AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sexta-feira, 16 de março de 2012



Corrupção em Portugal (4)


O exemplo da Argentina

Falei da Islândia, país da União Europeia, e agora vou referir uma outra situação com a qual devemos também aprender, para não cairmos nas patranhas que os políticos da direita no Governo e os comentadores contratados para abanar a cabeça (num movimento vertical de baixo para cima e de cima para baixo), dizendo o mesmo que o governo diz.

Para não ter que inventar o que já está inventado, adaptei o escrito (aqui), com a devida vénia.

- O Leitor pensa que as receitas do FMI e das Troikas são a única possibilidade para sair da crise?
- O Leitor pensa que, não aceitar o que quer a Troika, significa a exclusão dos mercados?
- O Leitor acha que a solução está num Estado mais pobre, nos cortes dos serviços sociais?
- O Leitor julga que devemos fazer tudo o que os bancos querem, porque eles é que têm o dinheiro?
- O Leitor pensa que certas coisas funcionam só na Islândia porque é pequena e tem vulcões?
- O Leitor acha a recessão e "austeridade" um mal necessário?
- O Leitor acredita que não há Alternativa?
Mas porque é que o Leitor pensa coisas destas?
  
Vejamos o que nos escondem a Televisão e Jornais:
  
Argentina: depressão, rebelião, retoma

Entre 1998 e 2002, a Argentina enfrentou a pior crise económica da sua história.

A economia mergulhou numa recessão e numa depressão em larga escala. 
O desemprego tinha ultrapassado os 25%.
  
Viam-se dezenas de milhares de profissionais da classe média em fila para o pão ou uma sopa, a pouca distância do palácio presidencial. 
Centenas de milhares de trabalhadores desempregados, os "piqueteros", bloqueavam as estradas principais e alguns assaltavam os comboios carregados de animais e grãos que iam para o estrangeiro. 
O País fortemente endividado e as pessoas profundamente empobrecidas. 
O descontentamento popular estava à beira de provocar uma revolução.
  
O Presidente Fernando De La Rua foi deposto em 2001. 
Até ao final de 2002, centenas de fábricas falidas foram ocupadas e geridas pelos trabalhadores.
  
A Argentina estava, impossibilitada a  pagar a dívida contraída e os elevados juros exigidos.
  
No início de 2003, Nestor Kirchner foi eleito Presidente no meio da crise. Começou por rejeitar as pressões externas que pretendiam o pagamento da dívida e a austeridade.  
Ao contrário das pressões do "mercados" e do FMI, Kirchner inaugurou uma série de programas de emergência para o sector público. Autorizou o pagamento de um subsídio para os trabalhadores desempregados (150 pesos por mês) para atender as necessidades básicas de cerca de metade da força-trabalho. 


Argentina: a crise antes, o crescimento depois

As vitórias eleitorais de Kirchner e Fernandez foram o reflexo do "estado social capitalista" que após 30 anos de exploração neoliberal e regimes servos dos americanos, e do FMI, deixaram o país na miséria.
  
Kirchner/Fernandez declararam a impossibilidade de pagamento da dívida. Contrapôs-se uma moratória, nacionalizaram-se os fundos de pensões e muitas empresas anteriormente privatizadas. Assim o Estado pôde expandir os investimentos públicos e favorecer o consumo, com a intenção de conseguir a recuperação económica. Uma vez livre do FMI, a Argentina passou duma fase de recessão para um crescimento do PIB de 8%. 


Comparações

A economia argentina cresceu cerca de 90% entre 2003 e 2011.
A recuperação tem sido acompanhada por programas vocacionados para a redução da pobreza. A percentagem dos Argentinos que vivem abaixo da linha da pobreza desceu de 50% em 2001 para menos de 15% em 2011. Em contraste, a pobreza nos Estados Unidos, aumentou de 12% para 17% na mesma década e continua a subir. 
  
Os Estados Unidos tornaram-se o País com a maior desigualdade na área da OCDE, com 1% da população que detém 40% da riqueza nacional. 
As desigualdades na Argentina foram reduzidas para metade.
  
Na Argentina, os níveis de rendimento das pessoas empregadas aumentaram 50% na última década, enquanto nos EUA caíram cerca de 10%. 
  
Na Argentina o protesto das massas populares obrigou a um repúdio da dívida, ao abandono das medidas do FMI e a um maior cuidado com as faixas sociais mais desfavorecidas.
Nos Estados Unidos os eleitores votaram num Presidente ao serviço de Wall Street. 
Os resultados estão à vista!


Os Profetas da "Austeridade" e da desgraça.

O rumo seguido pela Argentina, foi ao contrário de todas as "recomendações" do FMI (e Troikas), dos gurus financeiros e dos apoiantes políticos deles, os comentadores de serviço na Televisão.
  
A imprensa económica já tinha profetizado uma Argentina fora dos mercados financeiros e económicos (segundo a equação: Não pagas a tua dívida? = Ninguém vai vender-te mais nada), contudo o que sucedeu foi exactamente o contrário




Conclusão: 
O FMI e as Troikas, são incompetentes? Não!Eles são é oportunistas exploradores que ganham o dinheiro dos povos com os juros do que emprestam. Por isso, interessa-lhes que os países estejam dependentes deles para terem que pedir dinheiro emprestado. Ora, um país que se desenvolva, não precisa de recorrer aos pedidos de "ajuda" e eles perdem o "cliente" e perdem os elevados juros que ganham.
Os políticos que nos amarraram à Troika, PS, PSD e CDS, perdem "os favores e as benesses" dos seus financiadores, os bancos e banqueiros. 
Só não vê quem não quer.


Quero - António Garrochinho

Quero

eu quero ouvir-te sem julgamento
não quero que tua boca se abra num lamento
eu não te quero obrigar a confiar em mim
gosto de ti assim
eu quero-te ajudar, sem decidir por ti
ter-te abraçada aqui
eu quero que você me abrace
eu quero beijar-te suavemente na face
eu quero fazer amor contigo
ser simplesmente teu amigo
e entregarme a ti
apoiar-te em cada passo

Antonio Garrochinho


olhar para trás - poema de António Garrochinho




Salazar – Imagem de marca


O primo da cunhada dum vizinho de uns amigos meus que vivem no campo, não podia estar mais satisfeito com a grande novidade de se poder comercializar os mais variados produtos, com a marca “SALAZAR”.
Médio criador de gado bovino, há muitos anos que vende toneladas de estrume produzido na sua exploração... mas sempre teve muita relutância em mandar imprimir “Merda” nos sacos do produto.
Está feliz!



Onde se fala de outras interpretações para o conceito de volatilidade

A proposta de criação de uma comissão para averiguar o caso BPN apresentada pelo BE tinha como objectivo esclarecer este nebuloso assunto. Foi chumbada pela maioria, como se sabe. Seguiu-se-lhe uma outra de autoria do PS que, ao abrigo de procedimentos do Regimento da AR, não carecia de aprovação em plenário. Por isso, a maioria antecipou-se e propôs uma outra comissão, com um pequeno pormenor: remetia o início da sua entrada em funcionamento para depois de concluída a privatização.
O assunto causou, aparentemente, polémica. E, no final, depois de horas de discussão, no meio de alegadas ameaças de demissão e sentimentos de "crispação" entre os deputados, lá se criou uma única comissão. Digo que o assunto causou "aparente" polémica porque, desconfiado como sou, fico com a sensação de que o consenso obtido ontem, as cedências feitas e a convergência de objectivos na criação de uma única comissão não passam, na realidade, de uma manobra para deixar tudo na mesma. O proto-evanescente caso BPN —a "maior fraude do século", como lhe chamam— é como o negócio da gasolina, segundo o presidente da Galp: volátil.
Em suma: much ado about nothing, para usar a imagem de Shakespeare...
blog A face oculta da terra


Família vive sem água, luz e gás

Um casal, com uma filha de 14 anos, vivia numa casa sem água, luz ou gás, no centro de Faro. Ontem, após denúncia, a autarquia colocou a criança e a mãe, que sofre de depressão, com uma familiar. Na véspera, o pai desapareceu. Disse que ia trabalhar para Espanha.

Há cerca de um ano que a família morava no apartamento na rua do Bom João. Desde Junho que não pagavam renda e a água, luz e gás foram cortados também por falta de pagamento. A menina, M., ia para a escola suja, cheia de piolhos e com fome. E foi assim que o caso foi descoberto.
Um colega de M. contou ao pai as queixas de fome e este decidiu ir à casa da família, anteontem à noite. O estado do apartamento, que já nem torneiras tem, levou o homem a alertar os serviços sociais da câmara e o próprio presidente, Macário Correia.
Ontem, M. e a mãe foram entregues a uma irmã desta, que também vive no Algarve e se disponibilizou para as alojar. A situação da menina já estava sinalizada e a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Faro vai acompanhar o caso

Blog Faro para coisa


Mercadinho da Primavera anima centro histórico de Loulé 
16-03-2012 1:18:00

Começa amanhã, sábado, mais um ciclo do Mercadinho de Primavera, que traz ao coração da cidade artesanato tradicional e urbano, antiguidades e velharias, livros e colecionismo e muita animação.
 
loulé-mercadinho-primavera.jpg
Ver Galeria
 
Até dia 9 de junho e das 10h00 às 17h00, a Praça da República é palco de mercados temáticos, dedicados a áreas diversas áreas.
Entre o Artesanato Tradicional com Prazeres e Experiências (17 março, 7 abril, 28 abril e 19 maio), o Artesanato Urbano e Design e as Antiguidades e Velharias (24 março, 14 abril, 5 maio e 26 maio), mas também o Artesanato com Reutilização e Reciclagem a par de Livros e Colecionismo e Artes (31 março, 21 abril, 12 maio e 2 junho), haverá sempre alguma coisa atraente e que vale a visita.
O Mercadinho encerra a 9 de junho, num mega mercado em que estarão presentes as temáticas envolvidas na iniciativa.
O Mercadinho de Loulé pretende promover o trabalho dos artesãos e produtos locais, incrementar o comércio tradicional e atrair visitantes à cidade. A entrada é livre.

Já ouvi em lugares públicos...

O apelo a um milagre
Pessoas apostadas na necessidade de uma procissão ao alto de S.Sebastião, como outrora acontecera apelando aos Santos e a Deus para que chovesse. Contaram-me que até houve quem tivesse recorrido à bruxa, onde o Joãozinho de Alcochete, bem mais sério que outros, mandou-os todos à merda.

Embora ainda sem procissão, concerteza que aconteceram rezas e terços desfiados, ou porventura quem até há bruxa já recorreu - deste modo, porque ontem choveu, calculo que os que anteontem rezaram apelando a Deus, se devem sentir felizes pelo milagre logo no dia seguinte. Mas vistas bem as coisas, o que aconteceu não foi um milagre mas apenas os desígnios explicáveis da natureza, porque pensar em milagre até dá vontade de rir; então não é que Deus deixou aquilo entregue a S.Pedro, que já está velho, surdo e caquético, que em vez de chuva atirou-nos pedras !?... 


A NOVA ALCUNHA DO GOVERNO PORTUGUÊS


A nova alcunha do Governo

A nova alcunha do Governo é 'LÁTINHA'...

A gente anda pela rua, aponta para as portas fechadas e diz:


LÁ...... TINHA uma loja...

LÁ...... TINHA uma fábrica...

LÁ...... TINHA um armazém...

LÁ...... TINHA trabalhadores...

LÁ...... TINHA um sonho...

LÁ...... TINHA esperança...

LÁ...... TINHA uma escola...

LÁ...... TINHA um serviço de urgência...

LÁ...... TINHA esperança de dias melhores... 

LÁ..... TINHA subsídios de Natal e o de férias... 


A papoila saltitante


.
João Vale e Azevedo é um vigarista português muito peculiar: é um caso raro. Penso que exigeestudo (um estudo honesto, já agora)o homem só rouba os ricos, o que só por si, desperta em mim uma sincera simpatia.
.
Vale e Azevedo refugiou-se há anos na Inglaterra. Mas a Justiça da ditosa pátria não esquece (sobretudo quem rouba aos ricos) e não dorme; exige, nos tribunais da pérfida Albion, a sua extradicção.
.
Contudo o ex-presidente do Benfica conseguiu um feito que devia encher os portugueses de delírio patriótico.
Ao contrário do Sporting que ontem, num feito muito justamente celebrado, se limitou a eliminar unicamente os milionários do Manchester City, Vale e Azevedo conseguiu que a sua defesa seja feita a expensas de todos os contribuintes ingleses. Os de Manchester, os de Liverpool, os de Londres e até os das Malvinas. Ou seja, o homem fodeu os bifes todos.
Ora digam lá se isto não é “à Benfica”.
.

Cientistas na maior conferência científica do mundo afirmam: golfinhos são PESSOAS!

Foto: Jan Ploeg
Essa pode ser considerada a boa notícia do ano, ou melhor da década, quem sabe do século!
Já fazem mais de dez anos que venho afirmando isso. Viajei e morei no lindo e rico país do México justamente para conviver e trabalhar diariamente com os golfinhos. Lá constatei pessoalmente muitas das coisas que falam sobre eles, reconhecendo em primeira mão que os golfinhos são gente como a gente.
Porém ao voltar do México, ainda cursando a faculdade de psicologia aqui no Brasil, procurei aliar o meu curso com o estudo dos golfinhos e qual não foi a minha surpresa ao perceber que a maioria dos professores e até a diretora do curso se mostraram não só céticos quanto as minhas experiências, como também irônicos (o que certamente não é uma postura científica!) não me apoiando de maneira alguma. E quanto a professora de neuroanatomia na época que deveria estar melhor informada quanto a isso, ela chegou a debochar de mim. Lembro que ela se considerava muito inteligente…mas infelizmente não foi inteligente a ponto de buscar pesquisar sobre o assunto antes de desistimular um aluno em suas idéias.
Foto: Luiz Felipe Zanette
Mas a paixão e o amor que desenvolvi pelos golfinhos foi o que me deu forças para colocar de lado aquele curso a fim de me dedicar exclusivamente a mostrar as pessoas que os golfinhos são gente como a gente, que eles pensam, sentem e raciocinam igual ou quem sabe melhor do que nós homo sapiens.
Todo esse trabalho resultou em um livro sobre os golfinhos que será finalmente publicado este ano. Fiquem de olho!
Depois de todo este tempo e esforço, hoje me sinto realizado ao saber que os maiores especialistas em golfinhos, na maior conferência científica do mundo não só falam aquilo que digo há anos, como também já lutam para assegurar direitos aos cetáceos. Principalmente o direito à liberdade e à vida!
Essa notícia e principalmente essa cosncientização que virá nos próximos anos trará uma transformação radical na maneira como a nossa espécie vê e se relaciona com o planeta e com a vida como um todo. Certamente temos muito a aprender com os golfinhos.
Segue notícia abaixo:
Imagem: Internet
Cientistas sugerem que estes seres são tão brilhantes que devem ser tratados como “pessoas não humanas“. Estudos sobre o comportamente dos golfinhos relevaram a similitude de suas comunicações à dos seres humanos, ultrapassando à dos chimpanzés.
Isto foi respaldado por pesquisas anatômicas que mostram que os cérebros dos golfinhos têm muitas características chaves associadas com uma alta inteligência.
Os pesquisadores sustentam que seus estudos demonstram que é moralmente inaceitável manter estes animais inteligentes em parques de atrações, matá-los para comer, ou que estes tenham que morrer por acidentes de pesca. Cerca de 300 mil baleias, golfinhos e botos morrem desta maneira a cada ano.
Imagem: Internet
- “Muitos dos cérebros dos golfinhos são maiores que o nosso e o segundo em massa -após o cérebro humano- ao ser correlacionados com o tamanho do corpo”, disse Lori Marinho, uma zoóloga da Universidade de Emory em Atlanta, Georgia, que utilizou imagens por ressonância magnética para traçar o cérebro das espécies de golfinhos e compará-los com o dos primatas. “A neuroanatomia sugere uma continuidade psicológica entre os seres humanos e os golfinhos, o qual tem profundos envolvimentos na ética das interações dos humanos com os golfinhos”, acrescentou.
Os estudos mostram como os golfinhos têm personalidades diferentes, um forte senso de si mesmos e podem pensar no futuro.
Também ficou claro que são animais “culturais”, o que significa que novos tipos de comportamentos podem ser rapidamente aprendidos por um golfinho de outro. Em um estudo, Diana Reiss, professora de psicologia no Hunter College, de Nova York, demonstrou que os golfinhos comuns podem se reconhecer em um espelho e inclusive utilizá-lo para inspecionar as diversas partes de seu corpo, uma habilidade que se cria limitada aos seres humanos e aos grandes símios. Em outro estudo, descobriram que os animais em cativeiro também têm a capacidade de aprender uma linguagem rudimentar baseada em símbolos.
Imagem: Internet
Outras pesquisas mostraram que os golfinhos que vivem em cativeiro podem resolver problemas difíceis, enquanto os golfinhos que vivem em estado silvestre cooperam em formas que implicam estruturas sociais complexas e um alto nível de sofisticação emocional. Em um caso recente, ensinaram a um golfinho resgatado de seu habitat a “caminhar sobre o rabo” enquanto recuperava-se de uma lesão durante três semanas em um parque aquático na Austrália. Após ser liberado, os cientistas surpreenderam-se ao ver outros golfinhos silvestres fazendo o mesmo. Obviamente aprenderam com aquele que foi treinado enquanto estava em cativeiro.
Imagem: Michigan State University
Há muitos exemplos similares, como os golfinhos que vivem na Austrália ocidental, os quais aprenderam a cobrir seus focinhos com esponjas para se protegerem na busca de peixes espinhosos que vivem no fundo do oceano. Estas observações, junto com outras que mostram, por exemplo, como os golfinhos cooperam com precisão militar em estratégias para encurralar bancos de peixes que lhes servirão de alimento, estão propondo diversas interrogações a respeito das estruturas do cérebro dos golfinhos.
Imagem: Michigan State University
O tamanho é só um fator. Os pesquisadores descobriram que o tamanho do cérebro varia enormemente -de umas 200 gramas para espécies de cetáceos pequenos, como o golfinho do rio Ganges, a mais de 8 kg para os cachalotes, cujos cérebros são os maiores do planeta. O cérebro humano, ao contrário, varia entre 1 a 1,8 kg, enquanto o cérebro de um chimpanzé pesa ao redor de 350 gramas. Quando se trata de inteligência, no entanto, o tamanho do cérebro é menos importante que seu tamanho em relação ao corpo.
Imagem: Internet
O que Marinho e seus colegas descobriram foi que o córtex cerebral e o neocórtex dos golfinhos são tão grandes que “as relações anatômicas responsáveis pela capacidade cognitiva colocam-nos no mínimo em segundo lugar após o cérebro humano”. Também descobriram que o córtex cerebral dos golfinhos nariz de garrafa, tem as mesmos dobras arrevesadas que estão fortemente vinculadas com a inteligência humana. As dobras aumentam o volume do córtex e a capacidade das células do cérebro para interconectar entre si. “Apesar da evolução ao longo de uma trajetória neuroanatômica diferente dos seres humanos, os cérebros dos cetáceos têm várias características que se correlacionam com a inteligência complexa”, disse Marinho.
Imagem: Internet
Marinho e Reiss, exporão suas conclusões em uma conferência em San Diego, Califórnia, no próximo mês, concluindo que as novas provas sobre a inteligência dos golfinhos torna repugnante os maltratos a este animal. Thomas White, professor de ética da Loyola Marymount University, na Califórnia, quem escreveu uma série de estudos acadêmicos que sugerem que os golfinhos têm direitos, falará na mesma conferência. “A pesquisa científica sugere que os golfinhos são pessoas não humanas que são qualificadas para o status moral de indivíduos”, disse White.
Fonte: Times Online
Golfinhos missionários