AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quarta-feira, 24 de outubro de 2012


De um diário imaginário


Chove e relampeja. O comissário da Cultura parece que pediu escusa, por motivos de saúde, para sair do Governo. Mas já deve ter motivos suficientes, com a experiência que teve, para escrever alguns romances policiais cujo homicídio central tenha sido provocado por asfixia. E parece-me ser um atitude avisada, profilática, agora que este governo atingiu os píncaros de popularidade... Não quero falar de ratos, nem de navios.
Continua a chover neste Outono do nosso descontentamento. E percebo, num momento de clarividência súbita, como e porque a maior parte dos filósofos europeus nasceram a Norte. Como eles são escassos em Portugal, na Espanha, na Itália... A Grécia é a excepção, mas na Antiguidade. Quando a Cultura floresce, todo um povo mostra o seu melhor, nas artes, nos ofícios e nas ciências.
Esta incomodidade, que hoje sentimos, mas que vem de longe, deve ter-se transformado, ao longo dos  séculos, na bem conhecida melancolia à portuguesa. Ou para mais uma vez citar Camões, nesta "apagada e vil tristeza". Que nos tem condenado a ser governados por videirinhos, oportunistas, miguéis de vasconcelos, carreiristas...eu sei lá!
Sobram-nos poetas, e continua a chover.

parlamento



ESCÂNDALO-VEJAM AS MORDOMIAS DOS DEPUTADOS INGLESES




OS DEPUTADOS NO REINO UNIDO...!

Não é de estranhar, mas é interessante saber... como tudo é diferente...
Os deputados do Reino Unido, na "Mãe dos Parlamentos",

1 . não têm lugar certo onde sentar-se, na Câmara dos Comuns;
2 . não têm escritórios, nem secretários, nem automóveis;
3 . não têm residência (pagam pela sua casa em Londres ou nas províncias) -
Detalhe: e pagam, por todas as suas despesas, normalmente, como todo e qualquer trabalhador! -;
4 . não têm passagens de avião gratuitas, salvo quando ao serviço do próprio Parlamento;
5. E o seu salário equipara-se ao de um Chefe de Secção de qualquer repartição pública!
Em suma, são SERVIDORES DO POVO e não PARASITAS do mesmo.

A propósito, sabiam que, em Portugal, os funcionários não deputados que trabalham na Assembleia têm um subsídio equivalente a 80 % do seu vencimento?

Isto é, se cá fora ganhasse 1000,00 €, lá dentro ganharia 1800,00 €. Porquê? Profissão de desgaste rápido???

AGORA COMPAREM COM OS PRIVILÉGIOS DOS DEPUTADOS PORTUGUESES.
E DEPOIS ESTE PAÍS É QUE ESTÁ EM CRISE. EM CRISE ESTÁ O REINO UNIDO QUE NEM CONSEGUE PAGAR CONDIGNAMENTE AOS REPRESENTANTES DA SUA DEMOCRACIA.
A especiaria

é o que faço ! - poema de António Garrochinho




Paula Teixeira da Cruz – De cada vez que abre a boca...



Se é sabido que as privatizações são uma forma de espoliação dos interesses dos portugueses que só interessa a especuladores, negociantes, ou à soma de tudo isso, os banqueiros... não admira que o senhor do BES estivesse de olho numa dessas privatizações.
Se é sabido que de cada vez que vai ao estrangeiro, ou que atende Angela Merkel ou o seu ministro alemão das Finanças, ao telefone, Passos Coelho junta mais umas linhas ao caderninho onde aponta as ordens que irá cumprir sem rebuço... não admira que o senhor do BES esteja convencido de que é possível pressionar o primeiro-ministro de Portugal.
Posto isto, quero crer que nada daquilo que está nas fortuitas escutas do telefonemas do senhor do BES a Passos Coelho tem a menor importância. Devem ser tão irrelevantes estas escutas, quanto foram as escutas de Sócrates, ou as da “fruta” dos árbitros, ou dos robalos do Vara, ou dos aparelhos de ar condicionado da doutoraZita... ou mesmo das mui afogueadas escutas da dona Adozinda aos ruídos que vêm do quarto que um jovem e fogoso casal tem alugado, mesmo ao lado da sua parede de tabique, ali num segundo andar da velha Rua da Atalaia.
Na verdade, a única coisa que me interessou nestas escutas a Passos Coelho, foi a performance da ministra da Justiça que, já por duas vezes nos últimos dias, meteu o bedelho onde não devia, comentando investigações judiciais em curso.
Na primeira, que envolvia ex-governantes do PS, montou uma verdadeira tenda de feira, desceu das tamancas e gritou, histérica, que «agora a impunidade acabou»... “agora sim, vamos dar a volta a isto!, agora sim, há pernas para andar!, agora sim, eu sinto... ” (peço desculpa... esta parte acho que é dos “Deolinda”)... muito antes de que se percebesse o que diabo sabiam ou não sabiam os investigadores.
Agora, nas escutas que envolvem Passos Coelho... é vê-la, angelical, "compreendendo" o PM, defendendo que é muito natural «que qualquer pessoa inocente tenha vontade de que a sua inocência seja claramente exposta»insinuando saber da inocência destepor antecipação.
dona Paula Teixeira da Cruz pode até ser uma “santa” senhora… mas quase todos os dias demonstra que muito dificilmente isso é qualificação suficiente para se ocupar o lugar de ministra da Justiça!







“Sou um lugar em desordem onde curvas se despenharam e os matos se escoaram. Eu, sou neste mundo, um único verbo. O Inferno entre imagens e árduos poemas. 
Eu, a fenda feminina, que arranco dos lábios a boca e o nada. 
No meu olhar habita um leopardo, e no corpo toda a íntima geografia é pólvora.
A escuridão exalta-me o sangue em pedras rotativas, dando-me poros aos poros e meses onde desabrocha a rua em pequena carne “


Luisa Demétrio Raposo
30 de Setembro de 2012

GASPAR E O TRIUNFO DOS PORCOS

AMIGOS (AS)
O governo não mexeu nas gorduras no orçamento deste ano, naõ cumprindo o acordado no Memorando da troika que estipula a redução de 80% da lado da despesa do Estado e um aumento de 20% do lado da receita. 
Quer dizer, mesmo com as medidas de austeridade que aplicou este ano - aumento dos impostos, dos ivas, roubo dos subsídios e redução dos salários e pensões, o governo estima forte di

minuição das receitas e um aumento da despesa do estado em mais de 2 mil milhões de euros.
O OE/ 2013 entregue à dias na Assembleia da República, vai pelo mesmo caminho mas muito sinuoso, com um aumento brutal dos impostos, continuação no roubo dos subsídios, introdução de taxas para todos, apanhando inclusivamente quem recebe apoio sociais. Vamos ter em 2013 um cenário ainda pior que o deste ano - mais desemprego, mais falências menos receitas.
Perante o OE/2013, a Troika já exigiu ao governo um plano B, no caso do respectivo orçamento falhar. Todos sabemos que tipo de plano se vai apresentar - mais redução nos apoios sociais, mais corte nos salários e nas pensões na função pública – é a desgraça completa para muitos enquanto alguns vão continuar a viver à GRANDE….

The Most Beautiful Music in the World - (No. 2)

cartoons - recados políticos e não só





este povo - poema de António Garrochinho