AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Portugal - A crise não é para todos!!!

Como alguns ex-governantes enriqueceram em Portugal

O jornalista António Sérgio Azenha investigou e analisou os rendimentos de 15 políticos antes e depois de passarem pelo Governo português. O resultado está no livro 'Como os políticos enriquecem em Portugal', da editora Lua de Papel.
O repórter baseou-se nas declarações de património e rendimentos apresentadas pelos políticos ao Tribunal Constitucional, desde 1995, ano em que a informação passou a estar disponível, e reconstituiu o percurso de crescimento económico de 15 antigos governantes. Veja como Jorge Coelho, Dias Loureiro e outros multiplicaram os seus ordenados.


TOMAR - IV (A CHAROLA)

Remontando aos finais do século XII a Rotunda (Charola) constituía primitivamente o oratório dos Templários (depois integrada no perímetro do Convento de Cristo). Consta que os monges-guerreiros aqui viriam ouvir missa montados nos seus cavalos, equipados para a luta com o Mouros.Trata-se de uma construção octogonal de dois andares, sustentada por oito pilares e rematada por uma cúpula. Este octógono é separado do polígono exterior de 16 lados por um deambulatório de abóbada anular. A decoração actualmente restaurada - estuques, painéis pintados, estátuas - data do início do século XVI. Esta rotunda obedece ao tipo de edifícios templários de plano centrado, mas a sua organização constitui uma interpretação original da igreja do Santo Sepulcro, em Jerusalém. Uma construção única no mundo.

MAIS ALGUMAS FOTOS DE CHE GUEVARA PARA OS COLECIONADORES









Reflexões parvas sobre assuntos avulsos de uma mulher em ponto rebuçado - Métodos anticoncepcionais gratuitos que bem podiam ser



É claro que existem grandes diferenças entre fazer amor e ser-se fornicado e convenhamos que fornicados somos muitos de nós amiúde até por pessoas que não conhecemos com intimidade. Eu não conheço pessoalmente a maior parte dos governantes, dos Directores do Banco Central Europeu ou Chefes do Fundo Monetário Internacional, mas em consciência tenho de dizer que me fornicam, muitas vezes e de forma brutal, assim uma coisa hard-core. Pelo aquilo que me tenho apercebido a Igreja condena é a fornicação, embora na prática não se empenhe muito em travar a dita cuja, antes pelo contrário empenham-se profundamente em que os seus fieis não façam amor. Um dos métodos anticoncepcionais que permitem é o muito falível e pouco sexy método das temperaturas, consiste em fazer um estudo intimo do ciclo da ovulação com recurso à medição da temperatura da mulher, para além de ser pouco sexy está maculado com o ónus da premeditação, nada menos espontâneo do que andar a medir temperaturas durante três meses pelo menos, para depois no dia da temperatura adequada praticar a coisa, mesmo que apeteça noutros dias e nem sequer naquele, mesmo que naquele dia precisão nos apeteça ler, dormir, sair, outra coisa qualquer, por outro lado mesmo que haja um dia de temperaturas inadequadas mas que se sinta aquela vontade, não se pode. Acho altamente perverso, sinceramente. Depois sabemos que existem outras práticas e que o conceito é que o sexo será apenas um modo de procriar e só para isso deve ser utilizado, sempre maculado com o pecado original, que por acaso não é nada original porque para cada um de nós nascer, excepto os que foram fabricados in vitro, foi praticado, como tal de original nada têm. Outra das coisas que me faz confusão é como se encara o casal religiosamente praticante que não concebe, devido a qualquer problema físico, deve de recorrer à ciência ou aceitar o desígnio divino? Deve abster-se de qualquer prática sexual, porque sabe à partida que não irá conceber ou pelo contrário empenhar-se furiosamente nessa prática porque poderá ocorrer um milagre com tanto empenho? Por fim a questão das maçãs, nunca percebi, não só porque é que são as maçãs as causadoras do tal pecado original, para já não me parece que seja o fruto mais sexy, depois de todos os frutos logo haviam de escolher um fruto tão versátil que serve para fazer aguardente e vinagre, pode ser comido em qualquer dieta, quando a natureza criou frutos muito mais prevaricadores, sei lá, os medronhos, os morangos, parecem-me mais tentadores, as maçãs até são um fruto inocente, digo eu, mas pensando bem já a Bruxa tentou a Branca de Neve com uma maçã, o que pode levar a múltiplas interpretações, cá os senhores que referi no inicio empenharam-se em que só existissem maçãs de outros sítios, sendo uma carga de trabalhos encontrar uma maçã riscada de Palmela ou um pêro bravo esmolfe, regra geral o mercado está inundado de Goldens, Royal Gala e Pink Ladys vindas de outros locais, que qual tentação do demónio sabem todas ao mesmo e devido á passagem do inferno da criação á pressa e das passagens por câmaras de frio apodrecem com a casca em bom estado….

Ana Porfírio






Crise… qual crise?


Política Operária - É sabido que em Portugal o fosso entre ricos e pobres não cessa de aumentar e que é o país da União Europeia onde essa desigualdade é maior. Também se sabe que a média dos salários dos "nossos" gestores, sem contar com outras benesses, é bastante superior à média europeia e à de países ricos como a Alemanha ou os Estados Unidos; que, por exemplo, o presidente do Banco de Portugal ganha mais que o seu homóloga da Reserva Federal dos EUA e banco central alemão.

Ou que o presidente da Caixa Geral de Depósitos, banco por enquanto público, ganha mais que a presidente do FMI. E que, em contrapartida, os trabalhadores portugueses ganham, em média, menos de 50% que os dos restantes 27 países da EU.

Ao contrário do propagandeado e do que Passos Coelho havia jurado antes de ascender a executante oficial dos ditames da Merkl para o país, as nomeações para cargos públicos seguem a bom ritmo. São comissões para isto e para aquilo, algumas sem que se vislumbre qualquer utilidade, como Comissão de Acompanhamento da aplicação do programa da troika. Dados vindos a público mostram que nunca nenhum governo tinha nomeado tanto como este e que, tal como os seus antecessores, lá vai colocando os seus homens de mão aqui e ali – na comunicação social, nas secretas, na banca, e por aí fora.

Um desses felizardos do regime é Faria de Oliveira. Os dados não são secretos, encontram-se no site da CGD, e referem-se a 2009 (ainda não divulgaram os de 2010):

Presidente - remuneração base: 371.000,00 €

Prémio de gestão: 155.184,00 €

Gastos de utilização de telefone: 1.652,47 €

Renda de viatura: 26.555,23 €

Combustível: 2.803,02 €

Subsídio de refeições: 2.714,10 €

Subsídio de deslocação diário: 104,00 €

As despesas de representação não estão quantificadas.

Também se sabe que Estado gasta milhares de milhões com institutos, empresas públicas e municipais (são mais de um milhar), a maioria sem outra utilidade que não seja a de alimentar e satisfazer clientelas e duplicando as funções do Estado central e das autarquias, todas com gestores auferindo vencimentos e regalias muito superiores às dos deputados e do presidente da República.

Fonte: Diário Liberdade

POEMAS ILUSTRADOS DE ANTÓNIO GARROCHINHO - CHAMO-TE - OLHANDO O MEU GATO



o meu galo não tem sono

foto de José Pelica
verso do (Ti Elias)



não apaguem

não apaguem

não apaguem da lembrança
há milhares de missangas coloridas
que se esgotam como vidas
que a guerra não perdoa
não apaguem da lembrança
que existe, é real, a matança
perante um mundo de indeferença
onde não há quem se condoa
não apaguem da lembrança
o sorriso desta criança
se futuro pudesse ter
muitas missangas de cor
se o mundo lhes desse amor
e não as fizesse sofrer

António Garrochinho




Michel Giacometti - a Herança (CIP) devemos muito a este homem na divulgação da nossa cultura



ZECA AFONSO RELEMBRADO NA SUA PASSAGEM POR FARO

 Praia de Faro - Esplanada Santa Maria, na fotografia, verão de 1963, da dirtª para a esqª Zeca Afonso, Badu, Horácio Santos e Maria Paula, Engº Acácio Monteiro e esposa e Luis Valentim.





Zeca Afonso passou tempos fundamentais para a sua gesta artística no Algarve, sobretudo em Faro. Agora que toda a gente pretende comemorar os 25 anos do seu falecimento, lembro o Zeca Afonso em Faro, onde toda a gesta começou. Foi em Faro que Zeca concebeu as suas primeiras e fundamentais baladas. No Lado do Breu, Tenho Barcos Tenho Remos, ò Vila de Olhão, Senhor Poeta. Convivi com o Zeca em Faro. Fomos amigos. Passámos meses seguidos na Ilha de Faro, almoçando nos baixos da casa do engenheiro Jacinto Pinheirinho (albacoras cozidas), no Roque (besugos grelhados). Encontrámo-nos depois em Coimbra. Apresentei-o a Miguel Torga, que o frustou na sua ida ao Canadá, após a crise coimbrã. Juntos visitámos a casa do Manuel Alegre, com a família toda reunida, menos o Manuel (algures na Argélia). Voltámo-nos a encontrar em Moçambique, após uma incursão minha ao Liceu António Enes, depois em Lisboa, na Rua do Ouro, com o António Guedes, velha figura coimbrã, e finalmente no Chiado, quando «alguém» (ele Zeca) sai abruptamente de um táxi e me comunica que Salazar caiu da cadeira. Guardo do Zeca sobretudo esta fase algarvia, onde casou novamente na Fuzeta, com a Zélia, e depois até à entrada da fase dita revolucionária. Lembro-me do Zeca à minha maneira, no seu estilo de vida, progressista, sem dúvida, dando aulas na Tomás Cabreira, sempre com o auxílio do «Professor» Barão, que tinha sempre reservada uma gravata para que a aula pudesse ter lugar. Lembro-me do Zeca excepcional, adaptável, antes da vitória da democracia, com as suas certezas e oscilações.


Viegas Gomes

O pior, é que é verdade!...

ACHO QUE DESCOBRI PORQUE O PAÍS ESTÁ DESSE JEITO...


1. Um sujeito comprou uma geladeira nova e, prá se livrar da velha, colocou-a em frente à casa com o aviso: "De graça. Se quiser, pode levar". A geladeira ficou três dias, sem receber um olhar dos passantes. Ele chegou à conclusão que as pessoas não acreditavam na oferta. Parecia bom demais prá ser verdade, e ele mudou o aviso: "Geladeira à venda por R$ 50,00".
No dia seguinte, ela tinha sido roubada!

Cuidado! Esse tipo de gente vota!


2. Olhando uma casa para alugar, meu irmão perguntou à corretora de imóveis de que lado era o Norte, porque não queria que o sol o acordasse todas as manhãs. A corretora perguntou: "O sol nasce no norte?". Quando meu irmão explicou que o sol nasce no Leste (aliás, há um bom tempo isso a contece), ela disse:
"Eu não me mantenho atualizada a respeito desse tipo de coisa".

Ela também vota!


3. Antigamente, eu trabalhava em suporte técnico num centro de atendimento a clientes em Manaus. Um dia, recebi um telefonema de um sujeito que perguntou em que horário o centro de atendimento estava aberto. Eu disse a ele: "O número que o senhor discou está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana."Ele perguntou: "Pelo horário de Brasília ou pelo horário de Manaus ?".
Prá acabar logo com o assunto, respondi: "Horário de Manaus".

Ele vota!


4. Meu colega e eu estávamos almoçando no restaurante self-service da empresa, quando ouvimos uma das assistentes administrativas falando a respeito das queimaduras de sol que ela havia tido, ao ir de carro ao litoral. Estava num conversível, por isso "não pensou que ficaria queimada, pois o carro estava em movimento".

Ela também vota!

5. Minha cunhada tem uma ferramenta salva-vidas no carro, projetada para cortar o cinto de segurança, se ela ficar presa nele.
Ela guarda a ferramenta no porta malas!

Minha cunhada também vota!


6. Meus amigos e eu fomos comprar cerveja para uma festa, e notamos que os engradados tinham desconto de 10%. Como era uma festa grande, compramos 2 engradados.
O caixa multiplicou 10% por 2 e nos deu um desconto de 20%.

Ele também vota!


7. Saí com um amigo e vimos uma mulher com um aro no nariz, atrelado a um brinco, por meio de uma corrente. Meu amigo disse: "Será que a corrente não dá um puxão a cada vez que ela vira a cabeça?".
Expliquei que o nariz e a orelha de uma pessoa permanecem à mesma distância, independente da pessoa virar a cabeça ou não.

Meu amigo também vota!


8. Eu não conseguia achar minhas malas na esteira do aeroporto. Fui então até o setor de bagagem extraviada e disse à mulher que minhas malas não tinham aparecido. Ela sorriu e me disse para não me preocupar, porque ela era uma profissional treinada e eu estava em boas mãos...
"Apenas me informe: - o seu avião já chegou?".

Ela também vota!


9. Esperando ser atendido numa pizzaria, observei um homem pedindo uma pizza para viagem. Ele estava sozinho e o pizzaiolo perguntou se ele preferia que a pizza fosse cortada em 4 pedaços ou em 6. Ele pensou algum tempo, antes de responder:
"Corte em 4 pedaços... Acho que não estou com fome suficiente para comer 6 pedaços".

Adivinha?? Isso mesmo, ele também vota!


Pronto!!
Agora você já sabe QUEM elege esses políticos...

( Encontrado pela net... )

Segunda-feira

Cangalheiros em alta....

Portugal regista novo pico de mortalidade: 3 mil numa semana
Pela terceira semana consecutiva Portugal registou um pico de mortalidade. Entre 13 e 19 de Fevereiro registaram-se mais de três mil mortes, a maioria dos casos em idosos com mais de 65 anos. A epidemia de gripe e as baixas temperaturas são causas prováveis, mas o ministro da Saúde revelou que as autoridades já estão a investigar a causa deste aumento significativo de mortes em apenas uma semana.
BLOG D"SUL

AURORAS BOREAIS E FENÓNEMOS DA NATUREZA PARTE (II)









ERUPÇÃO VULCÂNICA





ERUPÇÕES SOLARES CAUSADORAS DAS AURORAS BOREAIS




ERUPÇÃO VULCÂNICA NO ALASCA





Falta de chuva

Seca deixa a gricultores alentejanos à beira de um ataque de nervos

A falta de chuva está a deixar os agricultores alentejanos "desesperados" e o elevado preço das forragens e rações a provocar um ataque de nervos aos produtores pecuários, segundo um dirigente agrícola de Portalegre

Lusa - Esta notícia foi escrita nos termos do Acordo Ortográfico
 Segunda, 27 de Fevereiro de 2012


"Os agricultores já estão a Xanax", ironizou António Bonito, proprietário de uma exploração agrícola na freguesia de Crato (Portalegre), onde mais de 200 cabeças de gado bovinoestão a ser alimentadas à base de fenos e silagens.
Criticando a ministra da Agricultura, Assunção Cristas, pela forma como tem conduzido o problema da seca, António Bonito, que exerce também o cargo de presidente da Associação dos Agricultores do Distrito de Portalegre (AADP), exigoi medidas que ajudem de "imediato" o setor.
A seca no distrito de Beja, onde "não chove há mais de dois meses", está a afetar sobretudo a pecuária, devido à falta de pastagens para alimentar o gado, disse hoje à Lusa, por sua vez, João Madeira, da Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo (FAABA).
Devido à falta de chuva, "quase não houve erva este inverno e a pouca que houve já foi consumida e, por isso, os criadores têm vindo a esgotar as reservas de forragem conservada e estão a chegar à fase em que vão ter que começar a comprar forragens ou rações no mercado", explicou.

 http://aeiou.visao.pt



HAVIA UM HOMEM QUE CORRIA PELO ORVALHO DENTRO (INCLUI CLIP)

Havia um homem que corria pelo orvalho dentro.
O orvalho da muita manhã.
Corria de noite, como no meio da alegria,
pelo orvalho parado da noite.
Luzia no orvalho. Levava uma flecha
pelo orvalho dentro, como se estivesse a ser caçado
loucamente
por um caçador de que nada se sabia.
E era pelo orvalho dentro.
Brilhava.


Não havia animal que no seu pêlo brilhasse
assim na morte,
batendo nas ervas extasiadas por uma morte
tão bela.
Porque as ervas têm pálpebras abertas
sobre estas imagens tremendamente puras.


Pelo orvalho dentro.
De dia. De noite.
A sua cara batia nas candeias.
Batia nas coisas gerais da manhã.
Havia um homem que ia admiravelmente perseguido.
Tomava alegria no pensamento
do orvalho. Corria.


Ouvi dizer que os mortos respiram com luzes transformadas.
Que têm os olhos cegos como sangue.
Este corria, assombrado.
Os mortos devem ser puros.
Ouvi dizer que respiram.
Correm pelo orvalho dentro, e depois
estendem-se. Ajudam os vivos.
São doces equivalências, luzes, ideias puras.
Vejo que a morte é como romper uma palavra e passar


— a morte é passar, como rompendo uma palavra,
através da porta,
para uma nova palavra. E vejo
o mesmo ritmo geral. Como morte e ressurreição
através das portas de outros corpos.
Como uma qualidade ardente de uma coisa para
outra coisa, como os dedos passam fogo
à criação inteira, e o pensamento
pára e escurece


— como no meio do orvalho o amor é total.
Havia um homem que ficou deitado
com uma flecha na fantasia.
A sua água era antiga. Estava
tão morto que vivia unicamente.
Dentro dele batiam as portas, e ele corria
pelas portas dentro, de dia, de noite.
Passava para todos os corpos.
Como em alegria, batia nos olhos das ervas
que fixam estas coisas puras.
Renascia.




Herberto Helder, in "A faca não corta o fogo"