AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quarta-feira, 7 de março de 2012

ATENÇÃO ADULTOS - CONVERSA DE CAMA - ATENÇÃO ADULTOS


CONVERSA DE CAMA



ÁLVARO, O MINISTRO SEM-PASTA

Como não existe ministro da economia não valeu a pena introduzir o que existe virtualmente no boneco. Pois é, o Álvaro, se tivesse um pouco, só um pouco de dignidade, mandava o Passos e o Gaspar dar um volta ao bilhar-grande e zarpava para o Canadá, donde nunca deveria ter saído.

Passos Coelho e nomeadamente um tal Relvas (o verdadeiro 1º ministro) juntamente com o Gaspar fizeram a folha ao Alvarito emigrante, este, tecnocrata inveterado e nada habituado às manobras mafiosas da classe político,  de super-ministro a ministro sem-pasta demorou apenas uns míseros 9 (NOVE) meses. 

blog Ferroadas


Um país submerso? (I)

No costumeiro horário nobre, o «Prós e Contras» do passado dia 5 de Março ofereceu-nos mais um episódio eloquente do «romance da austeridade» com que se procura dissimular a situação económica e social em que o país se encontra. Desta vez, como se as soluções estivessem confinadas a um dilema simples e sedutor: «emigrar ou empreender».

Perante um painel dominado por comentadores que vivem na estratosfera do pensamento mágico em Economia, com os pés, de facto, muito longe da terra, teceram-se loas inanes à emigração (com frases de um patético senso comum, sobre o que é «ser brasileiro» e o que é «ser português», por exemplo) e sugeriu-se, repetidamente, a prodigiosa ideia de que o empreendedorismo é a grande e salvífica saída para a crise. Como se não estivéssemos a braços com um número astronómico de activos sem emprego (mais de um milhão) e com indicadores historicamente reduzidos de consumo privado e de confiança na economia.

Seria pedir muito, aos delirantes entusiastas do milagre empreendedor, que nos digam quais são os promissores nichos (pelos vistos «grandes nichos») de actividade económica a que os relapsos desempregados se podem dedicar, uma vez treinados e imbuídos das fantásticas virtudes da «atitude empreendedora»? E que nos digam também, já agora, onde está o poder de compra que assegura o consumo dos inovadores bens e serviços que esse potencial exército de «self-made men» irá produzir?

Felizmente, a presença do Jorge Bateira (e também de Rui Pena Pires) permitiu esbater um pouco o êxtase onírico que pautou este «Prós e Contras», lembrando o óbvio (ver, em especial, o início da segunda parte): a importância das condicionantes sócio-económicas e a necessidade de enfrentar as políticas que se têm empenhado em destruir emprego, obrigando de forma redobrada a retomar os termos em que a discussão se deve concentrar: estratégias e políticas públicas capazes de reactivar os tecidos produtivos, o consumo e a própria economia.

Em contra-mão, portanto, com a lógica de um programa desenhado para apresentar a emigração e o empreendedorismo como as soluções disponíveis, o que resta ao nosso alcance, para ultrapassar a crise. Isto é, como se de repente, submerso pela austeridade, o próprio país se tivesse tornado irrelevante e deixado de existir.

Cecelia Webber - flores com corpos humanos


Cecelia Webber
 é uma artista que cresceu numa pequena cidade, em meio a natureza (também conhecido como mato). Depois de crescida, ela se questionou como algo tão belo como o corpo humano exposto poderia ser tão controverso, como a nudez poderia ser algo vergonhoso? Assim, procurando mexer um pouco com o status quo vigente e usando suas lembranças bucólicas, ela, em seu trabalho, usa digitalmente centenas de imagens de corpos nús para formar imagens que são consideradas lindas na natureza, sobretudo flores, e mais recentemente, borboletas também.

Vejam as belas imagens de flores criadas a partir de fotografias de mulheres nuas (tem homens também, mas eu identifiquei mais mulheres). Ah, não custa lembrar que apesar de serem fotos de corpos desnudos, as imagens são bem comportadas (senão, estariam no Andarilho NSFW).

A princípio, se você passar o olho rápido em algumas fotos, nem notará do que as flores são feitas:

cecelia webber flores fotografia corpos nus

Flores de cerejeira (sakura).

cecelia webber flores fotografia corpos nus

Mas um olhar atento mostra que tudo é feito de corpos nus.

cecelia webber flores fotografia corpos nus

Dos galhos aos frutos.

cecelia webber flores fotografia corpos nus

cecelia webber flores fotografia corpos nus

cecelia webber flores fotografia corpos nus

Dentes-de-leão com o vento soprando e perdendo sementes.

cecelia webber flores fotografia corpos nus

cecelia webber flores fotografia corpos nus

cecelia webber flores fotografia corpos nus

cecelia webber flores fotografia corpos nus

cecelia webber flores fotografia corpos nus

Lírios e corpos.

cecelia webber flores fotografia corpos nus

Folha de bordo.

cecelia webber flores fotografia corpos nus

Flor de laranja.

cecelia webber flores fotografia corpos nus

Rosa desabrochando.

cecelia webber flores fotografia corpos nus

Papoila vermelha.

cecelia webber flores fotografia corpos nus

Rosa.

cecelia webber flores fotografia corpos nus

cecelia webber flores fotografia corpos nus

Girassol.

E duas borboletas:

cecelia webber flores fotografia corpos nus

cecelia webber flores fotografia corpos nus




calque aqui no nome  Cecelia !
Cecelia Webber: Digital photography art composed of the nude human form as well as expressionist acrylic paintings by artist Cecelia Webber.

GOVERNO: É ESTE O "BOM" CAMINHO? MAKRO QUER RESCINDIR COM TODOS OS 1500 TRABALHADORES.

O GOVERNO ACHA BEM?OS 1500 TRABALHADORES da MAKRO CONVIDADOS a DESPEDIREM-SE, por mútuo acordo, quase como quem diz: contentes! Todos têm de rescindir, mas algumas rescisões não serão aceites ou seja: a empresa faz um SANEAMENTO SELETIVO dos trabalhadores que entender. CLARO QUE O GOVERNO ACHA SEMPRE BEM: desde que seja "FECHAR OU DESPEDIR".

Mariana Adam
"Foram 1.500 os funcionários da Makro Portugal que ontem receberam uma proposta de rescisão de contrato, confirmou ao Económico o director de comunicação da empresa.
"Enviamos para todos os trabalhadores uma proposta para quem quiser rescindir voluntariamente e por mútuo acordo" o contrato laboral com a Makro, "ou reduzi-los parcialmente para part-time", disse António Pinheiro.
Embora o plano de rescisões englobe todos os colaboradores efectivos das suas 11 lojas em Portugal, a Makro não pretende sair de país. "Foi dada a oportunidade a todas as pessoas, mas depois reservamo-nos o direito de não aceitar a rescisão de algumas pessoas",acrescentou a mesma fonte.
Este plano de rescisões arrancou ontem e deverá estar encerrado dentro de um mês, acrescentou a mesma fonte, recusando-se porém a adiantar qual o valor oferecido aos trabalhadores para negociar a rescisão, alegando que se tratam de processos individuais. Embora o Económico tenha apurado que em alguns casos a empresa está a propor 1,5 salários por cada ano de trabalho.
O director de comunicação da empresa de retalho recusa-se também a falar no encerramento de lojas ou em despedimento colectivo. "Neste momento não há passo seguinte. Neste momento o plano é este e dentro de um mês logo se verá".
António Pinheiro diz que se trata de um "processo de optimização de recursos" com o objectivo de "manter a empresa competitiva". A intenção é também "elevar os níveis de produtividade",nomeadamente para os padrões internacionais da empresa, explica.
"A Makro Portugal necessita racionalizar e reduzir o número de efectivos da sua força laboral. Custos mais baixos e maior eficiência operacional são essências para garantir a competitividade necessária no mercado actual", acrescenta.
Recorde-se que já em 2009 a Makro Portugal avançou com um processo de reestruturação que culminou com o despedimento colectivo de quase 100 pessoas."

horas - poema de António Garrochinho

horas

o amor demora
foi embora
tarda o regresso
relógio lento
que não vence o tempo
e eu não te esqueço

António Garrochinho


PERSIANA - FRUTEIRA - POEMAS DE ANTÓNIO GARROCHINHO


fruteira

romãs
romãs, na minha fruteira
fazem lembrar-me
os teus lábios
doces
e quem dera não fosses
de mim ausente
e de ti tivesse
tua boca
presente
para a vida inteira

António Garrochinho




INE divulga estatísticas nas vésperas do Dia Internacional da Mulher

Mulheres portuguesas são mais pobres, mais sós e vivem mais tempo

0 Por Natália Faria

As mulheres representam 52,2% da população portuguesaAs mulheres representam 52,2% da população portuguesa (Paulo Pimenta)
 Instituto Nacional de Estatística (INE) fez as contas no feminino e concluiu que as portuguesas são a maioria, vivem mais tempo, são mais pobres e as que são vítimas de crime têm vindo a aumentar.

As mulheres portuguesas são mais pobres, porque têm taxas de desemprego mais elevadas. Vivem mais, em média até aos 82 anos, e têm filhos cada vez mais tarde. As que estão presas têm vindo a diminuir, mas aumentam as que são vítimas de crimes. Em profissões como a Medicina estão em maioria, como, de resto, entre a população: são 5,5 milhões, ou seja, 52,2% portuguesa. Eis um retrato estatístico no feminino.

Na véspera do Dia Internacional da Mulher, o Instituto Nacional de Estatística (INE) pôs-se a fazer as contas no feminino e concluiu, por exemplo, que a relação de feminilidade se alterou na última década: passou de 107,1 para 109,2 mulheres por cada cem homens. O maior aumento foi no grupo etário dos 75 e mais anos: em dez anos passamos a ter mais 27,3% de mulheres nessa faixa etária.

Em 2010, a idade média das mulheres ao primeiro casamento era de 29,2 anos. Antes disso, têm o primeiro filho - aos 28,9 anos - o que traduz um adiamento da maternidade em 2,4 anos face ao que se passava em 2000. Eventualmente porque têm menos filhos (1,37 crianças em 2011), as mulheres representam 63,8% da população que vive só.

Há uma frente em que estão em igualdade com os homens: nas prestações de desemprego. Em 2010, representavam 51,2% dos beneficiários do subsídio de desemprego. O que recebiam era menos, porque também tinham auferido salários inferiores ao dos homens. Entre elas a taxa de pobreza é também, por isso, mais elevada: 18,4%. Se estivermos a falar apenas das que tem 65 ou mais anos, a taxa sobe para os 23,5%.

No tocante ao crime e à violência, fazem-se representar mais como vítimas e menos como reclusas. Em números, as mulheres constituíam 58,6% dos lesados ou ofendidos em crimes contra pessoas, em 2010. No mesmo ano, representavam apenas 5,4% da população prisional (9,4% em 2000).

Em média, elas vivem mais do que os homens e têm nas doenças do aparelho circulatório a principal causa de morte. Só 2010 perderam, na sua totalidade, 12.653 anos potenciais de vida por doenças daquele espectro. Os tumores também as matam: 182,6 mulheres em cada cem mil. 
publico.pt




Educação

Cada escola reabilitada pela Parque escolar custou cinco vezes mais que o previsto

06Graça Barbosa Ribeiro
Crato aguarda auditoria sobre a Parque EscolarCrato aguarda auditoria sobre a Parque Escolar ()
 O ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, revelou nesta terça-feira que, segundo uma auditoria da Inspecção-Geral de Finanças, o preço unitário de cada uma das escolas reabilitadas pela Parque Escolar, que estava estimado em 2,82 milhões de euros, saltou para os 15,45 milhões de euros, o que representa uma subida de mais de 400%.

“Caberá à IGF apresentar os resultados, mas posso adiantar algumas conclusões – deviam ter sido estabelecidos tectos máximos de investimento para cada obra e deveria ter sido feita uma apreciação crítica da arquitectura antes de as submeter a concurso”, disse Nuno Crato, na Comissão Parlamentar de Educação, Ciência e Cultura.

Ainda disse que para tomar decisões sobre o futuro da Parque Escolar aguarda o resultado de uma outra auditoria, esta a cargo do Tribunal de Contas. Neste caso haverá também dados gerais, mas ainda estão na fase do contraditório cinco auditorias feitas a outras tantas obras específicas, disse o ministro.

Apesar de ter revelado aqueles dados, Crato deixou sem resposta o deputado comunista Miguel Tiago, que o convidara a “extinguir a Parque Escolar” e a “assumir as suas responsabilidades”, dinamizando obras em escolas que, segundo disse, estão num estado de degradação que já não garante a igualdade de condições das crianças em relação às condições de estudo.
Publico.pt




Esta É Uma Área Onde Não Se Pode Ser Sovina



HÁ diligências para que a Mouraria passe a ter um bordel (só um?), também conhecido por casa de passe, prostíbulo, lupanar, etc, iniciativa enquadrada na renovação da Mouraria e destinada a incentivar o "cluster" do turismo sexual. Dizem algumas más línguas que o negócio vai ter apoio dos fundos comunitários do QREN, pelo que os potenciais investidores não percebem porque é que a gestão destas verbas vai passar do Ministério da Economia para o Ministério das Finanças. Apesar de esta ser uma actividade com retorno garantido, não se pode adoptar uma política de contenção, como aquela que é praticada pelo Ministério das Finanças, para as áreas do Serviço Nacional de Saúde, da Educação, dos transportes, dos bombeiros, das reformas ou dos apoios sociais, pois a "clientela" destes "serviços" não é sensível à sovinice que possa vir a ser imposta nos apoios, e que tenha a ver com os gastos em acolhimento, perservativos, toalhetes, segurança, horas extraordinárias, exames médicos, permaganato, águas quentes, higiene e limpezas.

 Algarve: Prospeção de petróleo ‘arrasa’ pesca no sotavento 
07-03-2012 7:41:00

A faina da pesca está interdita até 19 de maio na zona em que se vão realizar prospeções de petróleo e multas podem chegar aos 30 mil euros. Sindicato do setor exige medidas para minorar perdas e está preocupado com problemas de ordem ambiental se o petróleo aparecer.
 
Algarve: Prospeção de petróleo ‘arrasa’ pesca no sotavento
Ver Galeria
 
Iniciaram-se esta terça-feira as ações de prospeção de petróleo na costa do sotavento do Algarve que deverão prolongar-se até 19 de maio que vão “condicionar fortemente o exercício da pesca”.
Neste contexto, o Sindicato dos Trabalhadores da Pesca do Sul exige desde já “as medidas preventivas que se impõem de forma a minorar os efeitos nefastos que resultam da interdição, no orçamento das famílias que dependem única e exclusivamente da pesca”.
Segundo a nota sindical trata-se de uma “zona habitual de actividades piscatórias onde operam embarcações de pesca de arrasto, mas não só, que capturam espécies com valor comercial, tais como o lagostim, o tamboril, a gamba, a pescada e o camarão”.
A capitania de Faro emitiu entretanto um edital em que é determinado “que as artes de pesca fixas, redes, armadilhas, palangre (anzol) e respectivas bóias de sinalização, devem ser aladas e retiradas".
Está também proibido o exercício da pesca de arrasto durante todo o período previsto naquele setor da costa, o que para os representantes dos pescadores significa, na prática, “que daqui resultará certamente prejuízos para os pescadores ao nível da quebra dos seus rendimentos”.
Além de denunciarem o valor das multas por incumprimento da proibição, contraordenações puníveis com coimas de 400 a 2.500 euros para os pescadores, que no caso de armadores se elevam de 2.500 euros até aos 30.000 euros, o sindicato considera oportuno lembrar a “existência de um Fundo de compensação salarial para os profissionais do setor da pesca”.
Mecanismo que “deve ser acionado quanto antes precavendo os prejuízos que deste tipo de operações podem vir a ocorrer para os pescadores e respetivas empresas”.
Impedidos de pescar e com multas incomportáveis
Manifestando receio quanto a eventuais “problemas de ordem ambiental caso venha a ser encontrado petróleo” o sindicato salienta que “por incrível que possa parecer são os pescadores impedidos de exercer a sua actividade profissional na procura de ganhar o pão de cada dia, e como prémio podem estes ainda serem punidos com multas num valor totalmente incomportável”.
Afirmando ter alertado há já alguns meses, em reunião com o secretário de Estado das Pescas, para a existência de situações, que, à partida, não cabem no Fundo de Compensação Salarial e que "deviam de ser objecto de legislação própria", os sindicalistas do setor exigem que “as entidades que promovem as actividades que levam á interdição sejam responsabilizadas pelos prejuízos causados ao setor, e as devidas indemnizações compensatórias”.
O sindicato acusa ainda a Direção Geral das Pesca e da Aquicultura de não ter reunido com os representantes dos trabalhadores e associações, embora aquele organismo alegue que “o procedimento de informação e divulgação no âmbito do sector da pesca, foi em tudo idêntico em outras operações do género”.
Afirmando ter tomado conhecimento da interdição “por mero acaso” e via comunicação social, o sindicato critica também que o edital que determina as multas foi unicamente afixado na Capitania, “quando tudo justificaria a sua divulgação por todas as associações representativas do sector da pesca, quer patronais, quer sindicais”.
observatório do Algarve


A pedagogia do roubo

Governo abre excepção para a TAP e autoriza a empresa a manter salários”, lê-se um pouco por toda a imprensa. Um título muito estranho. Manter salários era, até há bem pouco tempo, uma questão da mais elementar Justiça. Assim manda a Constituição da República Portuguesa e respeitá-la é – continua a ser – obrigação de qualquer Governo. É na CRP que vêm definidos os poderes dos Governos, quaisquer que eles sejam, e entre eles não está o poder de respeitar a Constituição apenas quando querem e bem lhes apetece. O título acima é uma flagrante evidência da colaboração que a imprensa tem prestado ao Estado de ilegalidade e à usurpação de poderes a que assistimos todos os dias. Em bom rigor, a notícia seria “Governo respeita os direitos salariais dos trabalhadores da TAP” ou “Governo decide respeitar a CRP a título excepcional”, porque foi isto que realmente aconteceu à luz da nossa Lei Fundamental.

Da mesma forma, o que deveria ler-se era “Em vez de um roubo entre 3,5 e 10%, como aconteceu no assalto aos trabalhadores da Administração Pública e das empresas do Estado desde 2011, a companhia de aviação roubou os vencimentos de Janeiro e Fevereiro entre 1,75 e 5%.” E não o que se lê: “Em vez de um emagrecimento entre 3,5 e 10%, como foi imposto à função pública e às empresas do Estado desde 2011, acompanhia de aviação cortou os vencimentos de Janeiro e Fevereiro entre 1,75 e 5%.”.

Há ainda quem escreva sobre a obrigatoriedade de uma “poupança equivalente” ao roubo excepcionado e noticie a intransigência do Governo na manutenção de outro roubo, o dos subsídios de férias e de Natal, a título de prémio de consolação para os adeptos mais ferrenhos da roubalheira, que ficaram com os cabelos em pé ao saberem que o assalto não foi geral: “ou roubam toda a gente ou não roubam ninguém”.

Estranha cidadania, esta. Passar os olhos pelas caixas de comentários das notícias linckadas acima provoca uma náusea constante. Destaco um deles: “O Governo abre excepções para os que mais ganham?!!!... Então prepare-se para abrir mais excepções, agora com esse dever: a professores, juizes, médicos, etc., etc... É inacreditável o sentido de justiça e a pedagogia dos actuais políticos!...Pois, pois. A pedagogia do roubo mandaria que fossem ainda mais ladrões.


Para a próxima, seria bom levantar o rabo da cadeira, em Lisboa... e ir ver e perguntar!



(Auto da Criação do Mundo - CENDREV - Centro Dramático de Évora.   Foto: Paulo Nuno Silva)

Numa gala promovida pela Sociedade Portuguesa de Autores, recentemente transmitida pela RTP, entre muitos e certamente merecidos prémios, foi entregue o Prémio para a Melhor Programação Cultural Autárquica.
Ideia fantástica! As autarquias e os seus vereadores da Cultura, bem necessitam de um incentivo extra, para continuarem a sua luta por, cada vez com meios mais escassos, continuarem a ser, muitas vezes, os únicos produtores e contratadores de produtos culturais de qualidade em vastas zonas do país.
Depois vieram os nomes dos premiados. Duas Câmaras, ex aequo. Coimbra e Évora.
Sobre Coimbra não sei nada. Sobre Évora...
Bem, sobre Évora, se por acaso forem dados a rir-se de coisas tristes, a esta hora ainda os presidentes de Câmara mais os vereadores e vereadoras da Cultura de toda a região, não largaram a barriga e não pararam de rebolar-se no chão. Eu sei que ri muito...
Quem viver à volta de Évora e ouvir diariamente os eborenses, jovens e menos jovens, desta e daquela cor política, lamentando “não haver nada” na sua bela cidade, muitas vezes, quando confrontados com as programações culturais de municípios vizinhos muito mais pequenos... “nada, nem uma salita de cinema”... “e o que se faz localmente é à custa de carolice ou de muita teimosia”... também deve estar a pensar que aquela coisa na televisão foi um lapso.
Já não um lapso, mas sim falta de vergonha, foi o facto de no filmezinho exemplificativo da grande programação cultural autárquica de Évora (que deve ter sido “produzido” pela Câmara), terem incluído imagens e nomes de realidades culturais que não passaram de promessas, ou de produtos e projetos que existindo, lutam pela sobrevivência, esmagados exactamente pela falta dos apoios devidos pela autarquia agora tão vistosamente premiada.
Mas pronto... a cerimónia foi bonita e o vestido da apresentadora foi, certamente, muito apreciado.



Cardeal Patriarca – Vocação para a asneira


Serei tudo o que quiserem
por inveja ou negação:
festarola, oportunismo
fogueira de exibição.
Serei tudo o que disserem
por temor ou negação:
alegria, um contrato
poema de mão em mão.
Serei tudo o que disserem...

... isto e muito, muitíssimo mais, poderia dizer de si próprio o casamento, se fosse dado a parafrasear Ary dos Santos (assassinando-lhe os versos).
E perguntam vocês: estás tolo? Estou! Pelo menos é o que me apetece quando leio notícias como esta, em que uma grande instituição como é a Igreja Católica, fala com a profundidade das conversas “psicológicas” das lojinhas de aplicação de unhas de gel.
Convenhamos que tirando as mais do que conhecidas e numerosas excepções, os padres nunca sabem muito bem do que falam nestas alturas, ficando sempre com um certo ar de eunucos que, como se sabe, conhecem todos os pormenores de como a “coisa” deve ser feita, mas...
Toda esta neura vem do facto de, independentemente do que cada um pensa do casamento, desde os mais pragmáticos, aos mais apaixonados e poéticos... eu ter “apanhado” com a definição mais pedestre do dito casamento, definição que, estou certo, o autor achou linda... mas que pese embora o facto de se tratar do cardeal patriarca de Lisboa, é estúpida como os pés que a arrastam... para além de vir infectada com os habituais umbiguismo e pesporrência do Vaticano.
Não senhor cardeal! O casamento não é «uma vocação para a santidade»!




Carlos Slim é o homem mais rico do mundo, segundo lista da Bloomberg. Eike Batista fica em 10º

A Bloomberg divulgou pela primeira vez sua lista dos 20 homens mais ricos do mundo, a Billionaires Index, que será atualizada diariamente de acordo com perdas e ganhos após o fechamento da Bolsa de Nova York. O primeiro da lista é o empresário mexicano Carlos Slim, dono da empresa de telecomunicações America Movil, com US$ 68,5 bilhões, seguido de perto pelo fundador da Microsoft Bill Gates (2º, com US$ 62,4 bilhões) e pelo megainvestidor e dono da Berkshire Hathaway, Warren Buffett (3º, com US$ 43,8 bilhões).
O brasileiro Eike Batista, 8º colocado na lista da Forbes no ano passado, ficou na 10ª posição na lista da Bloomberg. Em entrevista à própria Bloomberg, o bilionário brasileiro mostrou pouca modéstia e muita ambição e relacionou seu sucesso com a situação econômica favorável no Brasil.
Eike Batista, do Brasil, o 10º colocado, ainda cobiça o topo da lista após jurar há um ano que se tornaria o homem mais rico do mundo até 2015. “Sou competitivo,” Batista, longe de Slim por quase US$ 39 bilhões, disse em uma entrevista por telefone do Rio de Janeiro, no dia 2 de março. “Chegou a hora do Brasil ser o número 1. Os brasileiros sempre admiraram o sonho americano. O que está acontecendo no Brasil é o sonho brasileiro, e eu sou o exemplo disso.”
Abaixo, a lista completa da Bloomberg com os mais ricos do mundo:
1 – Carlos Slim (México): US$ 68,55 bilhões;
2 – Bill Gates (Estados Unidos): US$ 62,4 bilhões;
3 – Warren Buffett (Estados Unidos): US$ 43,8 bilhões;
4 – Ingvar Kamprad (Suécia): US$ 42,5 bilhões;
5 – Bernard Arnault (França): US$ 42,3 bilhões;
6 – Amancio Ortega (Espanha): US$ 38,8 bilhões;
7 – Lawrence Joseph Ellison (Estados Unidos): US$ 38 bilhões;
8 – Charles Koch (Estados Unidos): US$ 34 bilhões;
9 – David Koch (Estados Unidos): US$ 34 bilhões (EUA)
10 – Eike Batista (Brasil): US$ 29,8 bilhões;
11 – Mukesh D. Ambani (Índia): US$ 26,8 bilhões;
12 – Li Ka-Shing (China): US$ 25,8 bilhões;
13 – Sheldon Gary Adelson (Estados Unidos): US$ 25,7 bilhões;
14 – Christy R. Walton (Estados Unidos): US$ 24,9 bilhões;
15 – Stefan Persson (Suécia): US$ 24,5 bilhões;
16 – Lakshmi N. Mittal (Índia): US$ 23,6 bilhões;
17 – Jim C. Walton (Estados Unidos): US$ 23,4 bilhões;
18 – Samuel Robson Walton (Estados Unidos): US$ 22,99 bilhões;
19 – David K.R. Thomson (Canadá): US$ 22,7 bilhões;
20 – Liliane Bettencourt (França): US$ 22,4 bilhões.


Rafael Pereira
Época