de degradação quando em 2007 se iniciaram as obras de reabilitação.
Chalet da Condenssa dEldaantes
…Entretanto restaurada:

 http://3vilas.com