AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


domingo, 17 de fevereiro de 2013

E PARA O EXÉRCITO PEDÓFILO DA IGREJA DEFENDE O QUÊ !?


Cardeal de Gana, Peter Turkson, candidato a Papa, defende pena de morte para gays

Homofóbico, Turkson defende a pena de morte para homossexuais em Uganda, um projeto de lei infame que tramita no Poder Legislativo do país. Ao site “National Catholic Register”, ele tentou justificar, no ano passado, o porquê da vontade de prender e matar gays e lésbicas na África seria compreensível (!): “A intensidade da reação (à homossexualidade) é provavelmente compatível com a tradição”. "







Forte candidato a papa defende
pena de morte para gays
Cardeal de Gana separa direitos LGBT de direitos humanos e é a favor de que gays sejam presos e mortos em nome de uma 'tradição'
Cardeal de Gana separa direitos LGBT de direitos humanos e é a favor de que gays sejam presos e mortos em nome de uma 'tradição'

Assim que Joseph Ratzinger renunciou ao posto de papa, surgiram nomes que podem sucedê-lo. Um dos mais fortes é o de Peter Turkson, Cardeal de Gana, que poderia se tornar o primeiro papa negro e africano da história. Mas cuidado: ele parece ser ainda pior que Bento XVI.

Homofóbico, Turkson defende a pena de morte para homossexuais em Uganda, um projeto de lei infame que tramita no Poder Legislativo do país. Ao site “National Catholic Register”, ele tentou justificar, no ano passado, o porquê da vontade de prender e matar gays e lésbicas na África seria compreensível (!): “A intensidade da reação (à homossexualidade) é provavelmente compatível com a tradição”.

O cardeal ainda criticou a atitude do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, quando este pediu que o continente africano acabasse com a criminalização da homossexualidade. Para Turkson, defender os LGBT não é questão de direitos humanos. “Quando você está falando sobre o que é chamado de ‘estilo de vida alternativa’, são estes os direitos humanos? Ele [Ban Ki-moon] precisa reconhecer que há uma sutil distinção entre moralidade e direitos humanos, e é isso que precisa ser esclarecido.”


Quando se pensa que o ódio e a falta de respeito ao humano poderiam conhecer limites…


Fonte: http://paroutudo.com/2013/02/13/forte-candidato-a-papa-defende-pena-de-morte-para-gays-em-uganda/

ILUSÃO OU DESAMOR




A ganância dos ricos é uma coisa que nunca deixa de me surpreender.Um destes dias voltando para casa de mais um dia atribulado, vi uma daquelas pinchagens feitas nos muros da cidade. A pinchagem não tinha nada que deixasse a estética kantiana admirada.

Nela, uma frase "O que fere mais, a ilusão ou o desamor?".

As letras incertas debruçavam-se tingindo de negro o fundo branco da parede.
A princípio, a frase despertou minha curiosidade.
O que queria dizer o autor com tal frase?
Passei alguns momentos "matutando" a respeito da frase, mas isso não durou muito, pois, no mundo moderno, tempo é dinheiro e eu não podia desperdiçar o meu pensando com tolices.
Deixando a frase de lado, voltei à minha vidinha. Dias depois do episódio com a tal frase, vi um documentário que me deixou estarrecido. O documentário mostrava os ricos que tinham por endereço casas de grande ostentação. Depois de vê-lo, passei aquestionar-me sobre como podiam, os ricos, morar tranquilamente nas suas casas de luxo e não se importar com toda a pobreza que os rodeava. Ao questionar-me, fui remetido à lembrança da tal frase, que jazia em repouso nos recônditos esquecidos da minha memória, e obtive uma resposta. 
Os ricos moram em suas casas de luxo e ostentação sem se importar com a pobreza que os rodeia porque estão envolvidos ternamente por sua ganância.
É esta que os impede de enxergar a miséria na qual os seus pés estão atolados quando descem de suas moradias e palácios e têm de andar pelas ruas da cidade. É essa mesma ganância que os acompanha, nos seus carros de luxo, no trajeto até os seus escritórios, também de luxo. Para se verem livres da pobreza que turva as suas caras , os ricos, moram em palácios, jantam em limusines, vestem as mais belas roupas, andam nos carros mais luxuosos e blindados. Enquanto isso, a pobreza, não tem onde morar, o que comer, o que vestir e nem mesmo o dinheiro para o autocarro. Mas o que os ricos não conseguem ver é a pobreza.

Parada, nos semáforos tentando limpar os vidros ou estacionar os carros dos ricos, a pobreza espera. A pobreza espera que a iludam com um pouco de amor. Mas os ricos, estes, tão inebriados pelo amor à sua ganância, só têm mesmo o desamor para ofertar.Nos seus apartamentos, vivendas de luxo, a muitos andares afastadas do inferno da pobreza, os ricos esquecem que todos, mesmo eles, permanecem abaixo do céu. 

foi - poema de António Garrochinho


MANIFESTAÇÃO 16 FEVEREIRO 2013 - PAPÉIS DISTRIBUIDOS














 EPHEMERA








FOTOGALERIA - CARTAZES NA MANIFESTAÇÃO CGTP 16 FEVEREIRO 2013














EPHEMERA

MENINO !!! TÁ NA HORA DE IR PARA CASA !!!!