AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quinta-feira, 5 de abril de 2012



Quinta feira santa. Quinta carta feita, pelo Santos...


REMBRANDT - 1606-1669 - "Expulsão dos vendilhões do Templo" - gravura sobre papel

Quinta-feira Santa - Podia ter seleccionado imagens, que as há muito belas, sobre o que se enquadra mais na data e no seu significado litúrgico. A última ceia ou Jesus lavando os pés aos apóstolos, seriam as indicadas para o dia que hoje se celebra. Pelas razões que já me levaram o ano passado a escolher a cena que está (agora) na gravura de Rembrandt escolho a "Expulsão dos vendilhões do Templo" e repito a pergunta que fiz então: "Se fosse hoje, Jesus iria ao Templo?"

Quinta carta, feita pelo Santos - Refiro-me ao texto que Boaventura Sousa Santos dá hoje a ler na Visão. É uma carta bem escrita e, por ser a quinta, percebo que já terão existido quatro. Confesso que as não li todas e esta li a correr, à diagonal. Parece-me que tem matéria para pôr as esquerdas a reflectir. A minha reflexão é curta e grossa: a carta tem erro grosseiro de endereço. Esquerdas? Um saco, onde cabem diversos com algo de comum? Mas de comum, o quê, se cada vez se vê uma esquerda mais isolada em matéria votada, na mesma matéria em que aquela outra esquerda vota colada à direita. Hoje mesmo, quinta-feira santa, uma esquerda apresenta uma proposta, vejamos como a outra esquerda se comporta. Para já oferece-me dizer: ou o Santos reformula o endereço da carta ou ela não servirá para nada. Todos sabem disso, menos os leitores da Visão. 
blog Conversa avinagrada

AQUI FECHA-SE, ABRE-SE FALÊNCIA,VENDE-SE,HIPOTECA-SE,ABANDONA-SE ! - Itália reabilita a histórica Pompeia


CULTURA

Itália reabilita Pompeia para aliviar crise

por DN.PTHoje
105 milhões de euros para reabilitar Pompeia
105 milhões de euros para reabilitar PompeiaFotografia © Giampiero Sposito / Reuters
O primeiro ministro italiano Mario Monti deu luz verde ao projeto de conservação e reabilitação da área arqueológica de Pompeia para o qual foram disponibilizados 105 milhões de euros de financiamento a serem gastos em três anos.
A 29 de março a Comissão Europeia aprovou formalmente a concessão das ajudar do FEDER ao projeto de Pompeia, que contará com 41,8 milhões de euros de financiamento europeu e 63,2 milhões de euros de fundos italianos.
O chefe do Executivo tecnocrata de Itália esteve em Nápoles, próxima de Pompeia, para apresentar as primeiras cinco ideia a concurso público para as obras deste projeto que pretende requalificar as ruínas de Pompeia que se foram danificando sobretudo devido às fortes chuvas dos últimos anos. As constantes notícias sobre erosões nos edifícios alertaram para a necessidade urgente de proceder a uma requalificação.
Segundo explicou Mario Monti na televisão, a iniciativa promovida o ano passado pelo governo de Silvio Berlusconi, pretende "preservar todas as zonas em risco" e garantir que o projeto será concretizado com "empresas e trabalhadores capazes e honestos".
O primeiro ministro italiano assegurou ainda que esta iniciativa terá em conta "os mais desfavorecidos" sobretudo os mais jovens de uma região meridional que vive uma situação económica "grave" e que sofre de crises mais problemáticas do que outras regiões.
Monti insistiu na importância de investir na cultura, nomeadamente em Pompeia, para o desafogo económico do país. O primeiro ministro lembra o interesse que a obra tem para as gerações futuras de Itália e também a sua importância a nível mundial. Recorde-se que esta área arqueológica recebe em média seis mil visitas diárias, chegando a ter 20 mil na época alta a nível de turismo.

Comissário executivo da contratante e sócio-gerente da empresa contratada???

roubar estado é facil
BASTA UM CARGO NO ESTADO
Esta é mais uma atitude de despesismo típica do reino de Alberto João Jardim - A Madeira em todo o seu esplendor.
Uma aventura recheada de contornos pouco integrados na lei.
A empresa "Funchal 500 Anos" realizou os festejos dos 500 anos e ultrapassou em 75,5% o previsto.
Ficou em 6 milhões... acrescidos de 700 mil euros que foram pagos para saldar dividas posteriores.
O tribunal de contas realizou uma auditoria constatando que a empresa que foi escolhida para o serviço, Edicarte, Lda., 
foi seleccionada sem respeitar as normas da realização de um concurso internacional. 
Foram apenas "consultadas" 5 concorrentes.
Isto é um escândalo, mas o pior é o que se segue... 
Constatou ainda, o TC, que o sócio-gerente da Edicarte, Lda. 
foi nomeado para comissário executivo da Funchal 500 Anos
Esta é uma situação de favorecimentos demasiadamente 
óbvia e de circulação de dinheiro público num circulo fechado de interesses. 
Uma situação muito irregular... Comissário executivo da contratante e sócio-gerente da empresa contratada??? 
E 6 milhões de euros do povo metidos no meio disto!!!
Centenas de investigações do TC, revelando crimes contra a nação e o erário público, mancham as noticias do nosso dia dia, 
contudo tem sido um trabalho inglório, pois o TC apenas investiga, e os julgamentos nunca chegam. 
Fica a faltar sempre o final "feliz" da história...

Para os que gostam de ir até à fonte, aqui ficam extractos da noticia.
"O montante gasto pela empresa municipal Funchal 500 Anos para comemorar o quinto centenário da cidade foi 75,5 por cento superior ao previsto 
no seu estudo de viabilidade, refere hoje o Tribunal de Contas.
... a que acresceu uma “transferência adicional” de quase 700 mil euros, o ano passado, para “liquidar o passivo remanescente da empresa”, 
extinta a 30 de Junho de 2010.
....considerando que a adjudicação “deveria ter sido precedida de um concurso público internacional e não de uma consulta a cinco entidades”.
A auditoria considera, ainda, que a nomeação do sócio-gerente da Edicarte, Lda. para comissário executivo da Funchal 500 Anos - embora o cargo não conste 
dos estatutos da empresa municipal nem da legislação aplicável -- “não salvaguarda suficientemente o princípio da imparcialidade que impõe que 
a actuação da Administração seja objectiva, isenta e equidistante dos interesses em presença”  Fonte

Blog Não votem mais neles, pensem !

Acesse o Artigo Original: http://apodrecetuga.blogspot.com/2011/07/comissario-executivo-da-contratante-e.html#ixzz1rCI5QWIT

PORTUGAL

     PORTUGAL


PODE-SE

OFENDER/OCULTAR/OBSTRUIR


ROUBAR/RETIRAR/RAPINAR
TIRANIZAR/TRAMAR/TRAVAR

URDIR

GAMAR

AMEAÇAR

LESAR LEGALMENTE










LUTA DE MELROS

Os melros são muito territoriais. Lutam por tudo e por nada. No meu jardim há um vaso de água para o cão. Agora os melros decidiram que a água é deles e lutam pela posse do precioso líquido. É evidente que a água dá para todos. Mas eles são assim... É nisto que nos distinguimos dos animais. Em tempos também fomos iguais. Lutávamos por tudo e por nada. Pela posse de uma pedra, de bocado de osso, de uma simples gole de água.  Mas os homens são inteligentes. Percebemos que não valia a pena esta luta. Inventámos o dinheiro. Com o dinheiro podemos vender a água ou mesmo alugar. E com o produto compramos outras coisas. Tudo muito mais abstracto. E assim deixámos de ser "melros". Agora lutamos por dinheiro!
Fotografia de msimas.
acordar

e acordas
perguiçosa
trazendo nos lábios a flor viçosa
nos seios o maná do amor
miras-te no espelho
avaliando a tua beleza
sorris
tens a certeza
que o teu corpo seduz
não te mente
é fresco
tem luz
a imagem de ti
vai iluminando o quarto
no reflexo embaciado do vidro
do dia de ontem já velho

António Garrochinho

coletânea de poemas ilustrados - António Garrochinho










Função pública não é abrangida

Governo congela reformas antecipadas



<p>Medida do Governo de Passos Coelho não abrange função pública</p>
Medida do Governo de Passos Coelho não abrange função pública
 (Foto: Nuno Ferreira Santos)
O Governo suspendeu as reformas antecipadas até ao final da vigência do Programa de Assistência Financeira a Portugal. Garantir a estabilidade orçamental é o objectivo.

A possibilidade de requerer reforma antecipada vai ser vedada até ao final do programa der assistência financeira a Portugal - meados de 2014. A partir de amanhã, estão suspensas as normas de flexibilização do regime de acesso à reforma antecipada à excepção dos casos de desemprego involuntário de longa duração.

As novas regras foram hoje publicadas em Diário da República e visam, segundo o Governo, "estabilidade orçamental no quadro do Programa de Assistência Económica e Financeira" e não abrangem os funcionários públicos - apenas os trabalhadores abrangidos pelo regime de Segurança Social.

Na proposta de Orçamento para 2012, o Executivo incluiu medidas que visavam reduzir o universo de candidaturas à reforma antecipada, mas acabou por desistir da ideia. A intenção concretiza-se, agora, após um processo que correu sem conhecimento público.

PUBLICO

O CANTE - FOTOGALERIA










Deputados com tolerância hoje à tarde

5 de Abril, 2012
Apesar de o Governo não ter dado tolerância de ponto aos funcionários públicos, os deputados vão poder gozar folga na tarde de hoje, Quinta-feira Santa.Por sugestão da presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, o plenário habitual de quinta-feira à tarde foi antecipado para a parte da manhã. Isto significa que os deputados podem regressar a casa logo a seguir à hora de almoço.
O Governo avisou há três semanas que não iria haver qualquer tolerância de ponto, uma decisão que só foi contrariada pelo Governo Regional da Madeira. Alberto João Jardim. aliás, já tinha feito o mesmo no Carnaval.
Contactado pelo SOL, o gabinete de Assunção Esteves esclarece que a alteração do plenário foi uma decisão «tomada por unanimidade na Conferência de Líderes, ou seja, por acordo entre todos os grupos parlamentares».
Naquela reunião, que teve lugar há duas semanas, foi ainda abordada a possibilidade de nem sequer se realizar qualquer plenário. Mas CDS e PCP pronunciaram-se de imediato, preocupados com o efeito que isso teria na opinião pública, numa altura em que não haverá tolerância de ponto.
«Ao contrário das anteriores legislaturas, esta será a primeira vez em que a Assembleia da República realiza trabalhos na Quinta-feira Santa. Nas anteriores legislaturas, este período de Páscoa foi, tradicionalmente, um período de interrupção de trabalhos», lembra o gabinete da presidente do Parlamento.
A decisão foi, então, adoptar o modelo de sexta-feira (que esta semana é feriado) para o dia de hoje. Nas sextas-feiras, o plenário tem lugar de manhã, seguindo-se depois as votações dos diplomas – o que acontecerá hoje.
Assunção Esteves rejeita a ideia que se esteja perante uma tolerância de ponto informal, lembrando que o período da tarde é reservado ao «tratamento legístico e o seguimento administrativo dos diplomas aprovados».
De qualquer forma, os funcionários do Parlamento não têm dispensa no período da tarde. Quanto aos deputados, cada um pode antecipar o seu fim-de-semana, se quiser.
helena.pereira@sol.pt 


Madeira

Tribunal obriga médico de Jardim a devolver 400 mil euros de remunerações indevidas



O Tribunal de Contas já notificou o ortopedista Marcelino AndradeO Tribunal de Contas já notificou o ortopedista Marcelino Andrade (Foto: Rui Gaudêncio)
 Ortopedista Marcelino Andrade realizou “apenas três” consultas em sete meses e seis cirurgias em 14 meses, mas recebeu 20 mil euros em horas extraordinárias.

O Tribunal de Contas (TC) notificou o ortopedista Marcelino Andrade para devolver cerca de 400 mil euros recebidos indevidamente enquanto acumulou as funções de médico no Hospital do Funchal com as de presidente da Junta de Freguesia de Santo António, nesta cidade.

Na sequência do relatório da auditoria feita pela Inspecção-Geral das Actividades em Saúde (IGAS) ao Serviço de Ortopedia do Hospital Dr. Nélio Mendonça, a secção regional do TC concluiu pela ilegalidade do destacamento (ilegal) do médico para exercer funções de presidente da Junta de Freguesia de Santo António, no Funchal (entre 08/07/1998 e 30/10/2009), que originou pagamentos indevidos no valor de 397.675 euros, a título de remunerações, acumuladas indevidamente com as auferidas na junta de freguesia. A IGAS tinha concluído que o ortopedista tinha dado “apenas três” consultas em sete meses e realizado seis cirurgias em 14 meses, mas recebeu 20 mil euros em horas extraordinárias e cerca 3700 euros em prevenções.

Além da referida sanção aplicada a Marcelino Andrade, dirigente regional do PSD e durante anos apresentado como médico pessoal de Alberto João Jardim, o TC, no relatório já enviado para o Ministério Público, considerou que pela autorização do destacamento (ilegal) deveria ser exigida responsabilidade financeira sancionatória ao secretário regional dos Assuntos Sociais e Parlamentares, Rui Adriano de Freitas, membro do governo madeirense responsável pela saúde entre 1988 e 2000, e aos responsáveis do Centro Hospitalar do Funchal e Serviço Regional de Saúde, pelo processamento e pagamento indevido das remunerações. O “destacamento” foi mantido nos mandatos subsequentes sem que Conceição Estudante e Jardim Ramos, os sucessores de Rui Adriano na saúde, se tenham pronunciado sobre a situação em apreço.

Os auditores apuraram que entre 14 de Janeiro e 8 de Julho de 1998, data do início do destacamento, “o clínico esteve ausente do serviço por motivo de doença” e que, ”não obstante encontrar-se incapacitado para o exercício de funções no Centro Hospitalar do Funchal”, em 14 de Janeiro desse ano “foi conferida posse à nova” junta, da qual o ortopedista assumiu a presidência. Isto é, deixou de exercer funções no centro hospitalar “e, concomitantemente, de faltar ao serviço por motivo de doença”, de forma a exercer o cargo de presidente da junta em regime de destacamento.

O tribunal considerou “ilegal e sem contraprestação efectiva para aquele serviço de saúde” o pagamento das remunerações ao referido médico, entre Julho de 1998 e Outubro de 2009, num total de 397 mil euros. Apurou ainda que o ortopedista também auferiu remunerações processadas pela junta de freguesia no montante total ilíquido de 143.169,78 euros, sendo que deste valor 1428 euros “respeitam ao abono do subsídio de insularidade, entre 2002 e 2007, a que os autarcas não tinham direito”.

As duas situações “são susceptíveis de tipificar ilícitos financeiros geradores de responsabilidade financeira sancionatória e reintegratória”, frisa a o TC, lembrando que as multas têm como limite mínimo 15 unidades de conta (uma unidade de conta é 105 euros) e como limite máximo 150, mas que com o seu pagamento “extingue-se o procedimento” para a efectivação da responsabilidade sancionatória.

A IGAS, no relatório ao Serviço de Ortopedia a que o PÚBLICO teve acesso, concluiu que Marcelino Andrade, cujo comportamento laboral “caracterizou-se por um conjunto de vicissitudes que carecem de explicação", realizou “apenas três atendimentos na consulta externa" em sete meses e apenas seis cirurgias em 14 meses. Mas recebeu 20 mil euros em horas extraordinárias e cerca 3700 euros em prevenções.

"Ou seja, afigura-se que o mesmo não esgota a sua carga horária normal, muito embora a actividade que produz no serviço de Urgência acabe por gerar o pagamento de horas extraordinárias e de prevenção", refere a Inspecção. É aliás o serviço de Urgência "aquele em que este médico verdadeiramente apresenta produtividade", ironiza a IGAS ilustrando a afirmação com o número de atendimentos realizados em 2010 por Marcelino Andrade:
Publico

O Diário de António José






Querido diário
Tenho tido uns dias tão complicados, que nem sequer me tem apetecido passar por aqui.
Na sexta-feira, os socratistas fizeram um banzé porque eu quero que o PS aprove ou se abstenha na votação do novo Código de Trabalho. Não sei se eles não percebem que isso é bom para o PS, porque quando eu chegar ao governo o trabalho sujo já está feito, ou se é mesmo vontade de me entalarem.
No sábado, claro, reagi e consegui que fossem aprovados os novos Estatutos do PS,  que me permitem eliminar a concorrência até às eleições de 2015 - ou, pelo menos, até quando o Cavaco quiser.
 Estava eu ainda a saborear esta golpada que aprendi com o Chavez e no domingo levo com as críticas do Marcello. Eu não merecia ser desancado daquela forma e por isso apressei-me a chamar-lhe mentiroso. Logo agora que as coisas com o Coelho se estavam a encaminhar para um entendimento, o professor vem-me com isto?
Na segunda –feira, estava eu no café a lamentar a minha má sorte, feito Kalimero, quando uma velhota entra aos gritos, se dirige à minha mesa e diz:
“Ó senhor sacristão! Então está aqui descansadinho a tomar café quando  o funeral está quase a sair da Igreja? Vá lá ajudar o senhor padre Coelho a fazer as exéquias dos defuntos! Ele sozinho não consegue dar conta do recado, porque enterrar 10 milhões de portugueses não é tarefa nada fácil!”
Vai daí, só tinha uma saída. Mostrar que quem manda no partido sou eu e pôr os socráticos em sentido. Foi uma peixeirada, eu sei, mas pelo menos consegui que as televisões convidassem socialistas que me são afectos, para animar uns debates.
Diz-me, querido diário. Se isto não aumentar a minha credibilidade que devo eu fazer? Deixar-me crucificar em sexta-feira santa' O problema é que tenho medo de não ressuscitar no domingo, depois da homilia dominical do Martelo...


 FARO espera receita milionária com parquímetros 


A capital algarvia poderá obter receitas elevadas ao longo de sete anos de contrato, com os parquímetros agora instalados.
 
capa_o_algarve_short.jpg
Ver Galeria
 
A Câmara Municipal de Faro espera obter ganhos de vários milhões de euros ao longo dos 84 meses de contrato que estabeleceu com a empresa algarvia Masitrave.
Em causa, a instalação de 954 parquímetros na cidade algarvia, medida que está a levantar polémica junto de moradores e comerciantes.


ESTE TIPO TODO ELE É UM LAPSO

LAPSO
1. Acto de escorregar; escorregadela.
2. Queda momentânea da memória. = ESQUECIMENTO
3. Descuido proveniente de esquecimento.
4. Engano involuntário.
5. Decurso de tempo. = PERÍODO
6. Caído em culpa; incurso em erro ou pecado. = CULPADO
 IN - Dicionário da Porto Editora
Para além disso o Gaspar é MENTIROSO  

este governo perdeu a legitimidade, perdeu definitivamente a vergonha.

Enquanto povo soberano, não podemos permitir que esta gente nos CUSPA na cara. 
blog Ferroadas


Lisboa:Último troço do Túnel do Marquês abriu hoje

por:dn.pt/Inês Banha-HojeQuase cinco anos depois de o Túnel do Marquês, no coração de Lisboa, ter sido inaugurado, a obra foi finalmente concluída.Cerimónia contou com a presença do Presidente da Câmara, António Costa, e dos antecessores, Pedro Santana Lopes e Carmona Rodrigues.A abertura daquele que é o último troço da infraestrutura - a saída para a Avenida António Augusto de Aguiar - ocorreu hoje, quinta-feira, cerca das 12.30. E contou com a presença tanto do atual presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, como dos seus antecessores, Pedro Santana Lopes e Carmona Rodrigues. Tudo em nome de uma "uma obra coletiva". "Seria injusto" que não fosse assim, sublinhou o socialista Costa.
Pelo caminho, ficam anos de avanços e recuos, primeiro devido a uma providência cautelar interposta, em 2004, por José Sá Fernandes (atualmente vereador na Câmara Municipal de Lisboa) e depois por falta de pagamento.
Bandeira eleitoral, em 2001, de Pedro Santana Lopes, a via com um total de 1725 metros de extensão foi inaugurada a 25 de abril de 2007 pelo então presidente de câmara, António Carmona Rodrigues. A cerimónia decorreu mais de dois anos depois da data inicialmente prevista, sob a promessa de que a saída para a Avenida António Augusto de Aguiar estaria pronta em julho do mesmo ano. Algo que só na noite de ontem, quarta-feira, aconteceu.
Em 2009, António Costa justificou o atraso com o facto de a obra não ter sido paga por Santana Lopes. A dívida de 22,2 milhões de euros ao consórcio responsável pela empreitada (a Construtora do Tâmega e a CME - Construção e Manutenção Eletromecânica), foi saldada em 2010, data em que se reiniciaram as obras.



Prenez le povouir!

Deixo para uma próxima vez, uma reflexão mais alargada sobre o fenómeno e o movimento de reunificação da esquerda que a Front de Gauche está a impulsionar em França, como conseguido agregar forças e estilhaçar sectarismos e sectários. Até lá fica um artigo de Ignacio Ramonet cuja leitura recomendo.
blog Adeus Lenine


Não ao triste fado dos tristes

Antes dos votos de Boa Páscoa para os meus 8 leitores, quero manifestar o meu orgulho como montemorense porque dois arqueólogos da minha terra tiveram visibilidade nacional graças ao seu trabalho, ao seu empenho e ao seu dizer não à maldita crise. O Carlos Carpetudo e a Sira Camacho, meus amigos, meus ex-alunos e cantores no CSD, criaram uma empresa a que chamaram Cromeleque para aproximar a cidade das pessoas ou… vice-versa. Este é, pelo menos, um dos objectivos dos Roteiros recentemente estreados. Aqui fica a justificação: Cruzamo-nos todos os dias nas Ruas da Cidade sem tempo para parar e escutar aquilo que as Ruas têm para nos contar. Os Roteiros na Cidade da Cromeleque são um convite para explorar Montemor-o-Novo e (re) descobrir os seus encantos.”
E um desses encantos está, precisamente, a meio da velhinha Rua de Avis, numa pastelaria chamada Capri e que, graças ao talento e trabalho do seu proprietário, também mereceu honras a nível nacional, e igualmente por bons motivos: a arte de trabalhar o chocolate e, sobretudo, a reinvenção dos bombons com sabores… inimagináveis. O António João Melgão e a sua equipa, tal como a Sira e o Carlos, disseram não ao triste fado que persegue os menos corajosos.
E pronto: uma Páscoa pacífica para todos e com saúde. Passeiem muito pela cidade, comam muitos bombons exóticos e aproveitem para passar cada momento com as pessoas que amam. O resto… logo se vê.


Livro didático sobre Stalin causa polêmica na Rússia e pode sair de circulação

Volume compõe série sobre os vinte russos mais importantes da história

Um livro didático distribuído a alunos do ensino público da Rússia está gerando grande polêmica e corre o risco de sair de circulação.

Parte de uma série intitulada 20 Grandes Russos, o volume dedicado ao ex-líder da extinta União Soviética Josef Stalin tornou-se alvo de oficiais da prefeitura de Moscou e da Câmara Pública da Rússia.

"Não importa o que você pense dessa pessoa, ninguém pode negar o fato de que muitos foram mortos sob seu governo. Se esse rosto surge na capa de um caderno escolar, isso se torna, na minha opinião, o mesmo que colocar uma suástica do Hitler”, argumenta Sergei Volkov, membro da Câmara Pública da Rússia, parlamento responsável pela fiscalização do poder legislativo.

Em entrevista à NTV, maior emissora do país, Viktor Kruglyakov, integrante da comissão para educação e juventude do parlamento russo, classificou Stalin como "um criminoso, um tirano sanguinário”. Para ele, "se esses cadernos chegarem às escolas, crianças que ainda não conhecem a história poderão pensar que é possível matar várias pessoas e, ainda assim, ser um grande ícone. Isso é muito perigoso".

A Alt Casa Editorial, empresa responsável pela publicação do volume, se recusou a tirar o livro de circulação. Artyom Bilan, diretor artístico da editora, disse à agência de notícias russa RIA Novosti que “a Câmara Pública não é um órgão legislativo e que seu posicionamento expressa apenas a opinião pessoal de seus representantes”. Mais além, ele diz acreditar que essa opinião "está em completo descompasso com o que pensa a maioria dos cidadãos russos”.

Outros volumes da série tratam de figuras como Ivan, o Terrível, Vladimir Lenin e Yuri Gagarin. Seus editores defendem o produto como algo “utilitário, popular e comercialmente bem sucedido”.

Há quatro anos, uma enquête telefônica consultou cinco milhões de russos para descobrir quem eram as personalidades mais marcantes no imaginário comum da população. Stalin ocupou a terceira posição do ranking, atrás apenas do líder medieval Alexandre Nevsky e do ex-primeiro-ministro Piotr Stolypin.

O governo russo teme uma “restalinização” do país. Há três anos, uma faixa com citações de Stalin inaugurava uma estação de trem na capital Moscou e, no ano passado, o Partido Comunista da Rússia instalou um busto do ex-líder na cidade de Penza.

Fonte: Ópera Mundi