AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


domingo, 9 de setembro de 2012

MORTE Á CORJA


Roger Waters - 5:01 AM (The Pros and Cons of Hitch Hiking, Part 10)


Semanada


A direita idiota liberada por um imbecil decidiu governar à margem da lei e de qualquer princípio ético ou moral, acabaram-se as negociações entre trabalhadores e patrões, acabara-se os processos de concertação e acabou-se a constituição. O Tribunal Constitucional ousou fazer cumprir a Constituição da República e Passos Coelho ficou irritado, a melhor forma que encontrou para fazer que cumpria o acórdão do TC foi vingar-se usando-o para tramar ainda mais os funcionários e pensionistas e ainda ir forçar os trabalhadores a transferir uma parte dos seus rendimentos para os patrões. A direita portuguesa perdeu a vergonha e ao revelar tamanha irresponsabilidade e abuso arrisca-se a conduzir o país para o conflito social de consequências imprevisíveis.
   
Cavaco Silva fala, fala, fala mas não faz nada, a verdade é que no dia seguinte ao Presidente da República pronunciar-se sobre a hipótese de serem impostos mais sacrifícios aos portugueses o primeiro-ministro vingou-se e fez precisamente o contrário. Agora os portugueses ficam a aguardar pela reacção de Cavaco e serão muitos os que neste momento questionarão qual terá sido o verdadeiro preços do Pavilhão Atlântico.
Entretanto, a troika lá vai fazendo a sua quinta avaliação e dessa ainda sobrará mais uns impostos a cobrar aos trabalhadores portugueses até ao final do ano, ao que parece a incompetência do ministro das Finanças custou ao fisco mais de dois mil milhões de euros e um pulo no défice que nos coloca a par da Grécia.
   
Mas nem tudo são más notícias para os trabalhadores portugueses, há pelo menos um que decidiu andar no sentido contrário e regressar ao país para ganhar muito menos, prescindindo de uma posição que dizer ser a de número dois de uma multinacional. Quando muitos fogem do país o Ponte regressa, quando muitos se queixam dos impostos o Ponte decide ganhar menos, é caso para recear uma de duas coisas, ou o Ponte andava a beber muita cerveja ou alguém lhe vai pagar com jutos quando a RTP for entregue aos amigos do Relvas a título de pagamento da ajuda prestada à direita imbecil para chegar ao poder.

Nina Simone/ Feeling Good

Fever - Peggy Lee

Etta James - It's a Man's Man's World

Charles Aznavour - The Old-Fashioned Way

Supertramp Breakfast in America without composer, singer Roger Hodgson

ROSTOS DA FESTA DO AVANTE 2012























Sapo

COMO SE REBENTA O DINHEIRO - AVIÕES F 16 A PATRULHAREM O ESPAÇO AÉREO DA iSLÂNDIA E DEPOIS A ALUGARMOS AERONAVES PARA COMBATER OS FOGOS NO NOSSO TERRITÓRIO



F-16 portugueses patrulham céus da Islândia




 espaço aéreo da Islândia está a ser patrulhado  por seis F-16 portugueses, apoiados por um contingente de 70 militares,  entre pilotos, mecânicos, pessoal de logística e de comunicações, uma vez  que o país nórdico não tem forças armadas. 
O policiamento dos céus islandeses pelos caças portugueses, que operam  a partir de uma antiga base norte-americana, situada em Keflavic, a 40 quilómetros  da capital islandesa, Reiquejavique, começou há três semanas e prolonga-se  até meados de setembro.  
"Isto tem a ver com a saída dos americanos em 2006. A Islândia, como  não tem forças armadas, mas é membro da NATO, teve de pedir apoio para patrulharem  o seu espaço aéreo. Portugal assumiu esse compromisso internacional em 2011",  explicou à agência Lusa o comandante do destacamento, após a chegada de  70 novos militares que vão substituir os que já se encontram no país nórdico  desde 07 de agosto. 
O avião Hércules C-130 descolou da Base Aérea N. 5, em Monte Real,  às 04:00 de sexta-feira e aterrou seis horas depois em Keflavic, com vento  forte, chuva, nevoeiro e uma temperatura a rondar os dez graus, condições  climatéricas que levaram ao cancelamento, pela primeira vez em toda a missão,  dos voos planeados. 
Apesar deste contratempo, o tenente-coronel Fernando Costa, que será  substituído no cargo de comandante do destacamento pelo tenente-coronel  Carlos Lourenço, faz um balanço "extremamente positivo" da missão até agora,  e destaca a forma como os islandeses os receberam. 
"Não tivemos grandes dificuldades. A nível profissional, as condições  são excelentes e temos tido todo o apoio da nação hospedeira. A nível da  sociedade, o que se pode dizer é que este é um povo bastante amável, hospitaleiro  e tivemos uma integração bastante fácil. Sentimo-nos como se estivéssemos  na nossa própria casa", realça o oficial. 
De 14 de agosto até hoje, os seis F-16 voaram 90 horas. Desde o início  da operação, ainda não houve nenhuma situação de interceção de algum avião  intruso no espaço aéreo islandês, apesar de haver informações de que os  russos intensificaram as suas operações aéreas. 
Para o bom desempenho dos caças nacionais na missão, denominada de "Iceland  Air Policing 2012", muito tem contribuído o pessoal da manutenção, diz o  capitão Paulo Sacramento, responsável da área da manutenção. 
"Tivemos algumas avarias, como é normal, pois os F-16 têm sistemas complexos.  Mas com trabalho, perspicácia e muito saber, conseguimos no final do dia  garantir sempre que as aeronaves estão todas prontas para voar", salienta.
"Aqui é o centro nevrálgico da manutenção dos aviões. Cada avião tem  um livro específico, onde é registado tudo o que se faz ao avião ou tudo  o que o avião tem. Além disso registamos toda a manutenção programada de  todos os equipamentos do avião, as manutenções periódicas", explica o sargento-ajudante,  Helder Bonina, apontando para os seis livros, que correspondem aos seis  caças destacados em Keflavic. 
A Islândia não tem forças armadas mas dispõe de guarda costeira, com  quem os militares portugueses trabalham em conjunto em diversas áreas, nomeadamente  no Centro de Reporte e Controlo, onde estão as consolas dos radares que  "vigiam" parte do extenso espaço aéreo islandês. 
"São pessoas fantásticas, com muita experiência, extremamente educados  e muito bons profissionais. A missão correu muito bem até agora e é para  continuar assim até ao fim", considera Jon B. Gudnason, responsável islandês  pelas operações e que pertence à guarda costeira islandesa. 
O C-130 com os cerca de 70 militares que estiveram em missão na Islândia  desde 07 de agosto deve aterrar às 22:00 de hoje na Base Aérea N. 5, em  Monte Real. O fim da missão está agendado para 17 de setembro, com a chegada  de grande parte do destacamento previsto para o dia seguinte. 
Lusa

PETRÓLEO EM TORRES VEDRAS SERÁ COMO O OURO DO BRASIL



Portugal tem petróleo, só falta mesmo começar a extraí-lo. Esta é a conclusão que se retira da intenção de Joe Berardo comprar uma participação na empresa canadiana que vai explorar petróleo e gás em Portugal
A Mohave, que está em Portugal há 16 anos e já investiu mais de 40 milhões de euros na prospecção, tem a convicção, fundamentada em estudos de especialistas, que os campos de Aljubarrota e de Torres Vedras terão reservas da ordem dos 500 milhões de barris de petróleo leve, ou seja de qualidade semelhante ao que foi descoberto em Tupi, no Brasil. A concretizar-se esta estimativa, a Mohave e Joe Berardo irão extrair petróleo suficiente para abastecer o mercado português durante quase cinco anos. O empresário vai arriscar muito (não se sabe ainda quanto) neste negócio, mas parece ter a possibilidade de ganhar muito mais, uma vez que, a preços actuais, o petróleo de Aljubarrota e Torres Vedras valerá mais de 25 mil milhões de euros. Para combater o natural cepticismo, Berardo afirma que a Galp e a Petrobras vão investir 300 milhões de euros na prospecção em Portugal e ninguém seria louco para o fazer sem que houvesse fortes hipóteses de haver petróleo. A empresa canadiana vai utilizar uma nova tecnologia que permitirá fazer aquilo que durante décadas parecia impossível: extrair petróleo do subsolo português. O presidente da Mohave diz que, em termos geológicos, Portugal é semelhante à Líbia e à Argélia, o que é mais um indício de que existirá petróleo e gás natural no nosso país. É caso para dizer que, se se confirmar a existência de petróleo, Portugal poderá passar por um novo período de prosperidade como quando, no século XVIII, explorou o ouro do Brasil.
Só te conto