AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sexta-feira, 15 de março de 2013



Trabalhadores da RTP - E ao quilo... quanto valem?



O senhor "da ponte", o salazarista “distraído” e grande especialista em cervejolas que Relvas sentou na cadeira da Administração da RTP para lhe facilitar a negociata da tão desejada venda ao desbarato do património construído ao longo de décadas pelo esforço dos trabalhadores da estação pública de televisão e dos portugueses em geral... já sabe quanto "vale" cada trabalhador da casa.
O inútil pode não ter uma única ideia sobre o que deve ser a Televisão e Rádio públicas, pode não ter ideia do que faz cada trabalhador que dirige, ou qual a importância do seu trabalho... mas sabe quanto "vale" cada um. São 45 mil euros... ficando por saber se este preço é válido para trabalhadores ainda vivos, ou já esfolados e amanhados.
Diz que cada vez que se poupar essa quantia “mágica” poupa-se um trabalhador ao possível despedimento. Como argumento demagógico está na média: poderia ser menos, mas também poderia ser mais porco.
Claro que antes de ofender os trabalhadores, agrafando-lhes uma etiqueta com o “preço”, não se lembrou que tem por lá vedetas que em dois ou três meses estoiram esse orçamento, sendo que, nalguns casos, não se vislumbra a troco de quê.
Claro que não se lembrou de que neste preciso momento tem, como tem tido a outras partes, uma megalómana e parola embaixada de enviados a Roma, seguindo cada flatulência do novo Chefe de Estado do Vaticano e do enxame de cardeais, embaixada que está a estoirar dinheiro que daria para “salvar” um número indeterminado dos tais trabalhadores...
Parafraseando o Papa Francisco, que disse sobre a sua própria organização (com propriedade, admita-se!) «Sem Jesus Cristo, podemos ser uma ONG piedosa, mas não a Igreja», também a RTP, desgraçadamente, enquanto for dirigida por estes trastes, poderá até ser uma “ong” que fornece, aqui e ali, uns programas de televisão “passáveis”... mas não é um Serviço Público de Televisão!


O IMPÉRIO COLONIAL BRITÂNICO DA A PRIMEIRA ALFINETADA NO PAPA ARGENTINO


Argentino-presidente Kirchner-junto-com-o Cardeal Bergoglio-em-Buenos-Aires-em-2008
Cristina Kirchner, presidenta da Argentina, com o cardeal Bergoglio em Buenos Aires em 2008

Argentina exorta o Papa para ajudar a recuperar Malvinas

David-Cameron-and-The-Pope-disagree-over-the-Falklands
Cameron: "Eu não concordo com ele!, respeitosamente,éclaro."
Surgiu ontem a primeira polêmica envolvendo o novo Papa Francisco, por ele haver descrito a Grão Bretanha como "usurpadora" das Ilhas Malvinas.

Por: John Chapman



Apenas 24 horas depois de se tornar pontífice, o Papa Francisco,76, nascido em Buenos Aires, também estava enfrentando questões sobre sua relação com a brutal junta militar que governou a Argentina nos anos 1970 e 1980.

A Presidenta da Argentina, Cristina Kirchner, atiçou as chamas, dizendo que ela queria que o Papa ajudasse  a reconquistar as Malvinas.

Kirchner pediu-lhe para "levar a mensagem para os grandes poderes mundiais que participam no diálogo".

A mensagem foi interpretada como uma referência à disputa sobre o arquipélago, conhecido como Malvinas na América Latina.

Ela acrescentou: "Nós desejamos a ele toda a sorte do mundo em sua missão pastoral, e o que isso significa para a América Latina e Argentina. Nós esperamos que seja significativo para a nossa região ".

Jorge Bergoglio falou no passado de seu apoio para a reivindicação da Argentina sobre as Ilhas Malvinas.

Em 2011, ele pediu que as pessoas "não esquecer aqueles que tinham caído durante a guerra" e disse que eles tinham "derramaram seu sangue em solo argentino".

Ele acrescentou: "As Malvinas são nossas. Respeito por aqueles que deram suas vidas que  não devem ser esquecidos. Esta é a nossa terra. A Malvinas são argentinas ".
Papa, Argentina, Inglaterra, Argentina
O Recém-eleito Papa Francisco, ontem em Roma.
Para uma massa no ano passado reunida para marcar o 30 º aniversário da invasão, ele disse: "Viemos para orar por aqueles que caíram, os filhos da pátria que se propuseram a defender a sua mãe, a terra natal, para reivindicar o país que é deles, e foram usurpados ".

O Papa Francisco também foi acusado de não enfrentar a junta quando milhares foram sequestrados e mortos em uma "guerra suja" para eliminar opositores de esquerda.

"Há aqui hipocrisia quando se trata de conduta da igreja, e com Bergoglio em particular", disse o ativista Estela de la Cuadra.

A acusação mais contundente é que, como líder dos jesuítas da Argentina, ele não teria dado apoio para dois padres de favelas que foram seqüestrados e torturados.

Mas biógrafo do novo Papa, Sérgio Rubin, afirma Bergoglio salvou os sacerdotes. "É um assunto muito sensível", acrescentou Rubin. 

Tradução: Eduardo Bueres

Fonte: The Daily Sanday Express/ Free ilustration by: militanciaviva

MULHER - ONDE VAIS ?



Set172009
 
SsJ34LrI7LsI
Mulher – Onde vais?
Homem – Vou sair um pouco.
Mulher – Vais de carro?
Homem – Sim.
Mulher – Tem gasolina?Homem – Sim…. coloquei.
Mulher – Vais demorar?
Homem – Não… coisa de uma hora.
Mulher – Vais a algum lugar específico?
Homem – Não… só andar por aí.
Mulher – Não preferes ir a pé?
Homem – Não… vou de carro.
Mulher – Traz-me um gelado!
Homem – Trago… que sabor?
Mulher – Morango.
Homem – Ok… na volta pra casa eu passo na loja e compro.
Mulher – Na volta?
Homem – Sim… senão derrete.
Mulher – Passa lá agora, compra e deixa aqui..
Homem – Não… é melhor não! Na volta… é rápido!
Mulher – Ahhhhh!
Homem – Quando eu voltar eu como um contigo!
Mulher – Mas tu não gostas de morango!
Homem – Eu compro outro… de outro sabor.
Mulher – Assim fica mais caro… traz de ananás!
Homem – Eu também não gosto de ananás.
Mulher – Traz de chocolate… nós os dois gostamos.
Homem – Ok! Beijo… já venho….
Mulher – Ei!
Homem – O que é?
Mulher – Chocolate não… Flocos…
Homem – Não gosto de flocos!
Mulher – Então traz de morango pra mim e do que quiseres pra ti.
Homem – Foi o que eu sugeri desde o princípio!
Mulher – Estás a ser ironico?
Homem – Não, não tou! Vou indo.
Mulher – Vem cá dar-me um beijo de despedida!
Homem – Querida! Eu já venho… depois.
Mulher – Depois não… quero agora!
Homem – Tá bom! (Beijo.)
Mulher – Vais no teu carro ou no meu?
Homem – No meu.
Mulher – Vai com o meu… tem leitor de cd… o teu não!
Homem – Não vou ouvir música… vou espairecer…
Mulher – Tás a precisar?
Homem – Não sei… vou ver quando sair!
Mulher – Não demores!
Homem – É rápido… (Abre a porta de casa.)
Mulher – Ei!
Homem – Que foi agora?
Mulher – Bolas!!! Que bruto! Vai, vai-te embora!
Homem – Calma… estou a tentar sair e não consigo!
Mulher – Por que queres ir sozinho? Vais-te encontrar com alguém?
Homem – O que queres dizer com isso?
Mulher – Nada… não quero dizer nada!
Homem – Que é… achas que te estou a trair?
Mulher – Não… claro que não… mas sabes como é?
Homem – Como é o quê?
Mulher – Homens!
Homem – Generalizando ou falando de mim?
Mulher – Generalizando.
Homem – Então não é meu caso… sabes que eu não faria isso!
Mulher – Tá bem… então vai.
Homem – Vou.
Mulher – Ei!
Homem – Que foi, porra?
Mulher – Leva o telémovel, estúpido!
Homem – Pra quê? Pra ma estares sempre a ligar?
Mulher – Não… caso aconteça algo, tens o telémovel.
Homem – Não… deixa estar…
Mulher – Olha… desculpa pela desconfiança, estou com saudades, só isso!
Homem – Ok, meu amor… Desculpa-me se fui bruto. Amo-te muito!
Mulher – Eu também! Posso cuscar no teu telémovel?
Homem – Pra quê?
Mulher – Sei lá! JOgar um joguinho!
Homem – Queres o meu telémovel pra jogar?
Mulher – É.
Homem – Tens a certeza?
Mulher – Sim.
Homem – Liga o computador… tá cheio de joguinhos!
Mulher – Não sei mexer naquela lata velha!
Homem – Lata velha? Comprei-o o mês passado!
Mulher – Tá..ok… então leva o telémovel senão eu vou cuscar…
Homem – Podes mexer à vontade… não tem lá nada, mesmo…
Mulher – É?
Homem – É.
Mulher – Então onde está?
Homem – O quê?
Mulher – O que deveria estar no telémovel mas não está…
Homem – Como!?
Mulher – Nada! Esquece!
Homem – Tas nervosa?
Mulher – Não… não tou…
Homem – Então eu vou!
Mulher – Ei!
Homem – O que ééééééé? merda!
Mulher – Já não quero o gelado!
Homem – Ah é?
Mulher – É!
Homem – Então eu também já não vou sair!
Mulher – Ah é?
Homem – É.
Mulher – Boa! Vais ficar aqui comigo?
Homem – Não …tou cansado… vou dormir!
Mulher – Preferes dormir a ficar comigo?
Homem – Não… vou dormir, só isso!
Mulher – Estás nervoso?
Homem – Claro, porra!!!
Mulher – Porque é que não vais dar uma volta para espairecer?!?!…Mulher – Onde vais?
Homem – Vou sair um pouco.
Mulher – Vais de carro?
Homem – Sim.
Mulher – Tem gasolina?
Homem – Sim…. coloquei.
Mulher – Vais demorar?
Homem – Não… coisa de uma hora.
Mulher – Vais a algum lugar específico?
Homem – Não… só andar por aí.
Mulher – Não preferes ir a pé?
Homem – Não… vou de carro.
Mulher – Traz-me um gelado!
Homem – Trago… que sabor?
Mulher – Morango.
Homem – Ok… na volta pra casa eu passo na loja e compro.
Mulher – Na volta?
Homem – Sim… senão derrete.
Mulher – Passa lá agora, compra e deixa aqui..
Homem – Não… é melhor não! Na volta… é rápido!
Mulher – Ahhhhh!
Homem – Quando eu voltar eu como um contigo!
Mulher – Mas tu não gostas de morango!
Homem – Eu compro outro… de outro sabor.
Mulher – Assim fica mais caro… traz de ananás!
Homem – Eu também não gosto de ananás.
Mulher – Traz de chocolate… nós os dois gostamos.
Homem – Ok! Beijo… já venho….
Mulher – Ei!
Homem – O que é?
Mulher – Chocolate não… Flocos…
Homem – Não gosto de flocos!
Mulher – Então traz de morango pra mim e do que quiseres pra ti.
Homem – Foi o que eu sugeri desde o princípio!
Mulher – Estás a ser ironico?
Homem – Não, não tou! Vou indo.
Mulher – Vem cá dar-me um beijo de despedida!
Homem – Querida! Eu já venho… depois.
Mulher – Depois não… quero agora!
Homem – Tá bom! (Beijo.)
Mulher – Vais no teu carro ou no meu?
Homem – No meu.
Mulher – Vai com o meu… tem leitor de cd… o teu não!
Homem – Não vou ouvir música… vou espairecer…
Mulher – Tás a precisar?
Homem – Não sei… vou ver quando sair!
Mulher – Não demores!
Homem – É rápido… (Abre a porta de casa.)
Mulher – Ei!
Homem – Que foi agora?
Mulher – Bolas!!! Que bruto! Vai, vai-te embora!
Homem – Calma… estou a tentar sair e não consigo!
Mulher – Por que queres ir sozinho? Vais-te encontrar com alguém?
Homem – O que queres dizer com isso?
Mulher – Nada… não quero dizer nada!
Homem – Que é… achas que te estou a trair?
Mulher – Não… claro que não… mas sabes como é?
Homem – Como é o quê?
Mulher – Homens!
Homem – Generalizando ou falando de mim?
Mulher – Generalizando.
Homem – Então não é meu caso… sabes que eu não faria isso!
Mulher – Tá bem… então vai.
Homem – Vou.
Mulher – Ei!
Homem – Que foi, porra?
Mulher – Leva o telémovel, estúpido!
Homem – Pra quê? Pra ma estares sempre a ligar?
Mulher – Não… caso aconteça algo, tens o telémovel.
Homem – Não… deixa estar…
Mulher – Olha… desculpa pela desconfiança, estou com saudades, só isso!
Homem – Ok, meu amor… Desculpa-me se fui bruto. Amo-te muito!
Mulher – Eu também! Posso cuscar no teu telémovel?
Homem – Pra quê?
Mulher – Sei lá! JOgar um joguinho!
Homem – Queres o meu telémovel pra jogar?
Mulher – É.
Homem – Tens a certeza?
Mulher – Sim.
Homem – Liga o computador… tá cheio de joguinhos!
Mulher – Não sei mexer naquela lata velha!
Homem – Lata velha? Comprei-o o mês passado!
Mulher – Tá..ok… então leva o telémovel senão eu vou cuscar…
Homem – Podes mexer à vontade… não tem lá nada, mesmo…
Mulher – É?
Homem – É.
Mulher – Então onde está?
Homem – O quê?
Mulher – O que deveria estar no telémovel mas não está…
Homem – Como!?
Mulher – Nada! Esquece!
Homem – Tas nervosa?
Mulher – Não… não tou…
Homem – Então eu vou!
Mulher – Ei!
Homem – O que ééééééé? merda!
Mulher – Já não quero o gelado!
Homem – Ah é?
Mulher – É!
Homem – Então eu também já não vou sair!
Mulher – Ah é?
Homem – É.
Mulher – Boa! Vais ficar aqui comigo?
Homem – Não …tou cansado… vou dormir!
Mulher – Preferes dormir a ficar comigo?
Homem – Não… vou dormir, só isso!
Mulher – Estás nervoso?
Homem – Claro, porra!!!
Mulher – Porque é que não vais dar uma volta para espairecer?!?!…

ALN




A Ação Libertadora Nacional (ALN) foi uma organização revolucionária brasileira com traços comunistas que se lançou contra o regime miliar em fins da década de 60. Seu principal líder Carlos Marighela fundou a organização em 1967 após romper com o Partido Comunista Brasileiro (PCB),. O grupo surgiu porque seus integrantes entenderam que só uma ação armada poria fim ao regime vigente, desta forma, entusiasmados pelo aparecimento de guerrilhas em vários países da America Latina e com o significativo livro publicado pelo escritor Frances Régis Debray, chamado Revolução na Revolução, o qual defendia o conceito de que:
“nas condições do mundo contemporâneo o papel dos partidos e das camadas sociais na construção de um movimento socialista revolucionário deveria ser examinado. Em razão disso esse movimento só poderia ter probabilidade de êxito a partir de um grupo armado que se estabelece-se em um ponto do País”
No mesmo ano de sua formação a ALN inicia ações para sua composição, através de assaltos a bancos, a carros pagadores, etc,  inclusive um assalto espetacular a um trem pagador da Santos-jundiaí. Atos como esses eram diariamente realizados com a finalidade de adquirir fundos para a militância.
Em sua maioria os participantes da ALN eram estudantes universitários. Dos quatro sequestros executados no País dois tiveram participação direta da ALN. O primeiro junto com o MR-8 onde as duas organizações assumiram a autoria do sequestro do embaixador norte americano, Charles Burke Elbrick em 04 de setembro de 1969. Com esse audacioso rapto conseguiram a libertação de 15 presos políticos, na ocasião a Aliança Libertadora Nacional divulgou uma carta à imprensa denunciando as torturas cometidas pela a ditadura. Dentre os presos liberados estava José Dirceu, na época líder estudantil.
O segundo sequestro foi o do embaixador alemão Ehrefield Von Holleban, este ultimo liberou 40 presos políticos.  Através de assaltos, sequestros e assassinatos a ALN chamou a atenção da mídia e, portanto dos militares. Há registros que destacam a eliminação de dissidentes dentro da própria organização. Todos esses fatos foram suficientes para reforçar a linha-dura na certeza de que a revolução estava arruinando o País e era preciso criar novos instrumentos para acabar com os subversivos. Em resposta a estes atos revolucionários os militares designaram para o comando do DOPS (Departamento de Ordem Política e Social) o delegado Sergio Paranhos Fleury; após intensa perseguição sem resultado arquitetou uma armadilha para prender o chefe da ALN. Seus agentes capturaram e torturaram integrantes da guerrilha até conseguir a confissão de onde estaria seu líder. Carlos Marighela foi morto em 4 de novembro de 1969 na Alameda Casa Branca na capital de São Paulo.
A partir do homicídio de Marighela, Joaquim Ferreira, conhecido como Toledo e também ex membro do PCB passa a liderar o aparelho até ser preso em 23 de outubro de 1970 onde teria sido torturado até a morte. Neste mesmo ano outro importante componente da organização é morto pelo DOPS, desta vez, Eduardo Collen Leite além de ter sido torturado teve seu corpo mutilado.
No ano seguinte um grupo de dissidentes que havia sido treinado em Cuba organizou um Movimento de Libertação Popular (Molipo), porém a maioria de seus combatentes foi exterminada em 1974. Depois disso a ALN apenas resistiu à coação do regime.
O único dirigente ainda vivo é Carlos Eugenio Paz que aos 17 anos se tornou participante na luta contra a ditadura, contudo, fugindo da repressão se exilou na frança em 1973 e permaneceu por lá até o ano de 1981. De volta ao Brasil publicou um livro contando a saga da guerrilha.

MANIFESTAÇÕES MARCADAS PARA AS 19 HORAS EM LISBOA E PORTO VEJA AQUI IMAGENS DA MANIFESTAÇÃO QUE ESTÁ A DECORRER FRENTE AO MINISTÉRIO DAS FINANÇAS EM LISBOA ONDE NESTE MOMENTO DISCURSA ARMÉNIO CARLOS










Divisão em PSP e GNR custa 145 milhões de euros/ano

por Lusa, texto publicado por Isaltina Padrão
O atual modelo de organização das polícias em Portugal, uma polícia civil e outra de cariz militar, custa 145 milhões de euros por ano aos contribuintes, segundo dados hoje avançados num seminário organizado pela PSP.
Nas conclusões do seminário "Desafios da Segurança em Portugal", onde foi defendida uma polícia única civilista, o superintende José Torres, diretor nacional adjunto da PSP, disse que o custo mínimo anual da opção corrente pelo sistema dual (PSP e GNR) é de 145 milhões de euros.
A direção nacional da PSP e o Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna (ISCPSI) organizaram um seminário de dois dias em Lisboa para debater o atual modelo de segurança interna.
O diretor nacional adjunto da PSP apresentou as conclusões dos trabalhos, sublinhando que um sistema de polícia única implicaria "ganhos operacionais e económicos" e que "a abolição do sistema dual será uma inevitabilidade".
O superintendente José Torres falou também de um estudo recentemente entregue ao ministro da Administração Interna, o qual defende que a fusão da PSP, GNR e Serviços de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) representaria "ganhos relevantes no plano económico e financeiro".
Segundo o estudo, um processo dessa natureza permitiria uma redução de 50 por cento do número de quadros dirigentes, a eliminação de 47 por cento das estruturas superiores e intermédias e a diminuição de cerca de 40 por cento do pessoal policial afeto ao apoio operacional.
O diretor nacional adjunto da PSP disse igualmente que no seminário foi defendido que há uma tendência para desmilitarizar a segurança interna em todo o mundo ocidental.
Por outro lado, adiantou, se a opção for sempre no modelo dual, "as forças de segurança terão que deter todas as valências necessárias".
Na abertura dos trabalhos, na quinta-feira, o secretário de Estado Adjunto do ministro da Administração Interna disse que o atual modelo de organização das polícias está estabilizado e "mudanças radicais neste setor são sempre garantia de resultados desastrosos".
"Temos um modelo que está estabilizado, naturalmente que este modelo deve e terá que ter ajustes, mas não será de maneira nenhuma posto em causa nos seus fundamentos", afirmou Juvenal Silva Peneda.
Durante o seminário foram ainda apresentados os casos da Áustria e Bélgica, onde existe uma polícia única integral, e da França e Espanha, que têm o sistema dual de polícias.

lisboa da boa esperança








QUATRO ALMAS

Conferência episcopal italiana comete gafe e agradece a Deus pelo papa errado

Conferência episcopal italiana comete gafe e agradece a Deus pelo papa errado

A conferência episcopal italiana estava de tal forma convencida de que seria um dos seus cardeais a ser eleito Papa que enviou uma mensagem de felicitação aos meios de comunicação a agradecer a Deus por ter sido escolhido um clérigo de Milão para suceder a Bento XVI.

O problema é que já tinha sido anunciado o eleito, o argentino Jorge Bergoglio, que optou pelo nome de Francisco I.
O secretário-geral da conferência episcopal italiana, monsenhor Mariano Crociata, expressou «a sua alegria e agradecimento» a Deus pela eleição do cardeal Angelo Scola de Milão, num comunicado que chegou aos media às 20:23 (horas locais), ou seja, às 19:23 de Portugal.
Cerca de 10 minutos antes já Bergoglio tinha feito a sua primeira aparição perante a multidão na Praça de São Pedro.
Às 20:08 (em Portugal), a conferência episcopal italiana emitiu outro comunicado a agradecer a Deus pela eleição do Papa, mas desta vez acertando no nome.