O CHOQUE DO SR. PRIMEIRO-MINISTRO
Segundo alguma imprensa, o sr. Primeiro-Ministro terá ficado chocado com o facto do Secretário-geral do PCP ter referido que a política de saúde deste governo está a provocar “a morte antecipada de muitos portugueses, particularmente de idosos”.
Sr. Primeiro-Ministro não está chocado com o facto de terem morrido tantos portugueses idosos nos últimos dois meses, devido ao frio, à má alimentação e à falta de medicação?
Não o choca que haja hospitais públicos que não têm material necessário para poderem fazer o atendimento devido aos doentes? Até as compressas acabaram, Sr. Primeiro-Ministro num dos Hospitais!
Não o choca que se diga que os hospitais já vêm aumentados as listas de espera para cirurgias que poderão, em muitos casos, ser salvadoras de vidas?
Não o choca saber que há doentes que estão a faltar às consultas por não terem dinheiro para pagar as taxas “financiadoras” que implementou neste País? Sim, financiadoras, pois, como deverá saber, o valor que o Estado paga por consulta aos Hospitais Públicos é já inferior ao que o doente paga de taxa.
Não o choca pensar que naquilo que o seu eficiente Ministro da Saúde apresenta com tanto orgulho como sejam as poupanças nos medicamentos, possa haver uma parte significativa que corresponda a doentes crónicos que deixaram de comprar os medicamentos que necessitam?
Não o choca saber que morreu uma doente, primeira vítima da “eficiência” do seu Ministro da Saúde que mandou extinguir em finais de Dezembro de 2011 o Serviço de Prevenção de Cardiologia da Unidade Hospitalar de Chaves?
Não o choca saber que a taxa de suicídios em Portugal subiu quase para o dobro? E que por cada 1% de subida de desemprego, a taxa de suicídios cresce 0,8%?
Não o choca saber que há um autêntico caos na urgência psiquiátrica do Hospital de S. José onde estão em risco a segurança dos doentes e dos profissionais de saúde?
Não o choca ter sido recusado um tratamento a uma doente com cancro, tratamento que custa 100€? E que estas decisões podem muito dever-se à lei dos compromissos que irá causar uma maior retracção na forma de tratar dignamente doentes?
Será que não o choca saber que 2 em cada 5 crianças são pobres? O que significa que as suas famílias também o são?
Não se choca com o desemprego que está a provocar a sua política e que tem levado a uma constante degradação das condições de vida e ao empobrecimento de milhares de famílias?
Será que não o choca saber que há mulheres trabalhadoras que são despedidas por serem mães?
Não o choca que haja cada vez mais pobres neste País, mesmo trabalhando?
Pois bem, Sr. Primeiro-Ministro, não o vou injuriar afirmando que desconhece tudo isto e o muito mais que se poderia ainda acrescentar.
O Sr. sabe e os trabalhadores e o povo deste Portugal sacrificado também o sabem.
Sim, sabem.E de tal modo o sabem que para lhe evitar um enfarte de miocárdio com tanto choque vão dizer-lhe na luta tenaz e constante: Basta. Vá-se embora mais os seus “eficientes” ministros.
Praça do Bocage