AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


terça-feira, 28 de agosto de 2012



NÓ(S)


O poema despe-se suavemente
e deita-se a teu lado
o cheiro a jasmim
da minha pele

quer que as tuas mãos falem
o que o medo da tua voz me possa dizer
o sal mar das minhas lágrimas
diluísse na minha boca
num mar de marés cheias de beijos
nos meus lábios aromas morango
esperam-te
o sol das minhas esperanças
achou ser capaz de acalmar a tua imensa tempestade
as cotovias entristecem o seu canto
a orquídea branca perdeu-se de ti
e num caminho de silêncios
teimo em desatar este nó(s)
que não desata.

Ester Cid
                                                                                     
                                   Pintura: GIAN LORENZO BERNINI – “Apolo e Dafne” 
blog Madrugadas Alentejanas

O NOSSO AMOR - VÉUS - POEMAS DE ANTÓNIO GARROCHINHO




A caçadora de Pores-do-Sol...

(Essa foto está reduzida. Dê Ctrl e clique em cima para ampliá-la.) 
Eu não defino Noê Fernandes como uma fotógrafa profissional. Aliás, isso ela não é mesmo, pois é funcionária pública e quando não está trabalhando cuida dos afazeres da casa. Noê é uma fotógrafa, não profissional, mas é uma fotógrafa, e de mão cheia. Eu arrisco dizer que Noê tem a sensibilidade e o tino necessário para clicar as imagens que ficam escondidas no surrealismo de nossas imaginações. Noê transforma o simples em belo, e sem truques ou photoshop, sem mesmo utilizar metade dos recursos de sua máquina, capta imagens lindíssimas que nos fazem viver a indelével sensação de que a imagem é maior do que a nossa própria existência. 
Mãe dedicada, defensora fervorosa da sua bela Imaruí, uma pequena cidadezinha de menos de 12 mil habitantes, banhada pelas águas do Complexo Lagunar, no Sul de Santa Catarina, Noê começou em 2011 - mais para passar tempo - a fotografar as belezas naturais do seu território e postar no Facebook. No início fazia imagens pequenas com baixa resolução, como essas primeiras que vamos mostrar na sequência. Depois começou a utilizar os recursos da máquina e hoje já posta fotos com resolução maior. Nessa série, além das fotos anteriormente feitas, vamos trazer algumas das que ela mais gosta de "atirar", de Pôr do Sol, que os imaruienses costumam dizer ser um dos mais lindos do planeta, com o que eu concordo! São realmente muito bonitos. Por isso eu intitulei esse post de "A caçadora de pores-do-sol".  Acompanhe o post e confira. 



Algumas das jóias tiradas no ano passado, todas em baixa resolução: 



Fotos da nova série, já em resolução maior. 
Dê um Ctrl e clique para abri-las ampliadas em outra página. 




















Essa é Noê Fernandes, "atirando" em jóias com sua máquina sem muitos recursos.  

Essa é a pequena Imaruí, em foto de Roberto Luiz Nascimento, outro fotógrafo amador, apaixonado que faz imagens lindas da sua terra natal. 
Post(s) á beira mar

Uma pequena viagem pelo país dos 187 mil lagos...


Com a maioria de fotos do finlandês Sameli Kujala e outras poucas da Wikipédia e do Google, resolvemos fazer uma rápida viagem por este país nórdico da chamada fino-escandinávia que tem sua superfície marcada por lagos e ilhas. A Finlândia - por mais incrível que possa parecer - tem catalogados 187.888 lagos e 179.584 ilhas. Um destes lagos, o Saimaa, é o 5º maior lago da Europa. A paisagem finlandesa é predominantemente plana, com algumas colinas e montes baixos. O ponto mais alto do país, o Halti, com 1328m, encontra-se no extremo norte da Lapônia. Cerca de 75% da área terrestre do país está coberto por Taiga (ou floresta boreal) com pouca terra arável. O tipo mais comum de rocha é o granito. A Finlândia é um dos poucos países cuja superfície ainda se expande devido a recuperação pós-glacial que está sofrendo. Desde a última era glacial a superfície da Finlândia se expande cerca de 7 quilômetros por ano. Um quarto do território finlandês situa-se a norte do Círculo Polar Ártico, e consequentemente é possível experimentar o Sol da meia-noite, mais frequente à medida que se caminha para norte. No ponto mais setentrional da Finlândia, o Sol não se põe durante 73 dias no verão e não nasce durante 51 dias no inverno. A distância que separa o extremo sul do país, Hanko, do extremo norte, Nuorgam, é de cerca de 1.445 quilômetros, o que daria cerca de 18 horas de viagem. Vamos conhecer um pouquinho da Finlândia com suas planícies e lagos?































Post(s) á beira mar