AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Jerónimo. “Falta um bocadinho” para acabar com preconceito anticomunista A dois dias do final da campanha, o secretário-geral comunista resumiu as anteriores nove jornadas de "luta" nas ruas a um sentimento, "um sentimento de crescimento"

Jerónimo. “Falta um bocadinho” para 
acabar com 
preconceito 
anticomunista







A dois dias do final da campanha, o secretário-geral comunista resumiu as anteriores nove jornadas de "luta" nas ruas a um sentimento, "um sentimento de crescimento"


O líder comunista confia que "falta um bocadinho" para acabar com a "força do preconceito" na altura do voto na Coligação Democrática Unitária (CDU), mostrando-se convicto do "crescimento" nas eleições de domingo, em entrevista à Lusa.
Jerónimo de Sousa, num momento de descontração da atarefada agenda de campanha autárquica, elegeu Grândola e outros municípios alentejanos como possíveis reconquistas comunistas, à porta da fábrica da AutoEuropa, em Palmela.
"Este capital de confiança na CDU é valioso, mas não é suficiente. No momento da opção do voto, muitas vezes, verificamos que a força do preconceito se sobrepõe à própria razão. Podemos dizer que falta um bocadinho, um bocadinho que não é palpável porque tem a força do preconceito", disse.
O também deputado do PCP contou um dos muitos episódios das "arruadas" em que um cidadão o abordou, com "um grande abraço" e lhe terá dito "uma coisa tremenda": "'Ainda não percebi porque não consigo votar em vocês'".
"Lembro-me de Grândola - aquilo é mais do que uma esperança. Não quero antecipar-me ao decisor, ao juiz, que é o eleitor, mas aquilo que se sente, de facto, é que é possível essa câmara simbólica voltar à gestão CDU. Como Alcácer do Sal. Também verificámos isso, lá, no terreno. Depois, desde Évora, Beja, Loures - lembro-me destas, mais próximas -, onde existem reais possibilidades", contabilizou.
A dois dias do final da campanha, o secretário-geral comunista resumiu as anteriores nove jornadas de "luta" nas ruas a um sentimento, "um sentimento de crescimento", com o referido "capital de confiança", embora com "a consciência de que os bons ambientes não votam" e frisando que os "objetivos fundamentais" são o "aumento de número de votos e de mandatos".
"Aquilo que me surpreendeu foi, não tanto a capacidade de mobilização dos ativistas da CDU, que é conhecida, mas a aceitação da nossa presença, das nossas propostas, designadamente na Assembleia da República", destacou.
Para Jerónimo de Sousa, não houve qualquer "hostilidade, salvo um ou outro caso de provocação natural em campanha eleitoral", mas antes "um grande respeito, admiração e uma expectativa muito grande, mesmo daqueles que só dizem ‘lute lá por nós'".
"Um grande reconhecimento de gente que não é nossa, que possivelmente nem votará na CDU, mas que nos dá um capital de confiança que acho que é a nota mais dominante nestes contactos de norte a sul do país. Muita gente a vir ter connosco", congratulou-se.

CDU reclama outra política para o complexo do CachãoPor: Glória Lopes Os responsáveis da CDU no distrito consideram o incêndio que deflagrou no complexo do Cachão, em Mirandela, é o resultado das "políticas erradas de sucessivos governos PS, PSD/CDS e da conivência das autarquias de Mirandela e Vila Flor que nunca pensaram no complexo como um factor de desenvolvimento da região e criação de emprego”.


CDU reclama outra política para o complexo do Cachão

Os responsáveis  da CDU no distrito consideram o incêndio que deflagrou no complexo do Cachão, em Mirandela,  é o resultado das "políticas erradas de sucessivos governos PS, PSD/CDS e da conivência das autarquias de Mirandela e Vila Flor que nunca pensaram no complexo como um factor de desenvolvimento da região e criação de emprego”.
A CDU já lamentou o incêndio que durante a noite de ontem e a madrugada de hoje assustou a população do Cachão e mobilizou bombeiros de várias corporações dos distritos de Bragança e Vila Real.
Tanto na Assembleia da República como na Assembleia Municipal de Mirandela, a CDU e o PCP "sempre denunciaram a situação e propuseram alternativas", assim como sempre se envolveu nas lutas travadas pela população do Cachão.
“Apelamos a que a população, num momento tão difícil, não se resigne e se mobilize para continuar a lutar por outro projecto de desenvolvimento do complexo”, refere a CDU num comunicado .
Em Dezembro de 2012, a CDU apresentou uma moção na Assembleia Municipal, rejeitada por PS, PSD e CDS, em que "denunciavam o risco e as consequências daquilo em que o Complexo se transformou", sobretudo quando as empresas de recolha de lixos não estão devidamente licenciadas para o tipo de actividade que desenvolvem, segundo resposta do Governo à pergunta colocada pelo PCP na Assembleia da República.
A CDU fará uma visita ao Cachão, amanhã, quinta-feira às 10h30, na presença do deputado do PCP na Assembleia da República, Jorge Machado.

www.mdb.pt

António José Seguro – Se é para imitar... Apesar da espessa impopularidade do governo e da notória vergonha que alguns candidatos autárquicos têm da sua ligação aos partidos do governo, os resultados desta eleição não vão ser favas contadas, como precipitadamente alguns dirigentes do PS julgaram.

António José Seguro – Se é para imitar...


Apesar da espessa impopularidade do governo e da notória vergonha que alguns candidatos autárquicos têm da sua ligação aos partidos do governo, os resultados desta eleição não vão ser favas contadas, como precipitadamente alguns dirigentes do PS julgaram.
Lá vão chegando as notícias (e, infelizmente, também as imagens) dos tremendos esforços de António José Seguro para conseguir alguma relevância e popularidade. Aqui diz umas coisas, logo ali faz ginástica, mais acolá anda de bicicleta...
Apesar de respeitar esta disponibilidade de Seguro para suar as estopinhas pelos seus candidatos, estas notícias não me sugerem grandes comentários. Talvez dois, vá...
Um, para lembrar aos amigos do PS um princípio das famosas “Leis de Murphy”:
“O seguro cobre rigorosamente tudo... menos aquilo que realmente aconteceu”.
O outro, para dar um conselho directo a António José Seguro.
- Homem... se faz mesmo questão de emular (algum dia havia de conseguir usar esta palavra!) dirigentes “notáveis” do PS, deixe lá essa tolice do exercício físico do Sócrates e imite um dirigente realmente notável e com um lugar garantido na História (independentemente do que eu pense dele)!
Largue as corridas e as bicicletas, ganhe uns cinquenta quilos e fique "gordinho"... como Mário Soares!!!


ILUSÕES DE ÓPTICA









apeidaeumregaloonarizagentetapa.blogspot.pt

MANIFESTAÇÃO DE REFORMADOS E PENSIONISTAS (LISBOA, 25 DE SETEMBRO DE 2013) by JPP


MANIFESTAÇÃO DE REFORMADOS E PENSIONISTAS (LISBOA, 25 DE SETEMBRO DE 2013)

by JPP
DSC01276
DSC01277

DSC01279
DSC01281

DSC01283
DSC01286

DSC01289
DSC01290

DSC01293
DSC01294

DSC01295
DSC01296

DSC01297
DSC01298

DSC01299
DSC01300

DSC01301
DSC01302

DSC01304
DSC01305

DSC01306
DSC01307

DSC01308
DSC01309

DSC01310
DSC01311

DSC01312
DSC01313

DSC01314
DSC01315

DSC01316
DSC01317

DSC01318
DSC01319

DSC01320
DSC01321

DSC01322
DSC01323

DSC01324
DSC01325

DSC01326
DSC01327

DSC01328
DSC01329

DSC01330
DSC01331

DSC01332
DSC01333

DSC01334
DSC01335

DSC01336
DSC01358

DSC01359
DSC01362

DSC01363
DSC01364

DSC01365
DSC01366

DSC01367
DSC01369

DSC01370
DSC01373

DSC01374
DSC01375

DSC01376
DSC01377

DSC01378
DSC01379

DSC01381
DSC01382
ephemera