AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


domingo, 28 de abril de 2013

MAIORIA FALA DA MAIORIA


QUE SAÍU DO CONGRESSO XUXA !? NADA !!!! TRAPALHADA À MODA DA CASA

QUE SAÍU DO CONGRESSO XUXA !? NADA !!!!
TRAPALHADA À MODA DA CASA

SEGURO DESISTIU DE PEDIR ELEIÇÕES ANTECIPADAS (NEM FALOU NISSO)

DE RESTO PROPOSTAS POUCAS E AS POUCAS MAL PENSADAS

AO MESMO TEMPO PEDE PARA O PS UMA MAIORIA ABSOLUTA

PARA QUANDO !?

PARA LÁ DA GRANDE ALGAZARRA DE DOS JORNALISTAS E DO DISCURSOS DOS CABECILHAS DO PS A DIZER QUE ESTAVAM EM PAZ UNS COM OS OUTROS O CONGRESSO DO PS É UMA AUTÊNTICA FANTOCHADA (TALVEZ A ESTRATÉGIA SEJA DEPOIS DECIDIDA NOS GABINETES MAÇÓNICOS)

ROMEU E JULIETA - AINDA O CONGRESSO PS



AINDA O CONGRESSO DO PS


ESTE CONGRESSO XUXA FOI REALMENTE UMA PEÇA DE TEATRO LEVADA À CENA DE UMA MANEIRA PRECIPITADA
PELOS AUTO-INTITULADOS SOCIALISTAS, UM FALHANÇO !

HOUVE HISTERISMO NOS DISCURSOS, A MESMA LENGA-LENGA, UM RÔR DE PROMESSAS DE QUEM AINDA NÃO É GOVERNO (NÃO SEI PARA QUEM ESTAVAM A FALAR) UMA ZALGAZARRA ONDE OS "ARTISTAS" SE ENGANARAM NO PONTO À MEDIDA QUE IAM DESFILANDO NO PALCO.

JULIETA A FORMOSA AINDA VIRGEM RECEBEU ABRAÇOS DOS CANDIDATOS A PRÍNCIPES ENCANTADOS MAS LÁ POR DENTRO SABIA  QUE ELES QUERIAM.

QUEREM QUE ELA PERCA A VIRGINDADE PARA DEPOIS A DIFAMAREM E ASSIM SER MAIS FÁCIL O ASSALTO AO TRONO DO CASTELO.

SÃO DOIS PARA JÁ OS CAVALEIROS PRONTOS A DESFLORAR A INOCENTE DONZELA, UM MAIS ASTUTO, MAIS ESTRATEGA, OUTRO UM PRINCIPE FALHADO QUE NÃO GOSTA DE CAVALOS BARATOS (TIPO CLIO).

QUE SE CUIDE A JULIETA SE NÃO QUER SER ATIRADA DA JANELA DE ALGUMA TORRE DO CASTELO PARA SERVIR DE REPASTO AOS MUITOS LOBOS NAS REDONDEZAS, OS LARANJAS E OS ROSAS.

OU QUEM SABERÁ ...SEJA A BELA JULIETA UMA DONZELA JÁ SABEDORA DE TODAS AS ARTIMANHAS DO AMOR E SEJA ELA A DESMAMAR OS DOIS VALENTES PRÍNCIPES E OUTROS FIDALGOS DA CORTE QUE A QUEREM DESONRAR

António Garrochinho

MAIORIA ABSOLUTA




Domingo, 28 de Abril de 2013

ERROS E OMISSÕES

Afirma Pereira, o Silva a quem muitos chamam o ventríloquo ou o papagaio e neste blogue é designado pelo Irmão Lúcia do Sócrates: "Com o discurso do 25 de abril, os portugueses descobriram que deixaram de ter Presidente. Portugal deixou de ter um Presidente da República para ter dois ministros da Presidência".

A afirmação contém um erro e revela um lapso de memória.

O erro: o governo chefiado pelo Gaspar do excel já tinha dois ministros da presidência - o sub-urbano Coelho e o internacional Maduro, substituto do dótor Relvas. Com a entrada do Cavaco passou, então, a ter três.

O lapso de memória: Pereira, o Irmão Lúcia, esqueceu-se que a República está sem presidente desde o fim do segundo mandato de Jorge Sampaio, apesar das manobras do biltre (na feliz expressão de Medeiros Ferreira) para a eleição e reeleição da cavacal figura para residente do palácio de Belém. Aqui fica um lembrete: 
(In: "Mário Soares - Uma Vida" de Joaquim Vieira, 'A Esfera dos Livros', Lisboa 2013)

A Dita e o Balde

Rendas 

Viver numa casa de luxo sai mais barato do que em bairro social
Cerca de mil moradores de cinco bairros sociais em Guimarães queixam-se do aumento de renda “brutal e injusto” que dizem ser na ordem dos 6000%, escreve o Jornal de Notícias. De acordo com estes habitantes, as moradias de luxo do Parque do Infante, na mesma cidade, tem rendas mais baixas.
Viver numa casa de luxo sai mais barato do que em bairro social
DR
PAÍS
Em Guimarães, os moradores de cinco bairros sociais alegam que um dos complexos de luxo da cidade, o Parque do Infante, tem casas com rendas mais baratas do que aquelas que estão sujeitos com o aumento das rendas.
Os moradores, cerca de mil, fizeram uma marcha de protesto, este sábado, contra o aumento “brutal e injusto” de rendas, que o Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) está a levar a cabo. A manifestação terminou junto à câmara de Guimarães com a entrega de uma moção que se pretendem que chegue ao primeiro-ministro.
De acordo com o jornal de notícias, o documento contesta que “as rendas técnicas subam 6000%” em três anos.
Paulo Gonçalves, membro de uma das associações promotoras da marcha, garante que há pessoas nos bairros sociais a pagarem “rendas superiores a 300 euros, enquanto no Parque do Infante há moradias de luxo com rendas mais baixas”.
Questionado sobre o assunto, o IHRU sublinha que existem bairros onde as rendas não eram actualizadas há mais de 30 anos.

Braga 

Falso padre inventa filho doente para 'roubar' crentes
Um homem, já condenado por se fazer passar por padre, voltou a burlar aproveitando se da fé dos outros. Desta vez Agostinho Caridade, de 39 anos, não fingiu ser sacerdote, mas sim um pai preocupado com um filho doente e a necessitar de uma operação em Cuba. Na paróquia de S. Vítor em Braga fizeram-se peditórios pela causa falsa e o burlão ainda arrecadou 25 mil euros em donativos, antes de desaparecer, segundo o Jornal de Notícias.
Falso padre inventa filho doente para 'roubar' crentes
DR
PAÍS
Foi com a história inventada de um filho deficiente e com uma doença rara que Agostinho Caridade, já condenado por fingir ser padre e acusado de roubar objectos de culto, convenceu os paroquianos de S. Vítor, em Braga, a darem-lhe dinheiro para a operação da criança em Cuba.
A burla arrancou pelo menos 25 mil euros aos paroquianos da zona que nunca desconfiaram de Agostinho Caridade, até porque ele fazia questão de marcar presença nalgumas missas, onde o valor do peditório era para o seu suposto filho doente, acompanhado por uma mulher com um carrinho de bebé.
O golpe aconteceu entre Maio e Agosto do ano passado, logo após o burlão ter saído da cadeia, onde estava por se ter feito passar por ‘padre Vítor’. Além dos peditórios nas missas consegui também que lhe emprestassem dinheiro.
Com os últimos donativos na mão, Agostinho Caridade desapareceu. “Com o passar do tempo, achámos estranho ele não passar cá para dizer como estava o filho “, conta ao Jornal de Notícias o sacristão de uma da igreja da Senhora-a-Branca, cujos crentes foram enganados.
Em Março deste ano, reapareceu naquela igreja e disse que não tinha dinheiro para devolver e que estava envergonhado. Mas enquanto falava e não falava com o sacristão, o falso padre ainda conseguiu roubar duas imagens antes de voltar a desaparecer.
A polícia já está à sua procura e a arquidiocese de Braga já emitiu um alerta geral sobre o burlão e o perigo de haver mais roubos e burlas nas igrejas.

Governo 

Passos pronto para deixar Gaspar sair?
A última remodelação do Executivo de Passos Coelho, feita por fases, parece não ter sossegado os espíritos quer dos centristas quer dos sociais-democratas. De acordo com o Jornal de Notícias a cabeça do ministro das Finanças continua a ser a mais pedida e fontes da maioria acreditam que a saída de Gaspar já terá sido mesmo acertada com o primeiro-ministro.
Passos pronto para deixar Gaspar sair?
DR
POLÍTICA
Tanto alguns membros do CDS como do PSD acreditam que a remodelação do Executivo não foi suficiente e pedem mais mexidas, que passam pela substituição do ministro das Finanças Vítor Gaspar.
Fontes da maioria governamental, citadas pelo Jornal de Notícias, acreditam que a saída de Gaspar do Governo é uma questão de tempo e que já terá sido acertada com o primeiro-ministro Passos Coelho, para “vincar a mudança de ciclo” e precaver piores resultados nas eleições autárquicas.
“Tenho toda a confiança no primeiro-ministro. Foi alguém por quem mudei o curso da minha vida. Mas fiz isso pelo doutor Pedro Passos Coelho e não pelo ministro das Finanças”, avisa o vice-presidente da bancada do PSD, Carlos Abreu Amorim.
Insistir em manter Gaspar pode significar para Passos a abertura de uma crise política, especialmente com o CDS.
Por outro lado, se a saída do ministro das Finanças estiver já acertada, certo é que o Gaspar não sairá antes da reforma do Estado, dos cortes de 1,3 mil milhões de euros para compensar o chumbo do Tribunal Constitucional e da apresentação do Orçamento rectificativo, nem da eventual aprovação da extensão das maturidades dos empréstimos.

Subsídio de férias em duodécimos é ilegal


Os especialistas em direito do trabalho estão de acordo quanto à ilegalidade da intenção do Governo pagar o subsídio de férias em parcelas. A lei estabelece que essa remuneração seja paga por inteiro, e em junho, recordam.


Subsídio de férias em duodécimos é ilegalA intenção do Governo pagar o subsídio de férias em duodécimos (que começara a pagar 
como sendo o de Natal) é ilegal, defendem os advogados especialistas em direito do
 trabalho contactados pelo Expresso.

Paulo Santos cita o nº 2 do artigo 208, da lei nº 59/2008 para o justificar: "o trabalhador 
tem direito a um subsídio de férias de valor igual a um mês de remuneração base mensal, 
que deve ser pago por inteiro no mês de Junho de cada ano".

É ilegal quer para os trabalhadores da função pública, quer para os do regime privado, 
acrescenta Paulo Santos, já que o Código de Trabalho estabelece inclusivamente que esse subsídio
 "salvo acordo escrito em contrário", 
seja pago "antes do início do período de férias e proporcionalmente em caso de gozo interpolado de férias" (nº 3 do artigo 264).

Susana Afonso Costa é da mesma opinião. "A partir do momento em que há uma decisão do Tribunal Constitucional nesse sentido, 
os trabalhadores devem ser reembolsados de imediato", disse ao Expresso.

O Governo está obrigado a aplicar o regime geral, diz ainda Paulo Santos, "sem poder agarrar-se a nenhum argumento 
legal em sentido contrário ou a qualquer regime de exceção".
Para que o Governo concretize a sua intenção "terá de criar um diploma legal - seja avulso ou no Orçamento Retificativo - que o permita",
 considera por sua vez o advogado Luís Miguel Monteiro. Sem essa salvaguarda para 2013, e com base na decisão do TC, 
a verdade é que "está obrigado a reger-se pelo regime geral".
Para Susana Afonso Costa, ao insistir nesta proposta, o executivo de passos Coelho está, no fundo, "a tirar partido da dilação 
natural que o momento presente proporciona, pagando como quer, já que os trabalhadores, mesmo contestando, não dispõem
 de nenhum mecanismo legal que lhes permita a recuperação imediata dos pagamentos em causa"
.