AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013


Vergonha nacional

Para as emoções de juventude não temos, seguramente, um Brahms português, com as suas danças húngaras, para sublinhar esse arrebatamento. Mas temos, em contrapartida, para o Nobel, um Saramago e um Egas Moniz, que nos honram. E, na Arquitectura, podemos orgulhar-nos de um Siza Vieira e um Souto Moura, para não irmos mais longe e mais atrás. Na poesia, bastariam Pessoa e Camões.
Mas na Justiça, infelizmente, não temos nenhum Garzón, nenhum Borsellino ou Falcone. Temos uma pobreza confrangedora que nos envergonha. De quantos anos precisará a justiça (?) portuguesa para deslindar e levar a julgamento o escandaloso caso BPN? Ou, pelo menos, para dar conta ao país do que é que andaram a fazer, voluptuosa e milimetricamente, nestes anos todos. É uma vergonha...

Arpose

HISTÓRIA DE UM NOME E ATRIBULAÇÕES NO REGISTO CIVIL - CARA SENHORA MARIA JOSÉ P.




  • O Registo Civil de X recebeu o seguinte requerimento:
    X, 5 de Fevereiro 2012.
    Eu, Maria José Pau, gostaria de saber da possibilidade de se abolir o sobrenome Pau do meu nome, já que a presença do Pau me tem deixado embaraçada em várias situações. Desde já agradeço a atenção despendida.
    Peço deferimento,
    Maria José Pau.
    Em resposta, recebeu a seguinte mensagem:
    Cara Senhora Pau:
    Sobre a sua solicitação da remoção do Pau, gostaríamos de lhe dizer que a nova legislação permite a remoção do Pau, mas o processo é complicado e moroso.
    Se o Pau tiver sido adquirido após o casamento, a remoção é mais fácil, pois, afinal de contas, ninguém é obrigado a usar o Pau do cônjuge se não quiser.
    Se o Pau for do seu pai, torna-se mais difícil, pois o Pau a que nos referimos é de família e tem sido utilizado há várias gerações.
    Se a senhora tiver irmãos ou irmãs, a remoção do Pau torná-la-ia diferente do resto da família.
    Cortar o Pau do seu pai pode ser algo muito desagradável para ele.
    Outro senão está no facto do seu nome conter apenas nomes próprios, e poderá ficar esquisito, caso não haja nada para colocar no lugar do Pau.
    Isto sem mencionar que as pessoas estranharão muito ao saber que a senhora não possui mais o Pau do seu marido.
    Uma opção viável seria a troca da ordem dos nomes.
    Se a senhora colocar o Pau na frente da Maria e atrás do José, o Pau pode ser escondido, pois poderia assinar o seu nome como 'Maria P. José'.
    A nossa opinião é a de que o preconceito contra este nome já acabou há muito tempo e visto que a senhora já usou o Pau do seu marido por tanto tempo, não custa nada usá-lo um pouco mais.
    Eu mesmo possuo Pau, sempre o usei e muito poucas vezes o Pau me causou embaraços.
    Atenciosamente,
    Bernardo Romeu Pau Grosso
    Registo Civil de X
    33 LUGARES ABANDONADOS MAS LINDOS QUE VOCÊ VAI VER.

    Maravilhas da natureza que mostram que o tempo é capaz de transformar lugares destruídos em verdadeiros cenários paradisíacos.


    Lugares abandonados costumam ser associados a ambientes sujos e sem vida, não é mesmo? Então se prepare para se surpreender com as fotos abaixo. A seleção de imagens é do blog Francesco Mugnai e mostra algumas das paisagens mais bonitas que você verá hoje. Entre ruínas e ambientes esquecidos, a força da natureza mostra como é capaz de transformar lugares esquecidos pelo homem em verdadeiras pinturas.

    Sorrento, na Itália

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Castelo Eilean Donan

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Holey Trinity

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Klevem, na Ucrânia

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Câmara de resfriamento de usina abandonada

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Farol

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Gorazde, na Bósnia

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Hotel del Salto

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Casa do Partido Comunista da Bulgária

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Taiwan

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Usina abandonada

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Curon Venosta, na Itália

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Iate afundado, na Antárctica

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Estátua de Jesus, em Malta

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Prédio abandonado

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Mansão abandonada

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Prédio abandonado e congelado

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Igreja em Indiana, nos Estados Unidos

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Moinho de Herdman

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Teatro

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Estação de metrô

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Arbutus

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Parque de diversões, no Japão

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Saint Dunstan

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Saint Etienne

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Ruínas

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Castelo Buchanan

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Prédio em ruínas

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Piano em casa abandonada

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Estrada de ferro, na França

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Teatro Lawdale

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Casa abandonada

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    Estrada de ferro abandonada

    (Fonte da imagem: Reprodução/Francesco Mugnai)

    OS LUGARES MAIS PERIGOSOS DO PLANETA TERRA


    Michael Stevens, o criador do canal Vsauce, no YouTube, postou um vídeo (em inglês) em que tenta responder a questão “Qual o local mais perigoso da Terra?”. A resposta para essa pergunta, no entanto, é mais complexa do que poderíamos imaginar, já que podemos dividir o termo “periculosidade” em diversas categorias — como violência, local em que se morre mais rápido, nível de poluição, número de fatalidades, entre outros. 
    O vídeo se inicia com a afirmação de que 93% de todos os humanos que já viveram estão mortos. Além disso, para cada humano vivo neste momento, existem 15 que já estão falecidos. Não há como negar que a Terra é um lugar perigoso, mas quais seriam os piores locais na superfície terrestre para se estar?

    1 - Monte Everest

    Começando com a temperatura: lugares extremamente quentes ou frios podem matar em horas — e, em certos casos, em minutos. Outro tópico que pode ser levado em conta é nossa necessidade de oxigênio, detalhe que nos leva ao Monte Everest: o pico mais alto do mundo e onde esse recurso é realmente mais escasso, existindo apenas um terço do oxigênio que precisamos quando comparado ao nível do mar.

    (Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)
    Esse dado faria com que você morresse em apenas 2 ou 3 minutos se estivesse no pico da montanha sem nenhum aparelho de oxigênio como apoio. 

    2 - O fundo extremo do mar

    A morte viria de forma ainda mais rápida se você estivesse no fundo do Mariana Trench, o lugar mais profundo do oceano — onde seu corpo seria coberto por cerca de 11 quilômetros de água, fazendo com que a pressão sobre você chegue a níveis absurdos.

    (Fonte da imagem: Reprodução/Max Plant Intitut)
    Com toda essa pressão, seus pulmões entrariam em colapso imediatamente e, sem oxigênio, o seu cérebro ficaria inconsciente em 15 segundos — e você estaria morto em 90 segundos. 

    3 - Morte instantânea na lava

    Cair em um lago feito de lava é, provavelmente, a forma mais “instantânea” de morrer. Ao contrário do que vemos nos filmes — em que se uma pessoa cai na lava o corpo começa a ser consumido e afundado em partes, como se estivesse em uma areia movediça —, o que aconteceria na verdade seria ver “fogos de artifício”. 
    Juntar rocha-líquida em extremo calor ao corpo humano (que é basicamente composto por água) faria com que fôssemos transformados em vapor de forma explosiva. No vídeo acima, isso pode ser visto no exato momento em que uma ostra entra em contato com a lava (na marca de 3 minutos e 20 segundos). 

    4 - Onde está a malária

    Agora, se não olharmos pelo lado de o quão rápido você morreria, mas sim pelo número total de fatalidades ocasionadas, teremos que nos focar em algo microscópico. Em 1918, a Influenza matou cerca de 100 milhões de pessoas, o que na época representava algo em torno de 3% da população total do planeta.  
    (Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)
    Mas, em termos de quantidade de fatalidades, o Plasmodium — o causador da malária — se destaca. O número total de mortos causados por essa doença em toda a história humana é de surpreender: de todos os homens que já existiram, pesquisadores afirmam que, provavelmente, metade morreu com a doença. 
    Então, em número de fatalidades em toda a história humana, e falando de uma forma estatística, o local em que o Plasmodium pudesse entrar na corrente sanguínea de uma pessoa por causa de uma picada de mosquito poderia ser chamado de o lugar mais perigoso da face da Terra. 

    5 - Lago Karachay 

    No entanto, o ser humano também consegue se tornar um “perigo” para ele mesmo ao poluir radicalmente alguns pontos do planeta — e o lago Karachay, na Rússia, é um bom exemplo disso.
    (Fonte da imagem: Reprodução/Daily Mail)
    Ele foi classificado como o local mais poluído na Terra, pois contém tantos poluentes radioativos que você pode receber uma dose mortal de radiação apenas por ficar por uma hora em alguns pontos ao redor do lago. 

    6 - Cidade com mais assassinatos

    Ao analisarmos o ranking mundial de lugares seguros (lista normalmente feita com base em diversos fatores, como violência), a Somália é considerada o local mais inseguro da Terra. No entanto, levando em conta apenas o número de assassinatos, a cidade de Juarez, no México, apresenta números assombrosos: a cada 1 milhão de habitantes, aproximadamente 1500 são assassinados por ano. 
    (Fonte da imagem: Reprodução/Front Page Mag)
    Mas, no ano passado, Juarez acabou por perder o posto de cidade com mais homicídios para San Pedro Sula, em Honduras, que registrou o número de cerca de 1600 assassinatos a cada 1 milhão de habitantes. 

    7 - Desastre em Chernobyl

    No dia 26 de abril de 1986, uma falha no resfriamento causou uma explosão de um reator, dando início a um dos maiores desastres nucleares da história.
    O acidente ocasionou uma fuga em massa, milhares de mortes e um nível de radiação tão perigoso que, até hoje, muitas partes próximas ao acidente continuam a ser bastante letais.  
    (Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)
    Mesmo que alguns pontos ainda sejam abertos para visitação, após mais de duas décadas, a radiação no local está acima de 250 microrroentgens, 10 vezes mais do que o normal para os seres vivos — detalhe que permite que os visitantes fiquem no lugar por apenas 15 minutos.