AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

ESPECTACULAR !!! VAI FICAR IMPRESSIONADO(A) ! NÃO É REAL NEM SÃO FOTOGRAFIAS , SÃO PINTURAS INCRÍVEIS DE VÁRIOS ARTISTAS O QUE AQUI VAI VER !

































Bonecas Reborn ... ... impressionante a semelhança destas bonecas com verdadeiros bebés.



Mas afinal o que é uma Boneca Reborn?


É uma boneca produzida em vinil, e que pretende parecer-se ao máximo com um bebé de verdade. A arte Reborn (renascer) caracteriza uma técnica usada por escultores para reformar bonecas. Estes artistas conseguem transformá-las em bebés quase reais.


A sua origem remonta à Alemanha e Inglaterra da Segunda Guerra Mundial. Esse período de recessão económica incentivou a criatividade das mulheres. Sem dinheiro para novos brinquedos, viram-se obrigadas a fazer arranjos nas bonecas das filhas – deram-lhes uma nova vida.











Hoje em dia é de salientar a perfeição e a riqueza dos detalhes destes bebés: o cabelo é colocado fio-a-fio, possuem veias, vasos sanguíneos, manchas e pequenas imperfeições (características da pele dos bebés), lábios humedecidos e imitação de baba em redor e no interior da boca. Possuem o peso real de um bebé e, no colo, tornam-se maleáveis.


As Bonecas Reborn são adquiridos principalmente na internet e dependendo perfeição podem atingir valores bastante elevados. Mas uma vez que elas são perfeitas, o preço acaba por ser um valor justo.Uma vantagem da Boneca Reborn, é o facto de poder ser feita a partir de uma foto, assim podemos ter em casa um replica de nós quando bebé ou mesmo dos nossos filhos quando tinham semanas ou meses de vida.




recanto @legn@



EuroMistério

«O encontro do Eurogrupo, que arrancou cerca das 16:00 em Bruxelas, menos uma hora em Lisboa, não contou com a presença do operador de imagem da estação de Queluz de Baixo [TVI], suspenso preventivamente pelo serviço de imprensa do Conselho Europeu.

"Estamos de consciência tranquila. Fizemos o nosso trabalho e esperamos que o facto da câmara da TVI não estar na sala ajude o Conselho Europeu a fazer o seu trabalho para combater a recessão económica e o desemprego de 24 milhões de europeus", comentou à agência Lusa Pedro Moreira, correspondente da TVI em Bruxelas.» 

Notícia da VISÃO on-line em 20 de Fevereiro de 2012

Meu comentário - Entretanto, continua por explicar o facto de no mesmo dia em que ocorreu a polémica gravação do diálogo travado entre Victor Gaspar e o ministro alemão Wolfgang Schäuble, um outro repórter de imagem, de nacionalidade espanhola, ter captado e gravado uma outra conversa, que foi posteriormente divulgada, ocorrida entre o ministro espanhol da Economia e o comissário Olli Rehn, na qual o primeiro informava o outro, em primeira mão, que a legislação laboral espanhola iria ser reformada, e desse facto nenhuma represália ter acontecido. Haverá dois pesos e duas medidas? Serão caprichos? Será mistério? Talvez sim, talvez não, mas se considerarmos que a representante portuguesa junto das Representações Permanentes, uma tal Maria Rui Fonseca, qual intendente Pina Manique a perseguir jacobinos, foi peremptória ao veicular a opinião de que a TVI deveria ser banida definitivamente destas recolhas de imagens, talvez não estejamos longe da verdade, isto é, que os procedimentos disciplinares dos serviços de imprensa do Conselho Europeu, são levados a cabo apenas a pedido das missões dos países membros, e quando estes se sentem incomodados, mesmo que isso traga prejuízo ao direito de informação.
Democracia, transparência, equidade e outros atributos com que a União Europeia fazia gala em se adornar, estão a ser submergidos por aquilo que se chama política utilitária, ou seja lá o que for. Falta apurar se aquele diálogo travado entre Gaspar e Schäuble não se irá confirmar, acabando o incómodo spot de vídeo por tornar-se numa peça que fez questão de contrariar o espírito “situacionista” a que o jornalismo, infelizmente, se tem vindo a acomodar.

 Faro: O estado da Democracia em debate cívico 23-02-2012 

O debate sobre “O Estado da Democracia” promovido pela associação Cívis junta militares, sindicalistas e políticos e um politólogo, amanhã, 24 de fevereiro, a partir das 21h30, no Clube Farense na Rua de Stº. António em Faro.    
Num momento de grandes interrogações sobre o futuro coletivo, que caminhos se abrem hoje aos valores da nossa democracia?
É para responder a esta interrogação que a Cívis convidou como participantes no debate o Almirante Martins Guerreiro, membro da Associação 25 de Abril (A25A), e Sérgio de Almeida Correia, Mestre em Ciência Política, e representantes dos partidos políticos
Intervirão ainda Nuno António, presidente da MOJU - Associação Movimento Juvenil em Olhão e o Hoje, e António Goulart, Coordenador da União dos Sindicatos do Algarve.
Considerando que “se há um tempo para interrogações, cabe a todos nós construir os espaços e o tempo das respostas” a associação apela à participação cívica.
OBSERVATÓRIO DO ALGARVE

ORA AÍ ESTÁ MAIS UMA !!! FOI VENDIDA AOS ANGOLANOS E LÁ SE FORAM OS ARQUIVOS DE VALOR HISTÓRICO SOBRE A GUERRA COLONIAL - Tobis foi vendida à Filmdrehtsich Unipessoal



Tobis foi vendida à Filmdrehtsich Unipessoal

 Ana Dias Cordeiro, Cláudia Carvalho

TobisTobis (Nuno Oliveira)
 A Tobis foi vendida à empresa Filmdrehtsich Unipessoal Lda, disse à agência Lusa o director do Instituto do Cinema e do Audiovisual (ICA).

Depois de meses de dúvida, a situação da Tobis parece finalmente ter sido resolvida. Os históricos estúdios do cinema português, fundados em 1932, foram comprados pela Filmdrehtsich Unipessoal, por um valor ainda não conhecido. A notícia foi confirmada pelo ICA, apenas um dia antes da assembleia-geral de accionistas marcada para esta sexta-feira, na qual se esperava por uma resolução final.

Na última Assembleia-Geral, a 6 de Janeiro, foi comunicado aos trabalhadores que a dissolução da empresa, uma possibilidade levantada em Dezembro, não iria acontecer, uma vez que estava a ser negociada a venda da Tobis. Nessa altura, José Pedro Ribeiro garantiu mesmo que o negócio “está muito avançado”.

“Foi-nos dito na última Assembleia-Geral que as negociações com uma empresa angolana estavam muito adiantadas e que o negócio estava apenas dependente de acertos finais. Mas nunca nos disseram o nome da empresa”, disse ao PÚBLICO Paulo Trancoso, pequeno accionista e presidente da Assembleia-Geral da Tobis. O produtor da Costa do Castelo Filmes acrescentou que aguarda a Assembleia-Geral desta sexta-feira para ter conhecimento da situação, uma vez que nada ainda lhe tinha sido dito nesta quinta-feira à tarde quando foi divulgada a notícia.

Aos jornalistas, o secretário de Estado da Cultura explicou que a empresa que adquiriu a Tobis é uma companhia “estrangeira de capitais sobretudo angolanos”, com a qual o Estado nunca teve contacto directo.
Para Francisco José Viegas, este é assim o “fim de um processo negocial muito complicado” e uma chegada a um “bom porto (...) que assegura a continuidade da Tobis, de grande parte dos postos de trabalho”, e que permite ao Estado manter o arquivo da empresa, assim como o edifício.

Em relação à Filmdrehtsich Unipessoal Lda., o secretário de Estado disse que as negociações nunca ocorreram directamente com a companhia, mas sim com os bancos e com os advogados que a representavam, sendo esta “uma empresa estrangeira de capitais sobretudo angolanos”, concluindo: “Portanto, basicamente é o que nós sabemos da empresa”.

Ao PÚBLICO, Tiago Silva, delegado sindical da Tobis, disse, via email, que o Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Telecomunicações e do Audiovisual (SINTTAV) foi informado do negócio ao início da tarde através do secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas.

"Aparentemente está prevista a saída de metade do pessoal da empresa e as negociações laborais estarão integralmente a cargo do ICA", acrescentou Tiago Silva, explicando que está agendada para esta tarde, às 16h30, uma reunião entre o SINTTAV e o os responsáveis do Instituto do Cinema e do Audiovisual, para se saberem mais pormenores.

Os problemas financeiros da Tobis arrastam-se há anos, com resultados negativos, salários em atraso e sucessivos requerimentos em sede parlamentar, mas só em Julho de 2010 foram tornados públicos quando o ICA, entidade através da qual o Estado detém 96,48% do capital da empresa, fez saber na Assembleia da República que pretendia alienar a sua participação.

Desde aí, os rumores, promessas da tutela e assembleias-gerais de accionistas mais ou menos inconsequentes não têm parado. Nos últimos meses, os 56 trabalhadores da empresa têm-se queixado de constantes salários e subsídios em atraso.



Autarca exige desculpas a Paulo de Carvalho por ter atendido telefone a Eusébio

 Por Andrea Cruz

Paulo Carvalho pediu desculpas através de uma rádio localPaulo Carvalho pediu desculpas através de uma rádio local (Manuel Roberto)
 O presidente da Câmara de Paredes de Coura "não perdoa" ao cantor Paulo de Carvalho a "falta de respeito" pelo público que, no dia 17, assistiu ao concerto promovido pela autarquia.

Paulo de Carvalho interpretava o último tema, “Nini dos meus 15 anos”, quando João Malheiro, antigo porta-voz do Benfica, entrou em palco, com o telemóvel em punho, dizendo ao cantor que tinha uma chamada de Eusébio. O cantor atendeu. Perante as manifestações de desagrado, justificou que o telefonema era de um "grande amigo".

O autarca António Pereira Júnior estava lá e ficou "ofendido". Reconhece que o cantor "foi apanhado de surpresa", mas entende que "nem isso desculpa" o seu comportamento. E avisa que, no concelho, o artista não actua mais. "Eu já teria pedido desculpas à câmara, que representa o povo de Paredes de Coura", sugere.

Paulo de Carvalho pediu desculpa mas através de uma rádio local que o contactou. Lamentou não ter conseguido "controlar" a "situação surpreendente". E desafiou os courenses a confirmarem no concerto de 4 de Março, em Ponte de Lima, que não costuma "atender o telemóvel" em palco. Pereira Júnior diz desconhecer o cachet pago ao artista.



Um telemóvel destes toude cheie da escamas e nhanheca de pêxe


"Apá Russe dáme lá o telemóvel quê cá tenhe que chamarr o Chique Zarroulhe prra me resolverr esta situação!" O Russe toude atarrantáde à perrcurra do telemóvel de cú prró árr no meie das redes de pesca lá da Marrgarrida do Sáde, lá encontrrou e disse "Apá Charroque um telemóvel destes toude cheie da escamas e nhanheca de pêxe, nã tens curra dnhuma!" "Dá lá isse masé. Tim, toin, tin, tein, tain, toin, tuin, tin, tá Chique? anda cá da trainêrra quê nã consigue orrientarr o motorr e o Petinga hoje nã aparrceu porrque a prrima dele caiu même à porrta de casa porrque táva um cagalhão de cão daqueles ca malta nã os apanha e ela inda porr cima foi baterr ca dentadurra na óptica dum merrcedes, tás me a verr? Navês porrque a camarra da frrente do telemóvel tá toda besuntáda..., aquile só em dentes e ópticas vai serr uma ferrtuna e a coitáda parréce que ainda ficou com os juêlhes nuns trramboulhes parrecem duas alfurrecas esfrrangalhádas...apá Chique mas deixa-te de converrsas parrvas e anda masé prráqui que faz munta falta!" O Chique pegou no sê mata-vêlhes e desatou a acelarrárr pa rua abaixe. Néénn, nénn, nan, néééénnnnn...aquela máquina nã párra, é brrutal! O home nã descansou enquante nã chegou à trrainêrra. "Atão pá Charroque, quié que tu querres pá sóce?" "Olha o motorr nã péga porrque parrece que tá ali um pinglête solte e nã faz o motorr atrracarr e tá a funcionarr em sêque... O Chique Zarroulhe virrousse pó Russe e disse "Apá vocês são semprre a même merrda!" "Vocês sabem porrquiê que esta marreta se chama farramenta univerrsál? É prra exprrimentarr semprre antes de qualquerr coisa, o quê que tiverrem a fazerr, ca quela grráde de minis vazias e cascas de pistáchios ali du chão já imagino o trrabálho árrduo quisse deve terr side este tempe todo...O Chique Zarroulhe aponta a marrêta toda prra trrás, faz um ameáce e de seguida dá a porráda final, apá o homem táva um bcáde desorrientáde, acerrta ó láde même du pipo do extintorr de segurrança, aquela porrcarria começa a esvoaçarr com uma pujança que quande o Charroque se agárra àquile ainda foi a rojarr até prra fórra da trrainêrra, o Russe naquile desata a correrr mas já só conseguiu apanharr o charroque num monte de redes que tavam porr desenmarranhar, tinha os biques dos sapátes todos gástes. O Charroque alevantasse e diz "Apá malta embórra lá prra casa que hoje já suámes a montes e já chega de trrabálhe porr hoje, embórra lá até ali ferrarr o dente duma bifaninha ali da Adega dos Passarrinhes".


NÃO TE ENGANES COM O DOCE !!!!

Chocolate comercializado na Noruega, ou Suécia, não tenho a certeza.

Retrato de Cinderela - poema ilustrado de António Garrochinho


DETRITOS DE CARNAVAL


A CRISE DO CAPITALISMO MUNDIAL ! QUEM PERDE ? QUEM LUCRA !


CALQUE NO LINK S.F.F.


Também Alegre?!

"Não tenho vocação de polícia, mas as infelicidades estão a ser muito exploradas por gente ligada ao Governo", referiu Manuel Alegre, sublinhando que recusa aderir ao "desporto de tiro ao Cavaco".
O ex-candidato referia-se, é evidente, não só às declarações de Cavaco sobre as suas reformas, como ao ainda recente cancelamento de uma sua visita a uma escola onde decorria uma manifestação.
E, apesar de considerar que terão sido, de facto, declarações pouco felizes, entendeu afirmar que não se devia rebaixar o Presidente da República porque isso só coloca mal o país. Estou à vontade para dizer isto porque o defrontei", acrescentou.
O ex-candidato a Belém afirmou ainda que aquelas críticas não são apenas oriundas da esquerda. A direita também começou a fazê-las, a partir do momento em que Cavaco Silva surgiu publicamente a abordar assuntos "de sensibilidade social".
Para mim, o mais surpreendente é que, já antes, Marcelo Rebelo de Sousa tenha dito o mesmo, o que se percebe num futuro candidato que sabe que Durão Barroso se prepara para também o ser. Mas não serão demasiados “desinteressados” a dizer o mesmo?!
Hum! Cheira-me a gato escondido com o rabo de fora...
HSC

Bblog fio de prumo




À espera que chova

«Devo dizer que sou uma pessoa de fé, esperarei sempre que chova e esperarei sempre que a chuva nos minimize alguns destes danos. Como é evidente, quanto mais depressa vier, mais minimiza, quanto mais tarde, menos minimiza. Se não vier de todo, não perderei a minha fé mas teremos obviamente de atuar em conformidade.»

É bom saber que Assunção Cristas não vai esperar infinitamente pela mão meteorológica de Deus para tratar dos assuntos de César. De um ponto de vista político, ao não dispensar a tomada de decisões que vier a revelar-se necessária, a sua fé torna-se assim, felizmente, apenas inócua. Por mais que tutele a Agricultura, o Mar, o Ambiente e o Ordenamento do Território, a ministra sabe que - como qualquer mortal - não tem meio de intervir nem de interceder nos desígnios da atmosfera.

Muito mais séria e perigosa é por isso a absurda fé que o ministro do empobrecimento Vítor Gaspar e o ministro do desemprego e da recessão, Álvaro Santos Pereira, nutrem por um «crescimento-económico-que-há-de-vir», sem que consigam tecer uma elucidação minimamente plausível para que tal aconteça. Uma fé obstinada com que animam as hostes de um governo insane, em êxtase com as supostas virtudes do fogo austeritário e da destruição do Estado, que está a empurrar a economia e o país para o abismo.

Ainda recentemente, num post absolutamente imperdível, Pedro Lains recordava a entrevista em que Vítor Gaspar foi incapaz de explicar «de onde virá o crescimento que permitirá a redução da dívida, concentrando-se apenas em elogiar a redução do défice - sem lembrar que o fez essencialmente com medidas temporárias, como a transferência das pensões dos bancos». Ou a lunática resposta do mesmo ministro a um aluno da LSE, quando este perguntou a Gaspar pelos pilares em que assentaria o famoso «crescimento-que-há-de-vir». Como assinala Lains, «depois de refrasear a pergunta, Gaspar disse que a primeira fonte de crescimento será uma "normal cyclical recovery". Ou seja, isto vai abaixo e depois vem acima porque a economia passa a ter "lots of spare capacity"», presumindo-se portanto «que quanto mais abaixo for, mais acima virá». Uma simplicidade estarrecedora, não é?

Pelo mesmo guião afina Santos Pereira, para quem paradoxalmente a criação de emprego parece constituir um objectivo alheio às suas funções governativas. Basta ver, aliás, a dificuldade que constantemente exibe para elencar qualquer medida concreta de criação de emprego e que o leva recorrentemente a refugiar-se numa bizarra indignação face ao aumento crescente do número de desempregados, como se perante eles não tivesse responsabilidades nem obrigações directas. Essa «coisa» do emprego, para o ministro da Economia e do Emprego, há-de ser certamente assunto da economia, desse mundo que fica para lá das portas do seu ministério.

É bom lembrar que, ao contrário de Assunção Cristas, naturalmente impedida de agir sobre a meteorologia, Gaspar e Santos Pereira são sacerdotes convictos da atmosfera recessiva que nos envolve, criada a partir de escolhas políticas concretas. Ao recusarem deliberadamente adoptar políticas capazes de inverter a trajectória depressiva em que prosseguimos, eles esperam, numa inexplicada fé, que o «crescimento-que-há-de-vir» caia um dia do céu. De um modo tão espontâneo como a chuva.

CRIME ! DIGO EU ! - o escândalo das nomeações na «sinagoga» do sr. viegas By Lucas Carré Leave a Comentário Categories: Uncategorized Um motorista contratado num SPA e que não tinha carta, uma senhora especialista em Resíduos Urbanos da CML que vai tratar dos pombos no Teatro D Maria II, uma adjunta que aufere pouco menos de 5 mil euros e que no passado punha endereços em cartas e fiscalizava lojas de fotocópias. Assim vai a «judiaria» da SEC do sr. Viegas


o escândalo das nomeações na «sinagoga» do sr. viegas

Um motorista contratado num SPA e que não tinha carta, uma senhora especialista em Resíduos Urbanos da CML que vai tratar dos pombos no Teatro D Maria II, uma adjunta que aufere pouco menos de 5 mil euros e que no passado punha endereços em cartas e fiscalizava lojas de fotocópias. Assim vai a «judiaria» da SEC do sr. Viegas
A Cultura deixou de ter um Ministério próprio, mas, a atentar ao número de nomeações feitas, esta secretaria de Estado «capitaneada» por Francisco José Viegas
( antigo jornalista do «Independente», da «Visão» e escritor, que se tornou também conhecido por ter abandonado o catolicismo e converter-se ao judaísmo, religião dos seus inúmeros antepassados em Vila Nova de Foz Côa , não sabemos se remontam aos tempos dos dinossauros expostos na arte rupestre das rochas  da barragem…)
assume-se como uma máquina pesada e sorvedoura de dinheiros públicos.
pode ser consultada uma vasta lista de nomeados para a SEC, a qual está desactualizada em função de mais nomeações que, entretanto, ocorreram.Aio arrepio das mais elementares normas de contenção
1º caso
Nessa lista constam 4 motoristas, sendo que apesar de terem sido informalmente todos propostos no mesmo dia, três deles têm a data oficial de nomeação a 28.06.2011, o outro tem como se pode ver no anúncio que se segue, a data de nomeação é 18.07.2011. Sabem porquê? Porque, segundo nos segredou um «passarinho», estava à espera de lhe ser emitida a carta de condução que acabara de tirar.
Entretanto, recebemos um mail, desta feita, enviado por um  pombo correio, revelando que o rapaz de 21 anos e de origem brasileira tem uma longa experiência em carrinhos automáticos e que foi proposto por um emissário do Paulo Portas, o qual tinha muito boas referências do rapaz desde que frequentou um ginásio com massagens, ou seja, SPA. Com tantos motoristas do extinto ministério da Cultura da Sra Canavilhas e de outros organismos públicos na situação de mobilidade,só podemos supôr que a selecção se ddeveu a uma questão de … físico para andar ao volante!…
Motorista – André Viola
2011-07-18
Cargo: Motorista
Nome: André Wilson da Luz Viola
Idade: 21 Anos
Vencimento mensal bruto: 1.610,01 €
Contacto: gabinete.cultura@sec.gov.pt
2º caso
No segundo caso, aborda-se a «estória» de  uma especialista em Economia e como tal fez grande parte da sua carreira (como se poderá ver no CV anexo à Resolução que se transcreve), no departamento da Higiene Urbana e Resíduos da CM de Lisboa. Como profunda conhecedora dos procedimentos da administração pública, há cerca de um ano concorreu para técnica superior do Ministério de Educação. Nessa altura, como os alternantes eram outros, a senhora foi legalmente excluída por falta de condição obrigatória (vínculo à administração Central do Estado).
Pois é, mas os tempos mudaram e a senhora, em Junho deste ano, foi nomeada (facto oculto no tal CV) Directora de Recursos Humanos (outra espécie de resíduos sólidos) da IGAC, onde nunca ninguém a viu, pois a nomeação  foi por 3 dias, tendo sido de imediato requisitada para a SEC, ou seja, qualquer coisa que corra mal regressa como Directora de Serviços, o resto ninguém sabe e são cantigas… ou compadrios…Mas nada corre mal às pessoas competentes em matérias do reino do ocultismo e eis que a senhora, passados 5 meses, como os 3.163,27€, fora os extras, não lhe chegavam, foi nomeada Administradora do Teatro D. Maria II. Aqui temos o exemplo da capacidade das pessoas saberem estar no local certo à hora certa, pois a senhora como especialista em Higiene Urbana vai ser de vital importância no combate aos pombos que  fazem as  necessidades junto ao Teatro.
Colaboradora/Especialista – Sandra Simões
2011-07-05
Cargo: Colaboradora/Especialista
Nome: Sandra Maria Albuquerque e Castro Simões
Idade: 39 Anos
Vencimento mensal bruto: 3.163,27 €
Contacto: gabinete.cultura@sec.gov.pt
Diário da República, 2.ª série — N.º 239 — 15 de Dezembro de 2011 Resolução n.º 21/2011.
Nos termos do n.º 2 do artigo 6.º dos Estatutos do Teatro Nacional D. Maria II, E. P. E. (TNDM II, E. P. E.), aprovados em anexo ao Decreto -Lei n.º 158/2007, de 27 de Abril, os membros do conselho de administração são nomeados por resolução do Conselho de Ministros, sob proposta dos membros do Governo responsáveis pelas áreas das finanças e da cultura.
Considerando que terminou, entretanto, o mandato dos membros do conselho de administração do TNDM II, E. P. E., torna -se necessário e urgente proceder à nomeação dos novos membros do órgão de administração a fim de garantir o regular funcionamento deste Teatro Nacional.
Considerando que as empresas públicas da área da cultura, no âmbito do processo em curso de optimização dos recursos públicos, vão ser objecto, a curto prazo, de alterações estatutárias e agrupadas num acordo complementar de empresas, os mandatos dos membros do conselho de administração que ora se nomeiam terminarão, excepcionalmente, com a entrada em vigor da legislação que vai concretizar a reorganização das empresas públicas do Estado da área da cultura.
Assim:
Nos termos do n.º 2 do artigo 6.º dos Estatutos do TNDM II, E. P. E., aprovados em anexo ao Decreto -Lei n.º 158/2007, de 27 de Abril, e da alínea d) do artigo 199.º da Constituição, o Conselho de Ministros resolve:
1 — Nomear, sob proposta do Ministro de Estado e das Finanças e do Secretário de Estado da Cultura, o licenciado Carlos Manuel dos Santos Vargas e os licenciados António Maria Trigoso de Lemos Taborda Pignatelli e Sandra Maria Albuquerque e Castro Simões para os cargos, respectivamente, de presidente e vogais do conselho de administração do TNDM II, E. P. E., cujas notas curriculares constam do anexo à presente resolução e da qual fazem parte integrante.
3º caso
Por fim, temos o caso de uma jovem adjunta que ganha mais que todos os outros nomeados, 4.724,31€, mais que o Chefe de Gabinete do secretário de Estado e muito mais que qualquer outro assessor, sendo que até lá há gente que gosta e sabe trabalhar. Há quem diga que a senhora que anteriormente referimos  se terá empertigado com a situação desta última, pois ganhava 2/3 e até já tinha 3 dias de cargo de Direcção na Administração Pública. A única experiência que esta jovem adjunta tinha era a de escrever o endereço nas cartas e no mail a enviar pedidos de fiscalização às lojas de fotocópias, no intuito destas serem pressionadas (obrigadas) a pagarem à AGECOP (Associação de Gestão de Direitos de Autor) uma exorbitância para (i)legalmente poderem fazer algumas fotocópias. Como Directora dessa grande empresa de Exportação, perdão, associação de exploração de direitos de autor a senhora ganha de ordenado, fora tudo o resto, e é muito mais, os miseráveis 4.724,31€. Dizemos miseráveis pois, como  certamente devem saber,o contributo desta senhora é fundamental para os autores deste país  ganharem muitos milhares a mais que ela…Sem o esforço desta humilde senhora nada teriam.
Adjunta – Vera Castanheira
2011-06-28
Cargo: Adjunta
Nome: Vera Maria Duarte Mendes Castanheira
Idade: 32 Anos
Vencimento mensal bruto: 4.724,31 €
Contacto: gabinete.cultura@sec.gov.pt
É UM GOSTO VIVER NESTE PORTUGAL DELAPIDADO ………………….