NOTA


Os textos assinados por outrem ou retirados de outros blogs ou sítios não reflectem necessáriamente a opinião ou posição do editor do "desenvolturasedesacatos"

sábado, 27 de julho de 2013

Incêndios Bombeiros voluntários no Verão isentos de IRS Os bombeiros voluntários que combatam incêndios florestais no período de férias e descanso ficam, a partir de hoje, isentos do pagamento de IRS sobre as compensações e subsídios que recebam, depois de ter sido publicado em Diário de república.

Incêndios 

Bombeiros voluntários no Verão isentos de IRS
Os bombeiros voluntários que combatam incêndios florestais no período de férias e descanso ficam, a partir de hoje, isentos do pagamento de IRS sobre as compensações e subsídios que recebam, depois de ter sido publicado em Diário de república.
Bombeiros voluntários no Verão isentos de IRS
Lusa
PAÍS

Segundo o diploma, o IRS não incide sobre as compensações e subsídios, referentes à actividade voluntária, postos à disposição dos bombeiros pela Autoridade Nacional de Protecção Civil e pagos pelas respectivas entidades detentoras de corpos de bombeiros, no âmbito do dispositivo especial de combate a incêndios florestais e nos termos do respectivo enquadramento legal.
No dia 22 de maio, o secretário de Estado da Administração Interna disse que isentar de IRS os bombeiros voluntários que durante o período de férias e descanso façam parte do dispositivo de combate a incêndios florestais resolve uma questão que durava há 22 anos.
"Esta matéria está por resolver há 22 anos", disse então Filipe Lobo D´Avila, ao apresentar no Parlamento a proposta de lei do Governo que isentava de IRS os bombeiros voluntários que prestem serviço durante o período de férias e descanso no combate aos incêndios florestais no verão.
Para o secretário de Estado, o diploma vai "clarificar as dúvidas que têm existido nos últimos anos" e "reconhece o papel insubstituível dos bombeiros voluntários".
Na altura, a Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) considerou o diploma "justo" e "vitória" para os bombeiros portugueses.

FOTOGALERIA FABULOSA - lago: "Nakuru", na língua Maasai significa "lugar empoeirado", quando na verdade o lago é muito pantanoso, raso e salgado. É de se pensar, todavia, que o nome foi dado pelos antepassados massais, justamente pelo véu rosa provocado pelas centenas de milhares de aves. Aqui vivem mais de 1 milhão e 500 mil flamingos, provocando em alguns momentos um tapete rosa brilhante ao longo margens do lago.

O país dos Flamingos Cor de Rosa...

Nakuru, no Quênia, é um lago onde vivem flamingos literalmente cor de rosa. Anualmente centenas de milhares destes formosos pássaros se reúnem aqui, criando um espetáculo sui generis para os milhões de turistas que visitam este país africano para observar o esplendor da vida selvagem. Se você jamais encontrou na Web imagens como esta, de centenas de milhares de flamingos cor de rosa ao longo das margens de um lago, então esta história é sua. Se já conhece, vale a pena se vislumbrar mais uma vez com as 27 fotos que selecionamos neste post e com algumas informações que conseguimos para dar sustentação ao artigo.



das mO nome do lago: "Nakuru", na língua Maasai significa "lugar empoeirado", quando na verdade o lago é muito pantanoso, raso e salgado. É de se pensar, todavia, que o nome foi dado pelos antepassados massais, justamente pelo véu rosa provocado pelas centenas de milhares de aves. Aqui vivem mais de 1 milhão e 500 mil flamingos, provocando em alguns momentos um tapete rosa brilhante ao longo argens do lago.


Aqui, mais do que em qualquer outro lugar do mundo, vivem milhões de flamingos. Sentados ou voando perto da costa, as criaturas formam um padrão constante de cores, com mudanças de diferentes tons de rosa.


Na África o flamingo é às vezes chamado de "pássaro de fogo" por causa de plumagem brilhante. Em outras ocasiões eles são chamados de "pássaros do amanhecer", tendo em vista as penas terem um tom suavemente rosa.


As algas e crustáceos que vivem neste lago são a base alimentar para os flamingos cor de rosa do Quênia. 


Os flamingos se alimentam com a cabeça pendurada, jogando-as de um lado para o outro para que a água seja filtrada através do bico. Sua vantagem é que o bico é equipado com pequenas placas que servem de armadilha para os plâncton, algas, pequenos crustáceos, moluscos e outros invertebrados.


Como já foi mencionado, o Lago Nakuru, no Quênia é bastante salgado. Em geral a concentração de sal é tão alta que nele não vive qualquer outro vertebrado, a não ser os flamingos. Este evento único chegou a chamar a atenção de Charles Darwin quando este passou pelo Quênia.  Darwin escreveu em seus diários: "É estranho que um ser vivo seja capaz de viver em tais lugares". 


A maior parte do tempo os flamingos passam no raso. Estas aves voam muito relutantemente. Basicamente só o fazem em caso de perigo, quando iniciam uma corrida e já está decolando. 


Os inimigos naturais dos flamingos são raposas, lobos, chacais e grandes aves de rapina. É comum ver águias e falcões voando perto das colônias.


Por que flamingos às vezes se apoiam em uma só perna? Permanente os flamingos, cegonhas, garças e outras aves de pernas longas dobram uma delas para minimizar a perda de calor com a exposição ao vento. Como suas pernas são descobertas de plumas, eles revezam as mesmas para manter, pelo menos uma delas aquecida.


A expectativa de vida dessas belas aves na natureza é desconhecida, mas em cativeiro elas vivem um tempo bastante respeitável para os padrões de idade aviária: cerca de 30 anos.



As lindas imagens do Vulcão Dallol Dallol é uma permanente cratera vulcânica ativa na falha Danakil, no nordeste da Faixa de Al Eartha, naEtiópia. Essas paisagens são formadas devido ao impacto de magma basáltico nas minas de sal e a atividade hidrotermal no subsolo. Em 1926, quando de uma erupção vulcânica forte, formou-se um grande lago localizado a uma altitude de 48 metros abaixo do nível do mar. O vulcão é conhecido por suas paisagens extra-terrestres, uma reminiscência de Io, um satélite do planeta Júpiter, que fotografado pela Nasa mostra ter as mesmas características. Acompanhe as fotos.

As lindas imagens do Vulcão Dallol

Dallol é uma permanente cratera vulcânica ativa na falha Danakil, no nordeste da Faixa de Al Eartha, naEtiópia. Essas paisagens são formadas devido ao impacto de magma basáltico nas minas de sal e a atividade hidrotermal no subsolo. Em 1926, quando de uma erupção vulcânica forte,  formou-se um grande lago localizado a uma altitude de 48 metros abaixo do nível do mar. O vulcão é conhecido por suas paisagens extra-terrestres, uma reminiscência de Io, um satélite do planeta Júpiter, que fotografado pela Nasa mostra ter as mesmas características. Acompanhe as fotos. 
















Post(s) à beira mar

As maravilhosas pinturas sobre penas.... Julie Thompson passou grande parte da sua vida no Alasca. Usufruindo de um cenário natural único e inspirador, que está presente no seu trabalho artístico, começou a pintar penas em 1990, na tentativa de reutilizar as penas que os pavões de sua mãe perdiam em certas épocas do ano. Conhecedora de técnicas de desenho a caneta, pois Julie trabalhou como ilustradora numa empresa de arqueologia, depressa descobriu que os traços pequenos e finos se adaptavam bem às penas.

As maravilhosas pinturas sobre penas....

Julie Thompson passou grande parte da sua vida no Alasca. Usufruindo de um cenário natural único e inspirador, que está presente no seu trabalho artístico, começou a pintar penas em 1990, na tentativa de reutilizar as penas que os pavões de sua mãe perdiam em certas épocas do ano. Conhecedora de técnicas de desenho a caneta, pois Julie trabalhou como ilustradora numa empresa de arqueologia, depressa descobriu que os traços pequenos e finos se adaptavam bem às penas. Entusiasmou-se com a ideia, pois nunca vira penas pintadas e pensou que seria um trabalho original e gratificante. A pintura das penas, onde ela retrata animais e pessoas é um trabalho moroso, chegando a demorar algumas semanas para concluir uma única peça. Julie vive atualmente na região de Puget Sound, Washington, com o marido e dois filhos e não há outro lugar onde gostasse tanto de morar...












Fonte: Email de Jaqueline S. Cardoso
Post(S) À BEIRA MAR