AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sexta-feira, 6 de setembro de 2013

BEM TREINADOS


Vai de bicicleta para o trabalho? Há novas regras no Código da Estrada

Bicicleta
Duas bicicletas podem andar em paralelo
D.R.


A 13ª alteração ao Código da Estrada foi publicada esta terça-feira em Diário da República e vem estabelecer novas regras para a circulação de bicicletas. A partir de agora, duas bicicletas podem circular em paralelo numa faixa de trânsito e os automobilistas ficam obrigados a deixar uma margem lateral mínima de 1,5 metros quando ultrapassam um ciclista.

Conheça as principais alterações:
O automobilistas são obrigados a manter uma margem lateral mínima de 1,5 metros quando ultrapassam um ciclista, sendo que a manobra obriga a abrandar.
As crianças com menos de dez anos de idade podem circular de bicicleta nos passeios.
Em certos casos, como as faixas reservadas aos autocarros, pode ser permitida a circulação de motos e bicicletas nas vias reservadas, mediante deliberação da Câmara Municipal Competente e aprovação do IMTT.
Duas bicicletas podem agora circular em paralelo numa só via, exceto quando a visibilidade for reduzida e houver trânsito intenso.
Além da circulação de bicicletas, as alterações ao Código da Estrada trazem mais novidades.
Na circulação em estradas com uma ou mais faixas no mesmo sentido, como as autoestradas, o novo código salienta a necessidade de se escolher sempre a faixa mais à direita, contemplando a utilização das restantes quando não houver espaço na primeira ou em ultrapassagem. Mas, agora, o facto de se circular numa fila mais à esquerda não constitui necessariamente uma manobra de ultrapassagem.
Foi também reforçada a forma correta de circular nas rotundas: o veículo que entra dá prioridade aos que nela já circulam, só podendo chegar-se à faixa mais à direita depois de passar a via de saída imediatamente anterior à que pretende. Ou seja, as rotundas devem fazer-se pela faixa mais interior possível e não pela faixa de fora.
Os veículos de transporte público passam agora a ter prioridade à saída das paragens, desde que sinalizem atempadamente a sua intenção.

"Permitimos a uma minúscula Elite decidir nosso destino, e de nossos filhos.Permitimos que as nossas mentes sejam manipuladas minuto-a-minuto no sentido de ver os acontecimentos e as pessoas exatamente como a Elite deseja

"Permitimos a uma minúscula Elite decidir nosso destino, e de nossos filhos.Permitimos que as nossas mentes sejam manipuladas minuto-a-minuto no sentido de ver os acontecimentos e as pessoas exatamente como a Elite deseja.Permitimos que um punhado de banqueiros controlem as finanças de biliões de pessoas, cobrando juros sobre dinheiro que não existe.O sistema bancário é a actividade mais lucrativa e a atividade criminal mais destrutiva do planeta. As pessoas que plantam os alimentos e produzem os bens necessários para viver estão todos em débito e muitos são levados à falência e ruína por pessoas que nada mais fazem do que digitar caracteres numa tecla de computador e cobrar juros por eles. Uma fantástica soma de “dinheiro” está em circulação na forma de cheques e créditos de várias formas, mas menos que 10 % disso está na forma de notas e moedas. Mais de 90 % do dinheiro não existe!..A maioria do “dinheiro” é colocado em circulação não pela impressão de notas e moedas pelo governo, mas pelos bancos privados emprestando dinheiro que não existe e cobrando juros sobre ele. Dizem-nos que a inflação é causada pelo governo imprimindo muito dinheiro. Não, não é. O governo não imprime dinheiro suficiente! ..90 % do “dinheiro” colocado em circulação é “criado” na forma de débito pela rede de bancos privados controlada pela Elite Global.Quando entrega a sua mente, entrega a sua vida. Quando um grande número de pessoas fazem isso, elas entregam o mundo. É exatamente o que fizemos.Nós somos responsáveis por tudo o que ocorreu, por aquilo que está a a ocorrer e pelo o que ocorrerá."

David Icke Baseado no livro "I am me, I am Free: The Robots' Guide to Freedom"

O NACIONALEIRO Paulo Portas põe poupanças em banco Alemão O "Correio da Manhã" escreve na sua edição de hoje que "Paulo Portas tem uma parte das suas poupanças no Deutsche Bank. Em Portugal, este banco é uma sucursal protegida por lei alemã desde agosto de 2011, pouco mais de dois meses após o nosso país ter sido alvo da ajuda financeira externa da troika.

O NACIONALEIRO

Paulo Portas põe poupanças em banco Alemão

"Correio da Manhã" escreve na sua edição de hoje que "Paulo Portas tem uma parte das suas poupanças no Deutsche Bank. Em Portugal, este banco é uma sucursal protegida por lei alemã desde agosto de 2011, pouco mais de dois meses após o nosso país ter sido alvo da ajuda financeira externa da troika. As últimas declarações de rendimentos apresentados pelo atual vice-primeiro-ministro no Tribunal Constitucional revelam que Paulo Portas colocou no Deutsche Bank 80 mil euros após agosto de 2011, altura em que o risco financeiro de Portugal e dos bancos portugueses era um dos mais elevados do Mundo".
Segundo o jornal, "quando entregou as declarações de rendimentos relativas à cessação de funções de deputado e início do cargo de ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas declarou ter mais de 159 mil euros numa conta solidária no Banco Popular. Já na declaração de rendimentos apresentada em agosto deste ano, relativa ao início de funções como vice-primeiro-ministro, o governante referiu ter "80 mil euros em conta solidária no Deutsche Bank. O jornal perguntou ao assessor de imprensa de Paulo Portas (por mail e SMS) se o governante tinha colocado as suas poupanças num banco alemão por não ter confinaça nos bancos portugueses mas não obteve resposta".
DN