AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sábado, 5 de maio de 2012


Instabilidade política na Romênia

Mundo - Institucional Publicado em Sábado, 05 Maio 2012 19:21 More Sharing ServicesRoménia - Carta Capital - O governo da Romênia caiu, apenas dois meses depois que os protestos nacionais contra a austeridade forçaram o primeiro-ministro a renunciar. Um novo gabinete sobre o independente Mihai Razvan Ungureanu tomou posse em fevereiro, mas perdeu uma moção de confiança na sexta-feira (27 de abril). Um primeiro-ministro interino, Viktor Ponta, foi rapidamente convidado para formar um novo governo, que deverá incluir tecnocratas assim com ministros de sua União Social Liberal (USL), o agrupamento de oposição de centro-esquerda que detém uma grande maioria nas pesquisas de opinião. Se ele conseguirá manter a popularidade até as eleições marcadas para novembro deste ano ainda não se sabe, diante das restrições econômicas impostas pelo acordo da Romênia com o FMI. A USL havia pedido o voto de confiança no governo de Ungureanu, uma coalizão entre o Partido Liberal Democrático (PLD); a União a União de Democratas Húngaros na Romênia (UDHR); e a União Nacional para o Progresso da Romênia (UNPR). O agrupamento de oposição inclui o Partido Social Democrático (PSD), de Ponta, e a Aliança de Centro-Direita (ACD), liderada pelo Partido Liberal Nacional (PLN). Depois que o governo perdeu a votação, o presidente Traian Basescu nomeou Ponta, presidente conjunto da USL, como primeiro-ministro mais tarde naquela noite. Ponta indicou seu governo em 1º de maio e o apresentou para a aprovação do Parlamento no dia 7. Diferentemente da mudança de governo em fevereiro, que refletiu maquinações internas do PLD e resultou na substituição de ministros do PLD por outros do mesmo partido (com exceção do primeiro-ministro independente), os acontecimentos de abril representam uma genuína mudança de governo. A chegada ao poder da USL reflete uma revolta política contra o programa de austeridade do governo de saída, assim como o oportunismo político dos deputados do PLD que desertam para a oposição na tentativa de conquistar a nomeação da USL para seus assentos nas próximas eleições. Em consequência das deserções do principal partido governante, o governo perdeu a maioria no Senado e na Câmara dos Deputados. Isso o deixou dependente do constante apoio de deputados independentes e representantes de minorias nacionais que antes apoiaram o governo. O novo governo pode esperar o apoio de 235 membros nas duas Câmaras (de um total de 460) que aprovaram a moção de não confiança. Os novos partidos do governo terão apenas seis meses no cargo antes de disputarem eleições parlamentares em novembro, e também terão eleições locais em 10 de junho. O sistema eleitoral e o número de assentos no novo Parlamento ainda não foram definidos. O presidente Basescu apoia a criação de um Parlamento unicameral com 300 membros, eleitos por eleitorados na base do "primeiro a chegar", como aprovado em um referendo nacional realizado em dezembro de 2009. A comissão eleitoral está propondo um sistema misto de 50% de membros do eleitorado e 50% de listas de partidos com base na representação proporcional. Pesquisas realizadas no final de março mostraram que 49% dos eleitores apoiavam a USL, 19% eram a favor do PLD e 17% do populista Partido do Povo- Dan Diaconescu (PP-DD). A maioria das pesquisas indica que o apoio ao PLD não melhorou de maneira significativa desde a posse do governo Ungureanu em fevereiro. Esse foi um dos principais fatores que provocaram deserções do PLD em abril. Se essas intenções de votos mudarem pouco nos próximos seis meses, a USL deverá vencer a próxima eleição e garantir um mandato de quatro anos. No entanto, um problema potencial para a USL é que ela terá pouco espaço para o relaxamento da política econômica nos próximos seis meses. Ela poderia se tornar impopular se persistir com sua austeridade fiscal e mantiver as metas de déficit orçamentário acordadas com o FMI. O novo governo também poderá ser tolhido por desacordos políticos entre o PSD, de esquerda, e a ACD, de centro-direita. Dilemas de Ponta O governo de Emil Boc chegou a um acordo com o FMI no dia de sua renúncia em 6 de fevereiro, de continuar com as medidas de austeridade incluídas em seu acordo provisório. O governo de Ungureanu manifestou seu compromisso com as metas fiscais acordadas pelo governo Boc. Ponta indicou antes da votação de não confiança que continuaria implementando o acordo provisório com o FMI. No entanto, muitos aspectos do pacote de reformas são politicamente polêmicos e a oposição a eles contribuiu para o sucesso da moção de não confiança e a queda do governo Ungureanu. O governo Ponta vai enfrentar decisões difíceis sobre a continuidade do programa de austeridade; o ritmo da privatização nos setores de energia, transporte e mineração; reformas no sistema de saúde; desregulamentação e liberalização no fornecimento de energia; e uma reformulação das empresas estatais endividadas, envolvendo a limitação e redução das dívidas das maiores estatais, transformando a dívida irrecuperável em ações e acelerando sua privatização ou liquidação. Essas são prioridades sob o acordo com o FMI. Influxos modestos de investimento direto estrangeiro (IDE) levaram o governo de saída a abandonar sua ambivalência sobre a privatização nos setores de transporte e energia e a anunciar um programa de privatização acelerada nessas áreas. A USL criticou o programa de privatização do governo, mas a necessidade de captar finanças para projetos de infraestrutura e programas sociais e para cobrir déficits de conta-corrente representa um dilema; o novo governo pode ter poucas opções além de privatizar. No entanto, a USL provavelmente será contrária às propostas do presidente para acelerar as vendas para proprietários estrangeiros no setor de mineração, onde a recente privatização catastrófica de uma mina de cobre em abril pode ter dissuadido potenciais investidores estrangeiros. O governo de saída aprovou uma lei de energia elétrica destinada a desregulamentar o setor, segundo a qual os preços para os usuários industriais seriam desregulamentados até o final de 2013 (com efeitos colaterais para os preços industriais); os preços para as residências seriam desregulamentados até o final de 2017, com um atraso de dois anos sobre a meta inicial de 2015. O governo de saída também propôs cancelar a tarifa social para famílias pobres a partir de 2013; o governo da USL poderá abandonar esse compromisso, mesmo que siga em frente com a planejada desregulamentação do setor. A USL indicou seu apoio ao pacto fiscal da UE para limitar déficits orçamentários enquanto estava na oposição, mas ainda não revelou suas prioridades para taxação e gastos. Embora a abolição do imposto de renda de alíquota fixa e a imposição de uma nova alíquota mais alta seja uma possibilidade, é improvável que seja implementada no atual ano fiscal. A USL deverá implementar as propostas do presidente de restabelecer a seus níveis anteriores os salários nominais do setor público, que foram cortados em 25% como parte do programa de austeridade em julho de 2010. A meta de déficit fiscal em 2012 seria ambiciosa mesmo sem um grande aumento nos salários do setor público, diante da previsão de desaceleração do crescimento e do planejado aumento nos investimentos em infraestrutura. É irreal imaginar que uma melhor absorção dos fundos da UE e maior captação de impostos pudesse financiar o aumento dos salários, despertando dúvidas sobre se o déficit orçamentário consolidado de 2012 poderá ser mantido abaixo da meta existente de 1,9-2,1% do PIB ou mesmo com o teto de Maastricht, de 3% do PIB. Fonte: Diário Liberdade

De facto e gravata


Cavaco não viu as imagens da tumultuosa "promoção" do Pingo Doce. Os seus conselheiros não o alertaram, ou ele não ouviu os alertas. Soares dos Santos disse que não sabia da campanha. Como seria estranho que uma pessoa que ocupa o seu lugar não soubesse o que se passa numa sua empresa, terá vindo depois dizer que a imprensa deturpou o que disse. Afinal saberia. A campanha terá então tido o aval do patrão. Ou não, ainda não se percebeu bem. A ministra da fé acredita que agora é preciso legislar. O deputado Luís Menezes à falta de melhor argumento, perguntava, dirigindo-se às bancadas da oposição: "Os senhores querem meter-se na decisão livre de cada português escolher a quem compra e quando compra?" E o Álvaro vai mesmo mais longe, "arrasando" qualquer crítica que se possa fazer a este espectáculo miserável que o Pingo Doce nos proporcionou, decreta, sem adiantar mais pormenores: noutros países é normal haver promoções deste tipo.
Contudo, a ASAE, um organismo tutelado pelo próprio Álvaro, tinha iniciado investigações no próprio dia 1, encontrando motivos para duvidar desta "liberdade da decisão" e da "normalidade" de promoções como esta. A ASAE disse mesmo "ter encontrado indícios do incumprimento de algumas disposições do decreto-lei que rege a aplicação de preços e as condições de venda dos produtos a retalho" e enviou o processo do Pingo Doce para a Autoridade da Concorrência. Mas, esta é a mesma "Autoridade" na qual os portugueses depositarão uma confiança cega, que reiteradamente determina que o que se passa com os combustíveis, por exemplo, não indicia qualquer prática de cartelização...
Enquanto isto, Cavaco Silva, sempre igual a si próprio, volta a atacar. Em Cascais, numa reunião de um autodenominado "Conselho para a Globalização" (que bem se poderia designar por Taprobana 2.0,) apela à mobilização dos "portugueses" para que se projecte uma imagem diferente do país lá fora. De pronto, ele e os seus companheiros de jornada dão o exemplo. Tiram a gravata,et voilá!: num ápice, temos a imagem, que os factos citados acima documentam, de um país dirigido por um bando de fantoches e incompetentes de gravata, transformada numa outra, que a foto documenta, de um país governado por um bando de fantoches e incompetentes... sem gravata.

blog A face oculta da terra

Quico Pi de la Serra - " La cultura "

Lluis Llach - El bandoler (1968)

Lluís Llach - Cançó d'amor a la llibertat (1977).avi


Vantagens para o Pingo Doce, um golpe certeiro.


"A Jogada Pingo Doce!
O Pingo Doce deve ter arrecadado à volta de 250 milhões de euros em poucas horas 
em capitalização de produtos armazenados. 
Ou seja 250 milhões que nos eram roubados, pois afinal o pingo 
doce deve trabalhar com grandes margens…..
e andam-nos a enganar este tempo todo. 
Ora, se o Pingo Doce pedisse esse dinheiro à Banca iria pagar, 
digamos a 5%, em 5 anos, 25% da quantia. 
Assim não paga nada. O povo deu-lhe boa parte do seu ordenado a troco de géneros. 
Alguns vão ver-se à rasca porque com arroz não se paga a electricidade.
O resto, 75% da quantia aparentemente “oferecida”, distribuiu-se assim:
1 - Uma parte dos produtos (talvez 20 a 25%) devem estar a chegar 
ao fim do prazo de validade. 
Teriam de ser amortizados como perdas e lançados ao lixo. 
Enquanto não fosse lixo seria material que entraria como existência, 
logo considerado como ganho e sujeito a impostos. Assim poupam-se impostos, 
despesas de armazenamento (logística, energia, pessoal) e o povinho acartou o lixo futuro.
 2 - Outra parte (10 -15%) seria vendida com os habituais 
descontos de ocasião e as promoções diárias. 
Uma parte foi ainda vendida com lucro, apesar do "desconto".
 3 - O Pingo Doce prescinde ainda de 30 a 40 % do que seria 
lucro por motivos de estratégia empresarial a saber:
- Descartar-se da concorrência das pequenas empresas. 
Quem comprou para dois meses, 
não vai às compras nesse mesmo tempo.
- Aumentar a clientela que agora simpatiza com a cadeia “benfeitora”.
- Criar uma situação de monopólio 
ao fazer pressão sobre os preços dos produtores 
(que estão à rasca e muitos são espanhóis) para repor 
os novos stocks em grande quantidade.
-Transpor já para euros parte do capital parado em armazém 
e levá-lo do país uma vez que a Sede da Empresa está na Holanda. 
Não vá o diabo tecê-las e isto voltar ao escudo nos próximos tempos 
o que levou já J. Martins a passar a empresa para a Holanda.
- Diminuir com isto o investimento em Portugal, encurtar a oferta de produtos, 
desfazer-se de algum armazém central e com isso despedir alguns funcionários. 
O consumo vai diminuir no futuro e o Estado quer 
"imposto de higiene" pago ao metro quadrado.
4- Poupança em todo o sistema administrativo e em publicidade. 
comunicação social trabalhou para eles.
Mesmo que tudo SEJA ilegal, 
a multa máxima para Dumping é de 15 a 30.000 Euros, para o resto não há 
medidas jurídicas. A ASAE irá só apresentar serviço..." 
(Postado no facebook)


Acesse o Artigo Original: http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/05/vantagens-para-o-pingo-doce-um-golpe.html#ixzz1u0iwBGkV

blog não votem mais neles, pensem !


O Nacional-Solidarismo


A discursar em Cascais, numa conferência, o presidente da Comissão Europeu, Durão Barroso, revelou o recado que trazia na bagagem. “Portugal enfrenta desafios que não são fáceis. Contudo, os portugueses sabem que não há alternativas à resposta que se está a dar", lembrando que não existe um plano b: o único caminho é apoiar as medidas do memorando e pôr travão nas divergências.

Para Durão Barroso, se não houver consenso em Portugal, por parte dos diversos agentes políticos, tendo em vista a aplicação das reformas de que o país necessita, mais difícil será obter solidariedade dos parceiros da União Europeia. 
O presidente da Comissão Europeia entende que “quanto maior for o consenso nacional, mais será evidente a solidariedade dos parceiros europeus”. Nesse sentido, defende, o programa de apoio está dependente de união, numa altura em que surgem sinais de ruptura e com o PS a distanciar-se das políticas do Governo.

Resumindo, não há alternativa, não há plano b e ou assinamos os tratados que querem fazemos o que a Troika manda, comemos e calamos e nem mesmo os usuais partidos de alterne do poder podem sequer manifestar desconforto, impondo uma união à força. Este é o discurso de um cara de cherne que fugiu do governo para ocupar um tacho de subserviente marioneta como Presidente da Comissão Europeia. É o discurso de quem dizia que estando no Centro do Poder podia ajudar mais os portugueses. Esta é a Europa, que dizem ser uma União, de que fazemos parte.


o corpo é um tear de núcleos







Dentro ressurgem epílogos dispersos, bulícios, traqueiantes campos áridos e planicies que devoram o sémem e os uivos que delimitam as ínsignias indomáveis.
Nascemos sexo. O nosso corpo é um fecundo passageiro, um corso de àguas extenuado e invertido nos burilados escalavrados sulcos. Uma cratera extensa de natureza vulcanizada. Nardos poros. Nardos obliquamente redemoinham nas iniciais de uma faísca em penetração. O sexo é a constelação arterial, onde cada imagem nossa se fecha em cada coisa. Furiosamente. Se abre em cada coisa.

O mundo me alarga nos braços.

Com boca na boca e a vulva que engole os suores roucos e prometidos. Fogo e milhares de exercicios gladiadores.
O clitóris injectando confidencias inconstantes, contrabandeia tesão e volúpia. Fixamente inspira. Suspira. Fode propagações e espasmos nos amanhãs elétricos que o destino em nós, corpo, semeia.

Luisa Demétrio Raposo


o corpo é um tear de núcleos







Dentro ressurgem epílogos dispersos, bulícios, traqueiantes campos áridos e planicies que devoram o sémem e os uivos que delimitam as ínsignias indomáveis.
Nascemos sexo. O nosso corpo é um fecundo passageiro, um corso de àguas extenuado e invertido nos burilados escalavrados sulcos. Uma cratera extensa de natureza vulcanizada. Nardos poros. Nardos obliquamente redemoinham nas iniciais de uma faísca em penetração. O sexo é a constelação arterial, onde cada imagem nossa se fecha em cada coisa. Furiosamente. Se abre em cada coisa.

O mundo me alarga nos braços.

Com boca na boca e a vulva que engole os suores roucos e prometidos. Fogo e milhares de exercicios gladiadores.
O clitóris injectando confidencias inconstantes, contrabandeia tesão e volúpia. Fixamente inspira. Suspira. Fode propagações e espasmos nos amanhãs elétricos que o destino em nós, corpo, semeia.

Luisa Demétrio Raposo


BPN: Nem as crianças escapavam.....

Ex-diretor do BPN rouba criança
Braço-direito de Óscar Silva morreu e tinha deixado cheque de 45 mil euros paraa filha, de nove anos. Economista recusou entregar verba, que passou por "offshore"
O economista que liderou o BPN-Créditus foi condenado a pagar 58 mil euros à filha do seu antigo braço-direito. Em tribunal foi dado como provado que desviou dinheiro destinado à criança, então com nove anos.
Responsável por um desfalque de cinco milhões de euros na concessão irregular de crédito naquela instituição financeira, Óscar Silva soma a esta condenação das Varas Cíveis do Porto uma outra, relativa a 231 mil euros de honorários não pagos aos seus antigos advogados da sociedade "Nuno Cerejeira Namora, Pedro Marinho Falcão & Associados".
blog D"SUL

Momento filosófico!..



Ontem, em Portugal, o país que mais cortou nos salários do Estado em 2011 e onde a redução da massa salarial superou a meta inicial negociada com a troika, o primeiro ministro em exercício há quase um ano considerou que o"modelo de crescimento assente em baixos salários é modelo de empobrecimento"!.. 
Hoje, em Portugal, que  volta a ser o que mais corta em 2012, isto só pode ser encarado como um momento filosófico...

VIDA E MORTE DO GUERRILHEIRO ARGENTINO ERNESTO CHE GUEVARA - 1ª PARTE



Um homem deve ser duro, mas nunca alienar a sua ternura. Che Guevara, 1967 

1ª PARTE

Biografia - já muito conhecida a vida de Che Guevara permite que só aponte nesta biografia os factos e acontecimentos mais relevantes.



clik nas fotos e obterá a galeria e melhor visualização












Aqui está a biografia de CHE GUEVARA 

Hasta la victoria siempre 

Ernesto Guevara nasceu 14 de junho de 1928 em Rosario de la Fe, na Argentina, um pai construtor civil e uma mãe e que o impregnou de literatura francesa. 


Mas a história vai- se lembrar dele !  do seu nome revolucionário. 
El Che, herói da revolução Cubana. 


Depois do colegio, onde ele gosta de rugby,  ele vai seguir a escola de medicina da Universidade de Buenos Aires. 


Tem 18 anos de idade quando Juan Perón chega ao poder. 


Aos 23 anos partiu para uma viagem de sete meses ao longo de 10.000 km pela América Latina. 


Quando voltou da viagem com o seu amigo Alberto Granado, ele obteve o seu diploma de médico dia 12 de junho de 1953.  


Depois da graduação, voltou logo para a Bolívia, Peru, Guatemala e México. 


É no México que começam a chamá-lo de "Che", porque ele termina as frases como na Argentina, pela interjeição de "che". 


É também a 25 julho de 1955,  que ele se reuniu pela primeira vez com Fidel Castro. 


Isso foi depois de uma noite de discussão na análise do estado da América do Sul.  


Fidel pediu-lhe para participar como um médico,  na expedição que irá libertar Cuba de Batista. 


EmNovembro de 1956, partiu com 82 homens vestindo o famoso verde oliva que ficou célebre e embarca no "Granma" , um iate com que eles vão chegar no dia 2 de dezembro de madrugada na ilha de Cuba. 


Após 18 meses de combates na Sierra Maestra, Che e Camilo Cienfuegos saem com duas colunas de guerrilheiros para conquistar a parte  ocidental da ilha de Havana, enquanto Castro se dirige e liberta Santiago de Cuba. 


Em 31 de dezembro de 1958 Che tomou Santa Clara explodindo o famoso "tren Blindado ". 


Nada impede que, em seguida, Che e Cienfuegos entrem em Havana a 3 de Janeiro de 1959. 


Enquanto isso, entre Castro e Santiago em 5 de Janeiro chegam a Havana. 


Che é um cidadão cubano e foi nomeado Embaixador da Boa Vontade. a sua imagem,  verde-oliva e a fumaça de seu charuto está nas manchetes em torno do mundo. 


A 17 de Abril 1961, Kennedy decidiu desembarcar 15.000 homens na Baía dos Porcos, em Cuba para derrubar  Fidel Castro: é um fiasco.


Mas é também o início do bloqueio da ilha. 


Em Outubro de 1962, é a crise dos mísseis russos em Cuba, o mundo está à beira da guerra. 


Mas a URSS com o  desmantelamento dos seus míssei  a crise é evitada.


Final de março de 1965, Che e Castro discordam sobre as relações entre  Cuba e URSS. 


Após o seu famoso discurso em Argel, onde ele fala diretamente para a política soviética, Che saiu de Cuba e retomou sua viagem de guerrilha para lutar noutras terras. 


"Che estará sempre presente onde pode ser mais útil para a revolução ", e diz a Fidel Castro para explicar a sua partida. 


Em novembro de 1966, luta nas selvas da Bolívia . 


Em 8 de outubro de 1967, Che foi ferido e foi capturado com dois outros guerrilheiros. 


Será levado para uma escola numa pequena aldeia - de La Higuera e é aí que vai ser executado pelo soldado boliviano Mario Teran a mando dos Estados Unidos. 


Seu corpo crivado de balas semi-nu e cheirando a formol será exposto a luz do dia aos bolivianos para provar a sua morte, e não se sabe ainda o que aconteceu aos seus restos. 


Acredita-se que ele foi enterrado num lugar perto de Valle Grande, na beira de uma pista de aeronaves .


Este local do sepultamento  tornou -se uma peregrinação para o culto do guerrilheiro da Revolução Cubana. 


Todos os anos em Cuba em 8 de outubro é comemorado o dia do "guerrilheiro heróico" 


Vídeos

Aqui estão vídeos relacionados a Che Guevara 


                                                    videos
                                         










clik nas fotos e obterá a fotogaleria e melhor visualização                                                         fotos
                                       























Luta revolucionária

Junto com os acontecimentos de cada dia de combate, Che foi sempre acompanhado por um livreto para refletir os fatos de cada dia.
Os diários de guerra de guerrilha em Cuba (1956-1958) e Congo (1965) ainda não foram publicados, no entanto, as histórias escritas a partir dessas notas, conhecido como as Passagens da Guerra Revolucionária e Passagens da Guerra: Congo , respectivamente, reconstruir as ações fundamentais da vida militar de Che e seus pontos de vista sobre as táticas e estratégias para a guerra irregular.
No caso de o acto boliviano, a exatidão das anotações e do épico de incidentes perpetrados pelos revolucionários  peruanos, bolivianos e cubanos tornou-se o Jornal da Bolívia  num clássico da literatura revolucionária do século XX. Este texto fecha o ciclo de suas visões internacionalistas relativos à libertação e emancipação do mundo subdesenvolvido.





Viajar

No universo intelectual, o jovem Ernesto junta-se a partir de sua vocação de viajante: o Norte da Argentina traz à tona a realidade dramática de seu país, a América Latina desperta a sua consciência revolucionária anti-imperialismo ea noção de uma pátria " Shift ". Ao mesmo tempo, ele se aprofunda cada vez mais profunda na teoria marxista como uma forma de pesquisa para encontrar respostas às suas preocupações sociais, políticas e económicas.






Reflexões

Esta é uma área de interesse para conhecer autores que, para vários fins e objetivos temáticos, abordar aspectos fundamentais da vida e obra de Ernesto Che Guevara.Pensamentos que vão além de uma simples reprodução de seu pensamento, porque o objetivo de promover a discussão, diálogo e apresentar uma visão abrangente de suas principais teses, contribuições e criações para a teoria revolucionária em geral e em particular a transição socialista.
vídeo discurso de che homenagem a Camilo Cienfuegos

J.Lenon e Guevara







A carta do Che a Fidel Castro
Antes de deixar Cuba em março de 1965 para viajar clandestinamente para o Congo Belga, Che tinha deixado uma mensagem de despedida a Fidel Castro. 


Castro fará uma leitura pública em 3 de outubro do mesmo ano. 


Fidel, eu me lembro da muitas coisas nesta hora,  primeira vez que te conheci no Maria Antonia, recordo as tuas propostas para vir, toda a tensão dos preparativos etc. 


Naquele dia, quando pedimos para avisar as nossas famílias, os nossos amigos em caso de morte, esta possibilidade, de repente, apareceu para todos nós como uma realidade. 


Sabíamos, então, que isso era verdade, que numa revolução (se verdadeira), se triunfa ou se morre. 


Muitos companheiros foram deixados na estrada para a vitória. 


Hoje, tudo tem um tom menos dramático, porque somos mais maduros, mas a história se repete. 


Sinto que cumpri com a parte do dever que me ligava à Revolução Cubana no seu território e despeço-me de vocês, camaradas, e do  vosso povo que se tornou meu.  
Vou renunciar oficialmente das minhas responsabilidades e do  
meu posto de ministro, à minha patente de comandante, à minha condição de Cubano. 


Nada legal me liga a Cuba, só laços de outra espécie que, ao contrário do cargo público, não deve ser quebrado. 


Se eu olhar para trás, acho que posso dizer que trabalhei honestamente e de forma consistente para consolidação da revolução. 


Tudo o que posso me culpar, isso não é para ter feito mais desde os primeiros tempos da Sierra Maestra, e não ter percebido com devida rapidez as qualidades de líder e revolucionário. 


Vivi dias lindos e senti o orgulho de pertencer ao nosso povo ao longo do dia brilhante e triste da crise dos mísseis. 


Raramente um estadista como brilhou como tu nesta ocasião, e eu também estou orgulhoso de te ter seguido sem vacilar, por me ter identificado com a tua maneira de pensar e ver, como tu me ensinaste a apreciar os perigos e princípios. 


Eu posso fazer eu mesmo, noutro lugar,  e é hora de nos separarmos. 


Quero que saibas que faço isso com uma mistura de alegria e tristeza deixo aqui o mais puro das minhas esperanças de revolucionário e o que eu mais gosto entre aqueles que eu amo ... e deixo um povo que me aceitou como um filho, uma parte da minha mente está rasgada. 


Em novos campos de batalha levarei a fé que me inculcaste , o espírito revolucionário do meu povo, o sentimento de completar o mais sagrado dos deveres: lutar contra o imperialismo onde quer que seja: que é que conforto e cura qualquer ruptura. 


Repito a descarga das minhas responsabilidade com Cuba, excepto que  viverei inspirado por seu exemplo noutras terras, se a minha última hora vier , o meu último pensamento será para o povo e para ti. 


Em particular, agradeço-te as lições o exemplo e vou me esforçar para ser fiel, até as últimas consequências nas minhas ações, e sempre identificado com a política externa da nossa revolução. 


Ser Revolucionário cubano, vou agir em conformidade, não deixar nada material para meus filhos á minha esposa e não me entristecer - 


Estou muito feliz que assim seja, eu não peço nada para eles, porque o Estado lhes dará o que é preciso para viver e educar. 


Eu tinha muitas coisas a dizer para ti e para o nosso povo, mas sinto que para eles seria supérfluo, palavras não podem expressar o que eu quero e não vale a pena para preencher páginas. 


Até a vitória sempre! Patria o Muerte! 


Abraço-vos com todo o fervor revolucionário. Che 

Família de Che Guevara

Fidel e Che

O primeiro encontro entre Fidel e Che dura toda a noite e selou o destino de Che. 


Os dois homens partilhavam o mesmo sonho: libertar seu país do imperialismo dos EUA. 


Che Guevara era fascinado pela personalidade forte de Fidel. 


Este é seduzido pela inteligência do jovem argentino. 


Inicialmente céptico, Che concorda em participar na expedição  como médico. 


A pequena tropa treina no México. 


Fidel Castro compra um iate de 12 m, o "Granma", e planeia sair antes do final de 1956.


Em 25 de Novembro, 82 homens embarcaram no barco, projetado para transportar 25. 


O cruzamento é terrível tempestade sacode o "Granma", o alimento é inadequado. 


Os Guerrilheiros de Fidel falharam o desembarque, só desembarcaram dois dias depois do planeado a 2 de DEzembro de 1956, num pântano no leste de Cuba, a poucos quilômetros do local previsto.


Che, em seguida, iniciou sua carreira como um guerrilheiro. 




Os 82 homens de Granma (clik para ampliar)
25 de novembro de 1956, nas primeiras horas do dia, começa a história da revolução cubana.


Naquele dia, 82 homens, incluindo Fidel e Che, estavam glandestinos a bordo do navio Granma. 


Eles saem do México para Cuba rally. 


Diante de 35.000 soldados de Batista, a estratégia é conquistar um lugar nas profundezas do país, mobilizar as massas camponesas, criando uma dinâmica insurgência, e, finalmente, tomar o poder. 


Depois de uma viagem difícil, os guerrilheiros desembarcaram em 2 de dezembro. 


Três dias depois, um primeiro confronto com o exército do ditador ficou quase completamente dizimado o grupo. 


Che ficou gravemente ferido. 


Os vinte sobreviventes se reagruparam na Sierra Maestra, uma região montanhosa ao sul da ilha. 


Em 17 de janeiro, 57, o ataque ao quartel naval de La Plata é uma primeira vitória. 


A população local começou a simpatizar com os rebeldes. 


Inacessíveis às forças do governo, a Sierra Maestra aos poucos entra em dissidência. 


Em agosto, Che assumiu o comando da parte das forças rebeldes. 


Alarmado, Batista lançou uma grande ofensiva militar e um bônus de 4.000 dólares oferecido para a cabeça de Che. 


Agora tem uma posição inatacável e apoiado pela população local, os rebeldes decidiram deixar a Sierra para conquistar o território cubano


Duas colunas armadas partem para Havana


Em dezembro, o exército de Batista é finalmente derrotado. 


Em janeiro de 59, Havana é tomada. 


No dia seguinte, Santiago cai, por sua vez. 


Cuba muda de regime. 


O novo Conselho de Ministros declara Che cidadão cubano 




ruptura - CHE GUEVARA DISFARÇADO PARA APARTIDA FALA COM FIDEL CASTRO

A ruptura com Fidel Castro em 11 de dezembro de 1964, Che estava em Nova York. 


No fórum das Nações Unidas, fez um discurso violentamente "anti-ianque". 




Ele também critica indiretamente a política de coexistência seguida pelo Kremlin: "


A coexistência pacífica entre as nações não existe entre exploradores e explorados, entre opressores e oprimidos." 


Mas já Che se prepara para cumprir o seu destino: 


"Quando chegar a hora, vou estar disposto a dar minha vida pela libertação de um ou de outros países latino-americanos, sem pedir a ninguém, sem exigir em troca ... 


Depois de Nova York, o revolucionário cubano continua sua viagem à África. 


Em Abors para a Argélia e Mali, Congo - Brazzaville, Guiné, Gana, Tanzânia e Egito. 


Volta a Argel em 24 de fevereiro de 1965, e critica novamente num discurso a políticas soviética e os americanos.  


"Como podemos falar de benefício mútuo quando vocês vendem a preços do mercado mundial as matérias-primas produzidas pelo suor e sofrimento dos países pobres, sem limite, e vocês compram a preços de mercado as máquinas fabricadas por grandes fábricas automatizadas da era moderna? " 


Em seu retorno, é a ruptura. 


Fidel Castro está no aeroporto. 


Esta é a última aparição pública de Che. 


Durante 48 horas, os dois homens se trancam e discutir com animação. 


O que eles diriam? 


Só Castro pode revelar.  


Che desaparece, renunciando à sua cidadania cubana, de acordo com seu posto de comandante e seu papel de ministro.


Uns afirmam te-lo visto no Vietnam,  num asilo de loucos em Cuernavaca, México, Argentina ... Outros acreditam  na sua morte, dizendo que ele definhava na prisão, em Havana ... 


Além disso, para atalhar os rumores, Fidel Castro libera a carta de partida Che de 3 de outubro de 1965: "... 


Eu sinto que tenho feito a minha parte do dever que me ligava à Revolução Cubana [.. .]. Outros terrenos no mundo exigem a contribuição dos meus modestos esforços [...]. 


Enquanto o mundo se pergunta sobre a sua morte, Che está mudando a face, a fim de sair de Cuba anonimamente .


 Che Guevara escolheu o coração da África  para tentar acender uma causa nova e revolucionária. 


Reune um grupo de soldados, que têm o ponto comum de ser todos de pele negra, reunida num quartel em Cuba . 




Quem será o líder da expedição, ninguém sabe. 




Os soldados interrogam-se e perguntam quem é o homem tão elegante, bem barbeado, que fuma Cohibas, os charutos favoritos de Fidel Castro. 


... No antigo Congo Belga, as pessoas chamam-le Che Muganda, "Quem quer que alivia". 


Mas depois de onze meses, a operação está se esgotando por causa da irresponsabilidade dos revolucionários africanos ", incluindo alguns turistas [Kabila] que preferem levar uma vida boa nas capitais do mundo."


Como resultado da violenta disenteria, asma e malária, Che pesa menos de cinqüenta quilos. 




Che Guevara quer que desta vez tenta estender para todo o continente sul-americano o fogo da revolução, transformando a Cordilheira dos Andes  numa Sierra Maestra imensa. 


Como o fogo insurgente, Che escolheu a Bolívia, uma encruzilhada no coração da América Latina. 


No início de Novembro de 1966, Guevara chegou a La Paz, capital boliviana, com documentos falsos


Ele dirige o Ñancahuazu, instalou-se num sítio escolhido pelos guerrilheiros, numa região hostil do deserto a sudoeste do país.


Com apenas 50 homens, incluindo 18 cubanos leais, Che tem o objectivo de estabelecer uma base para treinar guerrilheiros e em seguida, espalhar a revolução pela América Latina. 


Em vez de apoiar o pequeno grupo como esperado, o Partido Comunista Boliviano faz um trabalho de minar por dissuadir os potenciais candidatos para se juntar à resistência. 


Moscovo não quer perturbar a convivência pacífica que se estabelece entre as superpotências.  


Enquanto isso, um jovem professor de filosofia e jornalista francês comprometido, Régis Debray, juntou-se ao guerrilheiro Che na Bolívia. 


Em Março, o campo está ocupado pelo exército, enquanto Che está numa missão de exploração. 


Assim começa "a etapa puramente da guerrilha". 



A carta de despedida para seus filhos
A carta do Che a seus filhos ------------------------------------------- ------------------------------------- Para meus filhos, Caro Hildita, Aleidita, Camilo, Celia e Ernesto, se um dia lerem esta carta, será porque eu não estou mais com vocês.


Vocês não se vão lembrar de quase nada de mim e os mais pequenos, nada. 


Seu pai era um homem que agia como pensava e, é claro, foi leal às suas convicções


Cresçam como bons revolucionários. 


Estudem muito para dominar a técnica utilizada para dominar a natureza. 


Lembrem-se que a Revolução é o mais importante e que cada um de nós, sozinho, é inútil. 


Acima de tudo, ser capaz de se sentir toda a injustiça cometida em qualquer parte do mundo.


Isto é o melhor no âmbito de um revolucionário. Um beijo enorme e um grande abraço ... papai. 

A morte de Che

Oferecemos a soma de 50.000.Pesos bolivianos, a quem entregar vivo ou morto (de preferência a vivo), o revolucionário Ernesto "Che" Guevara.


Regis Debray  da guerrilha argentina, Ciro Bustos, Após um julgamento sensacional, o francês será condenado a 30 anos de prisão.


Quanto a Bustos, ele se quebra quanto á ameaça de atacar a sua família. 


Desenha os retratos de guerrilheiros. 


5000 soldados estão agora em seus calcanhares.


Em 31 de setembro de 1967, sete homens de Che foram mortos . 


Para aqueles que permanecem, Guevara oferece a possibilidade de sair porque ele sabe que o resultado só pode ser fatal. 


Um escolhe para onde ir. 


Em 7 de outubro de 1967, pela última vez, Ernesto Che Guevara de la Serna escreveu como de costume algumas linhas sobre o seu papel. 


No dia seguinte, 8 de outubro, rodeado por duas companhias rangers na  garganta de  Churo -Bolívia, ele é baleado na perna e capturado. 


Quando um soldado perguntou a sua identidade, ele responde: "Soy Che" (Eu sou Che). 


Braços cruzados, inclinando-se sobre dois soldados, o homem mais procurado do mundo tem que caminhar, mancando para a pequena aldeia de La Higuera. 


Foi levado para uma escola com chão de terra, Che diz a um dos soldados: 


"Esta é a última vez que eu vejo o sol se pôr" 




A decisão de eliminar Che foi tomada há muito tempo, em Washington. 


A ordem do presidente boliviano, general Barrientos, chegou a La Higuera em 9 de outubro pela manhã com Felix Rodriguez, um agente da CIA. 


Este foi fotografado ao lado de um ser com olhos escuros, desgrenhado, irregulares. 


Esta é a última foto de Che vivo. 


Rodriguez perguntou se ele tinha uma mensagem a transmitir: 


"Diga a Fidel que verá uma triunfante Révolução na América Latina, e diga à minha esposa que se volte a casar e que tente ser feliz ", respondeu ele. 


O agente da CIA dá a ordem para executar o prisioneiro, Che entrou em colapso sob uma chuva de metralhadoras (39). 


Seu corpo é lavado por uma enfermeira que ficou  impressionada com "os olhos de Che bem abertos, olhando para o infinito". 


O corpo é depois transportado por helicóptero para Vallegrande onde é exposto quase dois dias na lavanderia do hospital. 


Desfiles por toda a cidade, os olhos surpresos do "bandido comunista" como Cristo. 


Para os agricultores, isso já é San Ernesto de La Higuera. Afim de ser se formalmente identificado, suas impressões ,mãos, dedos  são enviados para exame, antes de regressar a Cuba. 


Depois de tentar queimar o resto do corpo, um transporte militar levou o corpo para destino desconhecido. 


Nós descobrimos os seus restos mortais em Julho de 1997,  num poço sob a pista do aeroporto de Vallegrande.


Transferidos para Cuba, os restos mortais de Che foram depositados  num mausoléu construído para o efeito.




Até sempre Che Guevara em Santa Clara




                                     videos      
                                       
hasta siempre comandante


hasta siempre comandante Carlos Puebla











La Higuera em 9 de Outubro de 1967.
É ele num estado lamentável !

O assassino

O assassino: o sargento 
Mario Teran. 


Bolívia 03 de Novembro 1966: Che atravessou a fronteira com a Bolívia, e vai para a floresta Nancahuasu, perto do Paraguai. 


Objetivo:  Abrir um novo foco revolucionário na América Latina, de modo a "criar dois, três, muitos Viet Nam ..".


Na selva, esperando pelos guerrilheiros cubanos, bolivianos, peruanos ... Algumas dezenas de homens. 


Muito menos do que o esperado. 


Os reforços esperados não estão vindo. 


Outro golpe: as autoridades bolivianas, alertadas pela CIA, já começaram a caça.


Localizados, os guerrilheiros abandonaram sua base na Primavera de 196767 e o início das operações militares bem antes do previsto.


Onze meses, o punhado de rebeldes vagueiam pelas montanhas. 


Nos seus calcanhares, 4.000 soldados treinados e equipados pelos americanos. Sucesso, derrotas ... o progresso está se tornando cada vez mais difícil. 


Os homens morrem, Che vive aflito com a  asma . Pior:. A população, pretende reunir o movimento progressista, parece indiferente ou mesmo hostil 


Os meses passam, a esperança se distancia. 1967 no outono, Guevara sabe que a luta é impossível. 


Resta-lhe uma pelotão de homens exaustos e desanimados. 


Envolvidos na Quebrada del Churo, num vale estreito e íngreme localizado a 200 quilômetros a sudoeste de Santa Cruz, a coluna está bloqueada a 8 de Outubro 


Pela manhã, mais de 300 guardas atacam Che e seus homens. 


A luta começou, desigual. 


À uma hora, dois guerrilheiros foram capturados. 


Um deles se senta no chão. 


Ele foi ferido e desarmado. 


"Eu sou Che Guevara. 


Não se preocupe. 


Tudo está acabado. 


Ofereçam-se para executar Che. 


O sargento Mario Teran entra na sala de aula . 


Ele está bêbado e, obviamente, assustado. 


Che o apóstrofo: 




Atire covarde, eu sou o homem que você vai matar! 


Duas vezes hesitou Teran até que disparou . 


Che cai de olhos abertos. 


                                        vídeos


1


2


3


4eentrevista com a enfermeira que lavou o corpo de Che




o sorriso de um 
homem extraordinário 
que se tornou uma lenda

suas fotos de jovem

este olhar ...


Frases de Ernesto Che Guevara
Se não há café para todos, não terá para ninguém.
~ Frase de Ernesto Che Guevara/miséria/igualdade/política
Frases de Ernesto Che Guevara
Devo dizer, correndo o risco de parecer ridículo, que o verdadeiro revolucionario é movido por sentimento de amor.
~ Frase de Ernesto Che Guevara/guerra/amor/sonhos
Frases de Ernesto Che Guevara
Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros.
~ Frase de Ernesto Che Guevara/justiça/cólera/amizade
Frases de Ernesto Che Guevara
As tantas rosas que os poderosos matem nunca conseguirão deter a primavera.
~ Frase de Ernesto Che Guevara/morte/política/vida

Frases de Ernesto Che Guevara
A argila fundamental de nossa obra é a juventude. Nela depositamos todas as nossas esperanças e a preparamos para receber idéias para moldar nosso futuro.
~ Frase de Ernesto Che Guevara/vida/fé/experiência
Frases de Ernesto Che Guevara

Frases de Ernesto Che Guevara
Hay que endurecer-se pero sin perder la ternura jamas!
~ Frase de Ernesto Che Guevara/patriotismo/guerra/história






                                                         FIM  DA 1ª PARTE