AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


segunda-feira, 16 de janeiro de 2012






Felicidade
é abrir-te devagar como uma porta
rangendo murmúrios
para o meu corpo entrar.

E depois, depois voltar a fecha-la atrás de mim
e caminhar em ti em ritmos certos
para que os meus passos se confundam com o
bater do coração.
E depois, depois semear em ti trigo novo
e soltar papoilas nuas da minha boca
para que se misturem com o teu sangue.

E depois,
depois perder-me nesse sonho sem regresso
só com a luz dos teus olhos
a levarem notícias do mundo!...


In: Colectâ
nea de Poesia Contemporânea da Beira Inte
rior
João Morgado 
blog O toque de Midas
João Morgado


A ovelha churra algarvia



Diz-se que as ovelhas terão sido dos primeiros animais a serem domesticados e que a pastorícia terá surgiu no Médio Oriente há vários milhares de anos, espalhando-se de seguida por imensas regiões do mundo. Este animal de dócil temperamento, adaptava-se facilmente às diversas condições climatéricas e orográficas e satisfazia as necessidades básicas do ser humano: a alimentação e o vestuário. Ao longo de vários milénios, as formas de pastoreio pouco mudaram, as imagens (poucas) que hoje temos de rebanhos a percorrer vales e montes, não devem ser muito diferentes daquilo que existia antigamente.



Existem diversas raças de ovelhas, no entanto, a principal raça implantada no Algarve, é a chamada ovelha churra algarvia. Nos últimos tempos, a comunicação social da região, tem alertado para o facto de que esta raça estará a extinguir-se, também se ouvem queixas de que falta promoção da raça, ou de que faltam outros apoios. Na realidade, actualmente já não se vêm muitos rebanhos como os que outrora percorriam os campos algarvios à procura de alimento.


Mas há uma pergunta que se impõe: não será isso, consequência da mudança dos tempos? Por vezes somos tentados a fazer uma análise mais emocional que racional, recordamos com excessivo saudosismo e romantismo a imagem do pastor (moiral como se diz em muitas zonas do Algarve) conduzindo o seu rebanho por campos e serras, quer seja noite ou dia, Domingo ou semana. No entanto os tempos são outros, o nosso quotidiano já não é o que era há algumas dezenas de anos.

Talvez o que agora seja necessário, além dos apoios e da promoção, seja também uma mudança de mentalidades, para nos adaptarmos às novas exigências, tanto no pastoreio como em muitas outras actividades.


REFLEXÃO, AGORA QUE OS CHINESES VIERAM PARA FICAR


REFLEXÃO,,,agora que os chineses vieram para ficar

"Um sujeito estava colocando flores no túmulo de um parente quando vê um chinês colocando um prato de arroz na lápide ao lado. Ele vira-se para o chinês e pergunta:
- Desculpe-me, mas o senhor acha mesmo que o seu defunto virá comer o arroz?
E o chinês responde:
- Sim, geralmente à mesma hora em que o seu vem cheirar as flores !
"Respeitar as opções do outro "em qualquer aspecto" é uma das maiores virtudes que um ser humano pode ter. As pessoas são diferentes, agem diferente e pensam diferente. Nunca julgue. Apenas compreenda".


Está a chegar a hora da França


A agência Standard & Poor’s (S&P) fez uma vaga de cortes que abrange nove países e retira à França e à Áustria a nota máxima de avaliação. Portugal passa a ter uma nota já considerada “lixo” financeiro.

Já nem vou falar de mais uma agência financeira ter atirado Portugal para o lixo. Isso já é corriqueiro e são sempre mais um murro no estômago do Passos Coelho que, para nosso mal, os merece a todos. Agora, estou é curioso para ver se o Merkozy continua, ou se o Sarkozy começa a sentir o rabo da França mais apertadinho ou a Merkel a chamar preguiçosos aos franceses. A culpa é da guerra entre o Dolar e o Euro para mostrar que os lideres não têm culpa nenhuma. São os mercados, até chegam a reconhecer que são especuladores, e por isso tudo isto é uma injustiça. Mas será?
Se existem regras quem as fez? Se é crime quem rouba é porque alguém fez uma lei que diz que roubar é crime. Se não é crime especular com o futuro de países, promovendo a miséria dos seus povos, é porque nunca desejaram fazer uma lei em que especular seja considerado um crime. Porque fazem umas leis e não fazem as outras? Perguntem-lhes.


Marcelo sugere que Catroga, deve fazer um retiro no Convento dos Capuchos….

Marcelo Rebelo de Sousa sugeriu este domingo que Eduardo Catroga, nomeado presidente do conselho geral e de supervisão da EDP, deve fazer um retiro no Convento dos Capuchos ….. Lembrou que "há muito tempo" tem aconselhado Eduardo Catroga a falar menos ou mesmo calar-se.
“in Diario de Noticias”
Marcelo deveria mandar calar mais umas largas dezenas de chulos, ele próprio incluído ou então denunciar o escândalo do nível de remunerações que estes gajos ganham, aí sim, mostraria não ser também um fala barato que aconselha os amigos a calarem-se para irem comendo todos do mesmo tacho sem ninguém dar por isso.
Razão tem o gajo da Madeira quando diz que Passos Coelho é o chefe de uma quadrilha de malfeitores que consente que indivíduos com reformas milionárias pagas pelos portugueses continuem acumulando fortunas enquanto há milhares de portugueses a passar fome…....
Mas que pode ele fazer, se foi Catroga que elaborou o programa de governo que contempla estes os roubos!
O CDS lá vai andando caladinho e comendo o que pode e onde pode, lá enfiou a Sra. Cardona, a pior ministra da justiça que passou por Portugal, que apesar de não ter nada a ver com Macau tem muito a ver com a “Mafia” organizada deste pais…


A Lenda dos Três Rios
Era uma vez...
Há muito, muito tempo, quando o mundo era ainda uma criança e até as pedras falavam, três irmãos pequeninos - Guadiana, Tejo e Douro -, que viviam com a sua amiga Gaivota, deitaram-se pela última vez nos seus berços, dispostos a dormir. Sentiam-se já crescidos e com força suficiente para correr mundo. Por isso, haviam combinado que, mal acordassem, abalariam por caminhos diferentes.
Felizes por serem já uns homenzinhos, tristes por se separarem de vez, os três irmãos acabaram por adormecer. Dos olhos da Gaivota, porém, caíam uns fiozinhos de água...
Ansioso, o Guadiana foi o primeiro a levantar-se, e lá foi a serpentear com muita calma entre vales frondosos do Alentejo e as suaves planuras algarvias.
O Tejo acordou de seguida e apressou a marcha. Sem escolher caminhos, rasgou montes e vales, até encontrar vastas campinas e fartas lezírias, onde se espreguiçou à vontade.
Dorminhoco, o Douro, acordou tarde. Não vendo os irmãos, cortou caminho, cavando o seu leito entre muralhas de pedra e desfiladeiros apertados do Norte, precipitando-se rapidamente em direcção ao mar.
Os três irmãos nunca mais se encontraram, mas, dizem os mais velhos e os mais sábios que, à noitinha, uma certa gaivota voa de norte a sul, de sul a norte, sem nunca se cansar...
Tejo
Douro
Guadiana

Porque o Povo Diz Verdades
Rui Fernandes *




Porque o povo diz verdades,
Tremem de medo os tiranos,
Pressentindo a derrocada
Da grande prisão sem grades
Onde há já milhares de anos
A razão vive enjaulada.


Vem perto o fim do capricho
Dessa nobreza postiça,
Irmã gémea da preguiça,
Mais asquerosa que o lixo.


Já o escravo se convence
A lutar por sua prol
Já sabe que lhe pertence
No mundo um lugar ao sol.


Do céu não se quer lembrar,
Já não se deixa roubar,
Por medo ao tal satanás,
Já não adora bonecos
Que, se os fazem em canecos,
Nem dão estrume capaz.


Mostra-lhe o saber moderno
Que levou a vida inteira
Preso àquela ratoeira
Que há entre o céu e o inferno.


António Aleixo, in "Este Livro que Vos Deixo..."
Rui Fernandes *


Polícia ‘desmonta’ mentiras de Lima

O radar de trânsito junto ao desvio para Maricá indica que o automóvel de Duarte Lima passou ali a 99 km/hora, às 21h30. Se tivesse feito a curva de 90 graus, "àquela velocidade, pelas leis da Física, era morte certa", diz ao CM fonte policial, conforme consta do relatório final. Mas foi naquela cidade que o advogado disse ter deixado Rosalina Ribeiro com uma Gisele.

Só que nenhuma das 300 cadastradas com o mesmo nome, investigadas, pode ter estado com a portuguesa. O carro seguiu assim para Saquarema, a 30 minutos, onde a polícia diz ter provas, no processo, de que Lima abateu a vítima na estrada principal. O primeiro dos dois tiros foi ainda disparado no interior do carro alugado - com a porta do lado do pendura aberta.
Ao fim de uma hora, às 22h30 de 7 de Dezembro de 2009, o carro é novamente apanhado por um radar perto do desvio para Maricá, mas numa estrada paralela, a 100 km/hora. "Há provas científicas da impossibilidade de ter ido a Maricá - logo Lima mentiu - e do momento da execução". Depois, "nada na reconstituição que o advogado fez da noite do crime faz sentido".
Ficou num hotel de cinco estrelas no Rio, Sofitel, e não usou a garagem para estacionar o carro. Veículo que, quando entregou na empresa de aluguer, no regresso a Belo Horizonte, já ia lavado por si. "Um milionário dá-se ao trabalho de ser ele a lavar o carro quando a empresa cobra 30 reais [12,5 euros] para o fazer". "Foi apanhado noutra mentira quando disse que foi buscar Rosalina a casa e a levou, a seu pedido, a uma lanchonete. Não levou a senhora ao restaurante de luxo Alcaparra, onde ela garantiu às amigas que iria com Lima. Preferiu levá-la a uma simples lanchonete, no bairro do Flamengo, onde nunca há lugar para estacionar o carro. Mas ele lá conseguiu. Homem de sorte..."

PAULO SÁ DEPUTADO DO PARTIDO COMUNISTA PORTUGUES DEMONSTRA PREOCUPAÇÃO PELO DESEMPREGO EM PORTIMÃO


Portimão com 8199 desempregados inscritos no Centro de Emprego 
16-01-2012  

O Centro de Emprego e Formação de Portimão, que abrange este concelho e os de Lagoa, Monchique e Silves, registava já 8199 desempregados em novembro de 2011, dos quais 4334 no concelho. Deputado Paulo Sá manifesta “profunda preocupação”.    
O desemprego na zona do barlavento algarvio foi uma das situações discutidas por uma delegação do PCP que visitou a 9 de janeiro o Centro de Emprego e Formação de Portimão, após a qual, o deputado Paulo Sá, eleito pelo círculo do Algarve manifestou a sua “profunda preocupação”.
Igualmente preocupante é, para o parlamentar, o “crescimento do desemprego de longa duração (sempre a aumentar desde o último trimestre de 2009) e com o insuficiente número de ofertas de emprego”.
A delegação do PCP tomou também conhecimento do Plano de Formação do CEFP para 2012 e da intenção do CEFP de "aprofundar a ligação ao tecido empresarial regional e local com o objetivo de aumentar a oferta de emprego".
Paulo Sá realizou uma visita ao concelho de Portimão com o objetivo de "contactar com a realidade local e reunir com entidades e instituições do concelho", nomeadamente, Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes, CRACEP – Cooperativa de Reeducação e Apoio à Criança Excecional de Portimão e Portinado – Associação de Natação de Portimão.
No encontro com o IEFP, a delegação do PCP foi recebida pelo Delegado Regional e pela Diretora do Centro de Emprego e Formação Profissional (CEFP) de Portimão.
A delegação pôde constatar “a urgente necessidade de concluir as obras das novas instalações do CEPF de Portimão, uma vez que as atuais instalações não reúnem condições mínimas de funcionamento e atendimento a utentes”, concluíram os parlamentares.
Quanto à visita à Escola Manuel Teixeira Gomes, os comunistas testemunharam "a necessidade de obras de remodelação na Escola", as quais, estando previstas no âmbito da Parque Escolar, foram recentemente canceladas.
A escola debate-se ainda com a falta de assistentes operacionais e de um psicólogo a tempo inteiro.
Neste capítulo, Paulo Sá comprometeu-se- a levantar estas questões junto do Ministério da Educação e Ciência, através do seu grupo parlamentar na Assembleia da República.
Apoio à Criança Excecional de Portimão com verbas canceladas
A ronda pelo Barlavento algarvio incluiu ainda um contato com a CRACEP – Cooperativa de Reeducação e Apoio à Criança Excecional de Portimão, um projeto pioneiro na região na área da reabilitação e formação de crianças e jovens portadores de deficiência, projeto que os deputados comunistas elogiam devido “ao esforço e dedicação da direção e dos trabalhadores na sua manutenção e desenvolvimento”.
A CRACEP tem atualmente 52 jovens no seu Centro de Reabilitação Profissional e 57 no Centro de Atividades Ocupacionais, tendo este último capacidade para acolher mais 40 jovens, dando resposta integral à extensa lista de espera.
Contudo, de modo incompreensível, tal não acontece, porque o Centro Regional da Segurança Social não disponibiliza o necessário financiamento, denuncia o deputado algarvio.
Assim, esta é outra das situações que o PCP vai levar à Assembleia da República, para exigir “ao Ministério da Solidariedade e Segurança Social que as verbas necessárias sejam desbloqueadas, de modo a que a CRACEP possa acolher todos os jovens que se encontram na lista de espera”.
Observatório do Algarvce


O ego


Segundo o dicionário em linha da “Priberam”, trânsfuga (do latim transfuga, -ae), quer dizer:
1. Pessoa que deserta e passa para o inimigo. = Desertor
2. Pessoa que passa para o partido contrário, que renega o seu credo, abandona os seus deveres.

A História está coalhada de casos de pessoas que fizeram tudo isto pelas razões mais erradas... mas igualmente por pessoas carregadas de boas razões para o terem feito. Pessoas que visaram apenas interesses egoístas e venais, outras que procuraram acertar o passo com a História e com as suas convicções (ainda que mudadas).
Posto isto, devo dizer que o Partido Socialista tem, na minha singela opinião, um azar colossal com muitos dos trânsfugas que tem acolhido no seu redil, sendo ocioso ficar para aqui a publicar uma lista... o que, para atalhar caminho, nos leva ao caso de hoje: o presidente da Câmara Municipal de Loures, Carlos Teixeira.
Já teve aqui direito a um reparo, há uns tempos, pela pertinácia com que decidiu fazer-se rodear de membros da família, dentro da autarquia. Neste momento não sei em quanto irá já o número de filhos e filhas, primos, afilhadas, cunhados, genros, namoradas dos filhos, irmãos ou irmãs, que fazem companhia à presidencial esposa nos quadros autárquicos... mas deve ser respeitável. Para além de ser uma alegria para o feliz edil, que deve continuar a admitir que a coisa «pode parecer mal, mas não lhe pesa na consciência», como então afirmou.
Ora o que é que pode faltar a um presidente que goza de algum reconhecimento por trabalho feito (segundo a reportagem), para além do consolo de ter o seu “ambiente de trabalho” sempre cheio de família? Exactamente! Ter, ainda enquanto presidente da Câmara em funções, uma nova avenida com o seu estimado nome: “Avenida Carlos Teixeira”.
Pronto, pronto... eu sei que pelo facto de o homem assinar a aprovação do seu próprio nome para a nova avenida de acesso ao Hospital de Loures, não está a fazer mal a ninguém. Quer dizer... faria!... Faria a si mesmo, se o ridículo matasse. Só que, como bem sabemos, não mata.



A triste Rosa


Este Seguro é tão triste que nem me dá vontade de rir


O Álvaro

Álvaro Santos Pereira, segundo o jornal i"o Governo continua muitíssimo empenhado em chegar a um acordo" em sede de concertação social. "É importantíssimo não adiar mais as medidas laborais da 'troika'."
Ao que chegámos!...Desgraçada e despudorada sujeição dum ministro do governo de Portugal!..
Tivesse ele capacidade para reflectir e tivesse um pouco de orgulho em ser português e jamais confessaria tamanha sujeição publicamente…
Quando nem esperteza tem para estar calado, alguém se admira com o que a sua inteligência acaba por produzir...