AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


segunda-feira, 6 de agosto de 2012



O QUE É A PROPAGANDA?

o Miguel, que tem oito anos, perguntou-me o que era isso da propaganda. a propaganda é publicidade, mas a ideias, em vez de coisas, disse eu. imagina que eu era do governo e te estava a tentar convencer que Portugal devia entrar em guerra com Espanha – tu mandavas-me estar quietinha e não dizer asneiras, que já temos problemas que cheguem, não era? … mas vê lá que em tempos de guerra os governos conseguem convencer as pessoas, as que pagam as armas e os filhos que morrem, de que a guerra é justa e necessária – é aí que percebes o poder da propaganda, as ‘estratégias de comunicação’ dos estados, envolvendo a televisão, os jornais, as rádios … e tudo o que possa influenciar a discussão e a opinião pública. assustando, manipulando, confundindo, complicando, para que a gente aceite coisas com pouca lógica.
na guerra como na ‘austeridade’: repara que o governo nos conseguiu convencer das coisas mais estranhas:  que ‘não há alternativas’ a uma espiral descendente de empréstimos-em-bola-de-neve, que ‘o que a gente precisa é de empobrecer’, que ‘ o desemprego é uma oportunidade’, que ‘as pessoas mais novas têm de emigrar’. os senhores que repetem essa lengalenga sem sentido, que mandam no país e aparecem na televisão, lamentando agora a má vontade da realidade que teima em não se adaptar às suas teorias, são os mesmos que primeiro mandavam vir o FMI, dizendo com a mesma cara de pau que os empréstimos a juros altíssimos dados  aos bancos, mas pagos com os impostos de toda a gente eram bons para nós; depois, passaram a dizer que bom, bom, não era, mas ‘tinha de ser’; depois que afinal ia ser bom, mas demorava mais um bocadinho do que o previsto a lá chegarmos; depois, que afinal não era bom, e ardia, mas curava … e que agora continuam ainda a inventar desculpas, a tentar adiar o dia em que as pessoas reparem que empobrecer é só isso, ficar mais pobre, mais dependente e menos livre.
entretanto, esses mesmos senhores mataram a economia, a cortes, golpes e sangrias, acabam com os direitos de quem trabalha, criam exércitos de pessoas desempregadas e leiloam bibliotecas, pavilhões de espectáculosescolas e hospitais, vendendo aneis e dedos como se os sacrificassem aos deuses do disse-que-disse, aos tais ‘mercados’ que é preciso aplacar (mas que não pagam impostos, claro). pelo meio, não tenhas dúvidas, muita gente fica rica. esta guerra pode ser de ideias e não de balas – mas as ideias também matam.
(por isso é que precisamos de contrapropaganda.)


MINISTÉRIO DA CONTRAPROPAGANDA

Alemanha ganha mais de 70.000 milhões com crise da dívida

Nos últimos 30 meses, a Alemanha economizou mais de 60 mil milhões de euros no financiamento da sua dívida soberana. Mas os ganhos da Alemanha com a crise da dívida na Europa são muito maiores, reconhece o jornal “Bild”, conhecido pelos seus ataques
ARTIGO | 6 AGOSTO, 2012 - ESQUERDA NET

A Alemanha ganha entre 70 e 100 mil milhões de euros com a crise da dívida – Foto de Images_of_Money/Flickr
O diário alemão “Bild” reconheceu, na passada quarta feira (1 de agosto de 2012), que a “Alemanha ganha dinheiro graças à crise do euro”. Noticia a revista francesa “L' Expansion”, que de acordo com aquele jornal a Alemanha está a ganhar com a baixa das taxas de juro da sua dívida soberana, mas também com a baixa da cotação do euro, que favorece as suas exportações para fora da União Europeia.
O jornal salienta que “o Estado e os consumidores beneficiam da taxa de juro baixa” e destaca que o ministro alemão das Finanças “Wolfgang Schäuble ganha dinheiro mesmo endividando-se”, devido às taxas de juro negativas nos títulos da dívida pública alemã de curto prazo. O jornal cita um analista que refere que “nos últimos 30 meses, a Alemanha economizou mais de 60 mil milhões de euros no refinanciamento da sua dívida”. Na quarta feira, a taxa de juro dos títulos da dívida soberana alemã a cinco anos caíram para 0,31%, um nível historicamente baixo.
O “Bild” sublinha ainda que o setor da construção civil e os consumidores beneficiam das baixas taxas de juro, assim como a banca que se pode financiar com taxas muito baixas no BCE. O setor exportador beneficia ainda da baixa cotação do euro.
“Juntando tudo isto ao aumento das receitas dos impostos e à baixa das despesas sociais, as economias atingem 70 a 100 mil milhões de euros”, refere o jornal.

PORTUGUÊS DE 26 ANOS INVENTA UM DETETOR DE CANCRO DA PELE



 Identificar, de forma rápida e eficaz, lesões de pele potencialmente cancerígenas. É este o propósito da aplicação móvel criada por Luís Rosado, o investigador português de 26 anos responsável pelo desenvolvimento da Melanoma Detection.

O software para smartphones - desenvolvido no âmbito de uma parceria entre o investigador do centro Fraunhofer Portugal AICOS e do Instituto Português de Oncologia no Porto - tira partido dos recursos deste tipo de equipamentos para alertar os utilizadores para o risco daquele que é "um dos problemas de pele mais frequentes na população caucasiana": o cancro de pele.

Há diferenças, apesar de tudo!



Há diferenças, apesar de tudo!

François Hollande está no governo há 56 dias. Passos Coelho, há cerca de um ano. Vejam as diferenças.
Os dados que aqui constam são oficiais e foram traduzidos do jornal Le Monde :

- Suprimiu 100% dos carros oficiais e mandou que fossem leiloados; os rendimentos destinam-se ao Fundo da Previdência e destina-se a ser distribuido pelas regiões com maior número de centros urbanos com os suburbios mais ruinosos.

- Tornou a enviar um documento (doze linhas) para todos os órgãos estatais que dependem do governo central em que comunicou a abolição do "carro da empresa" provocativa e desafiadora, quase a insultar os altos funcionários, com frases como "se um executivo que ganha € 650.000/ano, não se pode dar ao luxo de comprar um bom carro com o seu rendimento do trabalho, significa que é muito ambicioso, é estúpido, ou desonesto. A nação não precisa de nenhuma dessas três figuras " . Fora os Peugeot e os Citroen. 345 milhões de euros foram salvos imediatamente e transferidos para criar (a abrir em 15 ago 2012) 175 institutos de pesquisa científica avançada de alta tecnologia, assumindo o emprego de 2560 desempregados jovens cientistas "para aumentar a competitividade e produtividade da nação."

- Aboliu o conceito de paraíso fiscal (definido "socialmente imoral") e emitiu um decreto presidencial que cria uma taxa de emergência de aumento de 75% em impostos para todas as famílias, líquidas, que ganham mais de 5 milhões de euros/ano. Com esse dinheiro (mantendo assim o pacto fiscal) sem afetar um euro do orçamento, contratou 59.870 diplomados desempregados, dos quais 6.900 a partir de 1 de julho de 2012, e depois outros 12.500 em 01 de setembro, como professores na educação pública.

- Privou a Igreja de subsídios estatais no valor de 2,3 milhões de euros que financiavam exclusivas escolas privadas, e pôs em marcha (com esse dinheiro) um plano para a construção de 4.500 creches e 3.700 escolas primárias, a partir dum plano de recuperação para o investimento em infra-estrutura nacional.

- Estabeleceu um "bónus-cultura" presidencial, um mecanismo que permite a qualquer pessoa pagar zero de impostos se se estabelece como uma cooperativa e abrir uma livraria independente contratando, pelo menos, dois licenciados desempregados a partir da lista de desempregados, a fim de economizar dinheiro dos gastos públicos e contribuir para uma contribuição mínima para o emprego e o relançamento de novas posições sociais.

- Aboliu todos os subsídios do governo para revistas, fundações e editoras, substituindo-os por comissões de "empreendedores estatais" que financiam acções de actividades culturais com base na apresentação de planos de negócios relativos a estratégias de marketing avançados.

- Lançou um processo muito complexo que dá aos bancos uma escolha (sem impostos): Quem porporcione empréstimos bonificados às empresas francesas que produzem bens recebe benefícios fiscais, e quem oferece instrumentos financeiros paga uma taxa adicional: é pegar ou largar.

- Reduzido em 25% o salário de todos os funcionários do governo, 32% de todos os deputados e 40% de todos os altos funcionários públicos que ganham mais de € 800.000 por ano. Com essa quantidade (cerca de 4 mil milhões) criou um fundo que dá garantias de bem-estar para "mães solteiras" em difíceis condições financeiras que garantam um salário mensal por um período de cinco anos, até que a criança vá à escola primária, e três anos se a criança é mais velha. Tudo isso sem alterar o equilíbrio do orçamento.

Resultado: o spread com títulos alemães caiu, por magia. A inflação não aumentou.
A competitividade da produtividade nacional aumentou no mês de Junho, pela primeira vez nos últimos três anos.

Avante Camarada!! Hino do Partido Comunista Português



Avante Camarada é uma música da autoria do compositor e intérprete Luís Cília. Foi composta em 1967 durante o seu exílio em Paris, destinando-se à transmissão na Rádio Portugal Livre. A interpretação ficou a cargo de Luísa Bastos. Teve direito a três edições:

Em 1967, interpretada por Luísa Bastos, acompanhada da orquestra "Ecrã azul", editada em Moscovo pela editora Melodia na compilação "Canções Portuguesas" 

Em 1974, com arranjos e direcção de Pedro Osório para a editora Sasseti, mais uma vez interpretada por Luísa Bastos 

Em 1981, com novos arranjos de Pedro Osório, interpretada igualmente por Luísa Bastos, acompanhada pelas vozes de Carlos Alberto Moniz, Carlos Mendes, Fernando Tordo, Maria do Amparo, Samuel e Pedro Osório, com a participação de uma orquestra de 25 elementos. 

Tornou-se uma das mais conhecidas músicas de resistência antifascista e uma espécie de segundo hino do PCP, sendo muito popular entre os seus militantes e simpatizantes.

Usain Bolt vai tentar bater recorde da licenciatura de Relvas

Por Mário Botequilha


Bolt voltou a cilindrar a concorrência nos 100 metros dos Jogos Olímpicos e agora promete esmagar Miguel Relvas.
“A pista já não tem desafios à minha altura”, disse o jamaicano ao INIMIGO. “Vou virar-me para o mundo académico, onde há recordes para bater dos mais rápidos entre os rápidos. Amanhã meto os papéis para ir à Lusófona e licenciar-me em ciência política”, explica o homem mais rápido do mundo. Bolt acredita ser capaz de abater alguns centésimos ao tempo de Relvas mas revela respeito pelo adversário. “Eu passo a vida a treinar e não não tenho ido às reuniões da maçonaria nem passo nove horas por dia ao telefone com construtores civis, autarcas e chefes das secretas”, explica. MB
Inimigo Público


FAZ HOJE 66 ANOS QUE OS IMPERIALISTAS AMERICANOS LANÇARAM AS BOMBAS ATÓMICAS SOBRE AS CIDADES JAPONESAS. VÍDEOS E FOTOGALERIA


Fotos históricas de Hiroshima – 65 anos


trabalho escolar com imagens do lançamento da bomba (vídeo)

neil matogrosso - rosa de hiroshima
Naquele 06 de agosto as 08:15 da manhã uma bomba atômica atingiu a cidade de HIROSHIMA e matou aproximadamente 140.000 pessoas. Três dias depois uma segunda bomba foi jogada em Nagasaki e matou mais de 80.000. Além destes mortos, várias pessoas ficaram feridas e sofreram por décadas graças a exposição a radiação.
Nas fotos abaixo vocês verão cenas de destruição e também imagens dos “enola GAY” o avião usado no bombardeio terrorista criminoso.
Fotos via: Pblog

Hiroshima 65 anos (01)


Hiroshima 65 anos (02)


Hiroshima 65 anos (03)


Hiroshima 65 anos (04)


Hiroshima 65 anos (05)


Hiroshima 65 anos (06)


Hiroshima 65 anos (07)


Hiroshima 65 anos (08)


Hiroshima 65 anos (09)


Hiroshima 65 anos (10)



Hiroshima 65 anos (11)


Hiroshima 65 anos (12)


Hiroshima 65 anos (13)


Hiroshima 65 anos (14)


Hiroshima 65 anos (15)


Hiroshima 65 anos (16)


Hiroshima 65 anos (17)


Hiroshima 65 anos (18)


Hiroshima 65 anos (19)


Hiroshima 65 anos (20)


Hiroshima 65 anos (21)


Hiroshima 65 anos (22)


Hiroshima 65 anos (23)


Hiroshima 65 anos (24)


Hiroshima 65 anos (25)




Hiroshima 65 anos (26)


Hiroshima 65 anos (27)


Hiroshima 65 anos (28)


Hiroshima 65 anos (29)


Hiroshima 65 anos (30)


Hiroshima 65 anos (31)


Hiroshima 65 anos (32)


Hiroshima 65 anos (33)


Hiroshima 65 anos (34)


Hiroshima 65 anos (35)




Hiroshima 65 anos (36)


Hiroshima 65 anos (37)


Hiroshima 65 anos (38)


Hiroshima 65 anos (39)


Hiroshima 65 anos (40)


Hiroshima 65 anos (41)


Hiroshima 65 anos (42)


Hiroshima 65 anos (43)


Hiroshima 65 anos (44)




Hiroshima 65 anos (45)


Hiroshima 65 anos (46)


Hiroshima 65 anos (47)


Hiroshima 65 anos (48)


Hiroshima 65 anos (49)


Hiroshima 65 anos (50)

Hiroshima 65 anos (51)


Hiroshima 65 anos (52)


Hiroshima 65 anos (53)


Hiroshima 65 anos (54)


Hiroshima 65 anos (55)
O poder de "Little Boy"
Em 06 de agosto de 1945, Hiroshima e o Mundo conheciam o poder da bomba atômica


Little Boy foi a primeira bomba atômica
a ser lançada sobre um alvo humano

     Em 30 de abril de 1945, em meio à tomada de Berlim pelas tropas soviéticas, Adolf Hitler cometia suicídio, e o almirante Doenitz formava novo governo, pedindo o fim das hostilidades. A capital alemã é ocupada em 2 de maio. Alguns dias depois, no dia 7, a Alemanha rendia-se incondicionalmente, em Reims.
     A Segunda Guerra estava praticamente terminada. Os conflitos restantes aconteciam no Pacífico. E foi no Japão, mais precisamente em Hiroshima e Nagasaki, que a humanidade conheceu a mais terrível criação da tecnologia. Em 06 de agosto de 1945, era lançada a primeira bomba atômica em alvo humano.

Hiroshima, 6 de agosto de 1945 - 8h45min
     A Guerra estava no fim, e Hiroshima permanecia intacta. O governo incentivava todos a manter as atividade cotidianas. Nesse momento, os japoneses ouviram o alarme indicando a aproximação de um avião inimigo. Era um B-29, batizado de "Enola Gay", pilotado por Paul Warfield Tibbets Jr. Do avião, foi lançada a primeira bomba atômica sobre um alvo humano, batizada "Little Boy".
     Instantaneamente, os prédios desapareceram junto com a vegetação, transformando Hiroshima num campo deserto. Num raio de 2 quilômetros, do hipocentro da explosão, tudo ficou destruído. Uma onda de calor intenso, emitia raios térmicos, como a radiação ultravioleta.


O B-29 Enola Gay, aterrissa em sua base,
após ter lançado a bomba atômica sobre Hiroshima

Um dia após a explosão, os escombros em Hiroshima
eram cobertos por uma tênue cortina de fumaça
     Os sobreviventes vagavam sem saber o que havia atingido a cidade. Quem estava a um quilômetro do hipocentro da explosão, morreu na hora. Alguns tiveram seus corpos desintegrados. O que aumentou o desespero dos que nunca vieram a confirmar a morte de seus familiares.
     Quem sobreviveu, foi obrigado a conviver com males terríveis. O calor intenso levou a roupa e a pele de quase todas as vítimas.
Vários incêndios foram causados pelos intensos raios de calor emitidos pela explosão. Vidros e metais derreteram como lavas.
     Uma chuva preta, oleosa e pesada, caiu ao longo do dia. Essa chuva continha grande quantidade de poeira radioativa, contaminando áreas mais distantes do hipocentro. Peixes morreram em lagoas e rios, e pessoas que beberam da água contaminada tiveram sérios problemas durante vários meses.
     O cenário da morte era assustador. As queimaduras eram tratadas com mercúrio cromo pela falta de medicamento adequado.
     Não havia comida e a água era suspeita. A desinformação era tanta que muitos japoneses saíram de suas províncias para tentar encontrar seus familiares em Hiroshima. Corriam o maior risco pós-bomba: a exposição à radiação.
     Não se sabe exatamente porque Hiroshima foi escolhida como alvo inaugural da bomba atômica. Uma explicação considerada plausível, é pelo fato de a cidade estar centrada em um vale. As montanhas fariam uma barreira natural, o que ampliaria o poder de impacto da bomba. Conseqüentemente, conheceriam a capacidade de destruíção nuclear com mais precisão. Outra explicação é baseada no fato de Hiroshima ainda não ter sido atingida por nenhum ataque. Isso, aliado à proteção das montanhas, daria a medida exata da destruição da bomba nunca antes testada.
     De concreto, sobraram os horrores de uma arma nuclear, com potência eqüivalente a 20 mil toneladas de dinamite. Ainda hoje, passados 58 anos da explosão da primeira bomba atômica, o número de vítimas continua sendo contabilizado, já ultrapassando 250 mil mortos.
Saiba Mais

Sugestão de Leitura
     Quais os impactos do lançamento de uma bomba atômica sobre uma cidade? Que transformações provocam na vida dos sobreviventes? Diante dessas indagações, o jornalista John Hersey aceitou o convite de Harold Ross, fundador da revista The New Yorker, e o auxílio do editor William Shawn, para fazer um relato sobre o que ocorreu em Hiroshima no dia 6 de agosto de 1945.
     Por trás da frieza dos números, Hersey humanizou a narrativa ao reconstruir a história de seis sobreviventes com técnicas jornalísticas e literárias através de um texto simples que deixa fluir as impressões de quem viveu de perto os bastidores daquela tragédia.
      Hiroshima, de John Hersey. Editado pela Companhia das Letras e com custo aproximado de R$ 32,00.

Sugestão de  Filme
     Hiroshima - Os Dez Segundos Fatais, produzido pela NHK International e dirigido por Hiroshi Sawada e Eiji Muratam, concentra-se nos 10 primeiros segundos após a detonação da bomba e aborda, entre outros aspectos, o momento da explosão, o ponto de impacto e a radiação.
     O documentário foi realizado a partir das pesquisas executadas por cientistas japoneses e norte-americanos cujos estudos abrangeram diversas áreas da física, química e biologia, relacionadas ao literal megaevento. Além desses aspectos, a película contém depoimentos de testemunhas e historiadores, fotos e simulações da devastação.
     Ouça o poema musicado "A rosa de Hiroxima", de Vinícius de Moraes
Fonte: Unificado
          CeCom.com
           iG Ler
           Terra



Um fato de grandes proporções na história da humanidade, sem dúvidas, foi o Bombardeio em Hiroshima e Nagasaki no Japão.
Bomba Atômica Hiroshima e Nagasaki   Fotos e História, Poema da Rosa bomba Fat Boy Cogumelo apos explosao
Os ataques das Bombas atômicas ocorreram nos dias 6 e 9 de agosto de 1945, no final da 2ª Guerra Mundial, e realizados pela Força Aérea dos Estados Unidos da América, que tinha por presidente Harry S. Truma. As bombas Atômicas foram “Little Boy”, sobre Hiroshima, e “Fat Man”, sobre Nagasaki.
Este foi o primeiro ataque nuclear a uma cidade e a maioria dos milhares de mortos eram civis. As explosões nucleares levaram a destruição das duas cidades e centenas de milhares de mortos em poucos segundos.
O Bombardeamento e suas razões já foram submetidos a debate e para muitos historiados as justificações são insuficientes para um ataque na proporção tomada, uma vez que a preparação para a rendição Japonesa já estava em progresso em Tóquio.
Veja abaixo algumas das Fotos tiradas após a queda das Bombas Atômicas, algumas delas são inéditas (estavam sendo guardadas pelo governo americano) e agora estão em exposição no museu americano, Institute of International Photography.
A exposição ‘Hiroshima: Ground Zero 1945′ mostra um pouco da dimensão da destruição deixada pela explosão no Japão.
Bomba Atômica Hiroshima e Nagasaki   Fotos e História, Poema da Rosa foto apos bomba atomica japao
Bomba Atômica Hiroshima e Nagasaki   Fotos e História, Poema da Rosa hiroshima foto inedita
Bomba Atômica Hiroshima e Nagasaki   Fotos e História, Poema da Rosa hiroshima destruicao apos ataque
Rosa de Hiroshima é um poema de Vinícius de Moraes, cantado por artistas renomados entre eles Ney Matogrosso. Este poema de Vinícius de Moraes tem a temática da explosão atômica de Hiroshima. Leia e Veja um vídeo dele Interpretado e Musicado:
Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas oh não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroshima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa sem nada
“texto de Antologia Poética”
Hoje no local do Bombardeio em Hiroshima há um Memorial da Paz, que é também o marco zero da cidade. Este local preserva um prédio que sobreviveu ao ataque e é aberto a visitação, veja na Foto:
Bomba Atômica Hiroshima e Nagasaki   Fotos e História, Poema da Rosa memorial da paz em hiroshima