AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quarta-feira, 12 de junho de 2013


Cavaco sugere criação de Fundo Monetário Europeu


Entrevistado pela SIC, o Presidente da República lembrou que os objetivos e visões da União Europeia e do FMI são diferentes, daí que seria bom pensar numa troika sem o FMI.
O Presidente da República sugeriu a criação de um «Fundo Monetário Europeu para desenhar e acompanhar as políticas de ajustamento dos Estados-membros em dificuldades».
Em entrevista à SIC, Cavaco Silva defendeu ainda que os objetivos e visões do FMI e da União Europeia são diferentes, daí ser necessário, no futuro, reponderar a composição da troika, com a saída do FMI.
«O objetivo do FMI está muito voltado para a estabilização financeira. Na União, temos objetivos de desenvolvimento harmonioso, coesão e crescimento económico», explicou.
Na opinião do chefe de Estado, o «FMI está habituado a tratar com países isoladamente, aqui é uma união, onde existe uma grande interdependência das políticas económicas e financeiras em que as possibilidades de contágio são muito fortes».
Por esta razão, Cavaco, que lembra que «não se pode separar um país do resto dos membros da união», entende que seria «melhor pensar em representantes das instituições europeias» para uma troika, um opinião que sublinhou ser «pessoal».



O 10 de Junho

por BAPTISTA-BASTOSHoje
B lábláblábláblábláblábláblá-blábláblábláblábláblábláblábláblábláblá A magistratura presidencial destina-se a manter a coesão nacional blá blábláblblábláblábláblábláblblá-blábláblábláblábláblábláblábláblá-blábláblábláblá Não governo nem sou corresponsável pela política do Governobláblábláblábláblábláblá-blábláblábláblábláblábláblábláblá-blábláblábláblá A agricultura nunca esteve tão bem como nos últimos anos blábláblábláblábláblábláblá- blábláblábláblábláblábláblábláblá-blábláblábláblábláblá Chego sempre à mesma conclusão: se tivermos uma crise política, os portugueses ficariam muito pior blábláblábláblá.
Bláblábláblábláblábláblábláblá-blábláblábláblábláblá Estou acima das lutas político-partidárias bláblá- blábláblábláblábláblábláblábláblá-blábláblábláblábláblábláblábláblábláblá No meu horizonte não está a demissão do actual Governo, pelo menos durante a vigência do programa de assistência financeira blábláblábláblábláblábláblábláblábláblá-bláblábláblábláblábláblábláblá-blábláblábláblábláblábláblábláblá O relançamento da economia será possível com a expansão do investimento privado e o financiamento às empresas bláblábláblábláblábláblá- blábláblábláblábláblábláblábláblá-blábláblábláblábláblábláblábláblá-bláblá A demissão do Governo não deve ser feita de ânimo leve. Só em ocasiões muito especiais. Nem mesmo numa situação em que o Presidente perde a confiança no Governo bláblá lábláblábláblá blábláblábláblá- blábláblábláblábláblábláblábláblá-blábláblábláblábláblábláblábláblá-blábláblá Não comento as declarações do senhor Presidente da República; isso compete aos comentadores blabláblábláblábláblábláblblá- blábláblábláblábláblábláblábláblá-blábláblábláblábláblábláblábláblá-bláblábláblá Não percebo muito bem o discurso do senhor Presidente. Nem uma só vez se referiu ao desemprego em Portugal bláblábláblá blábláblábláblábláblábláblábláblábláblá- bláblábláblábláblábláblábláblálábláblá-bláblá Aquilo que preocupa os portugueses. Que é a crise, os problemas que os afectam, desemprego, recessão, não tiveram eco, de facto, neste discurso blábláblábláblábláblábláblá- blábláblábláblábláblábláblábláblá-bláblábláblábláblábláblábláblá O senhor Presidente da República teve um discurso muito responsável, muito galvanizador. Foi um Presidente da República da esperança bláblábláblá blábláblábláblábláblábláblábláblá-blábláblábláblábláblábláblá O Presidente da República saberá, com certeza, os temas que escolhe. Aquilo que nos parece é que faz sentido falar da agricultura, que é um tema muito importante blábláblábláblábláblábláblá-blábláblábláblábláblábláblábláblá-blábláblábláblábláblá Gatunos! Gatunos! Gatunos! Demissão! Demissão! Gosto muito de paradas militares. Por isso cá estou. Mas que estão a fazer aqui estes gajos do Governo, que só têm dado cabo do país? (...) Nobre povo, nação valente (...) Às armas! Às armas!

QUANTO MAIS GANHAM MAIS FOGEM - Lionel Messi e seu pai são acusados de fraude no imposto de renda Valor sonegado, referente aos direitos de imagem do jogador, chegaria a R$ 11 milhões


Lionel Messi e seu pai são acusados de fraude no imposto de renda

Valor sonegado, referente aos direitos de imagem do jogador, chegaria a R$ 11 milhões


SÃO PAULO - O atacante argentino Lionel Messi e seu pai, Jorge Horácio, estão sendo investigados na Espanha por suposta fraude na declaração do imposto de renda do jogador. O valor sonegado chegaria a 4 milhões de euros (cerca de R$ 11 milhões), referentes aos exercícios de 2007, 2008 e 2009.

Messi agora sente a marcação do imposto de renda - Dolores Ochoa/AP
Dolores Ochoa/AP
Messi agora sente a marcação do imposto de renda
De acordo com o diário espanhol El País, a estratégia utilizada para fraudar o imposto seria simular a cessão dos direitos de imagem do jogador para empresas sediadas em Belize e no Uruguai e, paralelamente, formalizar acordos de licenciamento, agenciamento e prestação de serviços com outras empresas, instaladas na Suíça e no Reino Unido. Dessa forma, as receitas referentes aos direitos de imagem daquele período praticamente não sofreram tributação do tesouro espanhol.
Para o Ministério Público do país, a iniciativa da fraude teria partido do pai do jogador, que também é seu agente. Em 2005, quando Messi ainda era menor de idade, Jorge Horácio solicitou a uma terceira pessoa que abrisse uma empresa, depois sucedida por outra, "com o único intuito de sonegar impostos".
A acusação da prática dos três delitos contra a Fazenda Pública será julgada pelo tribunal de Gava, em Barcelona. De acordo com o código penal do país, a pena prevista em caso de condenação varia de dois a seis anos de detenção, além de multa que pode chegar a seis vezes a cota de imposto sonegada.
DEFESA
Nesta quarta-feira, o jogador publicou um comunicado em sua página no Facebook em que se diz surpreso com a acusação. O jogador afirma que está acompanhando o desenrolar dos fatos através da imprensa, e que sempre "cumpriu suas obrigações tributárias, seguindo orientações de seus conselheiros fiscais, que se encarregarão de esclarecer esta situação"

Iluminação da Casa Sommer em Cascais | Arquivo Historico Municipal | Cen...


CASCALENSES, ISTO É MENTIRA

Pressionado pelas denúncias consecutivas do PCP e da CDU, o não eleito presidente da Câmara de Cascais, o todo-poderoso Carlos Carreiras, montou um espectáculo de execrável hipocrisia. As suas declarações neste vídeo fazem corar qualquer pessoa honrada. A CMC há vários anos que não quer saber deste edifício para nada. Mente da forma mais indigna e utiliza uma dinâmica circense para enganar o povo de Cascais.

Quanto à explicação pretensamente historiada por uma figura meio andrógina sobre a vida deste elemento arquitectónico, é de uma subordinação aflitiva. Coitado do assalariado do não eleito presidente do provocador Carlos Carreiras.

Depois das eleições autárquicas, se por acaso fossem ganhas por este PSD que abandonou totalmente a sua cor identificativa (o laranja), aqueles escombros iriam continuar como estão.
Meu Caro Sr Prof Cavaco Silva,
Ilustre Presidente da República

Antes de mais, peço desculpa por, DE NOVO, me dirigir a si através deste meio, o facebook, mas, aparentemente, pelas suas (E DOS SEUS MAIS PRÓXIMOS) reacções à minha anterior missiva, este é o único meio a que Vossa Excelência responde (independentemente da qualidade, da honestidade ou da boa fé da sua resposta, por palavras ou, principalmente, por actos).

Acabei de ler as SUAS DECLARAÇÕES de ontem, dia 10 de Junho (dia de Portugal, de Camões, das Comunidades Portuguesas … do que lhe quiserem chamar). Peço desculpa por não o ter visto ou ouvido em directo mas, como Vossa Excelência deve entender, depois dos seus últimos actos para comigo (e para com muitos dos que discordam de si), NÃO TENHO MUITA VONTADE DE O VER OU OUVIR.

De acordo com o que li, o Senhor disse que: NÃO HÁ RISCOS associados a FRAGMENTAÇÃO SOCIAL.

Meu caro Senhor Professor, lamento informá-lo mas ESTÁ ENGANADO, quiçá mal informado, mal assessorado ou, simplesmente, mal acompanhado.

CONVIDO-O A LEVANTAR-SE DA SUA CADEIRA PRESIDENCIAL e fazer uma visita ao País real.

Como estamos em época de contenção de custos, proponho-lhe, desde já, uma viagem simples (menos de 20 euros por cada pessoa que quiser levar na comitiva presidencial, recorrendo aos bons serviços da CARRIS e aos excelentes serviços do Metropolitano de Lisboa).

Repito: CONVIDO-O A LEVANTAR-SE DA SUA CADEIRA PRESIDENCIAL e fazer uma visita ao País real.

Uma visita simples:

- Saia do palácio ao princípio da manhã e apanhe um autocarro de Belém para o Areeiro; meta-se no Metro e saia na Estação dos Anjos, ao meio da manhã, para ver a FILA DE ESFOMEADOS (SÃO PESSOAS) que ali se junta (e ali se aguenta um par de horas) para receber uma REFEIÇÃO GRATUITA;

- Meta-se de novo no Metro, escolha qualquer direcção e saia num dos grandes centros comerciais de Lisboa e vá almoçar; OBSERVE as pessoas que navegam nas zonas de alimentação à espera que os outros se levantem para, de forma rápida, se sentarem para COMER OS RESTOS DEIXADOS NOS PRATOS (e repare, REPARE BEM, SÃO PESSOAS que ainda se conseguem apresentar de forma suficientemente “bem” para escaparem à vigilância dos seguranças);

- Apanhe o Metro, um Autocarro, ou uma combinação dos dois e vá até junto do Tejo; passeie a tarde a pé do Terreiro do Paço até ao Cais do Sodré e observe; OBSERVE as pessoas (são velhos, essa raça desprezada, mas ainda SÃO PESSOAS) que disputam com os Pombos e as Gaivotas as dádivas de comida, para espanto (e fotografia) dos turistas que nos visitam;

- Apanhe o Metro e vá jantar a outro dos grandes centros comerciais da Cidade e observe; OBSERVE que se repete a cena do almoço (e olhe bem, SÃO PESSOAS);
- Não demore muito a jantar; apanhe a linha vermelha e saia nas Olaias por volta das 21:30 e veja o aglomerado de pessoas (SÃO PESSOAS, Senhor Presidente) que esperam ansiosamente a colocação, no exterior, dos caixotes do lixo do supermercado para, cuidadosamente, tentar encontrar “coisas” que se possam comer;

- Já que está por ali, entre de novo na linha vermelha e vá até à Gare do Oriente, um dos símbolos indiscutíveis do Portugal Moderno; sente-se no muro junto à PSP e observe; OBSERVE as pessoas (SÃO PESSOAS, Senhor Professor, muitas pessoas) que naqueles muros frios encontram a única cama que lhes resta para passar a noite.

Repito: CONVIDO-O A LEVANTAR-SE DA SUA CADEIRA PRESIDENCIAL e fazer uma visita ao País real. Esta visita simples que lhe propus. Bem sei que o Senhor acha que eu sou pouco inteligente e que pertenço ao grupo de pessoas que, erradamente (as palavras são suas), escrevem contra o oásis em que vivemos. Mas, por uma vez, aceite um conselho meu: LEVANTE-SE DA SUA CADEIRA PRESIDENCIAL e vá sentir a verdade.

Se, por dificuldades orçamentais, esta visita não planeada, não tiver autorização de verbas do Sr Dr Vitor Gaspar, ofereço-me aqui, PUBLICAMENTE, para a custear.

Eu sei, reconheço-lhe isso, que o Senhor é superiormente inteligente. Muito mais que eu. De qualquer outra forma TERIA SIDO IMPOSSÍVEL, para si, com os seus, e da Sra D Maria, MODESTOS RENDIMENTOS (as palavras são, uma vez mais, suas) ter-se tornado rico e juntado o pecúlio MILIONÁRIO que detém.

Mas, se é assim inteligente, é impossível não ser observador. LEVANTE-SE DA SUA CADEIRA PRESIDENCIAL e OBSERVE!

E, meu caro, SE DEPOIS DESTA VISITA, que graciosamente lhe desenhei, continuar a achar que NÃO HÁ RISCOS associados a FRAGMENTAÇÃO SOCIAL, então o caso é muito mais sério do que aparenta! Não sei se por degeneração mental, como alguns afirmam, se por chantagem sobre o caso BPN, como outros ventilam ou, ainda, se por PURA MALDADE (eventualmente refinada com a idade). Só sei que É GRAVE!

Despeço-me respeitosamente, aproveitando para lhe deixar um último conselho (meu e de todos os que ainda temos uma réstia de humanidade): aproveite o facto de se ter LEVANTADO DA SUA CADEIRA PRESIDENCIAL e … VÁ-SE EMBORA!

Respeitosamente,
Carlos Paz
A POCILGA CAPITALISTA E FASCISTA DO GOVERNO PASSOS/PORTAS FAZ INVEJA A SALAZAR !

O governo cultiva um desprezo deplorável contra os funcionários públicos. Acaba de fazer o 1º ensaio para lhes cortar definitivamente esse direiro, mesmo cont
ra a decisão do Tribunal Constitucional (TC) e, veja-se, sem ter em vigor qualquer lei que remeta para novembro esse pagamento.
O governo mente, porque tem os "meios necessários e suficientes" para pagar, tal como assegurou o ministro das Finanças, há um mês, e tal como o Orçamento Retificativo confirma. O governo sobe mais um degrau no ataque ao TC e escondeu a decisão dos portugueses durante uma semana. Percebe-se melhor porque querem interromper o mandato dos autarcas e marcar eleições muito antes da entrega do OE 2014. E percebe-se, sobretudo o PSD, o porquê de não pôr o símbolo do partido nos cartazes de campanha.

(extracto Gota de Água)
imagem e título António Garrochinho

PARA QUEM DIZ QUE NUNCA VIU UM ALENTEJANO A CANTAR SÓZINHO


Para quem diz que nunca viu um alentejano a cantar sozinho!



David Pereira, de Castro Verde (aqui)

A CINCO TONS

PAPEL HIGIÉNICO - PARA PASSOS COELHO....


O NÃO PAGAMENTO DO SUBSÍDIO DE FÉRIAS NO FIM DE JUNHO É LUCRATIVO PARA O GOVERNO E É A POLÍTICA DA PURA VINGANÇA.


Não pagamento de subsídio de férias é "retaliação", diz CGTP


O secretário-geral da CGTP/In considerou, esta quarta-feira, a decisão do Governo de não pagar o subsídio de férias aos funcionários públicos no final de junho uma "medida de retaliação" contra aqueles trabalhadores e contra o setor empresarial do Estado.

 
Não pagamento de subsídio de férias é "retaliação", diz CGTP
Arménio Carlos
 
"A desculpa de que não há provimento não faz sentido, tem havido dinheiro para muitas coisas, nomeadamente para o BPN e para outros negócios de parcerias público-privadas e não se justifica que neste momento o Governo esteja a invocar falta de provimento para não pagar o subsídio de férias", disse Arménio Carlos à agência Lusa.
O sindicalista reagia ao facto de o Governo ter ordenado aos serviços públicos para não pagarem os subsídios de férias em junho apesar de a suspensão ter sido chumbada pelo Tribunal Constitucional (TC) e de não estar em vigor a proposta do executivo que remete para novembro esse pagamento.
Para Arménio Carlos, a decisão do Governo nada tem a ver com os interesses do país, além de que constitui uma "atitude revanchista contra os trabalhadores da administração pública e já agora contra a própria economia".
O sindicalista sublinhou ainda que "para quem está preocupado, ou se diz preocupado, com a situação económica do país e a necessidade de promover o crescimento económico", o não pagamento dos subsídios de férias em junho piora a situação da economia.
"Parece-nos uma medida inadmissível, porque não só prejudica os trabalhadores da função pública, como vai prejudicar também o funcionamento da economia, nomeadamente naquilo que tem a ver com a venda de serviços das próprias empresas", sublinhou.