AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sábado, 17 de dezembro de 2011



Queiroz quer receber pela qualificação para o Euro’ 2012



Ex-seleccionador reivindica ganhos de toda a fase de apuramento e ainda os que vierem da fase final do Europeu. Acção já decorre no Tribunal de Trabalho de Trabalho
Carlos Queiroz quer que a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) lhe pague o prémio (96 mil euros) que Paulo Bento vai receber por ter qualificado a Selecção Nacional para o Euro' 2012, bem como a verba que venha a auferir pelo desempenho da equipa na prova a realizar na Polónia e Ucrânia.O Correio Sport apurou que o pedido do antigo seleccionador deu entrada no Tribunal de Trabalho de Lisboa em Novembro de 2010, no âmbito do processo que interpôs à FPF, por ter sido despedido. Além dos prémios e juros, Queiroz exige uma indemnização de 3,180 milhões de euros por "ter sido despedido sem justa causa", segundo alega. De acordo com a mesma fonte, o actual responsável pela selecção do Irão entende que a FPF pôs termo ao contrato "ilicitamente", pelo que a indemnização também "abrange as verbas relativas" aos prémios das provas que estavam "dentro" da duração do contrato (2012).
Na contestação ao pedido de Queiroz, o Correio Sport sabe que a FPF, representada pelo advogado Paulo Relógio, defende que o seleccionador não tinha um contrato de trabalho e que se fosse assim a rescisão tinha sido com justa causa. Já Queiroz alega que tinha um contrato de trabalho e que foi despedido "ilegalmente".
O técnico foi contratado pela FPF em 2008 por quatro anos. A 9 de Setembro de 2010, a direcção federativa decidiu "resolver o contrato de prestação de serviços". Paulo Bento já orientou a Selecção no 3º jogo de apuramento para o Europeu (3-1, diante da Dinamarca, dia 9 de Outubro de 2010).


CM

vento - poema ilustrado de António Garrochinho


Portishead - Requiem For Anna

retrato do teu corpo - poema de António Garrochinho


vazio - poema de António Garrochinho

vazio

no canto
do desencanto
puseste inverno na paixão
nas emoções
as dores
restam cinzas, odores
flores
solidão

António Garrochinho

na cama - poema de António Garrochinho



na cama

na cama se acalma se ama
nos travesseiros segredos
se atiça se espevita a chama
se afastam dúvidas e medos
na cama se projecta se trama
se nasce e também falece
se entrega, se finge, se engana
se dorme, se sonha, se esquece

António Garrochinho

cristalino - poema de António Garrochinho


menina da sombrinha vermelha - poema de António Garrochinho

quem dera - poema de António Garrochinho


quem dera

nas tuas indecisões, receios, incertezas
deitas-te fora o meu coração
na solidão da floresta
quem dera poder dar-te a mão
salvar o amor
que dentro de mim
ainda resta

António Garrochinho

Paulo Portas o “Pirata Imaculado”!!??

Uma “brincadeira de piratinhas” ironizou um dos investigadores.
Os dois ex-executivos da Ferrostaal e a própria empresa julgados por suborno de funcionário públicos, admitiram ter pago subornos à Grécia e a Portugal, na venda de submarinos….
“in Diário de Noticias”
Facto curioso, os “nossos piratas” são uns merdas que nem subornados sabem ser, vejam bem os portugueses receberam, 1,6 milhões de euros por cabeça e os gregos 10 a 12 milhões pagos individualmente no negócio.
Quando ouço Paulo Portas falar acerca da divida de Portugal, só tenho pena que não haja ninguém a perguntar-lhe:
- E os submarinos, e os submarinos e os submarinos?
Eu sei que os portugueses esquecem muito rápido e se não andassem tão preocupados com "o dinheiro para a bucha de cada dia", diriam a Paulo Portas que primeiro explicasse direitinho o negócio dos submarinos e a "coincidência" da entrada de avultada soma nas contas do seu partido.
A Ferrostaal, utilizou um escritório de advogados em Zurique, na Suíça, e contas offshore para pagar subornos no negócio dos dois submarinos portugueses. É esta a conclusão avançada pelos alemães que afirmam num relatório que o consórcio criado para efetuar o negócio com o governo português “adotou um esquema idêntico” àquele que foi utilizado com sucesso na venda de submarinos à marinha grega.

Quando ouço Paulo Portas falar acerca da divida de Portugal, só tenho pena que não haja ninguém a perguntar-lhe:
- E os submarinos, e os submarinos e os submarinos?
Eu sei que os portugueses esquecem muito rápido e se não andassem tão preocupados com "o dinheiro para a bucha de cada dia", diriam a Paulo Portas que primeiro explicasse direitinho o negócio dos submarinos e a "coincidência" da entrada de avultada soma nas contas do seu partido.
A Ferrostaal, utilizou um escritório de advogados em Zurique, na Suíça, e contas offshore para pagar subornos no negócio dos dois submarinos portugueses. É esta a conclusão avançada pelos alemães que afirmam num relatório que o consórcio criado para efetuar o negócio com o governo português “adotou um esquema idêntico” àquele que foi utilizado com sucesso na venda de submarinos à marinha grega.

Poema III


Flor!
Porque não te moves
daí
e vais passear?
Uma beleza
ao chão presa
causa tristeza
ao olhar!

LOULÉ - O NOSSO MERCADO VISTO POR LUÍS FURTADO


O Mercado Municipal de Loulé foi inaugurado no dia 27 de Junho de 1908, altura em que a Câmara Municipal era presidida por José da Costa Mealha.
O edifício foi construído segundo projecto do Arquitecto Alfredo Costa Campos, de Lisboa, embora o mesmo projecto tenha conhecido algumas alterações desde o documento inicial de 1903  que por sua vez já tinha por base um outro projecto de 1898 cujo autor se desconhece.
Em termos arquitectónicos, o mercado adoptou o estilo revivalista de inspiração árabe com quatro pavilhões e quatro portões de acesso.
A imagem que hoje apresentamos trata-se de uma pintura a óleo de autoria do nosso caro amigo Luís Furtado, efectuada em 1964 quando uma parte do Mercado ainda não tinha cobertura e portanto as vendas se faziam ao ar livre. É de salientar que ao contrário de hoje, naquele tempo o mercado enchia-se de visitantes e compradores todos os dias da semana já que então, as chamadas grandes superfícies comerciais ainda estavam longe de inundar a nossa província e prejudicar em grande as vendas como acontece actualmente.
Pintura: Óleo de autoria de Luís Furtado pintor louletano – Ano de 1964
Posted by Palma
WWW.LOULETANIA.COM

Entrevista a Luís Figo

“Quero vender tudo o que tenho em Portugal”

Rui Soares
Figo diz estar "um bocado farto disto" e quer vender os seus negócios no país

 

 
 
Figo diz que quer vender os seus negócios em Portugal e afirma ter ficado desiludido com Sócrates. Numa entrevista ao PÚBLICO, conta ainda as histórias das saídas polémicas do Sporting e do Barcelona.
Consta que foi sempre um bom gestor das suas finanças... Conta-se que um dia, ainda iniciado ou juvenil, disse a um dirigente da Federação: “Se não houver dinheiro não há palhaço...”
Não sei se afirmei isso ou não, mas é bem possível que sim. Mas quando não nos pagam é comum ouvir essa frase, não é? Sempre fui uma pessoa que disse tudo o que pensava, independentemente de os outros poderem ou não gostar. Assumo a minha forma de ser e tudo o que digo. E o que dizem ou deixam de dizer sobre mim não me interessa. Até porque não me conhecem. Muita gente relaciona-me sempre com dinheiro. Isso resulta também do facto de eu, muitas vezes, ter surgido a defender os interesses dos outros, queimando-me a mim. Mas não me importa. Tenho a consciência que tudo o que tenho foi ganho com o meu suor e o meu trabalho. Foi uma troca de serviços. Nunca apontei uma arma à cabeça de ninguém a obrigá-lo a assinar um contrato comigo, fosse ele de publicidade ou como jogador. É o mercado. Estás interessado, aceitas; não estás interessado, não aceitas. Se eu, por exemplo, não tivesse tido rendimento no primeiro ano no Barcelona, certamente que me tinham dado um pontapé, como fizeram a outros ao longo da minha carreira e nos clubes por onde passei.

Por que escolheu viver em Madrid?
Primeiro porque a minha família, desde que conheço a minha mulher, viveu sempre em Espanha, primeiro em Barcelona e depois em Madrid. Depois tivemos de emigrar para Itália, mas as minhas filhas nasceram em Espanha. Outra das razões foi porque, quando saí do Real e fui para Milão, estava a construir a minha casa em Madrid. Quando terminei o contrato com o Inter quis, naturalmente, usufruir da casa, o que não tinha acontecido até aí.

Hoje é também visto como um empresário. Diz-se que tem investimentos na área do imobiliário, hotelaria, combustíveis, etc. O que nos pode dizer sobre isto? Nada... Tenho vários negócios, muitos deles em Portugal, apesar de eu querer vender tudo o que tenho no meu país. Pago muitos impostos, ao contrário do que muita gente pensa.

Mas quer vender tudo em Portugal por pagar muitos impostos?
Não, quero vender porque estou um bocado farto disto. Mas o que eu estava dizer é que dou trabalho a muita gente e pago muito de IVA. Estou a dizer isto apenas para responder aos que dizem que eu não contribuo para o país.

Mas quantas empresas tem em Portugal?
Tenho várias, na área da hotelaria, por exemplo.


"Enganei-me sobre Sócrates"

Apoiou politicamente José Sócrates há dois anos para obter vantagens financeiras, designadamente do BPN, como se escreveu na altura?
Para os que dizem isso, devo informá-los do seguinte: depois disso, fiz um contrato publicitário com a Just for Men, fiz outro com a UniCredit e ainda outro com uma marca de relógios. Será que também tenho de agradecer a José Sócrates por ter recebido dinheiro destes contratos publicitários?

Ainda tem esperança de vir a receber os 850 mil euros que BPN lhe deve à conta de um contrato de direitos de imagem?
Tenho. E tenho porque acredito na justiça. Muita gente fala isto e aquilo, mas a minha ligação ao BPN foi apenas em torno da minha imagem publicitária. Fiz o trabalho que estava estipulado no contrato, mas não me pagaram. Foi um contrato assinado de livre vontade e, por isso, confio que se vai fazer justiça.

Recentemente deu uma entrevista em que afirmou que, se os políticos não derem o exemplo, Portugal não tem remédio... Ficou assim tão desiludido com Sócrates? O que acha de Passos Coelho?
A política não me interessa. Deixou de me interessar. Apoiei um candidato porque, na altura, achei que era a pessoa adequada. Não que eu seja do partido a, b, c, ou d, mas pensei que ele poderia ajudar Portugal a crescer e a melhorar as coisas. Errei. Enganei-me, como se enganaram milhões de portugueses que votaram nele. Mas eu, por ser figura pública, tive consequências disso. Hoje ninguém acredita nos políticos, há uma descredibilização total, aqui, em Espanha ou em Itália, é igual. Não me venham dizer que há uma crise financeira, uma crise mundial. Há é políticos que gastam mais do que há para gastar. E isso é o bê-à-bá da economia. Não é preciso ser muito inteligente para perceber isto - eu não sou muito e não gasto mais do que aquilo que tenho.

Também não era fácil...
É fácil é...

A Fundação Luís Figo também tem sido afectada pela crise?
Claro que tem. Perdemos os mecenas que tínhamos porque as respectivas empresas cortaram nos apoios que davam. Agora, a fundação vive à custa de doações minhas e do jogo que normalmente realizamos e que nos serve para cativar receitas. A fundação foi constituída há oito anos e continua sem lhe ver reconhecido o estatuto de utilidade pública, o que facilitaria não só em termos de custos fiscais, mas também na obtenção de mecenas. Não se trata de obter benefícios fiscais para mim, que fique bem claro. Isto não serve para lavar dinheiro. É uma instituição sem fins lucrativos e auditada. Não se pode brincar com o trabalho social.

PUBLICO -DESPORTO


Uma coisa a que chamam Presidente


Vivemos tempos difíceis, governados por gente desprezível e que poucas esperanças nos dá para o futuro. No nosso sistema, o Presidente da Republica é uma figura com poderes limitados mas em que alguns são importantes. É a ele que cabe a tarefa de garantir o respeito e o cumprimentos da Constituição. Precisávamos de um Presidente inteligente, justo, corajoso, honesto, democrático, livre e com princípios humanos e morais acima de qualquer dúvida. Infelizmente temos o que temos e colocar alguma esperança naquilo que temos é pouco ou nada. Se as instituições, como aconteceu sempre em ditaduras, desrespeitam as suas funções e as leis que as regem, atropelando-as e deixam de ver os cidadãos como seres humanos com direitos e necessidades, o que nos resta é sermos nós a exigirmos esses direitos e reclamar essas necessidades. Somos gente e exigimos o funcionamento da democracia. Ninguém vai fazer isso por ti nem por mim, somos todos nós, juntos, que o temos de fazer.

Três Rumores de Corredor

O iPad2 do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, teria sido sequestrado pelas autoridades angolanas, e adiada a sua devolução, como forma de pressão para que fossem aligeiradas as condições de aquisição do BPN, por parte do BPI. Vozes discordantes dizem que esta história não passa de uma cabala, e que a verdade é que o iPad teria sido visto à venda no mercado Roque Santeiro, por meia dúzia de quanzas;

José Guedes não é o “estripador de Lisboa”, garante uma fonte que pretende manter o anonimato. Conhecidos que são os seus dotes de actor, teria sido contratado pela “pequena troika” para criar uma manobra de diversão, destinada a desviar a atenção dos portugueses da turbulência política e dos problemas sociais que o país enfrenta. Terá obtido a garantia de que seria ilibado e libertado antes do Ano Novo (para ir assistir ao fogo de artíficio do Funchal), no entanto, ignora-se o valor do “cachet”;

Os dois manifestantes que foram detidos nas imediações da Assembleia da República, no dia da greve geral, por terem desrespeitado ordens e ofendido as forças policiais, foram condenados a seis meses de prisão, com pena suspensa por um ano. Já os agentes policiais infiltrados entre os manifestantes, e que de lá provocaram os seus próprios camaradas, potenciando os desacatos, diz-se que irão ser distinguidos com condecorações e promoções.

Um negócio muito submarino



«O dois ex-executivos da Ferrostaal e a própria empresa julgados por suborno de funcionário públicos estrangeiros na venda de submarinos a Portugal e à Grécia aceitaram a proposta de conciliação do tribunal, foi hoje anunciado. Ao fazê-lo, admitiram pagar subornos à Grécia e a Portugal, neste caso na pessoa do ex-cônsul honorário em Munique, Jürgen Adolff.
O ex-administrador da Ferrostaal Johann-Friedrich Haun e o ex-procurador Hans-Peter Muehlenbeck terão assim de pagar uma coima de 36 mil euros e 18 mil, respectivamente, e serão condenados a uma pena suspensa que não excederá dois anos, como propôs o juiz do processo, Joachim Eckert, na abertura do julgamento, esta manhã, na capital da Baviera.» Um negócio bem submarino onde se sabe que foram pagos subornos mas ninguém parece importar-se em saber a quem.


SUPREMA HIPOCRISIA CONDENA EUCLIDES SANTOS

 
 mails para todos os gostos e aqueles que nos caem com mulheres em poses desnudas não mordem. Mais: há e-mails a circular há tantos anos, tão velhos e repetidos, que o que é estranho é que ainda impactem. Em que mundo vivem esses motores do escândalo ridículo que varre o País, o presidente da câmara João Paulo Barbosa de Melo e a vereadora que tutela a Polícia Municipal?! Não haverá nada mais importante em que pensar que a tutela da moral autárquica?! Ora, o mail do busílis máximo dizia isto, vulgar e repetido há imensos Natais: «E basta de farsas e de palavreado inútil! O que eu desejo, de todo o coração, é que tenhas relações sexuais incríveis, uma vida alegre e feliz, que trabalhes muito e que te paguem bem!» Quem é que, sendo humano e não do Planeta Pudibundice, não o deseja?! Tudo o que não interesse ou não agrade no nosso correio electrónico apaga-se e pronto. Ora, a saga desse e-mail de um Natal-Sexual reenviado por Euclides Santos, ao que parece por troca no anexo a um e-mail de Boas Festas, roça a insanidade. Dá-se relevo ao que não é passível de relevo. Coisas como essa mereceriam um sorriso e nada mais. Imoralidade é a fome, o desemprego e o desânimo de dezenas de milhar de portugueses. O sexo é uma coisa humana assim como falar dele e rir dele. Não poderia ser mais deplorável a suspensão do comandante da Polícia Municipal de Coimbra, alvo de um processo disciplinar ainda mais deplorável.

Algarve: Administração do Hospital de Faro à beira da substituição 
14-12-2011 

Pedro Nunes, antigo bastonário da Ordem dos Médicos deverá ser nomeado para presidir ao conselho de Administração do Hospital de Faro, por decisão do ministro da Saúde, Paulo Macedo.
 
saude-paulomacedo-hospital.jpg
Ver Galeria
 
A tutela não terá aceitado as propostas oriundas da região e decidiu avocar o processo, tendo escolhido o oftalmologista e antigo bastonário da Ordem dos Médicos, para presidir ao Conselho de Administração do Hospital de Faro, apurou o Observatório do Algarve junto de fonte da Administração Regional de Saúde do Algarve (ARS).
Segundo a mesma fonte, a nomeação deverá realizar-se “nos próximos dias” e para os outros cargos de vogal executivo estão em cima da mesa nomes como o de João Tiago Botelho Silva, que já foi administrador do Centro Hospitalar do Barlavento Algarvio (CHBA) e, para o cargo de diretor clínico, o do ortopedista Jorge Salvador, antigo dirigente do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), sendo que para o posto enfermeiro diretor deverá ser nomeado José Vieira dos Santos.
O Conselho de Administração do Hospital de Faro, EPE (Entidade Empresarial do Estado) é composto pelo Presidente e 2 vogais executivos e dois não executivos e órgãos de direção técnica, preenchidos pelo diretor clinico e enfermeiro diretor.
Atualmente estão ainda em funções no Conselho de Administração Ana Paula Gonçalves como presidente, sendo vogais executivos Francisco Manuel Dionísio Serra e Hugo Miguel Guerreiro Nunes. Maria Helena Branco Gomes é a diretora clínica enquanto Maria Filomena do Rosário Rafael Martins é enfermeira diretora.
De acordo com o último relatório de contas do HF, datado de 2010 e reportando-se aos 4 últimos meses do exercício de 2008, disponível no site oficial do HF, EPE, a instituição apresentava um resultado líquido negativo a rondar os 6,6 milhões de euros, que já herdara da anterior administração, tendo diminuído cerca de 2 milhões de euros relativamente a de 2007, quando a dívida era superior a 8,5 milhões de euros, saldo negativo que em 2006 atingia perto de 12 milhões de euros.
Ex-bastonário enfrentou polémica no mandato na Ordem
Recorde-se que Pedro Nunes, a escolha do Ministro da Saúde para administrar o Hospital de Faro, que tem o estatuto de Entidade Empresarial do Estado (EPE) é oftalmologista e exerceu as funções de bastonário da Ordem dos Médicos durante dois mandatos, tendo sido reeleito para o último em janeiro de 2008 com recurso a uma segunda volta eleitoral.
O seu último consulado ficou marcado, em 2009 pelo caso da seguradora espanhola AMA, no foi multado em 135 mil euros por receber, em 2006 e 2007, alegadas ajudas de custos indevidas, enquanto conselheiro da seguradora espanhola AMA, na altura responsável pelo seguro de responsabilidade civil dos clínicos portugueses, subscrito pela Ordem.
Segundo avançou a agência Lusa na altura, além da multa, decretada pela Direção Geral de Seguros espanhola após uma investigação concluída no ano passado, os conselheiros arriscam-se a ter de devolver os montantes recebidos como ajudas de custo e que, no caso do bastonário da Ordem dos Médicos (OM), foram de 3000 euros mensais durante dois anos.
Pedro Nunes confirmou à Lusa a investigação realizada pela da Direção Geral de Seguros espanhola e adiantou que a seguradora, Agrupación Mutual Aseguradora (AMA), recorrera da sentença aos tribunais. Pedro Nunes foi conselheiro em 2006 e chegou a vice-presidente da administração em 2007 e justificou o cargo no Conselho de Administração da AMA para “defender os interesses dos médicos portugueses”.
O assunto foi acompanhado pelos advogados da Ordem dos Médicos (OM), que entretanto contestou o pagamento da multa aplicada ao bastonário, pela própria ordem.
Entre os portugueses que passaram pela administração da AMA e que foram também multados estão Miguel Leão, (120 mil euros) ex-presidente da secção Norte da OM que foi opositor de Pedro Nunes na sua última corrida a bastonário, e o antigo bastonário da Ordem dos Farmacêuticos João Silveira.
O antigo bastonário disse na altura à Lusa que fora convidado pela AMA a integrar o Conselho de Administração, tendo substituído Miguel Leão que lá exercera funções em 2003-2006 e que assinara com a seguradora um acordo enquanto presidente da secção regional Norte da Ordem.

Cartoon do Bartoon | O Presidente da República Acredita que os Portugueses Estão Determinados a Lutar por um Futuro Melhor | Os MERKOZY Não Permitirão!

Cartoon do Bartoon de hoje dá continuação ao meu último "post" e não podia estar mais correcto na sua avaliação da nossa situação... Uma vez mais, a verdade expressa em magníficos cartoons subtilmente acutilantes.
Uma parte da mensagem do Presidente Cavaco Silva era: "(...) um ano de 2012 tão bom quanto possível"... E o Presidente da República acredita que os portugueses estão determinados a lutar por um futuro melhor...
Futuro melhor?! As respostas a essa "ilusão" do Presidente está no Cartoon do Bartoon - o futuro melhor não perece estar interessado em nós! -, e no outro cartoon, com o casal-Merkel-Sarkozy ao rumo do percurso, esmagando o nosso direito de independência, de voto e de decisão sobre o nosso caminho e o nosso futuro, afastando, de todo, a hipótese de um futuro melhor para Portugal!
Como só nos resta rir... e rir é o melhor remédio, vamos rir para não chorarmos e, assim, chegarmos a 2012 ainda com alguma sanidade...

JOÃO
blog Desfazer nós & criar laços




Etiópia, a última ceia




Aperta-me as mãos, estão geladas
ainda que não as sintas, aperta-mas,
são elas que carregam o pão, da última ceia
deste ventre inchado, onde as moscas acasalam
na aresta da lágrima que desenha os meus olhos.

A vida escoa-se, a viagem dilata-se
entre a correria apressada dos corpos
onde os oceanos são feitos de terra amarelecida
e os glaciares infaustos, aperta-me as mãos
antes que o sol se ponha e nos vista de medo.

Mãe negra,
é breve o teu lamento…ouço-as, gritam,
num círculo fechado, na cartilagem das sílabas
escritas, vendadas pelo sangue frio
que carregas nas mãos, a fome.


Conceição Bernardino
Blog Amanhecer & Palavras ousadas

Comandante da polícia deseja "relações sexuais incríveis"

Comandante da polícia deseja "relações sexuais incríveis"
Fotografia © DR

A mensagem enviada esta manhã por Euclides Santos, comandante da Polícia Municipal de Coimbra, falava de saúde, paz e amor, como os tradicionais postais de Natal. Só que este, em vez de pinheirinhos ou símbolos natalícios, era ilustrado com imagens de mulheres seminuas. E, a determinada altura, lia-se "O que eu desejo de todo o coração é que tenhas relações sexuais incríveis".
O e-mail seguiu para milhares de pessoas da autarquia e, claro, deu que falar. O comandante pediu desculpa e justificou a mensagem com um lapso no anexo colocado no e-mail.
Apesar disso, durante o dia chegou a falar-se na possibilidade de demitir o comandante. Esta noite, o presidente da Câmara de Coimbra, João Paulo Barbosa de melo, anunciou que lhe instaurou um processo disciplinar que visa "a defesa do bom nome da Polícia Municipal".
Diario de Notícias

O Comandante da Polícia Municipal de Coimbra quis desejar um bom Natal aos funcionários da autarquia de Coimbra, mas enganou-se no anexo que colocou no mail. O presidente da Câmara já lhe instaurou um processo disciplinar.

...ou então não pagamos.


“A primeira responsabilidade de um primeiro-ministro é tratar do seu povo. Na situação em nós vivemos, estou-me marimbando para os credores e não tenho qualquer problema, enquanto político e deputado, de o dizer. Porque em primeiro lugar, antes dos banqueiros alemães ou franceses, estão os portugueses”, disse Pedro Nuno Santos no último fim-de-semana, durante um jantar de Natal socialista de Castelo de Paiva.
No mesmo discurso, disse estar-se “marimbando” para o banco alemão que emprestou dinheiro a Portugal nas condições em que o fez, lembrando que o país tem um trunfo: “Nós temos uma bomba atómica que podemos usar na cara dos alemães e franceses - ou os senhores se põem finos ou nós não pagamos. As pernas dos banqueiros alemães até tremem”.

Quanto mais cedo o percebermos melhor e que haja quem o diga, mesmo sabendo que vai ser mandado calar pelos seus "pares" é bom porque há sempre quem o oiça e pense. A mentira da inevitabilidade cada vez faz menos sentido par cada vez mais gente.

Bairro do Aleixo – A perfeição técnica


Não tenho elementos que me permitam comentar com propriedade a história do Bairro do Aleixo, nem a solução encontrada para resolver os seus conhecidos problemas. Sei apenas que ficaria muito mais confortável se àquelas pessoas (se não a todas, pelo menos à maioria) tivesse sido proposto um afastamento temporário do seu bairro, onde alguns viviam há décadas, para ali serem construídas novas habitações, com outras condições de modernidade, salubridade e segurança, para onde regressariam, se assim o quisessem.
Nada disso! A “solução” do espesso cérebro de Rui Rio e da teia de interesses dos que o rodeiam, passa por colocar toda aquela gente o mais longe possível dali, para construir um condomínio de luxo, aproveitando a localização privilegiada do bairro sobre a linha de água do belíssimo rio Douro.
Nenhum dos moradores parecia saber qual o destino que lhes está reservado. Também não vi os jornalistas muito empenhados em o saber. Estavam mais interessados em empolar os “momentos de tensão” vividos entre alguns moradores e a polícia... embora nada tenham levado daí. Mesmo a própria polícia teve a inteligência de desvalorizar os “desacatos”. Provavelmente porque, pelo menos alguns dos seus elementos, conseguem imaginar a revolta genuína que habita alguns desses moradores. Ah... e, obviamente, toda a comunicação social ficou extasiada com a perfeição técnica da implosão da “torre 5”.
Como disse, não tenho elementos que me permitam comentar com propriedade a história do Bairro do Aleixo, nem a solução encontrada para resolver os seus conhecidos (e graves) problemas. Muitos menos para avaliar a tal “perfeição técnica” da destruição do bairro.
Seja como for, tenho imensa pena de que o tipo de sociedade que cria as condições para o aparecimento de todos “bairros do aleixo” deste país, com a sua criminalidade e insegurança, mais as vidas de chumbo de todos aqueles que, mesmo não contribuindo para essa criminalidade e insegurança, são apanhados neste cerco de miséria, injustiça e desprezo... não possa ser, com igual perfeição técnica, implodida em menos de dez segundos.