AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Sandes de porco assado de Menezes dão polémica As sandes de porco assado, com bebidas, são a imagem de marca da candidatura de Luís Filipe Menezes nos bairros sociais do Porto. Juntam-se dezenas de pessoas – e famílias – para comerem as sandes nas festas-comício do candidato do PSD à Câmara do Porto. A polémica das sandes de porco assado subiu de tom hoje entre as várias candidaturas.

Sandes de porco assado de Menezes dão polémica


As sandes de porco assado, com bebidas, são a imagem de marca da candidatura de Luís Filipe Menezes nos bairros sociais do Porto. Juntam-se dezenas de pessoas – e famílias – para comerem as sandes nas festas-comício do candidato do PSD à Câmara do Porto.A polémica das sandes de porco assado subiu de tom hoje entre as várias candidaturas.
A questão dos porcos assados nas festas-comício de Luís Filipe Menezes está a colocar em brasa a campanha autárquica no Porto. O seu mais directo adversário, Rui Moreira, acusou Menezes de “tentar criar a ilusão subtil da abastança aos moradores do Porto com porcos no espeto e Quim Barreiros”.
O candidato do PS, Manuel Pizarro, também criticou Menezes, afirmando que “anda a ver se consegue comprar votos com música e porco assado”. O Bloco de Esquerda no seu Site Esquerda.Net criticou igualmente esta iniciativa de “um porco por cada bairro”.
Em resposta às últimas acusações, Luís Filipe Menezes não quis alimentar polémicas e limitou-se a afirmar que “só falo de coisas sérias e há quem queira emporcalhar [uma referência à polémica dos porcos, que não é nova?], uma campanha eleitoral, mas os portuenses não merecem isso”. Menezes está neste momento a apresentar o programa da sua candidatura na sede principal, pelo que não foi possível até agora ouvir a sua versão.
Após as acusações de ajudar a pagar a renda de casa a uma idosa e a uma colectividade, a candidatura de Luís Filipe Menezes é confrontada na edição de hoje do jornal Correio da Manhã como tendo as contas desequilibradas por causa dos gastos a comprar porcos.
Aquele diário fala mesmo numa “derrapagem” das contas de Luís Filipe Menezes e diz que com base no valor de cerca de 500 euros por porco, a candidatura do PSD à Câmara Municipal do Porto já terá gasto mais de três vezes a verba destinada a comprar porcos.
A oferta parece ser simbólica, mas tem recebido uma grande adesão nos bairros sociais do Porto: uma simples sande de porco assado no espeto, com direito a duas bebidas, tem sido a maior atracção nas festas-comício de Luís Filipe Menezes, o candidato do PSD à presidência da Câmara Municipal do Porto.
O próprio candidato costuma fazer questão de comer uma sande, bifana de porco, como é conhecida popularmente no Porto, às vezes com uma Super-Bock, que é a cerveja que faz parte das duas bebidas que cada um tem direito ao receber a sande pelos assadores, conforme tem sido constatado pelos jornalistas do SOL durante algumas das iniciativas de Luís Filipe Menezes nos bairros sociais e parte das quais já na fase de pré-campanha.
A candidatura do PSD costuma disponibilizar um ou dois porcos por cada festa-comício consoante o número de residentes nos bairros sociais. Por exemplo, bastou um porco no Bairro da Sé, mas foram precisos dois porcos no Bairro das Campinas – maior do Porto.
online@sol.pt

VEJA O PROGRAMA DA CDU DA FREGUESIA DE SANTA BÁRBARA DE NEXE AQUI NESTE LINK

VEJA O PROGRAMA DA CDU DA FREGUESIA DE SANTA BÁRBARA DE NEXE AQUI NESTE LINK http://www.slideshare.net/sergionexe/freguesia-de-santa-brbara-de-nexe

SANTA BÁRBARA DE NEXE - NÃO APOIAM AS INICIATIVAS E QUEREM VIR RETIRAR DIVIDENDOS COM MENTIRAS !



FREGUESIA DE SANTA BÁRBARA DE NEXE

ROGÉRIO BACALHAU ANDOU NA NEXEMOSTRA MAS NUNCA A APOIOU

NENHUM APOIO FOI DADO A ESTA INICIATIVA TÃO IMPORTANTE NA NOSSA FREGUESIA

A NEXE MOSTRA É UMA INICIATIVA DA JUNTA DE FREGUESIA CDU em que a Câmara foi desde sempre parceira com a cedência de tendas, palco, som... e no mandato de bacalhau/macário o apoio da Câmara desapareceu... Não é com o apoio da Câmara que a Nexemostra se afirma.

é verdade ou mentira !?

RUI MACHETE - GENTE FINA É OUTRA COISA - O "surpreendente" Rui Machete já tinha metido os pés pelas mãos nesta estória das acções da SLN, quando pretendeu não saber o preço por que lhe tinham sido oferecidas e posteriormente compradas... uma forma de “justificar” um favor de uns bons milhares de euros, feito pelos seus amigalhaços,

Rui Machete – Gente fina é outra coisa!


O "surpreendente" Rui Machete já tinha metido os pés pelas mãos nesta estória das acções da SLN, quando pretendeu não saber o preço por que lhe tinham sido oferecidas e posteriormente compradas... uma forma de “justificar” um favor de uns bons milhares de euros, feito pelos seus amigalhaços, na mesma época em que estes fizeram exactamente o mesmo “favor” ao outro amigalhaço, Cavaco Silva.
Logo, ser ou não verdade que o senhor ministro foi accionista da empresa que era dona do BPN, não é questão que se ponha. Foi! Ponto!
Já o facto (esta chatice dos factos!) de ter aparecido uma carta em que, anos antes de se ter demonstrado que ele foi accionista, o senhor Machete negava, preto no branco, ter que ver fosse o que fosse com o BPN, negando ser, sequer, depositante, quanto mais accionista... merece um pouco mais de atenção.
Na verdade, merece logo toda a atenção o palavreado do espertalhaço: a mentira descarada e por escrito sobre a sua condição de accionista... é, afinal, uma «incorrecção factual» sem intenção de ocultar a posse das acções.
Ou seja: um ladrão participa num assalto a uma loja (nada que se compare com o gigantesco assalto dos bandidos do BPN aos bolsos dos portugueses!) e, compreensivelmente, tenta negar a sua participação no assalto, mesmo perante provas irrefutáveis fornecidas pelas câmaras de vigilância. Está sempre a acontecer.
Pergunta:
Em que degrau da “escada social” é que um comprovado delinquente deixa de ser um “sacana de um ladrãozeco” que, em desespero, mente descaradamente para tentar salvar o coirão... para passar a ser um respeitável membro da sociedade,merecedor da total confiança do senhor primeiro-ministro Passos Coelho e que, no máximo, comete inocentes “incorrecções factuais”... mas sempre, sempre sem intenção de ocultar o que quer que seja?

Jerónimo critica PS por querer "sol na eira e chuva no nabal" em relação a ´troika´ O secretário-geral do PCP foi hoje acolhido por uma Cuba unida em torno da Coligação Democrática Unitária (CDU) e voltou a condenar o PS por querer "sol na eira" do Parlamento e "chuva no nabal" das autarquias.

Jerónimo critica PS por querer "sol na eira e chuva no nabal" em relação a ´troika´


O secretário-geral do PCP foi hoje acolhido por uma Cuba unida em torno da Coligação Democrática Unitária (CDU) e voltou a condenar o PS por querer "sol na eira" do Parlamento e "chuva no nabal" das autarquias.
O secretário-geral do PCP foi hoje acolhido por uma Cuba unida em torno da Coligação Democrática Unitária (CDU) e voltou a condenar o PS por querer "sol na eira" do Parlamento e "chuva no nabal" das autarquias.
"Como é que eles, lá na Assembleia da República, com a ´troika', assinam uma coisa e depois vêm para as autarquias dizer que defendem os interesses de quem trabalha ?"

***«»***
O Partido Socialista continua a não querer demarcar-se domemorando da troika, que assinou, e que é o fator estruturante de toda a política de austeridade, imposta pela Alemanha aos países periféricos, através da União Europeia. Pedir a aplicação de políticas de crescimento e o fim da austeridade, sem exigir a renegociação da dívida e o alargamento dos prazos das suas maturidades, é o mesmo que pedir a um pescador, a quem roubaram a cana, que continue a pescar. O ciclo vicioso provocado pelo roubo das pensões, pelos cortes nos salários e pela descaracterização dos pilares do Estado Social, ao repercutir-se gravemente na diminuição do consumo interno e na consequente falência das pequenas e médias empresas não favorece o crescimento económico nem o crescimento do emprego, tal como a realidade dos últimos dois anos de austeridade inequivocamente demonstrou.
As próximas eleições do dia 29 de Setembro, além de servirem para escolher os autarcas para o exercício do Poder Local, devem constituir uma oportunidade para mostrar um cartão vermelho ao atual governo e aos partidos da troika

alpendredalua.blogspot.pt