AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quarta-feira, 26 de junho de 2013

Beja: coincidências? Em dia de apresentação de candidatos do PS, Câmara divulga novo vídeo promocional (e novo site *)


DE BEJA, para o mundo, apresentamos o novo vídeo promocional do concelho. O vídeo apresenta Beja, cidade e concelho, sob o olhar de uma jovem turista que se apaixona pela nossa cidade, pelas paisagens, pelo património, pela gastronomia e pela vida vivida que podemos oferecer a quem fica por cá. O pulsar da cidade é-nos apresentado por uma "Mariana do século XXI" que transforma a experiência da sua visita em poema e nos relembra Mariana Alcoforado com "promete-me que terás saudades minhas". Um pedido de Beja a quem nos visita, que convida a voltar a esta cidade com mais de 2000 anos de história e mil e uma estórias para contar. O vídeo foi produzido pela Magik Studios, uma empresa criada por dois jovens criativos de Beja. (Nota de Imprensa)

* aqui: http://www.cm-beja.pt/homepage.do2

a cinco tons

A DESTRUIÇÃO DA HORTA DO MONTE - FOTOGALERIA

Destruição da Horta do Monte


Por volta das seis horas da manhã, oito elementos da Polícia Municipal (PM) acompanharam os trabalhos camarários de destruição da Horta do Monte, localizada perto do Largo da Graça, em Lisboa. Ainda que o projeto comunitário nunca tenha recebido qualquer notificação formal e legal, a CML decidiu interromper o processo de negociação que tinha sido iniciado, com a marcação de uma reunião, e avançou com a intervenção. As cerca de cinco pessoas, membros do projeto comunitário, que se dirigiram ao local por volta das 7h foram alvo de agressões, sem qualquer justificação, por parte da polícia, segundo relatou a coordenadora da Horta do Monte, Inês Clematis. Entre encontrões e bastonadas, duas pessoas foram detidas e uma foi encaminhada para o hospital com a cabeça partida.

É fantástico o medo que o sistema mostra de ver surgir aoto-organização popular e o nascimento de projetos colectivos que não passem pelo pedido de subsídios ou  lambam as botas ao poder. Casas ou terrenos deixados ao abandono durante décadas, passam loga a ter um projeto e uma requalificação se alguém se lembra de os colocar ao serviço da comunidade. Como aconteceu na Escola da Fontinha no Porto, ou agora na Horta do Monte. Os projetos são desalojados á força, o trabalho feito destruído em nome das legalidades e dos procedimentos que criam para travar a ação popular livre e direta. Gostam muito de aparecer nas televisões a defender a cidadania, a necessidade de se possibilitar a participação dos cidadãos, mas só se forem em rebanho, bem direitinhos e a fazer vênias ao poder. P.q.o.P.