AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


sábado, 26 de novembro de 2011

De vez em quando... uma boa notícia


Alfredo Astiz, oficial da Marinha, responsável pelo desaparecimento de milhares de argentinos opositores à sangrenta ditadura militar que durou de 1976 a 1983. Estes “desaparecidos” foram sistematicamente detidos, torturados e assassinados. Ficou conhecido como “Anjo Loiro da Morte”.

Gabava-se publicamente de «ser o melhor homem da Argentina a matar políticos e jornalistas».
O novo poder judicial (e político) argentino entendeu ser seu dever cívico e patriótico julgar estes animais selvagens. Este, particularmente, foi condenado a prisão perpétua. Espero que tenha uma vida longa.
De vez em quando... uma boa notícia. Para variar... que diabo!

Madeira – Independência sim, separatismo não!






Com uma História, uma identidade, uma língua e uma cultura próprias e distintas, o povo ibérico da Catalunha tem sentimentos bastante “fortes” quanto à sua “pertença” à Grande Espanha. Sobre esse problema, tem tomado as mais diversas atitudes, sobre as quais só poderá tomar partido (a estar interessado em tal) quem conheça minimamente aquela realidade.
Uma das palavras de ordem do povo catalão, criada com o acerto que cada um ache por bem atribuir-lhe, é: “Independência sim, separatismo não!”
Inspirado pelo grande paralelismo histórico entre a Catalunha e a Madeira, já que são sobejamente conhecidas tanto a História, como a cultura, como a língua daquele arquipélago, História, cultura e língua que o distinguem, radicalmente, do todo que é Portugal... um tal Miguel Sousa, que conseguiu chegar a vice-presidente do PSD-Madeira, depois de recitar várias das baboseiras típicas de Jardim, sobre o “contenente” e o “colonialismo” de Lisboa, decidiu adoptar a tal palavra de ordem catalã... e aí vai disto: 

...o que, podendo parecer uma coisa ridiculamente triste, é afinal um sinal de esperança para quase todos os grandes imbecis, que assim vêm provada a sua chance de também poderem chegar a lugares e cargos normalmente considerados importantes.

O Futuro? Está mesmo aí ao virar da esquina


Porque o pior ainda está para vir.

Parabéns SEM PUDOR!

Ontem falava em mata-lo. A quem? Ao desejo, “tinha de ser” dizia, “tem de ser, agora tem de ser, não só porque tem de ser mas porque é o que faz sentido agora”. E hoje os sentidos acordam, está ali, aqui, um homem, que me acorda o desejo e numa fracção de segundos nasce uma fantasia e logo a seguir o sorriso, logo a seguir nasce o sorriso da evidência dos sentidos que não podem ser castrados, apenas, harmonizados. Penso nas fantasias marcadas na agenda dos atrevidos “que bom que é poder dar vida ao pensamento” disse num sorriso partilhado, “que bom que é sonhar assim” dissemos entre a loucura própria de se ser amiga. “O que for será, valerá pelo que for vivido” disse, “E o que já é, vale pelo agora, poder partilhar a nossa vida em uníssono” disse-nos uma linda mulher.

Comemorar o desejo. Parabéns ao desejo que nasceu de nós! Parabéns SEM PUDOR, blog com um ano de vida!

Castrar? Quem? O quê? Condeno a mentira para magoar, para ofender não a omissão por respeito ao outro. Condeno a falta de honestidade não a frontalidade por amor ou por amizade. Condeno querer tudo para si e não permitir nada aos outros. Condeno a arrogância sem tolerância. Condeno o não querer bem nem a si, nem a ninguém.

Agora desejo, amor, tesão, paixão, amizade SEM PUDOR sempre.