AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


terça-feira, 10 de abril de 2012



Mais uma Taxa

Governo quer criar nova taxa no comércio de alimentação (link)

A notícia assim à primeira vista até parece boa. Finalmente os Belmiros, os Soares dos Santos, os Franceses armados em Mosqueteiros, os Alemães do Lidl e mais uns quantos, vão passar a pagar uma taxa sobre os lucros fabulosos que arrecadam. Bem feito sim senhor! Então não é esta gente que tem arruinado o nosso comércio local? Força Cristas! Taxas para cima deles.

Agora há o reverso da medalha. Alguém minimamente conhecedor do comportamento destes grupos económicos acha que são eles que vão arcar com o custo de mais estas eventuais taxas? Claro que primeiro tentarão fazer pagá-las aos fornecedores através de um aumento dos rapéis, descontos e mais uma série de expedientes conhecidos (não da ministra Cristas) mas de quem tem que se sujeitar aos ditames desta gente. E se não chegar, claro que vai sobrar para aquele que se lixa sempre  (o mexilhão) ou seja o consumidor. Caramba já chateia tanta ignorância e tiros de pólvora seca, que se não matam, chamuscam sempre os mesmos.

blog Folha seca


A FALTA DE PUDOR DE MÁRIO SOARES



Mário Soares apanhado em excesso de velocidade em carro do Tesouro
04 Abril 2012
Jornal de Negócios Online - negocios@negocios.pt


O ex-Presidente da República, Mário Soares, foi apanhado em excesso de velocidade num carro em nome da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças. "O Estado é que vai pagar", terá dito Mário Soares ao GNR.
O veículo que transportava Mário Soares, ontem pela A8, foi apanhado em excesso de velocidade pela GNR, que captou 199 km/hora. O ex-Presidente era conduzido pelo motorista, mas, segundo o "Correio da Manhã", a viatura está em nome da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças.

Fonte da GNR, citada pelo "CM", acrescentou que perante a opção de pagar logo a multa, de 300 euros, ou o condutor ficar com a carta apreendida, Mário Soares terá declarado "o Estado é que vai pagar a multa". A carta ficou apreendida.

O "CM" diz ter tentado reacção de Mário Soares, mas não conseguiu.

COMENTÁRIO:

É CHOCANTE A ARROGÂNCIA DESTES POLÍTICOS QUE SE PROCLAMAM PAIS DA PÁTRIA E QUE POR ESSA RAZÃO JULGAM ESTAR ACIMA DA PLEBE, ACIMA DOS "BOVINOS" QUE LHES SUPORTAM E PAGAM A VAIDADE E PRIVILÉGIOS.

TENHO A CERTEZA QUE, QUANDO O POVO AGITOU BANDEIRAS E GRITOU DE ALEGRIA NO 25 DE ABRIL, NUNCA PENSOU NAQUILO EM QUE SE TRANSFOMARIA A DEMOCRACIA: NUM PESADELO CHEIO DE DEMÓNIOS QUE LHE SUGAM A ESPERANÇA, A VONTADE, O CORPO, A DIGNIDADE E LHE DESTROEM O FUTURO.


Portugueses optimistas e pessimistas. (Anedota)

Passos Coelho manda fazer uma pesquisa para saber o que povo acha do seu governo.
Alguns dias depois, chega o pesquisador com o resultado.
— Senhor PM, nós constatamos que a população está divida em dois estados de espírito opostos.
— E quais são eles?
— Bom, os portugueses dividem-se entre os optimistas e os pessimistas. Os optimistas acham que, 
se o seu governo continuar a sacrificar o povo por mais tempo, vai acabar por ter o povo todo a comer lixo…
— Xiça está mesmo mau, esse espírito. Então mas isso não é pessimismo?
— Não senhor PM, os pessimistas acham que o lixo não vai chegar para todos. 


Acesse o Artigo Original: http://apodrecetuga.blogspot.com/2012/04/portugueses-optimistas-e-pessimistas.html#ixzz1rfM4xli7

Blog Não votem mais neles, pensem !

HENRIQUE MEDINA - VIDA E OBRA - PINTURAS E VÍDEOS DO MAIOR RETRATISTA PORTUGUÊS



Henrique Medina


Pintor português, Henrique Medina de Barros nasceu a 18 de agosto de1901, na freguesia de Cedofeita, no Porto.
Filho de mãe portuguesa e de pai espanhol, revelou, desde cedo, umaforte propensão para a pintura, ao retratar com expressividade a avómaterna, num quadro intitulado Minha Avó (1911). Iniciou a suaformação artística, em 1911, na Escola Superior de Belas-Artes doPorto, sendo aluno de Marques de Oliveira e de Acácio Lino. Aí realizou oCurso Preparatório de Desenho (1912-1914), o Curso de Desenho,Anatomia e Perspetiva (1915), o Curso de Desenho e Perspetiva (1916)e o 1.º ano do Curso de Pintura e Perspetiva (1917). Em 1919, expôs,na Sociedade Nacional de Belas-Artes, em Lisboa, o retrato de TeodoraAndressen de Abreu, com o qual ganhou a segunda medalha doconcurso dessa sociedade.
Em 1919, prosseguiu os estudos académicos, na École de Beaux-Arts deParis, com os mestres Ferdinand Cormon e E. Bénard. Nessa altura,participou no Salon de la Société National Beaux-Arts, recebeu a MençãoHonrosa no Salon des Artistes Français. A partir de então, estendeu asua fama a outros países, sendo convidado a expor "on the line" na RealAcademia de Londres, em 1927, e depois em Itália, em 1930, retratandoMussolini para o palácio Viminal. Por fim, conquistou o Brasil e osEstados Unidos da América (EUA), sobretudo Hollywood, onde retratougrandes artistas, como Galli Curci, Charlie Chaplin, Mary Pickford, LillyPons, Norma Shearer, Greer Garson e Linda Darnel, que serviu de modelopara o quadro Nossa Senhora de Fátima, que se encontra na Igreja deSanto António, em East Falmouth, em Massachusetts (EUA). 
Entre 1930 e 1950, Medina era considerado o melhor retratistaportuguês e um dos melhores do mundo, sendo portanto escolhido parapintar figuras importantes a nível nacional e internacional. Para além dealtas patentes militares, como o General Alberto Andrade e Silva, demédicos de renome, tal como o Biólogo Jauregui (1936) e o Prof. EgasMoniz (1950), de académicos reconhecidos, de escritores e poetas,pintou também reis e príncipes, entre eles o Príncipe Torlonia e oPríncipe D. Orsini, chefes de estado como Dr. António Oliveira Salazar eo General Craveiro Lopes e ainda cardeais, como Cardeal Cerejeira e D.António Ferreira Gomes (1981) e o Papa João Paulo II. 
Em 1960, estabeleceu-se em Góios, Esposende, na casa herdada de suaavó. Aí dedicou-se a retratar a beleza da ruralidade daquelas paisagens.A sua pintura, sobretudo a óleo, ficou então marcada pelas paisagens efiguras rurais da região de Esposende, tais como as sargaceiras daApúlia, em A Sargaceira (1968), Esperando o Sargaço (1972), ospescadores, em Pescador (1957), os pastores de Belinho, como PequenoPastor (1968), os feirantes de Barcelos e ainda as minhotas, de que éexemplo a Noiva de Viana (1959) e Minhota com Traje Gallego (1975). 
De referir igualmente o tema do nu, característico da sua pintura.Apaixonado pelo pormenor anatómico e pela beleza fisiológica do corpo,Henrique Medina retrata o nu com sobriedade, elegância e com umaperfeita harmonia da forma e da cor, num ambiente de riqueza envoltoem adereços marcantes, como vasos, espelhos, aquários, mantos,animais, entre outros.
Este pintor modernista foi membro da Academia de Belas-Artes deLisboa, membro da Real Academia de San Fernando de Espanha, Membroda Academia de Belas-Artes do Rio de Janeiro e sócio honorário daAssociação Comercial do Porto. Recebeu várias condecorações, comoCavaleiro da Ordem de Cristo (1938), Medalha de Honra da Cidade doPorto (1939), Cavaleiro da Legião de Ordem Francesa (1955), GrandeOficialato da Ordem de Santiago e Espada (1969), Grã-Cruz da Ordemdo Infante D. Henrique (1984), entre outras.
Henrique Medina, que realizou inúmeras exposições, está representadoem coleções particulares e em coleções nacionais e internacionais dasquais se destacam a do Atelier-Museu Henrique Medina em Góios(Esposende), a do Museu Nacional Soares dos Reis (Porto), a da Sala-Museu Medina no Palácio da Bolsa (Porto), a do Museu Grão Vasco(Viseu), a do Museu Medina (Braga), a da Biblioteca Municipal de Vianado Castelo, a do Museu do Chiado (Lisboa), a do Palácio de S. Bento(Lisboa) e, a nível internacional, a do museu Jeu de Paume (Paris), a daEscola de Guerra Imperial Staff (Londres), a da Virginia University(Virgínia), a da Metropolitan Opera House (Nova Iorque), a do MetroGoldwyn Mayer (Califórnia), a do Gabinete Português de Leitura do Riode Janeiro, a da Sala-Museu Medina no Ginásio Club do Rio de Janeiro ea da Embaixada de Portugal em Moscovo e em Londres, entre outras.
Henrique Medina faleceu a 30 de novembro de 1988, em Góios(Esposende), vítima de doença 

súbita.

vídeo










vídeo



auto-retrato